Archive for Maio 16th, 2018

Assembleia discute importância e valorização da Terapia Ocupacional no RN

A Assembleia Legislativa promoveu, na tarde desta terça-feira (15), uma discussão sobre a importância da atuações dos terapeutas ocupacionais em unidades de saúde no Rio Grande do Norte, assim como a necessidade de valorização dos profissionais da área. Proposta pelo deputado Hermano Morais (PMDB), o encontro mostrou números sobre a profissão no estado e propôs ações para ampliar a possibilidade de formação de novos profissionais e absorção pelo mercado de trabalho.

A terapia ocupacional é uma profissão da área da saúde que promove prevenção, tratamento e reabilitação de pessoas com alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psico-motoras, que podem ser decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos ou de doenças adquiridas. A atividade de um terapeuta ocupacional é voltada para a pessoa e seu grupo social, com objetivo de ampliar o campo de ação, desempenho, autonomia e participação, considerando recursos e necessidades de acordo com o momento e lugar, estimulando condições de bem-estar e autonomia. Por meio do fazer afetivo, relacional, material e produtivo o profissional contribui com os processos de produção de vida e saúde.

Apesar da importância da atuação dos profissionais, o espaço ocupado pelos terapeutas ocupacionais nas unidades de Saúde do Rio Grande do Norte é pequeno, assim como também ocorre a formação de poucos profissionais no estado. Para Hermano Morais, é preciso que esse cenário seja alterado.

“Sabemos da importância da profissão, mas ainda vemos poucos hospitais com terapeutas ocupacionais em número suficiente em seus quadros. Além disso, é importante que se formem mais profissionais da área, o que só será possível com a abertura de novos cursos”, disse o deputado Hermano Morais.

Com diversos representantes da categoria no auditório da Assembleia Legislativa, os profissionais falaram sobre o momento atual da profissão no estado. Segundo o presidente da Associação dos Terapeutas Ocupacionais do Rio Grande do Norte (Atorn), Igor Daniel, nenhum hospital no estado, seja na esfera municipal, estadual ou federal, tem número adequado de profissionais da área nas escalas de trabalho.

De acordo com a Atorn, o hospital João Machado, em Natal, conta com somente um terapeuta ocupacional, enquanto há mais de 350 leitos na unidade. Já no Hospital Universitário Onofre Lopes, onde mais de 25 mil atendimentos são realizados mensalmente, também há somente um terapeuta ocupacional atuando.

“É um hospital onde temos grande número de pacientes que chegam com acidentes vasculares cerebrais. Não está se preocupando com o paciente após a operação. Infelizmente, não há como o terapeuta ocupacional desenvolver seu trabalho nessa situação”, criticou o representante da categoria.

Se por um lado há a falta de espaços para os profissionais atuarem, também há a queixa quanto à falta de um curso na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) voltado para formar profissionais da área. O diretor da Faculdade de Ciências da Saúde do trairi (Facisa/UFRN), Edvaldo de Carvalho Filho, concordou com a necessidade de se implantar o curso e disse que, inclusive, já há o projeto para implantação da graduação na universidade. No entanto, de acordo com ele, ainda restam trâmites burocráticos junto ao Ministério da Educação (MEC), que devem ser alvos da atuação dos parlamentares federais potiguares para que a implantação tenha andamento.

“Sabemos do trabalho do deputado Hermano Morais em contribuir com o tema, mas queremos também que os deputados federais e senadores, que têm trânsito em Brasília. É um curso extremamente importante para o estado e precisamos clamar aos nossos representantes para que atentem para a importância de implantação do curso na UFRN”, disse Edvaldo de Carvalho Filho.

Ao fim da reunião, quando diversos profissionais apresentaram dados que mostraram a necessidade de valorização da profissão, os representantes da audiência concordaram em buscar encontros com prefeituras, Estado e com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) para discutir a possibilidade de ampliação das vagas aos terapeutas ocupacionais. Além disso, também buscarão a implantação de novo curso em Natal.

“É uma atividade extremamente importante e podem contar com nosso apoio para a valorização dos profissionais terapeutas ocupacionais no Rio Grande do Norte”, disse Hermano.

Senadora Simone Tebet defende decisão rápida sobre candidatura do MDB

Senadora Simone Tebet
Simone Tebet: “É uma eleição atípica, onde qualquer candidato com 12% as intenções de voto já está no segundo turno com o outro candidato” (Wilson Dias/Agência Brasil)

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles reuniu-se nesta quarta-feira com a bancada do MDB no Senado para tentar vender sua candidatura ao Palácio do Planalto pela legenda, e a líder da bancada, Simone Tebet (MS), disse que é preciso ouvir outros postulantes e defendeu que a definição da candidatura seja feita no início do prazo legal, no final de julho.

Ao mesmo tempo, a líder da bancada emedebista exaltou Meirelles e fez a avaliação de que ele reúne “todas as características” para concorrer. Na saída do encontro, Simone Tebet afirmou que Meirelles demonstrou “claramente” disposição para concorrer e elogiou o fato de ele ter falado sobre outros assuntos que não a economia, área em que o ex-ministro fez carreira.

Mas a líder do MDB disse que o partido tem que escolher o nome para o Planalto no primeiro dia marcado para as convenções partidárias –dia 20 de julho. Ela defendeu candidatura própria ao Planalto.

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/senadora-simone-tebet-defende-decisao-rapida-sobre-candidatura-do-mdb/

Empresário confirma que pediu que governador do RN intermediasse liberação de festa vetada pelos bombeiros

Do G1RN

O empresário Ênio Sinedino, responsável pela festa que aconteceu no sábado (12) na Shock Casa Show, Zona Norte de Natal, confirmou que ligou para o governador Robinson Faria depois que o Corpo de Bombeiros começou a cobrar adequações para liberar a realização do evento. De acordo com Sinedino, a ligação aconteceu ainda na manhã de sábado, antes de o comandante da corporação interditar a casa de show. (Veja vídeo acima)

coronel Luiz Monteiro da Silva Júnior foi exonerado do comando dos Bombeiros nesta terça-feira (15). Ele disse que o motivo da exoneração foi a negativa dada a Robinson Faria sobre um pedido para autorizar que a festa acontecesse, mesmo sem cumprir as normas legais de segurança. O oficial disse que Faria ligou para ele e deu a ordem pessoalmente.

O governador, por sua vez, enviou nota em que nega qualquer intervenção no caso. A nota afirma que não houve qualquer pedido de Robinson Faria para descumprimento de competências legais por parte do comando do Corpo de Bombeiros. Na mesma nota, o governo alega que “a troca no comando do Corpo de Bombeiros foi meramente técnica, não tendo qualquer conexão com o suposto fato. A questão não foi de legalidade e sim de hierarquia”.

Contato com o governador

Ênio Sinedino falou com a Inter TV Cabugi nesta quarta (16) e disse que sua ligação para o governador foi para pedir que ele falasse com o coronel Monteiro. “Eu pedi para o governador falar para o comandante que a gente estava correndo atrás para resolver todas essas questões pendentes”, afirma.

Relatório do Corpo de Bombeiros do RN informava sobre irregularidades em festa que o governador mandou autorizar (Foto: Cedida)
Relatório do Corpo de Bombeiros do RN informava sobre irregularidades em festa que o governador mandou autorizar (Foto: Cedida)

O laudo do Corpo de Bombeiros informa que os organizadores da festa não apresentaram um projeto de proteção contra incêndio e pânico, bem como também não havia vistoria das estruturas fixas montadas no local. Esses foram os motivos da interdição.

O coronel Monteiro disse também que a equipe responsável pela inspeção foi até a casa de show mais de uma vez e constatou que as adequações solicitadas não haviam sido feitas. Ênio Sinedino diz que, dentre os pedidos, restou apenas fornecer uma “planta”, que foi refeita três vezes no próprio sábado (12), dia marcado para acontecer a festa.

 

Hermano alerta para suspensão dos plantões nas delegacias do RN

No pronunciamento que fez durante a sessão plenária desta quarta-feira (16), o deputado Hermano Morais (MDB) chamou a atenção para o problema da segurança pública no RN. O parlamentar citou um comunicado da Associação dos Delegados da Polícia Civil (Adepol) informando sobre a suspensão dos plantões em vários municípios.

“Recebi este comunicado, que gera uma preocupação. Se a insegurança já está grande, imagine com essa suspensão dos plantões que os delegados já faziam de forma voluntária”, alertou o parlamentar.
Hermano citou que os profissionais que atuam na segurança pública do Estado estão acumulando problemas, como o déficit nos efetivos. “Têm delegados que respondem por vários municípios, pois há um grande déficit e profissionais e eles estão cansados de aguardar pelo concurso anunciado. Chegaram ao ponto em que a categoria resolve tomar essa decisão e a população fica ainda mais desassistida”, preocupa-se o deputado.

Hospitais
O deputado também reforçou convite para a audiência pública que irá acontecer na tarde desta quarta-feira, na Assembleia Legislativa, sobre o fortalecimento dos hospitais. O debate é uma proposição conjunta do seu mandato juntamente com os deputados Gustavo Fernandes (PSDB) e Márcia Maia (PSDB).

“O clima anda pesado, em locais como João Câmara e São Paulo do Potengi, onde as prefeituras estão sem condições de receber os pacientes, como propõe a Secretaria Estadual de Saúde”, afirmou Hermano. O deputado também citou que a própria gestão estadual está com déficit de recursos humanos e sem recursos para abastecimento.

Hermano Morais relatou que no caso de João Câmara, as gestantes precisam se deslocar a Macaíba, com dificuldades de transporte e de recursos. “Temos que avaliar essas medidas, não podemos deixar a população desassistida. Por isso o debate é importante para ouvir a palavra dos técnicos, gestores e servidores, mas o interesse maior é a prestação de serviços à população que depende do SUS, por não ter plano de saúde”, afirmou.

 

Assessoria

Sargento da PM é suspeito de matar a própria mulher a tiros na Zona Oeste de Natal

Rosivânia Maria da Silva tinha 36 anos (Foto: Arquivo da Família)

Uma mulher foi assassinada a tiros na madrugada desta quarta-feira (16) no bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal. O suspeito do crime é o próprio marido dela, um sargento da Polícia Militar lotado no 9º BPM, que fugiu. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da PM. A vítima foi identificada como Rosivânia Maria da Silva, de 36 anos. Segundo familiares, eles eram casados há 14 anos.

Em relatório, os policiais que atenderam a ocorrência disseram que um vizinho foi quem chamou a polícia, e que afirmou ter ouvido pelo menos três disparos. Em seguida, também relatou ter ouvido o policial dizer, ao fugir em uma motocicleta, que estava indo atrás de outra pessoa para “terminar o serviço”. O vizinho relatou, ainda, que viu todo o ocorrido pela janela de sua residência.

Por fim, os policiais contam que a mulher ainda chegou a ser atendida por socorristas do SAMU, mas que ela não resistiu e morreu a caminho do hospital.

O PM está sendo procurado.

Fonte: https://g1.globo.com/rn

Ezequiel Ferreira solicita infraestrutura, segurança e esporte para Brejinho

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), solicitou ao Governo do Estado intervenções que vão reforçar a infraestrutura, a segurança e a oferta de lazer e esporte para o município de Brejinho, na região Agreste.

“São ações que não demandam grandes investimentos, mas que terão impacto significativo para a população da cidade. Reparos na delegacia, recuperação da malha viária e restauração do ginásio da cidade podem promover a melhoria na qualidade de vida da população”, destacou o parlamentar.

Para as ações, o parlamentar propôs que sejam firmados convênios com o município, de modo a dividir as responsabilidades pelas ações. As solicitações do presidente da Assembleia Legislativa podem gerar benefícios para cerca de 13 mil pessoas, população estimada da cidade.

Os requerimentos estabelecem que as ações de infraestrutura sejam para a malha viária das comunidades de Parque do Sol, Alto Paraíso e João Paulo II. O deputado justifica a escolha desses três locais como necessários para a promoção da distribuição de recursos e ações governamentais.

Já o ginásio poliesportivo da cidade e a delegacia de polícia passam por deterioração que demandam urgentes reparos para que tenham continuidade nos serviços que ofertam.

Procuradoria denuncia Joesley por suposta compra de procurador

Procuradoria da República da Primeira Região disse que não poderia falar sobre a denúncia porque ela está sob sigilo. Foto: Evaristo Sá/AFP
Procuradoria da República da Primeira Região disse que não poderia falar sobre a denúncia porque ela está sob sigilo. Foto: Evaristo Sá/AFP
A Procuradoria da República da Primeira Região apresentou uma denúncia contra Joesley Batista, sócio do Grupo J&F, e Francisco de Assis e Silva, ex-diretor jurídico da empresa, sob acusação de terem participado de um esquema de compra da atuação do procurador da República Ângelo Goulart Villela a favor de beneficiar Joesley e a empresa Eldorado Celulose em meio às investigações da Operação Greenfield, da Procuradoria da República do Distrito Federal, que investiga fundos de pensão.
A denúncia, apresentada em 27 de abril ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região, vem cerca de um ano após executivos da JBS firmarem acordos de colaboração premiada, e em meio a um impasse quanto ao pedido de rescisão desses acordos – já apresentado pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal, mas ainda não homologado pelo relator, ministro Edson Fachin.
Também foram denunciados Villela, os advogados Juliano Costa Couto, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF), e Willer Tomaz, bem como o publicitário André Gustavo Vieira. Os crimes que constam na denúncia são corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, violação de sigilo funcional e embaraço de investigação.
Continua depois da publicidade
O esquema que deu origem à denúncia foi revelado pelos delatores da JBS, quando firmaram as delações no ano passado. Villela e Tomaz chegaram a ser presos na Operação Patmos, em maio de 2017, por decisão de Fachin, mas vieram posteriormente a ser libertados. A denúncia inclui dois nomes que não foram alvo da operação – Couto e Vieira, acusados dos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
A primeira reação da defesa de Joesley Batista, que afirmou tomar conhecimento da denúncia ao ler reportagem do jornal Folha de S. Paulo, foi afirmar que o empresário não poderia ter sido denunciado porque ainda não houve a homologação da rescisão do acordo de colaboração premiada dele.
“Se confirmado o oferecimento de acusação usando fato denunciado pelo colaborador contra o próprio colaborador, verifica-se grave desrespeito à lei e às cláusulas do acordo de colaboração, firmado entre a PGR e Joesley Batista, que preveem a não denúncia. Há menção expressa pela Procuradora-Geral da República de que, enquanto o STF não se manifestar sobre a rescisão do acordo, a denúncia não pode ser recebida contra o colaborador. Então é um contrassenso os procuradores da República oferecerem essa denúncia neste momento”, disse André Callegari, manifestando “estranheza” com a situação. “Só há uma explicação: ou desconhecem que o acordo não está rescindido ou desconhecem a manifestação da PGR”, completou.
Procurada pela reportagem, a PGR não retornou até a publicação deste texto. A Procuradoria da República da Primeira Região disse que não poderia falar sobre a denúncia porque ela está sob sigilo.
As vantagens oferecidas a Villela teriam sido o pagamento de R$ 3,754 milhões pela Eldorado Brasil Celulose ao escritório Willer Tomaz Advogados Associados, “sob o pretexto de prestação de serviços de advocacia”; o pagamento de R$ 50 mil mensais, “a título de ‘ajuda de custo'”; e o porcentual de êxito na redução dos valores de avaliação das ações da Eldorado no âmbito da Operação Greenfield. Tomaz teria levado a promessa de vantagens indevidas ao então procurador da República no DF – uma das contrapartidas seria a atuação do procurador para buscar o arquivamento da investigação.
Villela teria revelado fatos e informações aos quais teve ciência em razão do cargo e que deveriam permanecer em segredo, como o conteúdo de duas reuniões sigilosas, tendo até apresentado documentos com “resumos de informações e estratégias confidenciais e sensíveis da Força-Tarefa da Greenfield” a Tomaz, para que fossem encaminhados a Joesley.
A lavagem de dinheiro apontada pela denúncia teria ocorrido entre 21 de fevereiro e 2 de março de 2017 em relação ao primeiro pagamento ao procurador. Segundo a denúncia, a contratação do escritório Willer Tomaz Advogados Associados, pela Eldorado, em 23 de fevereiro, “serviu como meio e instrumento de execução de dois propósitos escusos”, que seriam a prática de corrupção e a lavagem de dinheiro. Também teria havido lavagem no pagamento de honorários ao escritório de advocacia, com a finalidade de remunerar o procurador.
A denúncia aponta que o presidente da OAB-DF, Juliano Costa Couto, foi um dos articuladores do acerto com Joesley, Francisco de Assis e Eldorado Brasil Celulose S/A. De acordo com a peça, na execução da medida de busca e apreensão determinada por Fachin foi encontrada minuta com os mesmos termos do contrato firmado entre a empresa e o escritório Willer Tomaz Advogados Associados, tendo Couto figurado como contratado no mesmo valor de R$ 15 milhões.
“Não restam dúvidas, dessarte, que Juliano Costa Couto, embora não tenha figurado formalmente no contrato de prestação de serviços de advocacia, já que evidenciaria o conflito de interesses por advogar contra a Seara Alimentos S.A., uma das empresas do grupo J&F, em outro feito, ainda assim atuou intensamente nos bastidores para a viabilização do acerto, que lhe resultou proveito econômico equivalente a um terço do valor pago na ocasião pela Eldorado Brasil Celulose”, diz a denúncia.
Da mesma forma, prosseguem os procuradores, o publicitário “André Gustavo também obteve o mesmo proveito econômico que Juliano Costa Couto por apresentá-lo a Joesley Batista e insistir na contratação, exercendo, portanto, a função de agenciador e viabilizador do acerto criminoso”.
“Portanto, os fatos até aqui narrados tornam evidente e cristalina a presença do dolo das condutas de Joesley Batista e Francisco de Assis, em total, absoluta e convergente unidade de desígnios com Willer Tomaz, Juliano Costa Couto, André Gustavo Vieira da Silva e o procurador da república Ângelo Goulart Villela na prática dos delitos de corrupção ativa e passiva.”
Em nota, Tomaz diz que não há “qualquer prova de algum ato ilícito que eu tenha cometido”, que não há credibilidade dos delatores e que houve mentiras e omissões. “Trata-se de um verdadeiro buffet, com perdão pelo estilo, no qual o MPF escolhe ao bel prazer o que lhe interessa, tomando alguns trechos dos depoimentos como verdade absoluta, dogma solar que tudo toca, e outros como a mais absurda das mentiras”. “Provarei o equívoco e a parcialidade, por razões institucionais, do Ministério Público Confio plenamente no judiciário brasileiro”, afirmou.
A defesa de Villela afirma que seu cliente é inocente e nega “veementemente” a prática de todos os delitos pelos quais é acusado. O advogado Gustavo Badaró, que integra a defesa do procurador, classifica a denúncia como infundada e incoerente. “A defesa confia que, após a apresentação da resposta de Ângelo Goulart Villela, o Tribunal Regional Federal fará justiça e rejeitará essa acusação requentada, infundada e incoerente.”
Por meio de nota, Couto afirma estar surpreso diante da notícia de que seu nome consta em aditamento à denúncia. “Não cometi nenhuma ilegalidade. Tenho a consciência tranquila e me defenderei com a autoridade e direitos de inocente.”
A reportagem não conseguiu contato com Assis e Silva e Vieira.

O silêncio de Carlos Eduardo pode está apontando para sair para deputado federal

Resultado de imagem para Carlos Eduardo Alves
Foto: da Internet

Depois que o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) saiu da prefeitura houve um silêncio nunca visto por um possível pré-candidato ao governo do Estado do Rio Grande do Norte. Carlos pode está pensativo e refletindo que se perder a campanha vai amargar por mais de dois anos no esquecimento. Visto que um político sem mandato é como um rei que não tem a coroa.

Carlos Eduardo viu e assistiu bem de perto sua colega política, Wilma de Faria (in memoria), que saiu na frente das pesquisas, em 2014, para o senado, e findou perdendo para a candidata do PT. Ademais, a última pesquisa aponta sua principal adversária com quase o dobro de pontos que ele tem.

Carlos está pensativo e pode decidir sair para deputado federal que poderá ter uma cadeira acertada, já que seu fiel escudeiro, Álvaro Dias está mantendo todos os cargos indicados por ele.

Carlos Eduardo não vai trocar o certo pelo duvidoso.

Campanha de combate ao abuso infantil é lançada pela Assembleia Legislativa

O abuso infantil é motivo de 18 mil novas denúncias a cada ano no Brasil. Para combater a violência sofrida em silêncio pelas crianças – seja violência física, sexual ou psicológica – a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte lança a campanha de combate ao abuso infantil. A campanha será lançada em audiência pública na próxima sexta-feira (18), às 9h, com proposição do presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), da presidente da Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente, deputada Márcia Maia (PSDB) e o deputado Hermano Morais (MDB).

A temática de combate ao abuso infantil tem destaque na sociedade pelos números crescentes e os traumas na vida dessas crianças. Para o presidente Ezequiel Ferreira (PSDB) é preciso debater o tema. “Ao longo dos anos a Assembleia tem se aproximado cada vez mais da população e das questões que envolvem a sociedade. Foi assim que desenhamos a campanha da adoção de crianças em 2015; de combate ao mosquito Aedes Aegypt causador da microcefalia em 2016 e a campanha da doação de órgãos em 2017. Este ano e com o aumento da abuso infantil contra a criança, abordamos o tema pra chamarmos a atenção da sociedade, conscientizar e coibir os números”, destaca o parlamentar.

A campanha fará uso de um vídeo elaborado pela agência Criola com animação gráfica em 3D, desenvolvido pela produtora Roxa com o slogan “Para algumas crianças, monstros existem”. A história traz a reflexão de abusos sofridos por duas crianças, Bia e Artur, vítimas de pessoas conhecidas pela família ou por meio de abordagens na internet de maneira virtual. A narrativa será abordada também em gibis com cenas em que as crianças, de aproximadamente 5 e 6 anos, falam sobre o tema e resolvem contar aos pais. O objetivo é que o público infantil, de maneira lúdica, aprenda a identificar atitudes que caracterizam abusos e sinta-se à vontade para falar sobre a agressão vivida.

A campanha também será veiculada em rádios no Rio Grande do Norte, alertando os pais ou responsáveis sobre a educação das crianças e a importância do diálogo. “Optamos por canais de comunicação usados por crianças e adolescentes como o gibi como material para explicar as crianças e aos pais a abordagem ao tema abuso infantil. Muitas vezes a criança prefere o silêncio e convive com abusadores que frequentam o mesmo ambiente familiar, de escola ou grupo de esporte das crianças. É preciso debater o tema e despertar atenção da sociedade. A campanha estará em ônibus e em lugares onde as vítimas frequentam como centros comerciais, shoppings e redes sociais”, argumenta a Diretora de Comunicação da Assembleia, a jornalista Marília Rocha.

O slogan “Para algumas crianças, monstros existem” também será divulgado em cartazes fixados em escolas e centros de treinamentos de esporte para crianças e adolescentes, buscando chamar a atenção não só de pais de vítimas, mas de toda a sociedade.

A visualização do enredo e desenvolvimento da campanha também poderá ser feita nas redes sociais, através do perfil @assembleiarn.

George solicita concurso para Polícia Civil e questiona número de delegacias

O deputado estadual George Soares (PR) solicitou, em pronunciamento realizado na Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (15), que o Governo do Rio Grande do Norte dê continuidade ao concurso público para a Polícia Civil do Estado e a ativação do plantão da delegacia da cidade de Assu. De acordo com o deputado, uma média de 300 mil habitantes da região do Vale do Açu e região salineira do RN, não tem assistência nos fins de semana.

“A Assembleia já aprovou recursos para a realização do concurso na Polícia Civil. Precisamos dar assistência à população pois é lamentável essa situação que está a segurança pública do Estado. Gostaria também de fazer um apelo maior que é ativação do plantão da delegacia de Assu”, disse.

George Soares destacou que o Rio Grande do Norte possui apenas cinco delegacias de plantão, enquanto a Paraíba possui 43. “Nosso Estado só consta plantões em Mossoró, Caicó e outros três na Grande Natal. Hoje temos delegados acumulando entre quatro e cinco cidades”, enumerou.

Municípios do RN recebem projeto para ajudar crianças com dificuldades de relacionamento

A pré-candidata à governadora pelo Solidariedade e vereadora de Grossos, Clorisa Linhares, tem visitado os municípios potiguares para apresentar e expandir o funcionamento da de uma lei que ajuda crianças especiais com psicomotricidade relacional, com dificuldades de relacionamento.
Clorisa contou que é mãe de uma criança com o problema e as dificuldades enfrentadas a levaram a apresentar a lei, que obriga o município a instituir atividades de psicomotricidade relacional nas áreas da saúde, educação, infraestrutura e assistência social. Esse projeto já está em vigor nas cidades de Grossos, Tibau e Mossoró. Ela espera que outras mães potiguares também possam ser beneficiadas.
“Eu sou mãe de uma criança especial e sei das dificuldades que nós, mães, enfrentamos quando não tem apoio do Poder Público. Por isso estamos levando esse projeto para todos os municípios que tenham interesse em atender melhor os seus cidadãos, sejam eles mães, pais ou filhos”, contou.
Clorisa intensificou a agenda pelo interior para apresentação do projeto nos últimos dias. Somente nesta terça-feira (15),  ela visitou os município de Cruzeta, Carnaúba dos Dantas e Caicó. Amanhã ela estará em Jucurutu e Caraúbas.
“O importante é que essa lei seja uma política de Estado e não uma política de governo. E o melhor de tudo é que, por onde tenho passado apresentando o projeto, estou sendo bem recebida. Como mãe, só tenho a agradecer a todos pela receptividade e pelo apoio ao projeto”, finalizou.

Escola da Assembleia participa do IV Colóquio sobre Gestão Pública da UFRN

A Assembleia Legislativa, por meio da Escola da Assembleia, participa nesta quarta e quinta-feira (16 e 17), na UFRN, do IV Colóquio sobre Gestão Pública, que busca refletir sobre o processo de construção das capacidades institucionais de gestão na administração pública, tendo como foco os seguintes temas: limites e possibilidades de profissionalização da burocracia pública; os laboratórios de inovação para melhoria da gestão pública; e os dilemas e limites da gestão pública na atualidade.

“A participação da Escola da Assembleia no IV Colóquio em Gestão Pública da UFRN fortalece a parceria entre as duas instituições, iniciada com o mestrado profissional em Gestão Pública e enraizada na produção de conhecimento na área pública”, enfatiza o diretor da Escola, professor Carlos Russo.

O evento integra a programação do 23º Seminário de Pesquisa do CCSA/UFRN, que tem como tema ‘Desenvolvimento e Democracia no Brasil: do que estamos falando?’. O seminário busca evidenciar a preocupação do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UFRN em consolidar um espaço para discussão e socialização do conhecimento produzido nas diferentes áreas das ciências sociais aplicadas. Outras informações no endereço: www.seminario.ccsa.ufrn.br.

Programação do IV Colóquio em Gestão Pública

Dia 16

15h30 – Mesa Redonda ‘Os desafios da profissionalização da burocracia Palestrantes: Pedro Luiz Costa Cavalcante (Coordenador de Estudos e Políticas de Estado e Democracia – IPEA) e Natália Massaco Koga (ENAP) Mediador: Prof. Richard Medeiros (PPGP/UFRN). Local: Auditório do Curso de Ciências Contábeis – Sala H2 – Setor V.

19h30 – Cerimônia de abertura

20h Conferência ‘Construindo capacidades institucionais de gestão na Administração Pública: limites e possibilidades’. Conferencista: Alexandre de Avila Gomide (Diretor de Estudos e Políticas do Estado, Instituições e Democracia – IPEA). Local: Auditório do NEPSA I.

Dia 17

9h30 – Mesa Redonda ‘Laboratórios de Governo e Inovação na Gestão Pública’. Palestrantes: Marco Bruno Miranda Clementino (Diretor do Foro da Justiça Federal no Rio Grande do Norte e do i.9 JFRN, Laboratório de Inovação da JFRN) e Daniela Coimbra Swiatek (Coordenadora do Laboratório de Inovação em Mobilidade – Prefeitura de São Paulo) Mediador: Prof. Hironobu Sano (PPGP/ PPGA/UFRN). Local: Auditório do NEPSA I.

15h30 Conferência de Encerramento ‘Novos dilemas e alternativas para a Gestão Pública’. Conferencista: João da Rocha Neto (Professor do Programa de Pós-graduação em Administração – UNB, Escola Nacional de Administração Pública). Local: Auditório do NEPSA I.

Sargento da PM é suspeito de matar a própria mulher a tiros na Zona Oeste de Natal

Do G1RN

Uma mulher foi assassinada a tiros na madrugada desta quarta-feira (16) no bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal. O suspeito do crime é um sargento da Polícia Militar, que fugiu. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da própria PM. A vítima ainda não foi oficialmente identificada.

Em relatório, os policiais que atenderam a ocorrência disseram que um vizinho foi quem chamou a polícia, e que afirmou ter ouvido pelo menos três disparos. Em seguida, também relatou ter ouvido o policial dizer, ao fugir em uma motocicleta, que estava indo atrás de outra pessoa para “terminar o serviço”. O vizinho relatou, ainda, que viu todo o ocorrido pela janela de sua residência.

Por fim, os policiais contam que a mulher ainda chegou a ser atendida por socorristas do SAMU, mas que ela não resistiu e morreu a caminho do hospital.

Do Blog: este Estado virou uma terra sem lei. Se mata por qualquer motivo, por coisas banais, por briga de trânsito, por qualquer coisa fútil, torpe. A vida não tem valor algum para algumas pessoas que se acham proprietárias dos direitos, da vida, a ponto de decidirem quem vive e quem morre. O RN precisa mudar esse percurso. Protegendo as vidas de pessoas inocentes, de pessoas vulneráveis.

CHEGA DE TANTA VIOLÊNCIA!