Archive for março, 2019

Homem morre após ser atingido por raio durante pescaria no interior do RN

Foto: ilustrativa/ Walmir de Queiroz

Um homem morreu nesta sexta-feira (29) após ser atingido por um raio, enquanto pescava na barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no município de São Rafael, interior potiguar. Segundo a polícia, ele estava com amigos no Sítio Umburanas, zona rural da cidade, e, quando puxava uma rede de pesca, foi atingido pela descarga elétrica.

Joel Gomes de Lima tinha 27 anos. Os amigos dele o socorreram ao Hospital Municipal de São Rafael, mas, ao chegar lá, Joel morreu. Ele teve uma parada cardiorrespiratória, em decorrência do raio. O corpo dele foi levado pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) de Caicó, Seridó potiguar.

G1

Escola da Assembleia faz exposição em encontro legislativo internacional

Educação a favor do parlamento. Esse foi o tema principal da participação da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, através da Escola da Assembleia, no 3º Encontro Federal de Administração Integral Parlamentar, realizado em Ushuaia, no extremo Sul da Argentina. Na explanação, o diretor da Escola, Carlos Russo, mostrou a experiência da instituição de ensino do Poder Legislativo potiguar e como o aperfeiçoamento pode trazer resultados positivos à gestão.

Reunindo representantes de parlamentos de toda a América do Sul, o encontro foi promovido pelo Poder Legislativo da Província da Terra do Fogo, Antártida e Ilhas do Atlântico Sul, juntamente com a Associação de Administração Legislativa de da República Argentina (ASALRA). O objetivo central do encontro é a troca de experiências para impulsionar e melhorar a função legislativa, com a exposição de casos considerados exemplos no Parlamento.

Na exposição da Escola da Assembleia, Carlos Russo proferiu a palestra “Produção Acadêmica Legislativa: uma ferramenta para educar e qualificar os agentes legislativos”. Com auditório lotado, o diretor expôs o trabalho realizado pela Escola do Legislativo, que viabiliza a formação e aperfeiçoamento de gestores em diversas áreas.

Somente para o primeiro semestre de 2019, a Escola do Legislativo tem previstas oito palestras, quatro capacitações profissionais, 32 capacitações técnicas, três oficinas técnicas, 16 especializações e três mestrados, estes a partir de parceria estabelecida pela Assembleia com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Essas opções, de acordo com Carlos Russo, contribuem para que o trabalho oferecido pelo Legislativo à população tenha cada vez mais qualidade.

“Vamos tratar de temas que estão em pauta como coaching, inteligência financeira, endomarketing, indicadores de desempenho e feedback para gestores, o que demonstra que a instituição está atenta e se modernizando sempre”, explicou o diretor.

Francisco do PT promove audiência sobre o Mais Médicos

Por iniciativa do deputado Francisco do PT, a Assembleia Legislativa irá realizar audiência pública com o tema “Programa Mais Médicos: Os desafios das lacunas assistenciais”. O debate irá acontecer na próxima segunda-feira (1), às 14h30h, no auditório Cortez Pereira.

“A audiência será uma oportunidade de acolher, formular e incentivar o debate com a sociedade potiguar e tomar conhecimento do estágio em que se encontram as discussões em torno do Programa Mais Médicos e os desafios das lacunas assistenciais atuais no Congresso Nacional”, disse o parlamentar.

No Rio Grande do Norte, dados mais recentes da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) davam conta de que o Programa Mais Médicos tem cerca de 300 profissionais.

O programa federal foi criado para suprir a carência desses profissionais nas áreas mais vulneráveis do País, no âmbito da Atenção Básica.

O acordo de cooperação com a República de Cuba para o recrutamento de médico dos Mais Médicos foi descontinuado a partir do final de 2018, e o edital lançado para substituição desses profissionais não conseguiu até o momento suprir a lacuna gerada. “Este fato pode ser observado a partir da quantidade de Unidades Básicas de Saúde que estão sem a assistência do profissional de medicina, existindo ainda uma tendência de ampliação deste quadro”, preocupa-se o parlamentar.

 

Assessoria

UFRN participa da descoberta de planeta parecido com Saturno feita pelo telescópio TESS da Nasa

Satélite Tess, da Nasa, observa mais de 200 mil estrelas brilhantes em busca de planetas fora do sistema solar — Foto: Nasa

Um planeta do tamanho aproximado e formação parecida com a de Saturno, que orbita em torno de uma estrela de massa pouco maior que o Sol. Essa é uma das novas descobertas feitas pelo satélite caçador de planetas da Nasa, o Tess – Transiting Exoplanet Survey Satellite, que começou sua viagem há cerca de um ano na órbita da Terra. A pesquisa que envolve mais de uma centena de estudiosos, conta com a participação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O satélite foi lançado com o foguete SpaceX Falcon 9 do complexo de lançamento 40 no Cabo Canaveral Air Force Station, na Florida, em abril de 2018. Em órbita, o Tess começou sua jornada de dois anos observando mais de duzentas mil estrelas brilhantes em busca de planetas fora do nosso sistema solar (os exoplanetas).

A descoberta gerou um artigo com mais de 140 autores, entre eles, o professor José Dias do Nascimento Júnior, líder do grupo de pesquisas em Astrofísica, Estrutura e Evolução Estelar da UFRN.

De acordo com ele, a descoberta deste exoplaneta do tipo Saturno (que é um gigante gasoso) se destaca por ser a primeira na qual foi possível fazer um estudo preciso da estrutura interna da estrela hospedeira (estrela na qual ele orbita), através de uma técnica chamada de astero-sismologia.

Neste estudo, a estrela hospedeira tem seu interior desvendado de modo similar às pesquisas de sismologia, que já revelaram o interior da Terra e de outros planetas sólidos através do uso de oscilações sísmicas. “Dessa forma, foi possível fazer uma caracterização de raio, massa, idade da estrela, entre outras informações”, explica.

O planeta fica a uma distância aproximada de 300 quilômetros-luz da Terra. Ou seja, para chegar lá, seria preciso viajar por 300 anos na velocidade da luz. O exoplaneta tem cerca de 60 vezes a massa terráquea e 9 vezes o raio da terra. O que chama atenção é o seu “ano”, de apenas 14 dias.

Esse exoplaneta orbita a estrela TOI-197 (HIP116158), que é uma subgigante brilhante que tem a massa pouco maior que a solar (1,2 massas solares), porém um raio quase três vezes maior que a do nosso sol (2,943). Outra semelhança é a idade. Ela tem cerca de 4,9 bilhões de anos, enquanto o nosso Sol é um pouco mais novo, com cerca de 4,5 bilhões anos.

“A análise demonstra que a estrela começou uma evolução de ascensão para a fase das gigantes vermelhas, que representa o futuro do Sol”, aponta o professor.

Para o pesquisador, esse é um dos planetas do tamanho de Saturno com a melhor caracterização de todos os tempos.

“Este objeto descoberto contribui para a seleta lista de exoplanetas conhecidos com um grande nível de precisão e que orbitam estrelas bem caracterizadas, demonstrando assim o grande poder do satélite Tess em detectar exoplanetas em estrelas hospedeiras parecidas com o Sol”, considerou.

Fonte:https://g1.globo.com

Eudiane Macedo apresenta projeto que requer criação do aplicativo SOS Mulher

Em alusão ao mês da mulher e com o objetivo de constituir um canal ágil para o recebimento de denúncias de violência doméstica e familiar contra as mulheres, a deputada Eudiane Macedo (PTC) encaminhou um Projeto de Lei que prevê a criação do aplicativo SOS Mulher, no âmbito do Estado. A ferramenta também vai servir para o acompanhamento das vítimas, sobretudo aquelas cujos agressores estejam cumprindo alguma medida protetiva.

“De acordo com dados do Tribunal de Justiça, o nosso Estado tem 15 mil processos judiciais relacionados a crimes contra a mulher e é o quinto estado do Brasil que apresenta os maiores casos de violência doméstica, com destaque para as cidades de Natal, Mossoró e Parnamirim”, justificou Eudiane.

Ainda em relação às mulheres, a deputada apresentou um projeto solicitando a criação do Programa de Atendimento à Mulher desempregada chefe de família. Por meio da Secretaria de Estado do trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), poderá firmar parcerias com entidades do Sistema S, sindicatos e universidades, para capacitação e viabilização do programa.

De acordo com Eudiane, as mulheres deverão ser cadastradas para terem acesso a cursos de qualificação e preparação de mão de obra, e serem informadas sobre ofertas de empregos pelo Sine.  “O Nordeste é a região do país em que há, proporcionalmente, mais mulheres na posição de chefes de família, com 42,9% das casas e nosso objetivo é dar às mulheres a oportunidade de ingressarem num projeto de apoio, serem orientadas a se qualificarem e terem a reinserção no mercado de trabalho”.

A parlamentar também apresentou um projeto que altera o Artigo 63 do Regimento Interno da Assembleia Legislativa para assegurar a participação de pelo menos uma deputada na Mesa Diretora. “As mulheres representam mais de 50% da sociedade e dos eleitores brasileiros. O Brasil está defasado em relação aos outros países com a democracia consolidada no quesito de participação política”, falou Eudiane Macedo apresentando mais um projeto. Este prevê a criação do Programa Tempo de Despertar, que dispõe sobre a reflexão, conscientização e responsabilização dos autores de violência doméstica e grupos reflexivos de homens, no Rio Grande do Norte.

“Sabemos que existem iniciativas bem sucedidas como a do Ministério Público, por meio da promotora Érica Canuto, na qual o índice de reincidência é zero. Há também alguns municípios que promovem rodas de conversa com homens que cometeram algum tipo de violência contra mulher. Porém, não existe uma política pública institucionalizada em todo o Estado”, concluiu Eudiane Macedo.

Assessoria

Sessão Solene na Assembleia homenageará 50 anos da Associação do MPRN

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte vai homenagear os 50 anos da Associação do Ministério Público do RN (AMPERN). A solenidade acontece dia 10 de abril, às 9h, e vai reconhecer o trabalho de 10 membros da instituição.

“Neste dia iremos ressaltar o trabalho destes promotores e procuradores que defendem os interesses do Ministério Público através da Ampern, uma associação que merece todo o nosso respeito”, justifica o presidente da Casa e autor da proposição, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB).

Na sessão solene, os promotores Giovanni Rosado, Gilka da Mata, Augusto Flávio Azevedo, Oscar Hugo Ramos e Rinaldo Reis e os procuradores Otávio Pereira Mello, Emmanuel de Oliveira Cavalcanti, José Maria Alves, Paulo Roberto Leão e Eudo Rodrigues Leite serão homenageados.

Fundada em 10 de abril de 1969, a AMPERN congrega os promotores e procuradores de Justiça, ativos e inativos, além de pensionistas e membros do Ministério Público do Estado.

Assessoria

Governo do RN quer perdoar dívidas de motociclistas com tarifas do Detran e IPVA

RN tem uma frota de aproximadamente 40 mil motocicletas — Foto: Érico Andrade/G1

O Governo do Rio Grande do Norte anunciou que promete enviar, já na semana que vem para a Assembleia Legislativa, um projeto de lei que visa anistiar dívidas de proprietários de motocicletas com tarifas do Departamento Estadual de Trânsito e o IPVA, que é o imposto sobre a propriedade de veículos automotores. Contudo, para que o motociclista tem o perdão das dívidas, é preciso pagar os tributos de 2019.

“Estamos viabilizando um programa de regularização das motocicletas na capital e principalmente no interior do estado. A ideia é que possamos oportunizar um mutirão para que os proprietários legalizem seus veículos e garantam mais segurança, para si e para a população”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

No Rio Grande do Norte, a frota atual é de 440.919 motocicletas, das quais quase 40% estão registradas no interior do estado.

Dívida perdoada

Carlos Eduardo Xavier, secretário estadual da Tributação, explicou que a iniciativa prevê que o proprietário pague as tarifas do Detran e o IPVA de 2019 para que haja o perdão dos débitos de anos anteriores. “O programa visa a legalização do veículo, mas também terá impacto direto no trânsito, na segurança e na arrecadação fiscal”, complementou.

Campanha

A governadora Fátima Bezerra ainda destaca que, em paralelo ao projeto de regularização das motocicletas, será realizada uma campanha para promover a educação no trânsito. O objetivo é dar mais segurança a pilotos e pedestres, como também mostrar a importância de estar em dia com o fisco e com o órgão de trânsito.

Fonte: https://g1.globo.com

Comissão de Educação aprova projeto de incentivo à qualificação no meio rural

Os parlamentares integrantes da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Social da Assembleia Legislativa aprovaram nove projetos na reunião desta quinta-feira (28). Entre eles o projeto que institui a Política de Incentivo à Permanência de Jovens e Adultos no Meio Rural através da qualificação da oferta educacional.

O projeto é de autoria do deputado Nelter Queiroz (MDB) e contou com a relatoria do deputado Allyson Bezerra (SDD). Os deputados também aprovaram projetos que instituem no calendário oficial datas promocionais relacionadas a cuidados com a saúde. De autoria do deputado Sandro Pimentel o projeto que institui o Novembro Azul Pet, com relatoria do deputado Hermano Morais (MDB).

Outra matéria relacionada à saúde é de autoria do então deputado Carlos Augusto, que institui no calendário de eventos do RN o Dia Estadual do Doador de Sangue, em 25 de novembro, relatada pelo deputado Hermano Morais. Outro projeto de lei, este de autoria da deputada Cristiane Dantas (SDD) institui a campanha estadual de conscientização sobre o câncer infanto-juvenil, o “Setembro Dourado”, também relatada por Hermano Morais.

Relacionado às festas populares, foi aprovado projeto de iniciativa do deputado Souza (PHS) que institui a Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, do município de Areia Branca, como patrimônio cultural, imaterial e histórico do Rio Grande do Norte. Outro projeto aprovado na comissão foi o que institui o Dia do Maçom, de autoria do deputado Kelps Lima (SDD).

Comissão de Administração
Durante reunião da Comissão de Administração, Serviços Públicos e Trabalho também nesta quinta-feira (28) os deputados que a integram apreciaram a mensagem governamental que altera a Lei 122, relativa ao regime jurídico dos servidores civis do Estado. Os parlamentares baixaram em diligência a fim de solicitar informações complementares ao Governo.

A matéria tem relatoria do deputado Coronel Azevedo (PSL) e o projeto adequa a lei orgânica dos servidores à redação dada pela Constituição Federal, aumentando o prazo de estabilidade do servidor público de dois para três anos. Outra alteração diz respeito aos critérios para pagamento dos jetons aos membros de órgãos de deliberação coletiva.

Durante a reunião, foi aprovado, pelos deputados da Comissão de Administração projeto de lei de autoria do então deputado Carlos Augusto, tornando obrigatória a instalação de relógio digital nos locais de realização de provas para Enem, provas de admissão em residência médica e concursos públicos em geral.

Assessoria

Incêndio atinge prédio comercial e deixa mortos na capital de Bangladesh

Bombeiros trabalham para conter incêndio em prédio comercial em Daca, em Bangladesh, nesta quinta-feira (28) — Foto: Mahmud Hossain Opu/ AP

Um incêndio de grandes proporções atingiu nesta quinta-feira (28) um edifício comercial de uma movimentada avenida de Daca, capital de Bangladesh. Sete pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas, de acordo com a BBC.

Dezenas de pessoas ficaram presas no imóvel de pelo menos 19 andares. Muitas delas foram vistas gritando por ajuda das janelas. A impressa local afirma que pelo menos seis saltaram do prédio em chamas.

As causas do incêndio ainda são desconhecidas.

Ershad Hossain, do Corpo de Bombeiros, afirmou que 19 equipes foram até a Torre FR, no distrito comercial de Banani. A Marinha e a Aeronáutica reforçam a operação de resgate.

 N

No Twitter mostra pessoas deixando o prédios com a ajuda de uma corda. Uma delas cai. Testemunhas disseram que ela não resistiu.

Helicópteros jogavam água no prédio em chamas, enquanto centenas de pessoas acompanhavam os trabalhos dos bombeiros.

“Quando eu soube que havia um incêndio no edifício saí rápido. Muitos dos meus colegas ainda estão presos nos escritórios”, disse à AFP Shoikot Rahman.

Moradores ajudam os bombeiros a apagar um incêndio em prédio comercial em Daca, Bangladesh, nesta quinta-feira (28)  — Foto: Mahmud Hossain Opu/AP
Moradores ajudam os bombeiros a apagar um incêndio em prédio comercial em Daca, Bangladesh, nesta quinta-feira (28) — Foto: Mahmud Hossain Opu/AP

Incêndios e desabamentos de construção são comuns em Bangladesh, um país pobre da Ásia do Sul com 160 milhões de habitantes. Muitas vezes as normas de segurança não são respeitadas.

No mês passado, mais de 70 pessoas morreram em um incêndio que destruiu vários edifícios na parte antiga de Daca, onde eram armazenados produtos químicos ilegalmente.

Fonte: https://g1.globo.com

Como o horário das refeições afeta a sua cintura

Foto de arquivo mostra medida de cintura: aumento da gordura localizada nesta região pode ter relação com a quebra do círculo circadiano, ou seja, comer fora dos horários adequados. — Foto: Michal Jarmoluk/Pixabay

Quando jovens começam a universidade, frequentemente ganham peso. Nos Estados Unidos, existe um nome para esse fenômeno: o “calouro 7”, referindo-se aos 7 quilos tipicamente ganhos durante o primeiro ano de vida dos alunos fora de casa.

Em parte, esse ganho de peso pode ser explicado pela substituição de refeições caseiras por comida pronta e fast food, combinada à redução da atividade física.

Cada vez mais, no entanto, os cientistas estão culpando um outro fator: a ruptura do círculo circadiano, provocada por uma cultura de comer tarde, beber e por padrões inconsistentes de sono.

Por décadas, nos foi dito que o ganho de peso, juntamente com as consequentes doenças, como diabetes tipo 2 e doenças cardíacas, estavam relacionadas exclusivamente à quantidade e ao tipo de alimentos que consumimos, em consonância com o número de calorias que gastamos fazendo exercícios físicos.

Mas evidências crescentes sugerem que o horário também é importante: não é apenas o que você come, mas quando você come, que importa.

A ideia de que nossa resposta biológica aos alimentos varia ao longo do dia é antiga. Médicos chineses acreditavam que a energia fluía em torno do corpo em sintonia com o movimento solar, e que as nossas refeições deveriam ser realizadas de acordo: 7h-9h da manhã era a hora do estômago, momento em que a maior refeição do dia deveria ser feita; 9h-11h da manhã centrada no pâncreas e no baço; 11h-13h a hora do coração, e assim por diante. O jantar, eles acreditavam que deveria ser algo leve, consumido entre 17h e 19h, quando a função renal predominava.

Embora a explicação seja diferente, a ciência moderna sugere que há muita verdade nessa antiga sabedoria.

Vamos às dietas. A maioria delas gira em torno da redução do número total de calorias consumidas – mas e se o horário também determinasse seus benefícios?

Quando mulheres com sobrepeso e obesas foram submetidas a uma dieta para emagrecer por três meses, aquelas que consumiram a maior parte das calorias no café da manhã perderam duas vezes e meia mais peso do que as que tomaram um café da manhã leve e comeram a maior parte das calorias no jantar. Mesmo consumindo o mesmo número total de calorias.

Muitas pessoas pensam que a razão pela qual você ganha mais peso se comer tarde da noite é porque tem menos oportunidades de queimar essas calorias, mas essa é uma visão simplista.

“As pessoas às vezes supõem que nossos corpos param durante o sono, mas isso não é verdade”, diz Jonathan Johnston, da Universidade de Surrey, no Reino Unido, que estuda como nossos relógios biológicos interagem com os alimentos.

Então, o que mais poderia estar acontecendo? Algumas evidências preliminares sugerem que uma quantidade maior de energia é usada para processar uma refeição pela manhã, em comparação com o final do dia.

Você queima, portanto, um pouco mais de calorias se comer mais cedo. No entanto, ainda não está claro o quanto isso faz diferença no seu peso total.

Outra possibilidade é que ao comer muito tarde nós ampliamos o período do dia durante o qual consumimos alimentos.

Isso dá ao nosso sistema digestivo menos tempo para se recuperar e reduz a oportunidade de nosso corpo queimar gordura – a queima de gordura só ocorre quando nossos órgãos percebem que não há mais comida chegando.

Antes da invenção da luz elétrica, os seres humanos acordavam com os primeiros raios de sol e dormiam logo após ele se pôr. Sendo assim, quase todos os alimentos eram consumidos diurnamente.

“A menos que tenhamos acesso à luz, temos dificuldade para ficar acordados e comer na hora errada”, diz Satchin Panda, biólogo circadiano do Instituto Salk, em La Jolla, Califórnia, nos Estados Unidos, e autor de The Circadian Code (O Código Circadiano, em tradução livre).

Sua pesquisa revelou que a maioria dos americanos come durante um período de 15 ou mais horas por dia, com mais de um terço das calorias diárias sendo consumidas após as 18h, o que é muito diferente de como nossos ancestrais provavelmente viviam.

Comer à noite — Foto: Divulgação
Comer à noite — Foto: Divulgação

Agora, considere esses universitários, comendo e bebendo até tarde da noite. “Um estudante universitário típico raramente dorme antes da meia-noite e também costuma comer até a meia-noite”, diz Panda.

No entanto, muitos estudantes ainda precisarão acordar cedo para as aulas no dia seguinte, o que – supondo que eles tomem o café da manhã – reduz a duração do jejum noturno ainda mais.

Isso também significa que eles estão diminuindo as horas de sono, e assim ficam mais propensos a ganhar peso. Uma noite de sono ruim dificulta a tomada de decisões e o autocontrole, levando potencialmente a más escolhas alimentares. Além disso, prejudica os níveis dos “hormônios da fome”, leptina e grelina, aumentando o apetite.

Está cada vez claro que nossos ritmos circadianos estão intimamente ligados à nossa digestão e metabolismo de muitas formas, como através dos complexos sistemas de sinalização do corpo – um novo entendimento que poderia explicar os efeitos a longo prazo do jetlag e do trabalho em turnos.

Dentro de cada célula do nosso corpo existe um relógio molecular que regula praticamente todos os processos e comportamentos fisiológicos, desde a liberação de hormônios e neurotransmissores, passando pela pressão sanguínea e pela atividade de nossas células imunológicas, até quando nos sentimos mais sonolentos, alertas ou deprimidos.

Esses relógios são mantidos em sincronia entre si e com a hora do dia por um grupo de neurônios do hipotálamo medial chamado núcleo supraquiasmático (NSQ). Sua interação como mundo exterior é feita através de um subconjunto de células sensíveis à luz na parte de trás do olho chamadas células ganglionares da retina intrinsicamente fotossensíveis (CGRif).

O objetivo de todos esses relógios “circadianos” é antecipar e preparar o corpo para eventos regulares em nosso ambiente, como quando vamos nos alimentar. Isso significa que diferentes reações bioquímicas são favorecidas em diferentes momentos do dia, permitindo que nossos órgãos internos mudem de tarefa e se recuperem.

Quando viajamos para o exterior, nosso tempo de exposição à luz muda e nossos relógios biológicos são empurrados na mesma direção – embora o relógio de cada órgão e tecido se adapte em ritmo diferente. O resultado é o jetlag, que não só nos deixa sonolentos ou acordados nos momentos errados, mas também pode desencadear problemas digestivos e mal-estar geral.

No entanto, a luz não é a única coisa que pode afetar nossos relógios biológicos. O horário em que comemos nossas refeições também modifica nossos relógios do fígado e sistema digestivo, mesmo que nosso relógio cerebral não seja afetado. Evidências recentes também sugerem que o horário das atividades físicas pode ajustar os relógios em nossas células musculares.

Quando voamos de um fuso horário para outro, ou comemos, dormimos e nos exercitamos em horários irregulares, os diferentes relógios em nossos órgãos e tecidos saem de sincronia. É improvável que isso seja um problema se você se deitar tarde uma única vez ou se tiver uma refeição tardia, mas se isso acontecer de forma regular, pode acarretar consequências para sua saúde no longo prazo.

Processos complexos, como o metabolismo de gorduras ou de carboidratos, exigem o trabalho conjunto de numerosos outros processos que ocorrem no intestino, fígado, pâncreas, músculo e tecido adiposo. Se o diálogo entre eles fica desregulado, se tornam menos eficientes, o que no longo prazo pode aumentar o risco de várias doenças.

Em um estudo recente, pesquisadores compararam os efeitos físicos de um sono de cinco horas por noite durante oito dias seguidos, com a mesma quantidade de sono, mas em momentos espaçados.

Em ambos os grupos, a sensibilidade das pessoas ao hormônio insulina diminuiu e a inflamação sistêmica aumentou, e com isso o risco de desenvolver diabetes tipo 2 e doenças cardíacas. No entanto, esses efeitos foram ainda maiores naqueles que estavam dormindo em horários irregulares (e cujos ritmos circadianos estavam, portanto, desalinhados): nos homens, a redução na sensibilidade à insulina e o aumento da inflamação dobraram.

Isso pode ser um problema para os passageiros aéreos frequentes, os estudantes que dormem de maneira não regular ou funcionários que trabalham em turnos.

De acordo com pesquisas na Europa e na América do Norte, cerca de 15% a 30% da população ativa está empregada em trabalhos divididos por turnos, o que muitas vezes equivale a comer ou estar ativo quando o corpo não está esperando. O trabalho por turno tem sido associado a uma série de condições, incluindo doenças cardíacas, diabetes tipo 2, obesidade e depressão. O distúrbio circadiano causado por essa irregularidade é um dos principais suspeitos.

No entanto, somos todos trabalhadores por turnos pelo menos em parte do tempo, diz Panda.

Estima-se que 87% da população mantêm um horário de sono diferente nos dias de semana, em comparação com os fins de semana, resultando em uma espécie de jetlag social. As pessoas também tendem a tomar o café da manhã pelo menos uma hora mais tarde nos fins de semana, o que pode resultar no chamado jetlag metabólico.

Não é apenas a consistência no horário das refeições, mas também a quantidade de comida que comemos em cada refeição que parece ser importante.

Gerda Pot é uma pesquisadora de nutrição da Universidade King’s College, em Londres, no Reino Unido. Ela pesquisa como a irregularidade cotidiana na ingestão de energia afeta nossa saúde a longo prazo.

Pot diz ter se inspirado em sua avó, Hammy Timmerman, que era rigorosa com a rotina. Todo dia, ela tomava café da manhã às 7h da manhã; almoçava às 12h30 e jantava às 18h00. Até mesmo o horário de seus lanches era rígido: café às 11h30; chá às 15h da tarde. Quando Pot foi visitá-la, logo descobriu que dormir até tarde era um erro: “Se eu acordasse às 10h, ela ainda insistiria que eu comesse o café da manhã, e tomasse café com biscoitos meia hora depois”, diz ela. Porém, está cada vez mais convencida de que a rotina rígida de sua avó ajudou a mantê-la em boa forma até quase seus 95 anos.

Existem algumas razões para isso. Nossa sensibilidade ao hormônio insulina, que permite que a glicose dos alimentos ingeridos entre em nossas células seja usada como combustível, é maior durante a manhã do que à noite.

Quando nos alimentamos tarde (como Hammy Timmerman nunca fez), a glicose permanece no sangue por mais tempo, o que no longo prazo pode aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2, quando o pâncreas não produz insulina suficiente.

Também pode danificar outros tipos de tecidos, como vasos sanguíneos ou nervos dos olhos e nos pés. Nos piores casos, pode causar cegueira ou até mesmo amputações.

Usando dados de uma pesquisa nacional do Reino Unido que rastreou a saúde de mais de 5 mil pessoas por mais de 70 anos, Pot descobriu que, apesar de consumirem menos calorias em geral, as pessoas que tinham uma rotina de refeições mais irregular tinham maior risco de desenvolver síndrome metabólica – um conjunto de condições, incluindo hipertensão arterial, níveis elevados de açúcar no sangue, excesso de gordura na cintura e níveis anormais de gordura e colesterol no sangue, que juntos aumentam o risco de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Então, o que devemos fazer?

Esforçar-se por uma maior consistência no tempo de sono e refeições é um bom primeiro passo e, idealmente, todos os nossos relógios internos devem estar operando no mesmo fuso horário.

Quando abrimos as cortinas e vemos a luz forte de manhã, isso reinicia o relógio principal no nosso cérebro. Portanto, ao tomar o café da manhã logo em seguida, isso reforça a mensagem da manhã para os relógios do fígado e sistema digestivo. Comer um bom café da manhã pode, portanto, ser essencial para manter nossos relógios circadianos funcionando em sincronia.

Um estudo recente envolvendo 18 indivíduos saudáveis, e 18 com diabetes tipo 2, descobriu que pular o café da manhã ocasiona ritmos circadianos alterados em ambos os grupos, bem como picos maiores nos níveis de glicose no sangue quando eles finalmente se alimentavam.

No entanto, regular nossos horários internos não deve ser feito às custas de menos horas de sono. Apesar de ser improvável que dormir tarde ocasionalmente cause algum mal, geralmente devemos nos esforçar para ir para a cama em um horário que nos permita dormir o suficiente – a quantidade recomendada é de sete a oito horas para a maioria dos adultos – todos os dias da semana. Aqui, a exposição à luz poderia ajudar.

Diminuindo as luzes à noite e aumentando a exposição à luz intensa durante o dia mostrou que a hora do relógio principal no cérebro (o SQN) mudou várias horas antes, tornando as pessoas mais bem-humoradas.

Alguns defendem jejuar por pelo menos 12 horas, e possivelmente por até 14-16 horas durante a noite. Em um estudo histórico publicado em 2012, Panda e seus colegas compararam um grupo de ratos que tinha acesso a alimentos gordurosos e açucarados a qualquer hora do dia ou da noite, com outro grupo que só consumia esses alimentos em uma janela de oito a 12 horas durante o “dia”.

Mesmo consumindo o mesmo número de calorias, os camundongos cuja janela de alimentação era restrita pareciam estar completamente imunes às doenças que começaram a afligir o outro grupo: obesidade, diabetes, doenças cardíacas e problemas no fígado.

No entanto, ao serem colocados em um cronograma de restrição de tempo, os ratos com essas doenças ficaram bem novamente.

“Quase todos os animais, incluindo nós, evoluíram neste planeta com um ritmo muito forte de 24 horas, entre luz e escuridão, e os ritmos associados em comer e jejuar”, explica Panda.

“Achamos que uma das principais funções [desses ciclos] é permitir a recuperação e o rejuvenescimento a cada noite. Você não pode consertar uma rodovia quando o tráfego ainda está em movimento.”

Testes em humanos com restrição de tempo alimentar estão apenas começando, mas alguns dos primeiros resultados parecem promissores – pelo menos em alguns grupos. Por exemplo, quando oito homens com pré-diabetes foram induzidos a comer todas as suas refeições entre 8h e 15h, sua sensibilidade à insulina melhorou e sua pressão caiu em média 10 a 11 pontos, em comparação a quando eles consumiram as mesmas refeições em um intervalo de 12 horas.

O que tudo isso significa para o resto de nós ainda não está claro, mas o ditado de que você deveria tomar café da manhã como um rei, almoçar como um príncipe e jantar como um mendigo nunca fez tanto sentido. E é quase certeza que vale a pena colocar um cadeado na geladeira durante a noite.

Hemonorte e ABC lançam campanha para doação de sangue com direito a ingressos para jogos em Natal

Objetivo da campanha é aumentar o estoque de bolsas de sangue do estado — Foto: Vagner de Castro

O Hemonorte e o ABC Futebol Clube lançam nesta quinta-feira (28), às 15h, a campanha ‘Sangue Alvinegro’. O objetivo é aumentar as doações de sangue. Durante o período da campanha, o clube disponibilizará ingressos de arquibancada para as 100 primeiras pessoas (vestidas com a camisa do Mais Querido) que doarem sangue no Hemonorte. A parceria vai até dezembro e vale para todos os jogos do ABC como mandante em Natal.

A assessoria de comunicação do ABC reforça que é preciso estar vestido com a camisa do time para poder ter direito ao ingresso, que será válido para a partida seguinte na qual o clube for o mandante, seja qual for a competição em disputa.

O lançamento da campanha acontece no Hemocentro, e contará com a presença do diretor geral do Hemonorte, Rodrigo Villar, do presidente do ABC, Fernando Suassuna, e alguns jogadores do clube.

Doações

Para doar é preciso:

  • Estar saudável
  • Ter entre 16 e 69 anos de idade (quem for menor de 18 anos precisa de autorização prévia do responsável legal)
  • Pesar acima de 50 quilos
  • Repouso mínimo de 6 horas na noite anterior
  • Evitar alimentos gordurosos antes da doação
  • Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores
  • Estar alimentado e portar um documento oficial com foto

Fonte: https://g1.globo.com

Dez anos após 1º leilão, Rio Grande do Norte prevê geração de energia eólica no mar

Copel inaugurou novos parque eólico no Rio Grande do Norte em 2019 — Foto: Divulgação

Em 2009, o Brasil fez o primeiro leilão para geração de energia por meio dos ventos. Naquela ocasião, o Rio Grande do Norte foi a unidade da federação que mais teve projetos contratados – um total de 23. Passados dez anos, os investimentos do setor movimentaram aproximadamente R$ 15 bilhões, e o estado consolidou a liderança nacional de produção dessa matriz energética. São 151 parques instalados e mais de 1,5 mil aerogeradores em operação. Mesmo expandindo a produção no interior do RN, o mercado vislumbra um novo horizonte: a possibilidade de gerar energia eólica no mar. O primeiro projeto é da Petrobras.

O estado alcançou a capacidade instalada de 4 gigawatts de produção no mês passado, conforme anunciou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), depois que dois parques da Copel entraram em operação no município de São Bento do Norte. Para se ter uma ideia, apenas 1 GW é suficiente para abastecer entre 1,5 e 2 milhões de pessoas. Embora comemore o marco, o setor avisa que o número continua crescendo a cada novo levantamento.

Além da capacidade atual, já existem pelo menos mais 1,4 GW contratados, cujos parques devem começar a operar até 2023. Segundo o Banco do Nordeste, uma das instituições financeiras públicas que já garantiram um total de R$ 13,3 bilhões em financiamentos para o setor, somente no estado, mais de R$ 2,2 bilhões foram financiados no ano passado. Mais R$ 1 bilhão já está em análise.

Mapa dos parques eólicos no Rio Grande do Norte — Foto: Infográfico: Roberta Jaworski/G1
Mapa dos parques eólicos no Rio Grande do Norte — Foto: Infográfico: Roberta Jaworski/G1

O estado é responsável, sozinho, por quase 30% da capacidade de produção de energia eólica do Brasil – que está no 8º lugar no ranking mundial nessa matriz. Em todo o país, são 14,8 GW em 580 parques, distribuídos por 12 unidades federativas, segundo dados atualizados pela Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica). Isso representa 9% de toda a matriz energética nacional – igualada com a biomassa na segunda posição, atrás da hidrelétrica, que é responsável por 60% da energia nacional.

Grande parte desta produção está no Nordeste. Depois do Rio Grande do Norte, o maior produtor é a Bahia, com cerca de 3,6 GW de capacidade, seguido pelo Ceará, com 2 GW.

Evolução da capacidade instalada de produção de energia eólica no Brasil
Dados de 2005 a 2023, considerando-se os contratos já realizados
Megawatts27,127,1235,4235,4606,2606,21.529,41.529,43.478,43.478,45.973,85.973,88.727,78.727,710.741,610.741,612.768,612.768,615.86515.86516.730,716.730,719.388,319.388,3200520062007200820092010201120122013201420152016201720182019202020212022202305k10k15k20k25k
Fonte: Aneel/Abeeólica

O que pode parecer apenas números elevados, porém, significa mudanças para cidades que antes não viam perspectivas de emprego e renda. De acordo com estimativas da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e de entidades ligadas ao setor, cerca de 30 mil empregos foram gerados nesse tempo, especialmente na fase de construção dos parques. Atualmente, ainda existem 8 projetos em construção e as contratações devem continuar porque outros 35 parques eólicos serão erguidos até 2023. Mais dois leilões para contratação de mais energia estão previstos para este ano.

“São mais de 7 mil empregos até lá. Você pega um município com uma renda de R$ 4 ou 5 milhões e, de repente, ele está recebendo R$ 1 ou 2 milhões a mais, só gerado pelo ISS (Imposto Sobre Serviço) pago por esse setor”, aponta Hugo Fonseca, coordenador de Desenvolvimento Energético da Sedec

Hugo afirma que cada parque gera cerca de 200 empregos diretos durante a construção, além dos indiretos. Porém, quando eles entram em operação, as equipes das empresas se reduzem a um número entre 10 e 15 profissionais, que trabalham basicamente na manutenção. Ainda assim, considerando-se 151 parques potiguares, seriam um número próximo de 2 mil pessoas. A produção de energia limpa e renovável também gera renda para grandes e pequenos proprietários de terras, onde as torres são instaladas.

Em 2014, a CPFL instalou 19 aerogeradores na terra do produtor rural Luzivan Venâncio, de 55 anos, em João Câmara. Os cata-ventos, porém, não mudaram apenas o cenário da fazenda; trouxeram renda extra e certa para a família. De acordo com ele, por cada cata-vento, as empresas pagam cerca de R$ 600 a R$ 2000 para os proprietários da área, dependendo do porte das torres e da produção.

“A eólica veio para dar um suporte, porque antigamente a gente plantava, mas tinha ano que não dava nada, perdia a lavoura. Com esse dinheiro a gente fez poços, investiu em irrigação, e isso ajudou muito”, conta ele.

Além dos investimentos na fazenda, onde também são produzidos bois, cabras e porcos, os recursos também foram úteis para na educação dos filhos, que fizeram faculdade em Natal. “É um rendimento que a gente tem certo. O pessoal diz que algumas empresas atrasam, mas nunca recebi nada atrasado, eles pagam certinho”, ressalta.

Fonte: https://g1.globo.com

Comissão de Finanças baixa em diligência projeto de reorganização do Executivo

O Projeto de Lei Complementar 02/2019 de iniciativa do Poder Executivo, que dispõe sobre a Reorganização da administração estadual, foi baixado em diligência pela relatora da matéria, deputada Cristiane Dantas (SDD). Na reunião da Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF), realizada na manhã desta quarta-feira (27).
O Projeto altera a Lei Complementar Estadual 163 de 5 de fevereiro de 1999 para fundir criar e extinguir secretarias e transforma cargos do quadro de pessoal de órgãos e entidades da administração.
“Baixamos em diligência, solicitando do Governo informações sobre o impacto orçamentário e financeiro dessas mudanças e será haverá eficiência e economicidade com as ações”, relatou a deputada Cristiane Dantas.
A deputada disse que tomou por base o acordo com o artigo 16 da Lei de Responsabilidade Fiscal a criação e expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será acompanhado de estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes.
“Além disso tem que acompanhar a declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com a Lei Orçamentária Anual e compatibilidade com o Plano Plurianual e com a Lei de Diretrizes Orçamentárias”, salientou a deputada Cristiane Dantas.
Em seguida os deputados da CFF discutiram o assunto e todos apoiaram a solicitação da diligência da relatora, dando um prazo de 15 dias para o Governo enviar as informações solicitadas.
Participaram da reunião os deputados Tomba Farias (PSDB), Cristiane Dantas, Coronel Azevedo (PSL), Ubaldo Fernandes (PTC) e Getúlio Rêgo (DEM).

Assessoria

Bebê é encontrada morta em quintal de casa na Grande Natal; dona do imóvel e filha prestam depoimento

Corpo da bebê foi encontrado na manhã desta quarta-feira (27) no quintal de uma casa no bairro Rosa dos Ventos, em Parnamirim — Foto: Alan Cléber/Inter TV Cabugi

O corpo de uma bebê foi encontrado na manhã desta quarta-feira (27) no quintal de uma casa no bairro Rosa dos Ventos, em Parnamirim, cidade da Grande Natal. A dona do imóvel e a filha dela foram levadas para a delegacia para prestar esclarecimentos.

A dona da casa contou que ouviu os cachorros latindo ainda na madrugada, mas que só levantou para ver o motivo da barulheira quando o dia amanheceu. Ela disse também que, ao chegar ao quintal, encontrou o corpo dentro de uma sacola e que a bebê não estava vestida.

Porém, dentro da casa, os policiais se depararam com a filha da proprietária, uma jovem de 20 anos, que apresentava um sangramento muito forte e estava com dificuldade de andar. Com isso, ambas foram levadas para serem ouvidas na 1ª DP de Parnamirim. O delegado solicitou um exame de DNA para saber se a filha da dona da casa é a mãe da bebê morta.

Fonte: https://g1.globo.com

Souza discute situação hídrica nas cidades de Pendências e Areia Branca

A situação hídrica, uma questão que afeta o Rio Grande do Norte, notadamente no interior, é um tema que pauta e preocupa o deputado Souza (PHS). Diante dessa realidade, o parlamentar vai debater o assunto durante audiências públicas, nesta quinta-feira (28), nas cidades de Pendências e Areia Branca.

A Audiência vai acontecer às 9h no município de Pendências. Souza explicou que em outubro de 2017, foi realizada uma audiência pública para discutir a crise hídrica no RN e a Caern apresentou um projeto para as regiões.

“Na oportunidade a diretoria técnica da Caern apresentou como solução alternativa a construção de uma adutora denominada Afonso Bezerra, onde a partir de cinco poços artesianos já perfurados partiria a adutora que solucionaria o problema dos abastecimentos das cidades de Pendências, Macau e Guamaré. Esperamos nos aprofundar nessa temática, buscando resolver os entraves burocráticos para financiamento do referido projeto”, explica Souza.

O assunto também será debatido em Areia Branca, às 15h. A Companhia de Águas e Esgotos já apresentou como solução alternativa a construção de uma adutora denominada Costa Branca, com o objetivo de solucionar os problemas hídricos vivenciados pela área rural do município de Areia Branca e pela área urbana do município de Porto do Mangue.

Assessoria