Archive for agosto 5th, 2019

Audiência Pública debate a rede de cuidados a saúde da pessoa com deficiência

Por posição do deputado Vivaldo Costa (PSD), a rede de cuidados a saúde da pessoa com deficiência foi tema de debate em audiência pública, na tarde desta segunda feira (5), na Assembleia Legislativa. Além de parlamentares e servidores da casa, usuários, gestores municipais de saúde, associações e demais entidades representativas participaram do evento.

Como propositor da audiência, o deputado Vivaldo Costa abriu os trabalhos reconhecendo que muitas dificuldades ainda persistem, mas destacou os avanços na legislação pertinente ao trabalho de atendimento à saúde da pessoa com deficiência. “Sou médico há 52 anos. Quando comecei a atuar na medicina, o atendimento era muito precário. Apesar das muitas dificuldades que ainda persistem, é preciso dizer que já houve muitos avanços no atendimento em saúde, principalmente, com relação a legislação, mesmo assim, reconhecemos que é preciso avançar muito mais, essa é a proposta da nossa audiência, ” disse Vivaldo.

A coordenadora da Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa Com Deficiência, Marilene Soares, apresentou o trabalho da rede, destacou os avanços na legislação pertinente ao atendimento às pessoas com deficiência e reconheceu que ainda há muito a fazer para melhorar a qualidade de vida dos deficientes.

“No que se refere ao trabalho da rede de cuidados a saúde da pessoa com deficiência, o Rio Grande do Norte é um dos estados mais avançados, contudo, ainda há muitas dificuldades a serem superadas. É preciso continuar lutando para melhorar os acessos das pessoas com deficiência. Essa audiência, o apoio dos deputados e dessa casa são importantes para apontar encaminhamentos promissores no sentido de avançar ainda mais na política de atendimento as pessoas com deficiência, ” argumentou Marilene.

Representando a Coordenadoria Estadual de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, o coordenador Décio Santiago, criticou a falta de serviços nas diversas regiões do Estado, que obriga as famílias a se deslocar para Natal em busca de atendimento para os deficientes. “Por meio dessa audiência, precisamos fazer apontamentos para buscar a descentralização dos serviços. Imaginem as mães trazendo os filhos de Pau dos Ferros para Natal. Sabemos que há uma burocracia, que há muitas dificuldades, mas é preciso ouvir essas pessoas para saber as dificuldades que elas passam e tentar construir uma política de atendimento descentralizada, “ cobrou Décio Santiago.

Usuária do sistema de atendimento, Marliene Cavalcante, também criticou a centralização dos serviços, a forma como o transporte é feito e cobrou participação na construção da política de atendimento. “Nós deficientes temos algumas particularidades. É inadmissível que o transporte continue sendo feito por ambulâncias, uma vez que, muitos têm imunidade baixa. É preciso descentralizar, mas enquanto isso não acontece, que o transporte seja feito em veículos adaptados. Também quero reconhecer que já houve alguns avanços nessa política, porem precisamos ser escutados. As pessoas podem ter sensibilidade, mas a presença de quem realmente precisa do serviço faz a diferença, disse Marliene.

O presidente da Comissão de Direito a Saúde da OAB, Renato Dumaresq, colocou a seccional estadual da Ordem dos Advogados do Brasil a disposição dos deficientes para fortalecer o trabalho em defesa da melhoria do atendimento. “Sabemos que os planos de saúde negam atendimento, portanto estamos disponíveis para realizar eventos e fornecer orientação jurídica quanto aos direitos pertinentes. Defendo a união das associações e demais entidades representativas para junto com a OAB, Ministério Público, Defensoria Pública e demais instituições fortalecermos essa luta, sugeriu o Advogado.

O secretário adjunto de saúde do Estado, Petrônio Spinelly, Representando a Secretaria de Saúde do Estado, reconheceu que é preciso avançar para melhorar a política de atendimento em saúde oferecida aos deficientes e disse que para isso a principal meta da secretária é promover a regionalização dos serviços de atendimento em saúde.

“A secretaria tem a convicção de que temos que descentralizar o trabalho com a regionalização do atendimento em saúde. Tenham certeza de que estamos trabalhando pesado para efetivar a ampliação das unidades de saúde em todo o Estado. Reconhecemos que precisamos avançar para fazer mais, reconhecemos os problemas operacionais, mas o importante é que temos o compromisso com a construção de uma política de atendimento em saúde que atenda o cidadão com eficiência por meio da regionalização”, declarou Petrônio.
Assessoria

Inscrições de artesãos para Brasil Mostra Brasil abrem nesta segunda-feira (5) no RN

Brasil Mostra Brasil acontece na Arena das Dunas — Foto: Divulgação 

As inscrições de artesãos para a Multifeira Brasil Mostra Brasil foram abertas nesta segunda-feira (5) e vão até a próxima sexta-feira (9). O edital foi publicado na edição de sábado passado do Diário Oficial do Estado (DOE). Ao todo, são ofertadas 90 vagas, sendo 10 para entidades de artesanato e 80 para artesãos individuais ou Microempreendedores Individuais (MEIs). O edital está disponível no site da Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas-RN).

A Multifeira Brasil Mostra Brasil em Natal acontece entre os dias 6 e 15 de setembro na Arena das Dunas. Os artesãos selecionados terão um espaço coletivo de 400 metros disponibilizado pelo Programa do Artesanato do Estado do Rio Grande do Norte (Proarte-RN).

“Em um só espaço vamos ter uma mostra da diversidade do artesanato em diferentes tipologias. A Brasil Mostra Brasil é sem dúvida uma feira que impulsiona o artesanato”, explicou secretária da Sethas-RN, Iris de Oliveira.

Para concorrer, o artesão deve preencher a ficha de inscrição em anexo no edital e entregar, juntamente com toda a documentação pedida no edital, no Proarte-RN, sediado na Sethas-RN, que fica no Centro Administrativo. O local funciona de segunda a sexta das 8h às 17h.

Outra forma de inscrição é enviar a documentação para o email proartern@gmail.com, com o assunto “25º Multifeira Brasil Mostra Brasil – Edital 003/2019” e, no corpo do e-mail, informar nome do artesão ou entidade interessada.

A seleção será feita por uma comissão, que vai avaliar as fotos de produtos, assim como dados do formulário de inscrição e documentação. A lista provisória com os selecionados sai no dia 15 de agosto. O resultado final acontece no dia 20 de agosto, no Diário Oficial do RN e no site da Sethas.

“Para o Proarte representa mais uma oportunidade de divulgação da arte e criação do artesão potiguar”, falou Iris de Oliveira, secretária da Sethas. “Merece destaque também a valorização do artesanato oriundo das comunidades quilombolas e indígenas”, completou.

Fonte: https://g1.globo.com

Assembleia e Uvern firmam parceria para fortalecer legislativos municipais

Uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira (05) entre o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB), o presidente da União dos Vereadores do RN (Uvern), Bruno Melo (PSDB), reforçou o diálogo e aproximou o poder Legislativo do Estado dos municípios. Isso por que, como resultado da reunião, será firmado um termo de cooperação entre a ALRN e a Uvern para atender algumas das principais reivindicações dos vereadores do interior do Estado, que estavam representados por uma comitiva de todas as regiões do Rio Grande do Norte.

A pauta do encontro contou com o pedido para que a Assembleia Legislativa, através da Escola da Assembleia, capacite os vereadores dos pequenos municípios; crie uma Frente Parlamentar Mista, formada por deputados estaduais e vereadores; crie uma Comissão para ajudar a reformular os Regimentos Internos das Câmaras Municipais; e disponibilize os softwares da folha de pagamento da ALRN para as Câmaras, o modelo do Portal da Transparência, e toda parte de tecnologia da Informação, adquirida recentemente pela Assembleia, como o Programa e-Legis.

“Com essas ações, além de colaborar de forma significativa com o fortalecimento do poder legislativo nos municípios, a Assembleia Legislativa estará sendo pioneira no Brasil”, comentou Bruno Melo.

Na reunião, Ezequiel Ferreira colocou toda tecnologia e avanços disponíveis na Casa Legislativa a disposição dos vereadores e da Uvern. “Esse sempre foi um desejo nosso. Aproximar os legislativos – Câmaras Municipais e Assembleia Legislativa – do Estado e com isso chegar mais perto do povo e das soluções dos problemas da sociedade. Vamos aprendendo uns com os outros e tornando o Legislativo do RN ainda mais forte”, disse Ezequiel.

No final do encontro, o presidente da Uvern, avaliou a reunião como uma das mais produtivas dos últimos tempos para os vereadores do Estado. “Saio dessa reunião muito satisfeito. A Assembleia Legislativa nos deu uma aula de irmandade e parceria. Com essas ações, todos ganham e fortalecemos, juntos, o poder Legislativo do RN”, finalizou Bruno Melo.

Participaram da reunião vereadores de todas as regiões do Estado, o Procurador Geral da Assembleia Legislativa, Sérgio Freire, o diretor Geral da Assembleia Legislativa, Fernando Rezende, a Chefe de Gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, Larissa Rosado e o secretário Geral da Assembleia Legislativa, Augusto Viveiros.

Assessoria

Caixa prevê R$ 357 milhões para saques das contas do FGTS no RN; confira calendário

Notas, cédulas, dinheiro — Foto: Reprodução/G1 

A Caixa Econômica Federal (CEF) divulgou nesta segunda-feira (5) o calendário de saques de até R$ 500,00 do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Um total de 1.134.867 trabalhadores potiguares poderão sacar mais de R$ 357 milhões, até março do ano que vem.

De acordo com o banco público, a previsão é de que R$ 277.319.360,92 sejam liberados ainda neste ano para 785.368 pessoas, no estado. Entre janeiro e março do próximo ano, outros R$ 79.943.302,02 ficarão disponíveis a para 349.500 potiguares, conforme a data de nascimento dos usuários. Ao todo, R$ 357.262.662,94 poderão ser sacados.

Como será

  • Para quem tiver conta poupança na Caixa, os saques começam a partir de 13 de setembro, e para quem não tiver, a partir de 18 de outubro.
  • Os saques estarão disponíveis até 31 de março de 2020 (veja o calendário completo abaixo).
  • A data do saque dependerá do mês de aniversário do trabalhador.
  • Os trabalhadores poderão sacar de todas as contas de FGTS que possuírem, sejam ativas ou inativas (do emprego atual ou dos anteriores). Não há limite do número de contas para os saques. Por exemplo, se o trabalhador tiver seis contas entre ativas e inativas ele pode sacar até R$ 3.000 – R$ 500 de cada conta. Se tiver R$ 270 na conta, por exemplo, poderá retirar o valor total.
  • FGTS: veja como consultar o saldo de contas ativas ou inativas

Como sacar (para quem não tem poupança na Caixa)

  • Caixas eletrônicos: basta o CPF e a senha do Cartão do Cidadão(facilita o saque de benefícios sociais e trabalhistas). Para saber como emitir o Cartão do Cidadão, clique aqui.
  • Caixa Aqui: documento de identificação com foto e Cartão do Cidadão com senha.
  • Casas lotéricas: nos saques de até R$ 100, basta a apresentação de documento de identidade original com foto e número do CPF; para saques de outros valores (até o limite de R$ 500 por conta), é necessário o Cartão do Cidadão.
  • Na agência da Caixa: o trabalhador que for à agência da Caixa para fazer o saque também pode pedir para que o dinheiro seja transferido para uma conta de outro banco.
  • Quem retirar o dinheiro continuará a ter direito à retirada integral do valor do FGTS em caso de demissão sem justa causa, além da multa de 40% sobre o valor total.
  • O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou que estará presente junto com outros diretores do banco em agências lotéricas por todo o país para acompanhar o movimento.
  • “Manteremos vice-presidentes e diretores em todos os estados. Eu estarei focado nas regiões mais carentes do Brasil, o Norte e Nordeste. Chegaremos antes de abrir e só iremos embora depois de fechar”, afirmou.

Calendário para quem não tem conta poupança na Caixa

Data de nascimento Início do saque
Janeiro a partir de 18/10/2019 até 31/3/2020
Fevereiro a partir de 25/10/2019 até 31/3/2020
Março a partir de 08/11/2019 até 31/3/2020
Abril a partir de 22/11/2019 até 31/3/2020
Maio a partir de 06/12/2019 até 31/3/2020
Junho a partir de 18/12/2019 até 31/3/2020
Julho a partir de 10/01/2020 até 31/3/2020
Agosto a partir de 17/01/2020 até 31/3/2020
Setembro a partir de 24/01/2020 até 31/3/2020
Outubro a partir de 07/02/2020 até 31/3/2020
Novembro a partir de 14/02/2020 até 31/3/2020
Dezembro a partir de 06/03/2020 até 31/3/2020

Como sacar (para quem tem poupança da Caixa)

  • O depósito será feito automaticamente. Segundo a Caixa, 33 milhões de trabalhadores devem receber o crédito automático.
  • Os correntistas que não desejarem sacar os valores deverão informar ao banco – eles terão até 30 de abril de 2020 para solicitar cancelar o crédito ou transferir o valor para outra instituição financeira.
  • De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o crédito será feito exatamente no primeiro dia dia do prazo. Assim, quem faz aniversário em janeiro e abril, por exemplo, receberá em 13 de setembro (veja tabela abaixo)
  • O crédito automático em conta poupança da Caixa só vale para quem tiver conta aberta até 24 de julho de 2019, data da publicação da medida provisória que liberou o saque do FGTS.

Calendário de saques para quem tem conta poupança da Caixa

Mês de nascimento Data de saque
Janeiro, fevereiro, março e abril a partir de 13/09/2019 até 31/3/2020
Maio, junho, julho e agosto a partir de 27/09/2019 até 31/3/2020
Setembro, outubro, novembro e dezembro a partir de 09/10/2019 até 31/3/2020

Horários das agências

  • Nos dias da liberação do dinheiro e nos cinco dias úteis seguintes a essa data, as agências abrirão duas horas mais cedo, segundo informou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. A Caixa informou ainda que as agências também abrirão no sábado seguinte à data de liberação do dinheiro. Por exemplo: a partir de 13 de setembro, primeira data para liberação do dinheiro, as agências terão horário estendido nos dias 13 (sexta), 16 (segunda), 17 (terça), 18 (quarta), 19 (quinta) e 20 (sexta) e funcionarão das 9h às 16h no dia 14 (sábado).
  • Segundo a Caixa, será avaliado, de acordo com o movimento, a necessidade de abrir as agências em outros sábados do mês, além do imediatamente seguinte à data do depósito.
  • horário de funcionamento para o dia 12 de outubro, feriado,ainda não está definido. Nessa semana, o calendário de pagamento será liberado na quarta-feira, 9 de outubro. Segundo a Caixa, a abertura das agências no sábado de feriado ainda será avaliada.
  • As lotéricas abrirão duas horas mais cedo nos cinco dias úteis seguintes à disponibilização do saque do FGTS, informou o presidente da Caixa. Como os horários desses estabelecimentos variam, é necessário consultar pessoalmente o período de atendimento da unidade que escolher.

Saque-aniversário

A partir de abril de 2020, o trabalhador poderá, ainda, fazer saques anuais do FGTS, o chamado saque-aniversário, porque será de acordo com a data de nascimento do beneficiário.

Para participar dessa modalidade, o trabalhador deixará de sacar em caso de rescisão de contrato de trabalho. Quem fizer a opção e depois decidir mudar, só poderá retornar à modalidade anterior após dois anos a partir da data de solicitação à Caixa.

A mudança é opcional. Os interessados em migrar para a sistemática do saque aniversário poderão comunicar à Caixa, a partir de 1º de outubro de 2019, nos canais a serem divulgados pelo banco. Caso o titular de conta do FGTS não comunique ao banco o interesse em migrar, permanecerá na regra do saque rescisão.

De acordo com a Caixa, não haverá alteração relacionada à multa de 40% em caso de demissão sem justa causa para quem migrar para o saque aniversário. O direito ao recebimento da multa rescisória permanece o mesmo, independentemente de qual seja a opção de saque do trabalhador.

As demais hipóteses de saque – como as relacionadas à aquisição de casa própria, doenças graves, aposentadoria e falecimento – não foram alteradas. Mesmo que optar pelo saque aniversário, o trabalhador poderá utilizar o saldo da conta para casa própria.

Cronograma para o saque aniversário

Mês de nascimento Data do saque
Janeiro e fevereiro abril a junho de 2020
Março e abril maio a julho de 2020
Maio e junho junho a agosto de 2020
Julho julho a setembro de 2020
Agosto agosto a outubro de 2020
Setembro setembro a novembro de 2020
Outubro outubro a dezembro de 2020
Novembro novembro de 2020 a janeiro de 2021
Dezembro dezembro de 2020 a fevereiro de 2021

Como consultar o saldo do FGTS

O trabalhador pode consultar o saldo pelo site da Caixa ou do próprio FGTS e através de aplicativo para smartphones e tablets (com versão para Android, iOS e Windows). É possível ainda fazer um cadastro para receber informações do FGTS por mensagens no celular ou por e-mail.

O beneficiário pode ainda consultar seu extrato do FGTS presencialmente no balcão de atendimento de agências da Caixa. Também é possível ir a um posto de atendimento e fazer a consulta utilizando o Cartão Cidadão, desde que tenha em mãos a senha. Não é possível consultar o extrato do FGTS pelo telefone.

Fonte: https://g1.globo.com

Hermano requer instalação de bomba d’água em comunidade de São José de Mipibu

O deputado Hermano Morais solicitou ao Governo do Estado e à Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) a conclusão do serviço de instalação de bomba d’água na comunidade Jardim dos Ipês, em São José de Mipibu. De acordo com o parlamentar, a região é formada hoje por 500 famílias; aproximadamente 2 mil habitantes.

“A população local ainda não tem acesso a um direito básico que é a água potável. Há 3 anos a Caern perfurou o poço, mas até o momento o serviço de instalação de bomba d’água não foi concluído. Já são mais de 1.095 dias de longa espera e sem água para viver”, disse Hermano.

O deputado destacou que além dos perigos das fontes alternativas de água que a população procura, a falta dela nas torneiras provoca uma inadequada higienização dos alimentos e das mãos, conforme alertam os infectologistas.

Hermano ressaltou ainda que do ponto de vista econômico, a falta d’água também prejudica a população em larga escala, pois muitos necessitam dela para produzir o seu sustento.

 

Assessoria

Hermano requer instalação de bomba d’água em comunidade de São José de Mipibu

O deputado Hermano Morais solicitou ao Governo do Estado e à Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) a conclusão do serviço de instalação de bomba d’água na comunidade Jardim dos Ipês, em São José de Mipibu. De acordo com o parlamentar, a região é formada hoje por 500 famílias; aproximadamente 2 mil habitantes.

“A população local ainda não tem acesso a um direito básico que é a água potável. Há 3 anos a Caern perfurou o poço, mas até o momento o serviço de instalação de bomba d’água não foi concluído. Já são mais de 1.095 dias de longa espera e sem água para viver”, disse Hermano.

O deputado destacou que além dos perigos das fontes alternativas de água que a população procura, a falta dela nas torneiras provoca uma inadequada higienização dos alimentos e das mãos, conforme alertam os infectologistas.

Hermano ressaltou ainda que do ponto de vista econômico, a falta d’água também prejudica a população em larga escala, pois muitos necessitam dela para produzir o seu sustento.

Assessoria

 

Tremor de 5.8 de magnitude é registrado no Oceano Atlântico próximo ao litoral nordestino

Um tremor de 5.8 de magnitude foi registrado no Oceano Atlântico na noite deste domingo (4). De acordo com o Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o terremoto aconteceu às 21h40. O epicentro foi a 740 km de distância de Fernando de Noronha, 1.100 km de distância do litoral Potiguar e 100 km a Leste do Arquipélago de São Pedro e São Paulo.

Nas redes sociais circularam mensagens que falavam do risco de um possível tsunami no litoral nordestino. Porém, o coordenador do Laboratório Sismológico da UFRN, Aderson Nascimento, esclarece que não há risco nenhum de tsunami ou alterações no mar por causa deste tremor.

“O movimento de solo que foi registrado não oferece risco nenhum de tsumani na costa do Brasil”, afirmou.

O hipocentro teve profundidade estimada em 10 km de profundidade e a movimentação da falha foi do tipo sem rejeito (deslocamento) vertical.

Fonte: https://g1.globo.com

Gustavo Carvalho solicitada operação tapa buraco na região do Mato Grande

O deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) apresentou requerimento solicitando operação tapa buracos na RN 023, no trecho que liga o município de João Câmara a Touros. A solicitação objetiva sensibilizar o Governo do Estado para que este determine providências urgentes no sentido de determinar o serviço na via supracitada.

“Nesse referido trecho já foram realizados serviços, no entanto de nada tem adiantado. Com o tempo, logo surge mais buracos em outros pontos. As erosões na via tornam quase intransitável o percurso, além de provocar danos aos veículos e ocasionar acidentes”, justificou o parlamentar.

Gustavo Carvalho destacou também a urgência na tomada de providências devido ao grande fluxo de veículos na região.
Assessoria

DAMARES ALVES: ABUSO NÃO SE JUSTIFICA NEM SE EXPLICA, SE PUNE

Ministra Damares Alves concede entrevista à jornalista Roseann Kennedy, no programa Impressões, da TV Brasil — Foto: TV Brasil 

Por Agência Brasil — A questão do abuso sexual foi um dos principais temas da entrevista da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, ao programa Impressões, da TV Brasil, que vai ao ar na próxima terça-feira (6).

Na conversa com a jornalista Roseann Kennedy, a ministra foi incisiva ao rejeitar qualquer tentativa de justificar uma violência sexual. “Abuso não se justifica, não se explica, não se minimiza e não se relativiza. Abuso é abuso. E o abusador tem que ser contido, preso e punido”, disse.

Damares fala também dos altos índices de abusos sexuais registrados na Ilha do Marajó (PA) e do programa de prevenção e combate a este tipo de crime que começou a ser desenvolvido na região. Explica, ainda, a polêmica em torno do projeto de levar uma fábrica de calcinhas para o local.

Outros temas abordados na entrevista foram o trabalho da Comissão da Anistia e a disputa pelo comando da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Em dado momento a ministra conta, ainda, como é viver sempre escoltada e sem endereço fixo e até brinca com o fato de estar solteira. Confiram, abaixo, os detalhes da entrevista.

Roseann – A questão do abuso sexual é um tema que, obviamente, custa muito caro para a senhora. Mas a polêmica mais recente com a senhora é uma proposta para construir uma fábrica de calcinhas na Ilha do Marajó (PA), entre as medidas para enfrentar a violência sexual. Então, faz a gente entender o que foi isso.

Damares – Veja só, eu entendo que abuso não se justifica, não se explica, não se minimiza e não se relativiza. Eu rejeito qualquer justificativa para abuso. Abuso é abuso. É o abusador tem que ser contido, tem que ser preso e tem que ser punido. E nós, numa região no Brasil em que o abuso acontece de uma forma muito maior em relação a todo o país, que é a região da Ilha do Marajó, inclusive, usa-se o que acontece lá para justificar. Por muitas vezes eu recebi o seguinte recado: você nunca vai conseguir resolver o problema do abuso no Brasil porque é cultural. Já existe até alguns pesquisadores querendo defender a tese de que pedofilia no Brasil é cultura. Eu rejeito que pedofilia seja cultura do povo brasileiro. Eu rejeito essa afirmação. E muitas vezes disseram que lá na Ilha do Marajó, é comum o estupro de meninas, o abuso e o incesto. Incesto não pode ser cultura. Inclusive a questão do incesto, ela é tão comum no Brasil que ela está em nossas lendas. Sabe a lenda do boto? Que no passado a gente via falar que lá na região ribeirinha as pessoas acreditavam que o boto engravidava menina? A história do boto é uma grande farsa. Era o pai que engravidava a menina e botava a culpa no boto. E aí a Ilha do Marajó é usada como exemplo. Lá é cultural e eu tenho um amor ao arquipélago do Marajó. Há quinze anos, estou envolvida com ações de enfrentamento ao tráfico de mulheres que acontece lá, à violência sexual contra mulheres e meninas, mas à violência doméstica também.

Quando ministra, nós temos que ter uma região para a gente desenvolver projetos e o presidente da República deu uma ordem para irmos atrás dos invisibilizados (sic). Vamos buscar aquelas pessoas que nunca foram alcançadas. Então resolvemos ir para lá. E aí, conversando com os agentes envolvidos com o arquipélago, uma autoridade me disse “olha, ministra, abuso lá é tão grande e há um estudo que falam que um dos motivos de abusar meninas é porque elas são tão pobrezinhas que elas não têm calcinha” Aquilo me irritou demais. Como é que tu vais justificar o abuso por falta de calcinha? Aí em uma reunião eu disse, olha, se o problema da ilha do Marajó é fome, vamos levar comida. Se estão abusando de meninas por falta de emprego, vamos levar empresas para lá, vamos levar a fábrica. Inclusive me disseram que o abuso é por falta de calcinha, vamos levar calcinha. Na verdade, levar não, levar uma fábrica de calcinha. Pegaram quando eu estou irritada falando que eu não aceito nenhuma justificativa para o abuso, pegaram só essa frase, de novo. Editaram. E disseram que eu falei que o abuso lá é por falta de calcinha. Inclusive essa autoridade que levou a informação, ela quer se pronunciar. Eu disse, não, fica quieto. O problema é comigo. O problema não é que eu falei, o problema é torcer para não dar certo. O problema é uma torcida muito grande que este governo não dê certo.

Roseann – A senhora se sente perseguida?

Damares – Não, não me sinto perseguida. Não sou eu que estou sendo perseguida, é a ideologia que estamos trazendo. É a proposta que estamos trazendo. São as iniciativas que estamos trazendo. É o Governo. Então assim, como eu estou mais em evidência hoje, daqui a pouco não serei mais eu, será um outro ministro, vamos atacar o que ela fala. Então eu já estive em lugares onde as pessoas ficam de plantão, assim, com a câmera, esperando uma palavra. O lance do cabelo. É tão incrível. Por que que ela cortou o cabelo? Ministra a senhora cortou o cabelo por quê? A senhora vai entrar no Tinder? Eu falei para um repórter, não, Tinder é de adolescente. Eu vou abrir um site para receber currículos. Olha, isso eu falei para um repórter depois de quatro horas de enfrentamento em uma comissão na Câmara. Um debate acirrado onde eu chorei, parlamentares choraram, abrimos o coração, falamos do enfrentamento à violência. Depois de quatro horas o repórter sai comigo da sala, eu achando que ele ia perguntar alguma coisa de tudo sério que falamos, e perguntou “ministra, a senhora vai entrar no Tinder mesmo? ” Eu fiquei tão irritada que eu disse assim: não, Tinder é para adolescente. Eu vou abrir um site. Duas horas depois espero a manchete sair desse jornalista. Ministra abre site para receber currículo. Mas o bom é que tá chegando. Vai que cola. (risos)

Roseann – Eu vou continuar com a brincadeira para saber uma coisa: quem é o marido que vai aguentar o ritmo da sua agenda e essa própria questão de segurança? A senhora não pode ter endereço fixo, vive escoltada.

Damares – Vai ser difícil, vai ser difícil alguém querer se arriscar. Um já foi embora. E eu não era nem ministra, né? É difícil. Inclusive eu queria falar sobre isso porque quando o presidente instituiu o Ministério da Família disseram que ele ia querer, agora, uma família tradicional, natural, que só isso é a família para ele. Não! Eu sou uma família diferente, eu sou uma mulher sozinha, e somos milhões no Brasil, de líderes da família, mulheres como chefe de família. Eu sou uma mulher sozinha, mãe de uma filha indígena. Tem família mais diferente que a minha? Não tem. E mãe socioafetiva, porque eu não oficializei a adoção de minha filha, né? E porque não oficializei? Porque minha filha tem pai e mãe na aldeia; ela ama o pai e a mãe na aldeia. Então nós somos uma grande família. Essas famílias existem e elas precisam ser fortalecidas. Então o governo vem pensando em todas as configurações familiares.

Roseann – Essa parte indígena, aliás, foi alvo de mais uma polêmica do ano, sobre quem fica com o comando da Funai, que ficou com o Ministério da Justiça. A senhora disse que será guarda compartilhada. Não abre mão?

Damares – E eu tenho legitimidade para trabalhar com os índios. Mas quando a Funai veio para este ministério, foi muito pensado, o Ministério da Justiça mudou. Hoje é um Ministério de Segurança Pública, Justiça. O ministro Moro foi convidado para combater corrupção, para garantir segurança pública e para fazer o enfrentamento ao crime organizado. Não foi dito a ele que ele iria cuidar de índios. Então, quando se constituiu o novo Ministério da Justiça, dois organismos que estavam lá ficaram perdidos, que foi a Comissão da Anistia e a Funai. E era isso que queríamos fazer a discussão. O índio tem que ser cuidado, amparado e protegido. Apesar que eu encontrei muita corrupção na Funai. Então assim, índio tem que ser cuidado como um todo, o anistiado tem que ser cuidado. Nós temos que ter muito cuidado com as pessoas que se sentiram com os direitos violados lá atrás na época do Regime Militar. Então esses dois organismos vieram para o nosso ministério. Então eles foram agasalhados e era o lugar certo. Mas aí, a briga no Congresso Nacional e alguns opositores “não, a Funai tem que voltar para o MJ”. O bem mais precioso de uma área indígena não é a terra, é o índio. E houve nos últimos anos uma política pública muito voltada só para a terra. Esquecemos da mulher indígena. Sabia que tem estupro em aldeia? Nós temos que cuidar dessa mulher indígena. Mas hoje nós temos terra, temos processo de homologação de terra. Estamos há trinta anos, brigou-se tanto e não se fez nada. Se essas áreas estivessem todas homologadas, muitos dos problemas teriam sido resolvidos. Mas a gente vem com essa outra proposta. O índio como um todo. A mulher, o idoso. Deixa-me te perguntar uma coisa. Você já viu um índio cego?

Roseann – Não.

Damares – Você já viu um índio em cadeira de rodas? índio com síndrome de down? Você nunca se perguntou se todos eles nascem sem deficiência física ou mental? Esse questionamento eu tenho feito com o Brasil há vinte anos. Eu descobri, há vinte anos, que alguns povos do Brasil matam crianças com deficiência. Quando eu descobri, eu tinha duas reações, duas atitudes a tomar: me silenciar, como era o recomendado pelos antropólogos – não toque nesse assunto que é cultura – ou me levantar para salvar essas crianças. E eu optei por salvar essas crianças. Por quê? Parte de sacrifício de criança no Brasil, 90%, quem faz é a mãe. Você tem ideia do que é você impor a uma mãe a condição de carrasca de seu próprio filho? Porque olha, não vamos romantizar isso. Não existe nenhum romance, nenhum glamour, nenhuma delicadeza em enterrar uma criança viva, é assassinato! Imagine a mãe de uma criança de um ano que ela amamentou, que ela cuidou, que ela ama, e ela descobre com um ano que ele é surdo – porque a surdez não descobre quando nasce, é com oito meses, dez meses. Imagine essa mãe fazendo um buraco no meio da floresta, a criança brincando, achando que ela está brincando, e ela pegar o bebê olhar nos olhos dele e enterrar essa criança viva. Você acha que essa mãe é feliz? Não dá para imaginar. Nós temos que entender que não é uma índia, eu estou falando de uma mãe. Então a gente relativiza tudo, porque foi com um índio. Não, pera aí, é um ser humano. Nós temos uma estimativa, isso não é oficial, inclusive a gente tá criando agora uma notificação, que mais de 1500 crianças são assassinadas por ano nas aldeias do Brasil. Mas eles matam por que são cruéis? Não. É uma questão cultural. Mas a gente tem que começar a conversar com esses povos. Dá para avançar nesse item? Dá pra salvar essas crianças? Tá enterrando porque ele é surdo? Olha, tem um aparelhinho, olha, tem libras (linguagem brasileira de sinais), dá pra dialogar com os povos.

Roseann – A senhora falou de outro tema polêmico, o trabalho que está sendo feito na Comissão da Anistia. Já houve uma série de cortes e vai ter mais. Qual é o entendimento nesse momento?

Damares – Resolver este problema de uma vez. Veja só, a Comissão de Anistia foi criada por lei para anistiar pessoas que num período do Brasil se sentiram com os direitos violados. Mas é um período lá atrás, que se a gente for contar a idade, muitos são idosos e muitos já morreram. Então, as pessoas que tiveram seus direitos violados, que abriram um requerimento e querem ser indenizadas, a maioria já morreu e o requerimento não foi analisado. Gente, eu não consigo imaginar vinte anos um requerimento em uma comissão e não deram resposta a essa pessoa. Isso sim é violação dos direitos humanos. Então, qual é o meu papel? Reunir um time forte. Chamei um time. Sabe quantos requerimentos eu ainda vou analisar? Mais de sete mil.

Roseann – Vai haver um rejulgamento?

Damares – Veja só, os que foram concedidos já foram concedidos. Eu não vou fazer revisão. Apenas um segmento que eu quero de revisão, os cabos da FAB. Você sabia que o maior valor que está empenhado para pagar é dos cabos da FAB? Em torno de 2.500 cabos se sentiram prejudicados com a mudanças dentro da FAB, de uma portaria e entraram dentro da comissão. Mais de R$ 7 bilhões para esses cabos da FAB. Pera aí, e eu estou questionando. Eles foram mesmo perseguidos ou tiveram seus direitos violados por um regime? Não. Era uma questão trabalhista. Que se resolva lá no Ministério do Trabalho. Você sabia que nós temos indenizações de mais de um milhão, dois milhões, para uma única pessoa? Então esse segmento eu quero rever. Os sete mil que estão lá eu vou olhar com lupa. Eu vou saber se merece ou não. Mas eu quero agilidade. Já está na hora de a Comissão de Anistia acabar. Ela tinha um prazo de validade. Ela tem que acabar. E o que eu vi na comissão da anistia? Esqueceram os requerimentos – ela foi constituída para isso – e começaram a publicar livros, publicar obras, até mesmo um museu a comissão estava construindo. Quer dizer, o objetivo da comissão foi totalmente esquecido e outras atividades foram feitas. E, olha, tá em auditoria. Nosso ministério está na auditoria das contas; a Polícia Federal tá envolvida; a CGU; e vou dizer uma coisa, tem muito dinheiro desviado da comissão de anistia.

Roseann – São muitos temas e a senhora sofre ameaça de morte desde muito antes de ser ministra. Para viver nessa agonia que não pode nem ter endereço fixo, o que realmente te dá a satisfação de dizer que vale a pena?

Damares – Me foi dada uma missão e eu preciso cumprir essa missão. Eu sou nordestina. Não nasci no Nordeste não, mas me criei lá. Sabe? A nordestina que não desiste nunca.

Fonte: https://blogafonte.com.br

CRONOGRAMA DE LIBERAÇÃO DO FGTS SERÁ DIVULGADO NESTA SEGUNDA-FEIRA

Por Agência Brasil — A Caixa Econômica Federal anuncia amanhã (5) o cronograma de liberação do saque imediato de parcela de até R$ 500 por conta ativa ou conta inativa do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Conforme a Medida Provisória nº 889, as liberações ocorrerão de setembro deste ano a março de 2020.

A projeção do Ministério da Economia é alcançar 96 milhões de trabalhadores e injetar R$ 30 bilhões na economia – R$ 28 bilhões em 2019 e R$ 12 bilhões em 2020.

A indústria e o comércio têm expectativa de aquecimento econômico com a liberação desses recursos. Segundo o economista Marcelo Azevedo, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), “é uma medida de curto prazo que é fundamental para a retomada da economia. Se as medidas de longo prazo [como as reformas da Previdência Social e tributária] vão ajudar a sustentar [o crescimento], medidas como liberação de recursos têm potencial de, no curto prazo, uma injeção necessária para o primeiro arranque na economia”, defende.

Consumo

A liberação do FGTS pode estimular o consumo e reduzir o estoque de artigos já produzidos pela indústria, movimento importante para preparar a retomada do ciclo econômico mais positivo. A CNI, no entanto, ainda não tem uma estimativa desse eventual efeito.

Com dinheiro extra na mão, o trabalhador poderá ir às compras ou acertar o pagamento de dívidas. Segundo o Ministério da Economia, 23 milhões de pessoas poderão quitar suas dívidas com o saque imediato do FGTS.

“Mesmo que as famílias priorizem os pagamentos de dívidas. Isso também acaba ajudando o consumo”, assinala Marianne Hanson, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo ela, o pagamento de dívidas diminui o comprometimento da renda das famílias e retiram da inadimplência quem tem contas em atraso.

Projeção da CNC indica que com a liberação do FGTS pelo menos R$ 7,4 bilhões poderão migrar para o comércio varejista com a compra de bens duráveis e não duráveis. O efeito poderá ser potencializado, pois durante o período de liberação ocorrerá o pagamento do 13º salário. Hanson tem expectativa de que o crescimento do consumo abra mais vagas temporárias no comércio e aumente a renda das famílias onde há desempregados.

O consumo das famílias é responsável por R$ 6 de cada R$ 10 da demanda agregada que estimula o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), indicador que mede o fluxo de novos bens e serviços finais produzidos. No último ano, o PIB do comércio apresentou crescimento de 2,3%; e a indústria aumento de 0,6%. O PIB 2018 de toda a economia cresceu 1,1%.

Saque aniversário e construção civil

Além do saque imediato, a MP 889 traz a modalidade do saque aniversário que prevê, a partir de 2020, a possibilidade de o trabalhador retirar, anualmente, um percentual de seu saldo no FGTS. A expectativa do Ministério da Economia é de que o saque aniversário dê aos trabalhadores acesso a R$ 12 bilhões.

A liberação dos saques depende, no entanto, da adesão individual do trabalhador. As duas modalidades de saque criadas pela MP somam R$ 42 bilhões para serem liberados em 16 meses (quatro de 2019 e doze de 2020).

Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, a liberação dos saques deve ser efetiva para o aquecimento da economia, por meio do consumo.

Ele, no entanto, demonstra preocupação com a manutenção da capacidade de financiamento do FGTS para o setor de construção civil. “Aquecendo a economia e não havendo perda já é muito bom. O que a gente precisa ver é como isso vai ser acontecer para que, ao longo do tempo, não tenha buraco de falta de recurso ou alguma coisa desse tipo”, escreveu em nota à Agência Brasil.

Martins sublinha que o anúncio da manutenção do financiamento de obras de habitação e infraestrutura por meio do FGTS deixou o setor otimista. “A veemência com que o presidente, ministros, secretários e presidentes de bancos estatais garantem que não haverá efeitos na construção nos tranquiliza em relação aos contratos que nós temos assinados e que têm desembolsos futuros”.

De acordo com o Ministério da Economia, as contas dos trabalhadores no FGTS somam R$ 419 bilhões.

 

Fonte: https://blogafonte.com.br

Concursos: 25 órgãos abrem as inscrições para quase 6 mil vagas nesta segunda-feira

Foto: Divulgação

Pelo menos 25 órgãos abrem as inscrições nesta segunda-feira (5) para 5.948 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Só na Prefeitura de Cuiabá são 4.699 vagas, incluindo as de cadastro de reserva.

Os salários chegam a R$ 9.600,92 na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Veja abaixo os detalhes de cada concurso:

Aeronáutica

  • Inscrições: até 30/08/2019
  • 252 vagas
  • Cargos de nível médio
  • Local das vagas: Guaratinguetá (SP)
  • Veja o edital

Câmara Municipal de Fortaleza (CE)

  • Inscrições: até 31/08/2019
  • 31 vagas
  • Salários de até R$ 4.182,48
  • Cargos de nível médio e superior
  • Veja o edital

Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura de Minas Gerais

  • Inscrições: até 08/09/2019
  • 12 vagas
  • Salários de até R$ 8.483,00
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans)

  • Inscrições: até 03/09/2019
  • 12 vagas
  • Salários de até R$ 3.802,48
  • Cargos de nível médio e superior
  • Veja o edital

Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Rondônia

  • 16/08/2019
  • 160 vagas
  • R$ 1.200,00
  • Cargos de nível médio
  • Veja o edital

Prefeitura de Almirante Tamandaré (PR)

  • Inscrições: até 09/08/2019
  • 4 vagas
  • Salários de até R$ 998,00
  • Cargo de nível fundamental (coveiro)
  • Veja o edital

Prefeitura de Anapu (PA)

  • Inscrições: até 19/08/2019
  • 8 vagas
  • Salário de R$ 1.474,20
  • Cargo de nível médio (agente de trânsito)
  • Veja o edital

Prefeitura de Birigui (SP)

  • Inscrições: até 06/09/2019
  • 74 vagas
  • Salários de até R$ 3.630,78
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Capitão de Campos (PI)

  • Inscrições: até 30/08/2019
  • 12 vagas
  • Salários de até R$ 998,00
  • Cargos de nível médio
  • Veja o edital

Prefeitura de Cuiabá (MT)

  • Inscrições: até 19/08/2019
  • 4.699 vagas
  • Salários de até R$ 3.183,71
  • Cargos de nível médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Governador Celso Ramos (SC)

  • Inscrições: até 07/08/2019
  • 8 vagas
  • Salários de até R$ 1.368,21
  • Cargos de nível fundamental e médio
  • Veja o edital

Prefeitura de Guaxupé (MG)

  • Inscrições: até 06/09/2019
  • 23 vagas
  • Salários de até R$ 2.892,70
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Ilhabela (SP)

  • Inscrições: até 05/09/2019
  • 17 vagas
  • Salários de até R$ 1.631,00
  • Cargos de nível médio
  • Veja o edital

Prefeitura de Inconfidentes (MG)

  • Inscrições: até 05/09/2019
  • 64 vagas
  • Salários de até R$ 9.489,05
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Mairiporã (SP)

  • Inscrições: até 05/09/2019
  • 10 vagas
  • Salários de até R$ 5.598,94
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Muriaé (MG)

  • Inscrições: até 06/09/2019
  • 127 vagas
  • Salários de até R$ 2.135,54
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Penha (SC)

  • Inscrições: até 05/09/2019
  • 57 vagas
  • Salários de até R$ 8.178,62
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Santa Juliana (MG)

  • Inscrições: até 05/09/2019
  • 2 vagas
  • Salários de até R$ 6.600,00
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Santa Teresa (ES)

  • Inscrições: até 09/08/2019
  • 37 vagas
  • Salários de até R$ 1.250,00
  • Cargos de nível médio
  • Veja o edital

Prefeitura de São José dos Campos (SP)

  • Inscrições: até 09/09/2019
  • 200 vagas
  • Salários de R$ 1.250,00
  • Cargos de nível médio
  • Veja o edital

Prefeitura de Terra Nova do Norte (MT)

  • Inscrições: até 18/08/2019
  • 15 vagas
  • Salários de até R$ 1.932,23
  • Cargos de nível fundamental
  • Veja o edital

Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Pains (MG)

  • Inscrições: até 05/09/2019
  • 19 vagas
  • Salários de até R$ 1.878,23
  • Cargos de nível fundamental e médio
  • Veja o edital

Serviço de Saneamento Ambiental Águas do Pantanal de Cáceres (MT)

  • Inscrições: até 08/09/2019
  • 30 vagas
  • Salários de até R$ 4.968,31
  • Cargos de nível médio e superior
  • Veja o edital

Tribunal de Justiça do Maranhão

  • Inscrições: até 28/08/2019
  • 63 vagas
  • Salários de até R$ 8.230,35
  • Cargos de nível médio e superior
  • Veja o edital

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

  • Inscrições: até 19/08/2019
  • 12 vagas
  • Salários de até R$ 9.600,92
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Litoral potiguar tem alerta de ventos fortes e ondas de até 4 metros

Ondas altas são esperadas para o litoral do RN — Foto: Eros Sena 

O Centro de Hidrografia da Marinha emitiu alerta para ventos de até 60 quilômetros por hora e ondas de até 4 metros de altura no litoral potiguar, entre a noite deste domingo (4) e a manhã da quarta-feira (7). O motivo é um sistema de alta pressão sobre o oceano Atlântico, que pode provocar ventos de direção Sudeste a Leste.

A previsão é de os ventos de intensidade de até 60 km/h (33 nós) ocorram entre os estados de Alagoas e do Rio Grande do Norte, ao sul de Natal. O mesmo sistema também poderá provocar ondas, em alto-mar, de direção Sudeste a Leste entre 3 e 4 metros nas proximidades da Bahia até a costa potiguar, segundo a Marinha.

Também há “condições favoráveis” à ocorrência de ressaca com ondas de direção Sudeste até 2,5 metros entre Salvador (BA) e Touros (RN), entre o dia 5 pela manhã e o dia 7, também pela manhã.

A Capitania dos Portos recomendou que, ao longo desse período, as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Fonte: https://g1.globo.com

Grupo cria horta comunitária para incentivar o consumo de alimentos orgânicos na Grande Natal

Horta orgânica produzida por grupo em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. — Foto: Lenilton Lima 

Incentivar o consumo de alimentos orgânicos sem agrotóxicos e ajudar pessoas. Foi com este objetivo que o grupo de cultura República das Artes, de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, criou uma horta comunitária. O projeto está de pé há poucas semanas e a ideia é que os alimentos produzidos no local sejam doados para entidades como lares de idosos, orfanatos, escolas e famílias carentes.

Segundo os organizadores, a ideia é antiga, mas o planejamento só começou há cerca de 5 meses. Pessoas da própria comunidade cuidam da plantação, que tem a adubação garantida pelos dejetos produzidos por animais. Em breve vai ser possível colher coentro. Cebolinha, alface, quiabo, pimentão, tomate e rúcula já estão devidamente plantados.

“ As sementes que usamos nos foram doadas. Já trabalhamos todo o terreno e agora conseguimos outro espaço para plantar mais. Mas nosso grupo cresceu e já encontramos dificuldades devido a falta de estrutura.”, explica Lenilton Lima, que é repórter fotográfico e presidente da República das Artes.

De acordo com ele, o objetivo vai além de fomentar o cuidado com a saúde, pois o foco é também despertar o sentimento de comunidade entre os participantes e, a partir disso, angariar adeptos. “Nosso objetivo é trabalhar o homem em sua realidade. Então a agricultura e criação de animais de subsistência para mim foi a melhor opção. Queremos, por exemplo, retirar pessoas do alcoolismo. Um membro do projeto está se afastando, pouco a pouco, do vício”, conta.

Na horta, não se usa qualquer agrotóxico, ou qualquer outro produto químico. Tudo é natural. O é preparado com fezes de uma cabra e de galinhas, misturadas a folhas, em um processo orgânico que dura cerca de três meses.

Tudo o que vem sendo produzido, ainda de acordo com ele, será doado. Mas a viabilidade das doações só será possível se parceiros se somarem. “Quanto à produção dos alimentos orgânicos produzido por nós, nesse primeiro momento vamos doar a algumas instituições. Lar de idosos, lar de crianças, colégios e famílias carentes. O objetivo é fazer o bem. Se conseguirmos apoio vamos continuar doando. Do contrário teremos que vender para dar sustentabilidade ao projeto,” conta Lenilton.

Quem quiser doar pode entrar em contato através do número (84) 98731-8500. Quem tiver interesse em conhecer a horta pode visitá-la no quintal da sede da República das Artes, número 112, Centro, em frente à Igreja Matriz de São Gonçalo do Amarante.

Fonte: