Archive for fevereiro 15th, 2020

Moro: “Não se resolve criminalidade abrindo as portas das cadeias

Moro: não há excesso de prisões preventivas
Foto da Agência Brasil

O ministro da Justiça, Sergio Moro, divulgou neste sábado (15), pelo Twitter, os números do sistema carcerário no Brasil. Segundo ele, é preciso, sim, melhorar os presídios e a forma como se reabilita os presos. “Mas não se resolve a criminalidade abrindo as portas das cadeias.”

De acordo com os dados do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), estão presas atualmente 773.151 pessoas no Brasil. “Número absoluto elevado”, admite o ministro em seu post. Mas, relativiza, não tão alto se colocado na proporção número de presos por 100 mil habitantes: 367,91 nessa escala.

“De todo modo, o único meio de diminuir o número de presos é diminuindo o número de crimes, não há outra alternativa.”

Moro detalhou ainda que 33% dos encarcerados do sistema nacional  cumprem prisão provisória (sem julgamento), percentual que considera baixo. “O Brasil possui menos presos provisórios do que Mônaco (56,3%), Suíça (42,2%), Canadá (38,7%), Bélgica (35,6%) e Dinamarca (35,5%), por exemplo.”

Bolsonaro diz que mandou condecorar Adriano em 2005 e afirma que, na época, o miliciano era um ‘herói’

Bolsonaro participa de inauguração da alça viária da Ponte Rio-Niterói Foto: Clauber Cleber Caetano/PR
Bolsonaro participa de inauguração da alça viária da Ponte Rio-Niterói Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

RIO E BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro comentou pela primeira vez, na tarde deste sábado, a morte do miliciano Adriano da Nóbrega, ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) do Rio, morto durante uma operação da Polícia Militar da Bahia no último domingo. Ele falou sobre o caso na inauguração de uma alça viária que liga a Ponte Rio-Niteroi à Linha Vermelha, na Zona Portuária do Rio. O miliciano  foi condecorado, em 2005, por um dos filhos do presidente, o então deputado estadual Flávio Bolsonaro, atualmente senador. Naquela ocasião, segundo disse Bolsonaro no Rio neste fim de semana, ele próprio pediu que Flávio homenageasse Adriano na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

– Para que não haja dúvida. Eu determinei. Manda pra cima de mim. Meu filho condecorou centenas de policiais militares. Vocês querem me associar a alguém por uma fotografia, uma moção há 15 anos atrás. As pessoas mudam, para o bem ou para o mal mudam. Não estou fazendo juízo de valor. Vamos esperar as investigações. Se bem que se for o padrão do porteiro da minha casa… – disse Bolsonaro, criticando as investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco.

Globo

Em meio a dúvidas sobre impacto econômico do Covid-19, OMS diz que coronavírus já deixou 1526 mortes

Resultado de imagem para coronavirus
Foto ilustrativa, da Internet

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, neste sábado (15), um novo boletim sobre a situação do coronavírus no mundo. Segundo o documento, já são 50.580 casos confirmados por exames de laboratório, sendo 50.054 na China. Até agora, foram 1.526 mortes, sendo 1.524 na China.

A OMS classifica a situação como uma epidemia dentro da China, avalia que o risco internacional ainda é alto e que é impossível dizer para onde os casos vão se espalhar. Enquanto a doença avança, autoridades da China e dos EUA já mostram preocupação e dúvidas sobre os impactos econômicos do Covid-19.

No balanço deste sábado, a OMS afirmou que 25 países apresentam algum caso de infecção pelo vírus. A morte registrada pela França ainda não foi contabilizada pelo documento da OMS.

G1