A deputada federal Tia Eron é precionada a trair o Brasil

Tia Eron diz que cumprirá com obrigação e votará no caso Cunha
tiaeron_voto_impeachment
Imagem de quando votou contra Dilma repercute para que vote em favor do Brasil; contra Cunha.

G1 – A deputada Tia Eron (BA) afirmou por meio de nota que cumprirá com sua obrigação e que teria apresentado voto no Conselho de Ética se a sessão desta terça-feira (7) do órgão não tivesse sido adiada. A sessão começou pouco antes das 9h30 e terminou por volta das 14h30. Durante esse período, ela permaneceu no gabinete da liderança do PRB, ao qual é filiada.

O partido é o mesmo do deputado Celso Russomano (PRB-SP) e do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), prováveis candidatos pelo partido, na eleição deste ano, às prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente

Dentre os 21 integrantes do Conselho de Ética, o voto de Tia Eron é considerado decisivo na votação do relatório que defende a cassação do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Com o adiamento, uma nova sessão do Conselho de Ética foi marcada para esta quarta.

O voto de Tia Eron, que ainda não manifestou publicamente a sua posição, é considerado decisivo porque, pelos cálculos de adversários de Cunha, se ela votar contra o relator, o placar deverá ficar em 11 votos contrários e 9 favoráveis ao presidente afastado. Esta hipótese leva à derrubada do parecer.

Se ela votar com o relator, o placar ficará empatado em 10 a 10, e o voto de minerva caberá ao presidente do conselho, José Carlos Araújo (PR-BA), que já disse ser a favor da cassação.

Segundo Tia Eron, a sessão desta terça, à qual não compareceu, não foi suspensa devido à ausência dela, mas porque o relator Marcos Rogério pediu vista (mais tempo para examinar) o voto em separado apresentado pelo deputado João Carlos Bacelar (PR-BA).

“Estou em Brasília, a postos para cumprir com minha obrigação no Conselho de Ética e, caso a sessão de hoje fosse para votação, teria apresentado meu voto”, afirmou na nota. “Estou convicta da grande expectativa que há em nosso País, referente a esta Representação, e não me furtarei a cumprir com meu dever”, complementou.