Aplicativo permite denúncias de locais com foco de dengue em Natal

Aplicativo de combate da dengue foi lançado pela Prefeitura de Natal — Foto: Divulgação 

Após identificar focos de dengues em terrenos baldios ou em uma caixa d’água, como um cidadão deve notificar os agentes de endemias sobre o perigo? Em Natal, a prefeitura lançou um aplicativo em que é possível fazer denúncias desse tipo. As informações vão parar em um mapa interativo do “Dengue Não”, que também visa combater a doença através de recomendações e jogos interativos.

A ferramenta foi lançada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) durante a Campus Party, que aconteceu de 16 a 18 de agosto na capital potiguar. Na ferramenta, é possível ter recomendações sobre os mitos e verdades da enfermidade e checar recomendações de boas práticas para não facilitar a reprodução do Aedes aegypti.

Além disso, a aplicativo conta com espaço para notificações de casos de dengue (com mapa interativo, espaço para denúncia e Ranking Dengue Não) e com boletim das arboviroses. Outras funções do aplicativo são os jogos educativos para diversas faixas etárias e espaço para conhecer e registrar seus sintomas.

Dentro do app, existe um ranking com pontuação e premiação para os usuários que usam a ferramenta. Para a criação do programa, a SMS envolveu vários setores com representantes.

Para o coordenador do programa Saúde na Escola, Rodolfo Lira, o ‘Dengue Não’ é uma estratégia de interação ágil, acessível e com “potencial de capilaridade”.

“O aplicativo é bem recente e continuará sendo aperfeiçoado e a inovação que essa ferramenta traz pode ser trabalhada de muitas formas pela saúde. Acho muito relevante a criação dessa ponte de interação e colaboração ágil e acessível da população com a gestão. Agora, nós partiremos para trabalhar esse app com a população, usando nas escolas e em ações da Prefeitura do Natal, como o Participa Natal. Estamos montando um planejamento para premiar os cidadãos destaques com honra ao mérito no combate do Aedes. Esses dados de sintomas irão nos ajudar a predizer surtos e agilizar o atendimento dos usuários”, afirma.

Depois de um cadastro inicial, se o usuário identificar focos de dengues em terrenos baldios ou em sua caixa d’água, por exemplo, ele deve ir no espaço “notifique” e inserir o endereço do local atingido enviando uma fotografia juntamente com os dados. Estas informações vão para um mapa interativo dentro do aplicativo. Dentre 7 a 15 dias o problema será apurado e resolvido. Também há a possibilidade de informar sintomas suspeitos de dengue e receber orientação quanto à procura de uma unidade de saúde.

O aplicativo “Dengue Não” já está disponível para aparelhos móveis com sistema operacional Android e futuramente também estará disponível para IOS. Existe também a possibilidade de acessar o aplicativo por computadores em sua versão Web, mas sem a opção de jogos.

Fonte: https://g1.globo.com