Assembleia Legislativa homenageou advogadas que atuam em defesa da mulher

As mulheres advogadas que partilham de um mesmo sonho e vontade de ajudar outras mulheres foram inspiradoras para a propositura da deputada estadual Cristiane Fernandes (Solidariedade), de sessão solene em homenagem ao Dia da mulher advogada. A cerimônia aconteceu nesta terça-feira (27), no plenário deputado Clóvis Motta, da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

Além da passagem das comemorações em torno do dia do Advogado, celebrado no último dia 11 de agosto, as advogadas potiguares também têm uma data exclusiva para elas: o dia estadual da mulher advogada, celebrado na passagem do 30 de maio, “data assegurada por meio de lei por significar a representação da primeira mulher inscrita na Ordem dos Advogados, Seccional Rio Grande do Norte”, conforme deputada Cristiane Dantas.

“Na dimensão política, encaro a atuação destas nobres militantes da advocacia para a defesa das mulheres como uma contribuição para uma cultura jurídica e social que nos liberte da opressão sexista. Através da prática da empatia e da escuta, também é preciso falar que a cultura de violência doméstica no judiciário é institucional. Por isso, a atuação profissional de quem age em defesa delas, de nós mulheres, nestes tempos atuais e futuros, é imprescindível”, discursou a deputada propositora.

Para a advogada Joana D’arc Lopes da Silva, foi uma grande responsabilidade falar sobre a atuação com foco em defesa das mulheres. “Nada mais posso expressar senão meu muito obrigada pela honra de representar as mulheres que hoje têm os seus trabalhos reconhecidos. Não resta mais dúvidas, a partir de hoje somos feministas para todo mundo saber. A mim, em particular, isso soa como liberdade. O feminismo trata de um termo que permeia a moda social, mas o feminismo é uma luta coletiva, então diz respeito a todas as mulheres, a todas nós. Não à toa, raras entre nós temos consciência de que muito tempo estivemos excluídas da vida política e acadêmica. Mulheres no mundo todo são vítimas de violência física, verbal, sexual, psicológica e patrimonial. Diante deste contexto fático cruel, alguma entre nós diria não ser feminista se necessário em defesa dessas mulheres?”, disse.

Homenageadas

Disiane de Fátima Araújo da Costa
Elisângela Christinne Lima Leite Duarte
Jeanine Ebert
Joana D’arc Lopes da Silva
Luciana da Silveira Bezerra
Marcela Martins de Vasconcelos
Margareth de Brito Gondim
Nadja Caroline Gurgel
Sheila Maria Freitas de Souza Fernandes e Melo

 

Assessoria

Leave a Comment