Audiência Pública em Currais Novos: pela defesa dos jovens e da cultura

Direito dos jovens à cultura, à ocupação dos espaços públicos, de fazer e ser protagonista da sua história. Além deste, o financiamento cultural e ações concretas de fortalecimento. Estas foram algumas das bandeiras proclamadas durante a audiência pública que a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte realizou nesta sexta-feira (5), em Currais Novos. O debate foi uma iniciativa conjunta da deputada Isolda Dantas (PT) e da vereadora Tércia Leda (PT) e aconteceu na Câmara Municipal, que ficou lotada com a presença de jovens, educadores e representantes das instituições e movimentos culturais.

“Estamos vivendo uma verdadeira perseguição aos valores democráticos e a uma educação democrática. A gente sofre ataques, seja do ponto de vista do investimento, da liberdade dos profissionais da educação ou de valores. É um retrocesso ouvir absurdos como os que o ministro da Educação falou, sobre uma educação que deveria ser libertadora. Não podemos nos silenciar diante disso e devemos avançar no debate, por isso que trouxemos essa discussão para Currais Novos, uma cidade que respira cultura e é mais do que propícia para começarmos esse debate de organização e resistência”, afirmou a deputada Isolda Dantas.

A parlamentar chamou a atenção para a situação da juventude da periferia e destacou o movimento cultural local Batalha no Gueto. “Aqui em Currais Novos esses jovens têm nos ensinado todos os dias que a juventude tem o seu jeito de se organizar e nós temos o dever de respeitar, porque a juventude é hoje, não é amanhã. É o presente, não é somente no futuro, e o objetivo dessa  audiência é porque esses dois temas são coisas que precisam ser valorizadas e respeitadas. Nós que estamos no Legislativo temos que ter a capacidade não só de respeitar, mas de valorizar, fortalecer e dizer o que está ao nosso alcance para que essa juventude viva e siga em frente”, alertou Isolda.

Na abertura do debate os jovens já deram o seu recado com as apresentações dos integrantes do Batalha no Gueto, movimento cultural de grande performance local.

O prefeito Odon Júnior (PT) participou do debate e alertou que muitos grupos da sociedade civil não conseguem perceber a importância da cultura: “Há pressões de vários níveis, mas a Batalha do Gueto resiste e quero me colocar à disposição para apoiá-los. A sociedade de Currais Novos tem que saber o que é esse movimento e o que eles representam. Qual é o seu papel para que os jovens possam sair das drogas e construir o seu caminho a partir da cultura”, afirmou o prefeito.

Odon Júnior citou que a prefeitura continuará investindo no Fundo da Infância e da Adolescência, que disponibiliza um aporte de R$ 100 mil anuais no financiamento da cultura, educação e esportes. De acordo com o gestor, essa política de incentivo vem dando tão certo que contribui para que o município tenha um dos mais baixos índices de criminalidade quando comparado a outros municípios.

Representando o governo estadual através da Fundação José Augusto (FJA), Fábio Henrique reafirmou a disposição do governo de estabelecer parcerias com os artistas e fazedores de cultura a fim de intensificar a presença da Fundação na cidade. “Seja através das Casas de Cultura, seja por outros meios, a cultura é prioridade e o governo está fazendo um grande esforço, principalmente para pagar os servidores e a partir de julho pretendemos retomar as nossas atividades”, afirmou.

Falando em nome deputada federal Natália Bonavides (PT), sua assessora, Márcia Melo, colocou o mandato à disposição para o apoio às políticas públicas de apoio à cultura. “Acreditamos que a política de cultura tem que passar pela política pública de Estado. Reafirmamos também que combatemos qualquer ataque à juventude”, disse.

As vereadoras Zefinha Moura e Leilza Palmera também endossaram seu compromisso.

Na ampliação do debate, a ativista cultural Marília Gabriela, da Batalha do Gueto, afirmou que os movimentos como o que participa se propõem a preencher minimamente as lacunas que o poder público deixa. “A Batalha do Gueto cumpre um papel fundamental na vida desses jovens, seja no cinema às segundas-feiras, seja na Batalha do Cristo às terças. Temos a oficina de rima, além de várias atividades que envolvem o dia a dia de nossos jovens. A juventude da periferia, por mais que não entenda a importância da política, é a que mais precisa de políticas públicas e desse olhar que estamos tendo aqui”, disse.

Marcos Vinícius da Silva, mais conhecido como Garibaldinho do Seridó, reforçou a importância do debate. “Essa audiência só contribui para enriquecer os movimentos culturais”, disse.

Durante o debate, os participantes foram surpreendidos pelo garoto Gabriel, um menino de Florânia que subiu à tribuna e fez um alerta sobre o descaso com o patrimônio arquitetônico do município. “Precisamos de políticas públicas que previnam o desgaste do patrimônio, mesmo que seja proibindo uma mudança na fachada, já é uma grande mudança”, reivindicou.

Como um dos encaminhamentos e resposta ao alerta, a deputada se comprometeu em apresentar um projeto propondo o tombamento do Casarão dos Italianos, em Florânia.

Assessoria