Author: Foto Repórter

Suspeito de falsificar notas ficais de 400 ‘cinquentinhas’ é preso no RN

Loja JPL Motos foi alvo da operação Roper, realizada nesta sexta-feira (9) em Mossoró (Foto: César Filho/Mossoró Notícias)
Loja JPL Motos foi alvo da operação Roper, realizada nesta sexta-feira (9) em Mossoró (Foto: César Filho/Mossoró Notícias)

Policiais civis da Delegacia Especializada em Defraudações de Mossoró, na região Oeste potiguar, realizaram uma operação na manhã desta sexta-feira (9) e prenderam o proprietário da loja JPL Motos. Segundo o delegado José Vieira, o empresário José Paz Lira é suspeito de fraudar notas fiscais de pelo menos 400 ciclomotores, como são chamados os veículos com até 50 cilindradas.

Computadores, documentos e até munições foram apreendidos. Após receber voz de prisão, o dono da loja passou mal e foi levado para o hospital.

Ao G1, o delegado revelou que o empresário começou a fraudar os documentos depois que as notas fiscais passaram a ser exigidas para o emplacamento das ‘cinquentinhas’. “Ele será autuado por sonegação fiscal, estelionato e falsificação de documento público”, acrescentou.

Ainda de acordo com o delegado, a operação foi batizada de ‘Roper’ e é fruto de 8 meses de investigação. O nome é uma alusão ao americano Sylvester Roper, que ao lado do francês Louis Perreaux fabricaram, em 1869, uma bicicleta com motor a vapor. O veículo é considerado precursor das cinquentinhas.

Do G1RN

Ezequiel propõe ações de Segurança e Educação para o Trairi e região Central

unnamed

Segurança e educação, áreas de permanente preocupação do mandato do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), são contempladas com requerimentos apresentados pelo deputado nesta semana. As medidas solicitadas são direcionadas para os municípios de Pedra Preta e Tangará, localizados, respectivamente, nas regiões Central e Trairi.

“Esses pleitos são de grande expectativa e anseio da população em relação à segurança pública. O nosso objetivo é de conter a criminalidade no município de Pedra Preta através dessas ações sugeridas”, justifica Ezequiel Ferreira.

Os três requerimentos da área de segurança foram para Pedra Preta. As medidas visam o aumento do efetivo policial militar e melhores condições de trabalho para a Polícia Militar, a disponibilidade de uma nova viatura policial e a recuperação geral da delegacia do município. O objetivo é assistir uma população com 2.568 mil habitantes (IBGE/2015).

O quarto requerimento solicita a inclusão da cidade de Tangará, na relação dos municípios contemplados com o programa Vale – Livros 2016. O programa estabelece que 40% dos recursos devem ser investidos em livros de autores potiguares, valorizando a cadeia produtiva e criativa do Estado.

“Ação em perfeita sintonia com a Lei de minha autoria que instituiu o dia 08 de setembro como o Dia Estadual do Livro Infantojuvenil. Visa valorizar a leitura e promover a divulgação do escritor potiguar”, disse Ezequiel Ferreira.

Os livros serão adquiridos pelas próprias escolas e destinados aos acervos de suas bibliotecas. Em todo o Estado mais de 250 mil alunos do Rio Grande do Norte serão beneficiados com o programa.

Assessoria

Campanha de vacinação antirrábica começa neste sábado (10)

vacina_antirabica_d-5g-1

A Secretaria de Saúde de Natal (SMS) realiza neste sábado (10) o ‘Dia D’ da Campanha Nacional de Vacinação contra a Raiva. Ao todo, serão 112 postos de vacinação espalhados pelas quatro regiões da cidade. Os postos estarão abertos das 8h às 17h. A previsão da SMS é que 742.555 animais, sejam imunizados, sendo 530.638 cães.

No RN, o último caso de raiva humana ocorreu em 2010, mas são registrados, anualmente, em média 27 casos de raiva animal diagnosticados laboratorialmente. O caso de raiva humana de 2010 teve como animal transmissor um morcego, animal que é o mais acometido pela doença (52,82%). Em 2016, dos 14 casos diagnosticados no estado, 10 ocorreram em morcegos.

A recomendação da Secretaria Municipal de Saúde é de que somente sejam imunizados cachorros e gatos com mais de três meses. Animais doentes ou fêmeas que estejam prenhes não devem ser imunizados até que estejam saudáveis ou tenham dado cria. Os cachorros devem ser transportados com guias e os mais ferozes devem estar de focinheira. Gatos devem ser levados em caixas específicas ou presos adequadamente.

Este ano, a campanha foi iniciada em 16 de julho, atendendo áreas de difícil acesso, pessoas com mais de cinco animais, áreas onde houve casos de raiva em morcegos, condomínios e regiões da Grande Natal. A campanha termina no dia 10 de outubro.

A SMS informa que para a vacinação dos acumuladores de animais e condomínios, os responsáveis devem solicitar ao CCZ agendamento.

Motorista que arrastou moto por 2 Km paga fiança e é solta em Natal

carro_AuSAII6
Após a colisão, professora continuou dirigindo e arrastou a moto por quase dois quilômetros (Foto: PM/Divulgação)

A professora de 35 anos que arrastou uma moto por 2 Km após uma batida na noite desta quarta-feira (7), em Natal, foi solta pela Justiça. Na tarde desta quinta-feira (8), a mulher passou por uma audiência de custódia, onde foi estabelecida uma fiança de R$ 3.080. Durante a audiência, a mulher assumiu que ingeriu bebida alcoólica antes do acidente.

Em depoimento, a professora declarou que bebeu duas cervejas antes de causar o acidente com o motociclista. Além disso, ela também disse fazer uso de diversos medicamentos.

O Ministério Público pediu que fosse concedida a liberdade a professora. No entanto, pediu que além da homologação da prisão em flagrante fossem aplicadas medidas cautelares. O parecer do MP foi aceito pela defesa.

Na decisão, o juiz Henrique Baltazar, responsável pelo caso, decidiu pela homologação da prisão em flagrante e estabeleceu medidas cautelares. Além do pagamento da fiança, a professora fica obrigada a comparecer periodicamente em juízo, no prazo e nas condições fixadas pelo juiz, para informar e justificar atividades e terá que informar qualquer mudança de endereço.

 Do G1RN

Após tentar matar PM no RN, suspeito é morto ao trocar tiros com o GTO

gto
Grupo Tático de Operações é uma unidade de elite da PM (Foto: GTO/PM)

Um soldado da Polícia Militar levou um tiro no peito durante uma tentativa de homicídio ocorrida na noite desta quinta-feira (8) no município de Francisco Dantas, na região Oeste potiguar. O suspeito do crime, que posteriormente entrou em confronto armado com policiais do Grupo Tático de Operações (GTO), também acabou baleado. Ele ainda foi socorrido a um hospital da região, mas morreu antes de ser atendido.

Comandante do policiamento militar na região, o major Davi Alves Cavalcanti relatou ao G1que o soldado Walter estava ao lado dos pais, sentado na calçada de casa, quando um homem se aproximou em uma motocicleta e começou a atirar. O PM reagiu, mas acabou sendo baleado no peito. “O policial foi socorrido para o hospital, mas graças a Deus não corre risco de morte”, acrescentou.

Já o criminoso, que pouco tempo depois foi localizado na zona rural de Pau dos Ferros, se envolveu em um novo confronto ao atirar contra a guarnição do GTO. “Ele atirou duas vezes contra a viatura. Um dos tiros atingiu a lataria do carro e outro pegou na coronha da arma de um dos policias. No revide, o suspeito foi atingido por um disparo e, infelizmente, não sobreviveu”, acrescentou o comandante.

O suspeito morto foi identificado como Francisco Marcos Teixeira de Queiroz, de 28 anos.

Do G1RN

Teori vê tentativa da defesa de Lula de ‘embaraçar apurações’ da Lava Jato

Foto de google
Foto de google

Mariana Oliveira da TV Globo (G1), em Brasília

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou, em decisão na qual negou um pedido de Luiz Inácio Lula da Silva, que o recurso apresentado pelo ex-presidente é “mais uma das diversas tentativas da defesa de embaraçar as apurações” da Operação Lava Jato.

Teori Zavascki rejeitou ação que questionava a atuação do juiz Sérgio Moro, responsável pelo caso no Paraná, e pedia que três inquéritos que estão em Curitiba fossem suspensos e enviados à Suprema Corte. A decisão é da última terça-feira (6), mas a íntegra ainda não havia sido disponibilizada no sistema do STF.

Na decisão de sete páginas, o ministro lembra outra ação apresentada pela defesa contra a atuação de Moro sob o argumento de que o juiz teria mantido sob seu controle interceptações telefônicas de autoridades com foro privilegiado. Para Teori Zavascki, trata-se de “insistência do reclamante”, ou seja Lula, em dar “contornos de ilegalidade, como se isso fosse a regra” aos atos do juiz de primeira instância.

O ministro frisou que o STF tem “amplo conhecimento” sobre os processos que tramitam sobre a Lava Jato e as fraudes na Petrobras.

“Apesar de esses argumentos serem objeto de análise naqueles autos, tal quadro revela a insistência do reclamante em dar aos procedimentos investigatórios contornos de ilegalidade, como se isso fosse a regra. Nesse contexto, é importante destacar que esta Corte possui amplo conhecimento dos processos (inquéritos e ações penais) que buscam investigar supostos crimes praticados no âmbito da Petrobras, com seus contornos e suas limitações, de modo que os argumentos agora trazidos nesta reclamação constituem mais uma das diversas tentativas da defesa de embaraçar as apurações”, afirmou o ministro.

A defesa de Lula, por meio de nota assinada pelo advogado Cristiano Zanin Martins, disse que o próprio STF, em outras ocasiões, já reconheceu erros na atuação da primeira instância. A nota afirmou ainda que todo cidadão tem o direito de entrar com recursos na Justiça para contestar “procedimentos investigatórios que ostentam clara perseguição pessoal e política”(veja ao final desta reportagem a íntegra da nota da defesa).

“O STF, por meio de decisões do Ministro Teori Zavascki, já reconheceu ilegalidades praticadas pelo juiz Sergio Moro na condução da Operação Lava Jato, inclusive em relação ao ex-Presidente Lula. Isso ocorreu, por exemplo, no tocante à autorização dada por Moro para a divulgação de conversas interceptadas envolvendo Lula e, ainda, no tocante ao monitoramento dos advogados do ex-presidente”, afirmou a defesa de Lula.

Mais tarde, em nova nota, os advogados de Lula criticaram o comentário feito pelo relator da Lava Jato no despacho. Na avaliação dos defensores, é “profundamente preocupante” que o exercício do direito de defesa possa ser interpretado pela Suprema Corte como “entrave” às investigações.

“É profundamente preocupante que o exercício do direito constitucional de defesa, com combatividade e determinação, possa ser encarado na mais alta Corte de Justiça do País como fator de entrave às investigações ou ao processo. A Constituição quer defesa efetiva e ampla e não meramente formal ou retórica. Negar tal garantia representa inominável
agressão ao direito de defesa”, escreveram os advogados.

Recurso
Conforme a reclamação protocolada pela defesa no STF, Lula é alvo de apurações sobre os mesmos fatos no Supremo e em Curitiba. No Paraná, ele é tratado como “arquiteto” do esquema criminoso que atuava na Petrobras. Em pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que Lula seja incluído no inquérito no STF que investiga se existiu uma organização criminosa na Petrobras, a defesa afirmou que o procurador disse que o esquema “jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Lula dela participasse”.

Os advogados de Lula negaram as suspeitas do envolvimento do ex-presidente, mas disseram que as apurações tratam de “fatos idênticos”, o que é proibido pelo princípio do “bis in idem”, segundo o qual ninguém pode ser duplamente punido ou processado pelo mesmo ato.

Na avaliação de Teori Zavascki, a defesa não tem razão porque o próprio juiz Sérgio Moro frisou que não ultrapassou os limites de sua atuação porque ainda não há em nenhuma das apurações a delimitação dos fatos, o que só ocorre quando há uma denúncia oferecida, o que não aconteceu por enquanto.

“Não prospera a insurgência. Na decisão ora questionada, o magistrado de primeiro grau não admitiu as exceções de incompetência opostas pelo reclamante, sob o fundamento de que, ‘antes do oferecimento da denúncia, não se tem o objeto da imputação que é exatamente o que definirá a competência do juízo’. (…) Com se vê, aquela autoridade não emitiu qualquer juízo acerca da tipificação penal das condutas que seguem em investigação nos procedimentos objeto desta reclamação, não sendo suficiente, para justificar a viabilidade da ação constitucional”, disse o ministro.

Teori frisou que, no pedido para incluir Lula em um dos inquéritos da Lava Jato no STF, o procurador-geral só o fez em relação a suspeitas de organização criminosa e que, por isso, outros fatos sobre possível recebimento de vantagem indevida podem ficar no Paraná.

“De fato, em análise do ato reclamado, conclui-se que, apesar de os fatos investigados no Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Inq 3.989, possuírem correlação com aqueles que são objeto de investigação perante a 13ª Vara Federal de Curitiba, não houve demonstração da usurpação, pela autoridade reclamada, da competência desta Corte, tendo em vista que agiu conforme expressamente autorizado”, destacou Zavascki.

Leia a íntegra da nota divulgada pela defesa de Lula:

Esgotados os remédios legais e o direito de defesa

Em relação à decisão proferida em 05/09/2016 pelo Ministro Teori Zavaschi, do STF, nos autos da Reclamação nº 25.048, os advogados do ex-Presidente Luiz Inácio Lula das Silva esclarecem que:

1 – O STF, por meio de decisões do Ministro Teori Zavascki, já reconheceu várias ilegalidades praticadas contra o ex-Presidente Lula na condução da Operação Lava Jato pelo juiz da 13ª. Vara Federal Criminal de Curitiba. Isso ocorreu, por exemplo, no  tocante à autorização dada por aquele magistrado para divulgar de conversas interceptadas de ramais usados por Lula e, ainda, relativamente ao monitoramento de alguns dos advogados do ex-Presidente.

2 – Lula, como qualquer cidadão, tem o direito de usar dos recursos processuais previstos na legislação para impugnar quaisquer decisões judiciais, inclusive as que estão sendo proferidas no âmbito de procedimentos investigatórios nos quais está a sofrer clara perseguição pessoal e política. É profundamente preocupante que o exercício do direito
constitucional de defesa, com combatividade e determinação, possa ser encarado na mais alta Corte de Justiça do País como fator de entrave às investigações ou ao processo. A Constituição quer defesa efetiva e ampla e não meramente formal ou retórica. Negar tal garantia representa inominável agressão ao direito de defesa.

3 – É notório que Lula tem sido vítima de diversas e gravíssimas ilegalidades perpetradas naquele juízo paranaense, o que explica o comunicado feito em julho à ONU.

Hermano Morais se solidariza com bancários em greve

unnamed (9)

O deputado Hermano Morais (PMDB) manifestou, durante sessão ordinária desta quinta-feira (8), apoio à greve dos bancários, deflagrada na última terça-feira (6). O deputado é bancário licenciado e se solidarizou com os grevistas, por estarem enfrentando dificuldades no trabalho.

“Período de greve é sempre desgastante tanto para os usuários como para os bancários, mas o mês de setembro é voltado para as negociações e entendimentos na busca de soluções para atender minimamente o setor bancário. A categoria busca o diálogo para evitar o movimento paredista”, disse Hermano.

O parlamentar criticou a falta de sensibilidade e respeito dos banqueiros, que na sua avaliação “são detentores do capital próprio e de terceiros, além de movimentarem toda a questão financeira e todo capital”.

Hermano disse que a greve nacional é a resposta da categoria à proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentada no último dia 29 de agosto, de reajuste de 6,5% no salário, na Participação de Lucros e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. “A oferta não cobre, sequer, a inflação do período, projetada em 9,57%. Os banqueiros se recusam a pagar um salário justo”, falou Hermano.

O deputado reforçou que nesta sexta-feira (9) a categoria vai se reunir em assembleia e espera que haja evolução na negociação. Ainda durante o pronunciamento, Hermano Morais fez um convite para participar da sessão solene, que acontecerá amanhã (9), na Assembleia Legislativa, em homenagem a um ano de existência do Conselho Regional de Educação Física, no Rio Grande do Norte.

Projeto estabelece cobrança de tarifa fracionada e proporcional em estacionamentos

unnamed (8)

Fica assegurada aos consumidores usuários de estacionamentos privados de veículos, localizados no Estado, a cobrança proporcional ao tempo de permanência do veículo, devendo o serviço ser calculado de acordo com a fração de hora utilizada, sem prejuízo dos demais direitos em face aos prestadores do serviço. Isso é o que registra o artigo primeiro de Projeto de Lei de autoria do deputado Jacó Jácome (PSD) que estabelece a cobrança de tarifa fracionada e proporcional nos estacionamentos privados.

“O Projeto tem como objetivo resguardar o direito dos consumidores, constantemente submetidos às práticas abusivas por parte dos proprietários de estacionamentos, que teimam em lesar os cidadãos com a cobrança da hora cheia ou valor integral da tarifa de estacionamento, mesmo quando não utilizado” justifica o parlamentar.

De acordo com o deputado Jacó a prática da tarifa fracionada e proporcional já é adotada em várias capitais brasileiras, cujos Tribunais de Justiça reconhecem a constitucionalidade da lei, pleiteada pelos cidadãos aos representantes das Casas Legislativas dessas cidades.

“O Projeto de Lei que apresentamos não se trata de uma invasão de competência ou interferência no princípio da livre iniciativa, sequer uma regulação do Estado na economia, mas proteção e defesa ao direito do consumidor”, ressalta o deputado.

Pelo Projeto, o cálculo do serviço de estacionamento deverá ser feito de acordo com a efetiva permanência do veículo, sendo que deverá constar em local apropriado e de fácil acesso e visão, o valor da cobrança atribuído a cada quarto de hora, bem como o valor atribuído a cada hora integral e o período mínimo de carência.

Professora é presa após bater carro e arrastar moto por 2km em Natal

Após a colisão, professora continuou dirigindo e arrastou a moto por quase dois quilômetros (Foto: PM/Divulgação)
Após a colisão, professora continuou dirigindo e arrastou a moto por quase dois quilômetros (Foto: PM/Divulgação)

G1 – Uma professora de 35 anos se envolveu em um acidente atípico na noite desta quarta-feira (7) na Zona Leste de Natal. Após colidir o carro em que estava em uma motocicleta, ela continuou dirigindo e a arrastou por quase dois quilômetros. O condutor da moto, que saltou do veículo no momento da batida, sofreu apenas arranhões.

A mulher foi autuada por embriaguez ao volante, resistência à prisão e desacato. Está presa, e aguarda uma audiência de custódia para saber se continua detida ou se espera o desenrolar do processo em liberdade.

O vídeo acima foi gravado pelo celular de um homem que acompanhou a motorista enquanto ela arrastava a moto pela Av. Hermes da Fonseca, uma das mais movimentadas da cidade. A filmagem mostra parte do trajeto que a mulher percorreu até parar o carro em um posto de combustíveis. No caminho, ela ainda cruza um sinal vermelho e roda um bom tempo sobre uma faixa exclusiva para ônibus. A gravação, que tem mais de 2 minutos, já começa com o carro em movimento.

Veja vídeo!

O caso foi parar na delegacia. Segundo o policial civil Fávio Soares, da Delegacia de Plantão da Zona Sul, há relatos de que a batida aconteceu na Av. Alexandrino de Alencar, nas proximidades do antigo Hotel Tirol, de onde a professora seguiu com a moto enganchada na frente do carro. Do ponto da colisão até o posto, que fica na Av. Hermes da Fonseca, são quase dois quilômetros de distância.

A mulher se recusou a fazer o teste de bafômetro, mas foi autuada por apresentar sinais claros de embriaguez. Além disso, também foi autuada por resistência à prisão e desacato. O policial disse que parentes da professora foram à delegacia e relataram que ela tem problemas psiquiátricos, depressão e toma remédio controlado.

Ezequiel Ferreira requer benfeitorias para Nova Cruz

unnamed (7)

Provocado pela comunidade de Nova Cruz, na região Agreste do Estado, localizada a 93 quilômetros de Natal, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) solicitou ao Governo do Estado uma nova viatura policial, um veículo tipo ambulância, a inclusão o município no programa “Defensoria na Comunidade” e a pavimentação e drenagem de ruas do município.

“São ações nos setores de segurança e saúde pública. Carências ainda presentes na comunidade de Nova Cruz. Também solicitei a inclusão da cidade no programa itinerante do Governo do Estado que promove a cidadania em parceria com diversas instituições, o Defensoria na Comunidade”, explica Ezequiel Ferreira, que também busca a pavimentação e drenagem de ruas para Nova Cruz, mediante convênio entre Governo e o município.

Para justiçar o pleito, o deputado levou em consideração que a falta de pavimentação e drenagem em ruas urbanas prejudicam e dificultam o tráfego e o acesso dos moradores. “O Governo do Estado precisa levar investimentos como drenagem e pavimentação de ruas no interior, que irão contribuir para valorização dos imóveis e para integração da comunidade. A realização de parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal leva para os municípios infraestrutura necessária, principalmente para as comunidades mais carentes e demonstra a participação que o Governo está fazendo em parceria com os municípios distribuindo recursos e investindo na infraestrutura”, salienta.

William Bonner quer deixar o ‘JN’ e migrar para o entretenimento

AAiAUQk.img

Após muitas polêmicas envolvendo Fátima Bernardes e William Bonner, agora tudo indica que realmente há possibilidade do jornalista deixar o “Jornal Nacional”.

Segundo o colunista Ricardo Noblat, o jornalista está cansado de apresentar o principal telejornal da Globo — e do Brasil — há 20 anos. Bonner assumiu a bancada do “JN” em 1996.

Internamente, o âncora já manifestou a vontade de sair do jornalismo e migrar para o entretenimento, exatamente como fez a sua ex-esposa, Fátima Bernardes, que comanda o “Encontro” desde junho de 2012.

Caso mude de área na Globo, William Bonner poderá fazer merchandisings. A ideia do profissional é ampliar o próprio salário.

Nos bastidores há rumores que indicam que Evaristo Costa, do “Jornal Hoje”, e Rodrigo Bocardi, do “Bom Dia São Paulo”, são os mais cotados para assumir a vaga de Bonner no “Jornal Nacional”.

Fonte: http://www.msn.com

Veja a agenda desta quinta (8) dos candidatos à Prefeitura de Natal

b86894eabb5193d980339d680f3b2ee1-e1454021395706

Confira a agenda desta quinta-feira (8) dos sete candidatos a prefeito de Natal.

Robério Paulino (PSOL)
10h30 – Entrevista para rádio.
15h – Entrevista para TV.
18h – Reunião assuntos de campanha.

Rosália Fernandes (PSTU)
6h30 – Faz panfletagem no bairro do Tirol, nas proximidades do Hospital João Machado.
8h – Corpo a corpo e panfletagem na Rua Dr. Nilo Bezerra Ramalho, no Tirol, nas proximidades da Unicat.
09h – Faz panfletagem na Av. Alexandrino de Alencar, nas proximidades do Centro de Reabilitação Infantil (CRI).
10h30 – Participa de mobilização em apoio à greve dos bancários, em frente à agência do Banco do Brasil da Av. Rio Branco, na Cidade Alta.
12h50 – Concede entrevista a rádio.

Carlos Eduardo (PDT)
9h – Compromissos administrativos.
16h – Encontro na CDL/RN.
19h – Reunião com coordenação de campanha.

Fernando Mineiro (PT)
O candidato viaja para São Paulo.

Freitas Júnior (Rede Sustentabilidade)
9h – Reynião equipe de produção.
14h – Grava programa eleitoral.
17h – Reunião com Executiva estadual.
20h – Bate-papo com eleitores.

Kelps Lima (Solidariedade)
8h30 – Entrevista a rádio.
9h – Mestrado em Políticas Públicas UFRN.
11h30 – grava entrevista para o programa da web.
14h – Reunião com equipe do plano de Governo (futuros secretários caso Kelps vença a eleição).
15h30 – Mestrado em Políticas Públicas na UFRN
19h – Reunião com eleitores.

Márcia Maia (PSDB)
10h – Concede Entrevista a rádio.
11h – Sessão Ordinária na Assembleia Legislativa.
15h – Participa de reunião na CDL para apresentar Programa de Governo.
19H – Reunião com moradores do Loteamento Dom Pedro I.
20h – Reunião moradores de Lagoa Nova e candidato a Vereador Rochinha.

Dois são mortos e um ferido a tiros durante bebedeira em Nova Cruz, RN

b86894eabb5193d980339d680f3b2ee1-e1454021395706

Dois jovens, um de 18 e outro de 19 anos, foram mortos a tiros na noite desta quarta-feira (7) em um bar na cidade de Nova Cruz, a aproximadamente 100 quilômetros de Natal. Um terceiro rapaz, que participava da bebedeira, também foi baleado e socorrido para a capital. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele. Ninguém foi preso.

Segundo informações do Instituto Técnico de Perícia (Itep), os mortos foram identificados como Carlos Henrique Gomes do Nascimento e Ronielisson Salustiano Pinheiro. De acordo com a Polícia Militar, o bar onde o trio foi alvo dos tiros fica na rua Egídio Inácio Pereira, em frente ao Crural do Gado, como é mais conhecido o antigo parque de vaquejada da cidade.

A polícia também informou que já tem informações sobre os autores dos disparos e que faz buscas na tentativa de prender os assassinos.

Do G1RN

Potiguar Clodoaldo Silva acende pira em cerimônia paralímpica

clodoaldo

Alguns dos maiores nomes do esporte paralímpico nacional estiveram presentes na cerimônia de abertura na noite de hoje (7), no Maracanã. O nadador brasileiro Daniel Dias surgiu em um vídeo, atravessando uma piscina projetada no centro do estádio. No entanto, a maior honraria coube a outro nadador. Clodoaldo Silva foi o responsável por acender a pira.

Um dos grandes nomes do esporte paralímpico brasileiro na atualidade, Daniel Dias já compete amanhã (8). Outra presença da delegação brasileira prevista era a velocista Terezinha Guilhermina. Muito celebrada pelo público presente, Terezinha seria responsável pelo juramento dos atletas, mas essa parte do protocolo foi feita pelo nadador Felipe Rodrigues. Junto com Felipe, estava Amaury Veríssimo, treinador da equipe brasileira de atletismo, e a árbitra de bocha, a brasileira Raquel Daffre de Arroxellas. Além de árbitra, ela é mestre em distúrbios do desenvolvimento.

Uma das grandes perguntas da cerimônia de abertura estava na identidade de quem acenderia a pira paralímpica. Clodoaldo Silva foi o escolhido. O nadador brasileiro, que faz sua última Paralimpíada no Rio de Janeiro, coleciona 13 treze medalhas em quatro edições dos jogos. Clodoaldo recebeu a chama de Ádria Santos, velocista recém-aposentada e atualmente subprefeita da Vila Paralímpica.

Com a tocha em mãos, o nadador aproximou-se da escadaria que dava acesso à pira e olhou para o público, como se perguntasse como subiria com sua cadeira de rodas. Então, a escadaria se abriu e transformou-se em uma rampa e Clodoaldo pode chegar à pira, igual à usada nos Jogos Olímpicos.

De Robson Pires

A incrível confissão que pôs fim ao mistério do desaparecimento de um menino há 27 anos

O sumiço de Jacob Wetterling em 1989 fez com que os Estados Unidos mudassem as leis de registro de criminosos sexuais (Foto: Familia Wetterling)
O sumiço de Jacob Wetterling em 1989 fez com que os Estados Unidos mudassem as leis de registro de criminosos sexuais (Foto: Familia Wetterling)

G1 – Jacob Wetterling, de 11 anos, foi sequestrado quando andava de bicicleta na zona rural de Minnesota, nos EUA. Vinte sete anos depois de seu desaparecimento, seu corpo foi encontrado e o assassino, um pedófilo que colecionava pornografia infantil, confessou o crime.

Desde que Jacob foi levado por um homem mascarado e armado, em outubro de 1989, ninguém nunca havia sido preso ou processado pelo crime. Seu desaparecimento, contudo, causou grande comoção no Estado e provocou mudanças nas leis de registro de criminosos sexuais nos EUA.

Danny Heinrich, de 53 anos, inicialmente havia sido identificado pela polícia como “uma pessoa de interesse”, que poderia ajudar a desvendar o sequestro de Jacob, cujo corpo foi localizado no fim de semana.

Danny Heinrich, de 53 anos, confessou ter sequestrado, abusado e matado Jacob enquanto era julgado por manter em casa uma coleção de imagens de pornografia infantil  (Foto: AP)
Danny Heinrich, de 53 anos, confessou ter sequestrado, abusado e matado Jacob enquanto era julgado por manter em casa uma coleção de imagens de pornografia infantil (Foto: AP)

Nesta terça-feira (6), durante um julgamento em que respondia a acusações de possuir imagens de pornografia infantil, Heinrich confessou ter sequestrado e matado o garoto.

Ele revelou detalhes de como levou, abusou e matou Jacob. Ele também se declarou culpado pela outra acusação.

A confissão
A imprensa local descreveu o depoimento de Heinrich como “estarrecedor”.

Diante de um juiz e de um auditório lotado, onde estavam presentes os pais de Jacob, Heinrich, ao ser perguntado se tinha alguma relação com o crime ocorrido há 27 anos, decidiu contar como tudo aconteceu.

Jacob andava de bicicleta com o irmão e um amigo numa estrada da zona rural próximo onde morava, no Minnesota. Usando uma máscara e armado com um revólver, Heinrich abordou os três garotos. O agressor pegou Jacob e mandou os outros dois garotos correrem sem olhar para trás.

Enquanto os meninos fugiam, ele algemou Jacob e o colocou no carro.

“O que eu fiz de errado?”, perguntou Jacob, enquanto era levado pelo sequestrador. Ele foi abusado sexualmente num local próximo à casa do agressor que, à época, vivia com o pai.

Heinrich contou que entrou em pânico quando viu as luzes e ouviu as sirenes dos carros da polícia, que passaram próximo ao local onde ele molestou o garoto. Enquanto carregava o revólver, disse a Jacob que voltaria logo.

Em vez de sair, Heinrich atirou no menino. De acordo com o jornal americano Washington Post, foram três tiros. O primeiro falhou. O segundo acertou atrás da cabeça e um terceiro tiro levou em definitivo a vida do garoto.

Ele foi enterrado pelo próprio Heinrich a menos de 100 metros do local onde foi morto.

Ainda segundo a imprensa norte-americana, um ano depois do crime, o assassino notou que a jaqueta vermelha de Jacob estava à vista. Ele decidiu desenterrar os restos mortais do garoto e os escondeu novamente numa fazenda próxima.

Suspeito desde o início
Desde o desaparecimento de Jacob, Heinrich sempre esteve no radar dos investigadores. Ele chegou a ser interrogado logo após o sequestro, mas a polícia norte-americana nunca encontrou evidências suficientes para incriminá-lo.

O caso, contudo, nunca foi arquivado. Em 2014, a polícia revisou outro crime que travava de agressão sexual contra uma criança de 12 anos. Esse segundo caso ocorreu nove meses antes do desaparecimento de Jacob e havia suspeitas de que estavam conectados.

Usando uma tecnologia que não estava disponível em 1989, os pesquisadores descobriram o DNA de Heinrich em uma camiseta da vítima. Com isso, conseguiram um mandado de busca para a casa do homem, onde encontraram uma grande coleção de pornografia infantil.

Os investigadores detiveram Heinrich, indiciando-o por posse de pornografia infantil – uma vez que o caso de abuso sexual aos garoto de 12 anos já havia prescrito.

Após sua prisão, em outubro de 2015, os promotores tentaram negociar com Heinrich por vários meses para tentar obter informações sobre o sumiço de Jacob. Há dez dias, ele finalmente decidiu colaborar e levou os investigadores ao local onde os restos mortais da criança foram encontrados.

No sábado, passados quase 28 anos do desaparecimento de Jacob, veio a confirmação de que ele tinha sido morto. A polícia anunciou que os restos da criança foram encontrados e identificados por peritos.

“Nossos corações estão partidos”, afirmou a mãe de Jacob, Patty Wetterling, numa mensagem de texto enviada à emissora de televisão local na qual confirmou que o corpo do filho foi encontrado.

Segundo o Washington Post, a confissão no tribunal na terça-feira fazia parte do acordo feito com a promotoria, que prevê que ele cumprirá pena em uma localidade em que “não correrá o mesmo perigo como criminoso condenado por crimes sexuais”.

Ainda como parte do acordo, segundo o Start-Tribune de Minneapolis, ele não será indiciado pela morte de Jacob, apenas por possuir pornografia infantil, e sua pena máxima é de 20 anos. A sentença será anunciada em novembro.

Caso que fez história
O desaparecimento de Jacob marcou a infância de muitos na zona rural de Minnesota. Não apenas mudou a forma como os pais deixam seus filhos brincar livremente e também teve impacto sobre leis americanas.

A mãe do garoto, Patty Wetterling, passou a participar de eventos de parentes de desaparecidos e a militar na área de proteção de crianças e adolescentes. Em 1991, cerca de dois anos depois do sequestro de Jacob, uma lei estadual foi criada para fornecer às autoridades uma lista completa de criminosos sexuais que vivem em Minnesota.

Jerry e Patty Wetterling, pais de Jacob, mostram foto do garoto tirada pouco antes dele ser sequestrado em 1989  (Foto: AP)
Jerry e Patty Wetterling, pais de Jacob, mostram foto do garoto tirada pouco antes dele ser sequestrado em 1989 (Foto: AP)

Em seguida, em 1994, o Congresso americano aprovou uma lei ordenando cada Estado a criar um registro similar, com o nome dos criminosos sexuais.

Durante anos, o rosto de Jacob apareceu em inúmeros cartazes. Uma vez por ano, moradores de Minnesota eram convidados a acender as luzes na entrada de suas casas para pedir pelo retorno do garoto.

A mãe de Jacob, que sempre manteve as esperanças de um dia encontrar o filho com vida, fundou uma associação que ajuda famílias e comunidades a protegerem crianças. A entidade ganhou o nome de Jacob Wetterling e, no sábado, publicou em sua página da internet uma declaração dizendo estar “profundamente triste”.

“É incrivelmente doloroso saber como foram os últimos dias, horas e minutos dele”, disse a mãe de Jacob, depois da audiência judicial.

“Para nós, Jacob estava vivo até o encontrarmos”, completou.