Author: Foto Repórter

Vacina contra Zika pode ser desenvolvida em até um ano, diz ministro

noticia_136715

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse hoje (11) que uma parceria firmada entre o Instituto Evandro Chagas, no Pará, e a Universidade do Texas, nos Estados Unidos, possibilitará que a vacina contra o vírus Zika seja desenvolvida em até 12 meses. Após essa etapa, a vacina ainda precisa passar por testes clínicos para, em seguida, começar a ser produzida e disponibilizada à população. Essa fase deve durar mais dois anos, totalizando três anos para que todo o processo seja concluído.

Durante entrevista coletiva, o ministro destacou que a experiência de ambas as instituições no ramo das chamadas arboviroses (doenças causadas por vírus semelhantes ao Zika, como dengue, chikungunya e febre amarela) pode ajudar a reduzir o prazo para a formulação da vacina, já que o cronograma oficial de trabalho prevê o desenvolvimento das doses em dois anos. O investimento brasileiro na parceria com os Estados Unidos, segundo ele, é de US$ 1,9 milhão para os próximos cinco anos.

“Há um grande otimismo de que poderemos desenvolver essa vacina em um tempo menor do que o que estava previsto. Aproximadamente, dentro de um ano, poderemos ter a vacina desenvolvida, podendo ser menos. Depois, vêm os testes e ensaios clínicos e a produção da vacina para poder ser comercializada e aplicada”, ressaltou Castro.

No próximo sábado (13), uma mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti vai levar cerca de 220 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica às ruas. Os militares irão distribuir material impresso com orientações para a população sobre como manter a casa livre dos criadouros do mosquito. O Aedes aegypti é vetor da dengue, da febre chinkungunya e do vírus Zika, que pode causar microcefalia em bebês.

A meta é visitar 3 milhões de residências. A mobilização vai abranger 356 municípios, incluindo todas as cidades consideradas endêmicas, de acordo com indicação do Ministério da Saúde, e as capitais do país.

Hermano destaca os desafios do saneamento na Campanha da Fraternidade

unnamed (1)

Com o tema “Casa comum, nossa responsabilidade”, a Campanha da Fraternidade 2016, lançada nesta quarta-feira (10), foi assunto do pronunciamento do deputado estadual Hermano Morais (PMDB). A campanha vai alertar sobre o direito de todas as pessoas ao saneamento básico e debater políticas públicas e ações que garantam a integridade e o futuro do meio ambiente. 
 
“O tema foi oportuno diante de tantos acidentes ecológicos e desastres naturais ocorridos ultimamente. Diante dessa importância, apresentamos um requerimento, juntamente com o deputado José Dias para que seja realizada uma sessão solene e assim debatermos com a sociedade as questões do saneamento básico, a fim de garantir o desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida aos cidadãos”, disse Hermano Morais.

O deputado elogiou a escolha de questões ambientais para o debate da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e lembrou o desafio que representa a crise hídrica. “A insegurança hídrica é um dos nossos maiores desafios e isso vai exigir uma série de medidas para viabilizar o abastecimento de água para consumo animal e humano”.

Ainda durante o pronunciamento, o deputado Hermano Morais falou sobre o número de assassinatos no Rio Grande do Norte. “Foram 23 assassinatos, um dos carnavais mais violentos. Isso demonstra a necessidade do Governo continuar investindo em segurança, equipamentos e pessoal, através de concurso”, destacou Hermano Morais.

Campanha da Fraternidade
Lançada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), a campanha tem como tema “Casa comum, nossa responsabilidade” e o lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”, a campanha também vai tratar do desenvolvimento, da saúde integral e da qualidade de vida aos cidadãos.

Dados divulgados pelo Conic mostram que, mesmo estando entre as maiores economias do mundo, o Brasil tem mais de 100 milhões de pessoas sem saneamento básico.

 

Assessoria

Miss é encontrada morta em cidade do interior potiguar

Emilly Medeiros foi eleita miss São João do Sabugi em 2015 (Foto: Arquivo Pessoal)
Emilly Medeiros foi eleita miss São João do Sabugi em 2015 (Foto: Arquivo Pessoal)

A miss de São João do Sabugi Emilly Medeiros, de 17 anos, foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (11). O corpo da jovem foi encontrado por seu pai dentro do quarto.

Emilly Medeiros estudava produção têxtil no campus de Caicó do Instituto Federal do RN (IFRN). Ela foi eleita miss São João do Sabugi em 2015. A polícia investiga a possibilidade de suicídio.

São João do Sabugi fica na região Seridó do Rio Grande do Norte.

 

Do G1

99% dos argentinos indicam o RN como destino turístico, diz pesquisa

 

G1 – Pesquisa realizada e divulgada nesta quinta-feira (11) pela Federação do Comércio do Rio Grande do Norte (Fecomércio/RN) revela que 99,3% dos turistas argentinos recomendam o RN como destino. Destes, 94,3% ainda afirmaram que pretendem voltar, desde que seja mantido o voo direto Natal/Buenos Aires.

Outro dado revelado pela pesquisa diz que o turista argentino também é o que mais gasta no RN: em média, R$ 382,20 por dia – valor que é 81% superior ao gasto médio do turista nacional, que é de R$ 210.

O objetivo da pesquisa foi analisar o nível de satisfação dos turistas argentinos com o voo direto Natal/Buenos Aires, o perfil, razões para escolher o RN, gastos e avaliação dos serviços públicos durante a estadia. Foram entrevistados 140 turistas argentinos antes de eles retornaram a Buenos Aires. A pesquisa foi feita no salão de embarque do aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, nos dias 31 de outubro, 07 e 14 de novembro do ano passado. A margem de erro é de 4% e o índice de confiabilidade de 95%.

Desde setembro de 2015, o RN vem recebendo um voo semanal proveniente de Buenos Aires com 100 visitantes. A frequência do voo – operado pela companhia aérea Gol – traz 400 visitantes a cada mês e está lotado até março próximo. “Estes números permitem projetar que, apenas com o atual número de visitantes argentinos, o turismo e a economia do RN terão, ao final de 12 meses, acréscimo de movimentação de R$ 14 milhões”, estima Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio.

Censo Cadastral Previdenciário da Assembleia começa segunda-feira

Crédito da foto: Eduardo Maia
Crédito da foto: Eduardo Maia

A Assembleia Legislativa do Rio do Norte inicia na próxima segunda-feira (15) o Censo Cadastral Previdenciário para atualizar os dados de servidores efetivos, ativos e aposentados. O recadastramento deve ser feito de forma presencial, no auditório da Assembleia Legislativa, das 9h às 16h, e o prazo se encerra no dia 26 deste mês.
 
De 15 a 19 de fevereiro o censo será realizado para os servidores públicos ativos e titular de cargo efetivo. De 22 a 26 para os servidores públicos aposentados. Os segurados serão convocados conforme divisão por mês de nascimento, divulgada previamente no endereço eletrônico www.al.rn.gov.br/censo.
 
O coordenador do Núcleo de Administração e Pagamento de Pessoa (NAPP) da Assembleia, Thyago Cortez, destaca a importância de se realizar o Censo. “O Censo Previdenciário viabiliza a preservação do fundo de aposentadoria e pensão dos servidores, proporciona mais transparência, combate possíveis fraudes, elimina distorções e ainda assegura os benefícios dos servidores”, disse.
 
Para o recadastramento serão exigidos o documento oficial de identificação com foto (RG, Carteira Nacional de Habilitação ou registro profissional, com validade em todo território nacional emitida por órgão de regulamentação profissional); Cadastro de Pessoa Física (CPF); cartão do PIS/PASEP; comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone, dos últimos 3 meses); título eleitoral, comprovante de escolaridade entre outros documentos disponíveis também no site www.al.rn.gov.br/censo.
 
Os registros são coletados e atualizados por meio de um sistema moderno e totalmente informatizado e serão integrados no Cadastro Nacional de Informações Sociais do Ministério por meio do aplicativo Siprev. Os servidores e aposentados que não fizeram o Censo Previdenciário poderão ter suspenso o pagamento do benefício, até que haja a regularização cadastral.
 
Aposentados

O aposentado que se encontrar residindo em outro Estado e impossibilitado de se fazer presente no local de atendimento deverá encaminhar à Coordenadoria de Recursos Humanos, além da documentação exigida, o Formulário do Censo Cadastral Previdenciário para Aposentados, se for o caso, com a assinatura reconhecida em cartório.

Ministro de Turismo manda Nota de Pesar pelo falecimento de Dona Nailde Dantas

img_9957

 Mensagem do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves – “Expresso meu profundo pesar pelo falecimento de Dona Nailde Dantas, fundadora que foi do nosso MDB, parlamentar e cidadã que foi de largos serviços prestados a cidade de Caicó, atuando diretamente quando se engajou na luta pelo Hospital Regional do Seridó e Casa da Caridade. Foi uma seguidora fiel de Aluízio Alves e do casal inesquecível Manoel Torres e Oscarina.

Como presidente regional do PMDB, deixo o meu abraço de solidariedade aos familiares, amigos e caicoenses, tendo a certeza de que Dona Nailde cumpriu em plenitude sua missão aqui entre nós.”

Nailde Dantas foi vereadora do município de Caicó, e tinha 88 anos. Deixa uma história em defesa da cidade de Caicó.

 

ILP cria área de pesquisa e amplia oferta de cursos da pós-graduação para 2016

unnamed

A criação de uma área de pesquisa em Gestão Pública voltada à prática legislativa, com oficinas práticas, é apenas mais uma dentre as muitas novidades que o Instituto do Legislativo Potiguar (ILP) preparou para este ano letivo. Outra inovação é a oferta de três novos cursos de pós-graduação, com especialização em: Direito Público, Gestão de Pessoas no Serviço Público e Gestão e Planejamento Financeiro no Serviço Público.

“Com a área de pesquisa em Gestão Pública teremos oficinas práticas para a evolução dos conteúdos necessários ao engrandecimento do setor. Pretendemos desta forma estimular a produção acadêmica e lançar livros com os melhores artigos encontrados nas oficinas de trabalho”, afirma o coordenador do instituto, Carlos Russo.

De acordo com Carlos Russo, a grade de cursos para 2016 teve uma renovação de 45% em comparação com o ano anterior e o ILP está repetindo a oferta daqueles que são mais importantes na formação do dia-a-dia dos profissionais.

Os novos cursos de especialização terão edital publicado até o próximo mês e o processo seletivo será realizado em maio e junho. As aulas da primeira turma de aprovados nesta seleção terão início em agosto de 2016, enquanto que as aulas das turmas que já vêm cursando a pós-graduação se iniciam no dia 15 de fevereiro. Os demais cursos que o instituto oferece se iniciam no dia 22 do mesmo mês.

Os investimentos da Assembleia Legislativa na qualificação de servidores incluem, além da oferta de cursos de graduação e pós-graduação, a capacitação pessoal, palestras profissionais, capacitação técnica e oficinas. A Casa foi a primeira do país a oferecer mestrado. Em parceria com a UFRN, os servidores podem cursar o mestrado em gestão pública.

Ministério da Saúde confirma terceira morte pelo vírus da zika

G1 -O Ministério da Saúde confirmou a terceira morte pelo vírus da zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, no Brasil.

O paciente era uma jovem de 20 anos, do município de Serrinha, no Rio Grande do Norte. Ela ficou internada em Natal durante 11 dias com problemas respiratórios. A morte foi em abril do ano passado, mas o resultado dos exames saiu apenas agora.

 
ZIKA Vírus tornou-se preocupação mundial

 

No final de novembro, o Instituto Evandro Chagas confirmou o primeiro caso de morte pelo vírus da zika no Brasil. A vítima foi um homem que morava no estado do Maranhão. Segundo os especialistas, o paciente tinha lúpus, uma doença que afeta o sistema imunológico, e por isso não resistiu à zika.

O segundo caso de morte ligada ao vírus da zika foi o de uma menida de 16 anos, do município de Benevides, no Pará. O comunicado foi feito pelo ministério no dia 28 de novembro.

Ela morreu no final de outubro. Os dados mostram que os sintomas começaram em 29 de setembro, e que a coleta de sangue foi feita sete dias depois, quando o caso foi notificado, em 6 de outubro. Ela apresentou dor de cabeça, náuseas e petéquias (pontos vermelhos na pele e mucosas). “O teste foi positivo para o vírus, confirmado e repetido”, disse o ministério na ocasião.

A doença é transmitida pela picada dos mosquitos da família “aedes”, a mesma que transmite dengue e a febre chikungunya. A prevenção é evitar lixo acumulado e não deixar água parada como criadouro de mosquitos.

Casos de microcefalia
O Ministério da Saúde também confirmou no final do ano passado a relação entre o vírus da zikae o surto de microcefalia na região Nordeste. Na época, o Instituto Evandro Chagas, na capital paraense, encaminhou o resultado de exames realizados em uma bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika.

A partir desse achado do bebê que veio à óbito, o Ministério da Saúde passou a considerar confirmada a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia. Essa é uma situação inédita na pesquisa científica mundial. As investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez.

2

 

Veja perguntas e respostas sobre o vírus da zika:

Como ocorre a transmissão?
Assim como os vírus da dengue e do chikungunya, o vírus da zika também é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

Quais são os sintomas?
Os principais sintomas da doença provocada pelo vírus da zika são febre intermitente, erupções na pele, coceira e dor muscular. A evolução da doença costuma ser benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente em um período de 3 até 7 dias. O quadro de zika é muito menos agressivo que o da dengue, por exemplo.

Como é o tratamento?
Não há vacina nem tratamento específico para a doença. Segundo informações do Ministério da Saúde, os casos devem ser tratados com o uso de paracetamol ou dipirona para controle da febre e da dor. Assim como na dengue, o uso de ácido acetilsalicílico (aspirina) deve ser evitado por causa do risco aumentado de hemorragias.

Qual é a relação entre o vírus da zika e a microcefalia?
A relação entre zika e microcefalia foi confirmada pela primeira vez no mundo no fim de novembro pelo Ministério da Saúde brasileiro. A investigação ocorreu depois da constatação de um número muito elevado de casos em regiões que também tinham sido acometidas por casos de zika.

A evidência crucial para determinar essa ligação foi um teste feito no Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado ao Ministério da Saúde no Pará, que detectou a presença do vírus da zika em amostras de sangue coletadas de um bebê que nasceu com microcefalia no Ceará e acabou morrendo.

Como a situação é muito recente, ainda não se sabe como o vírus atua no organismo humano, quais mecanismos levam à microcefalia e qual o período de maior vulnerabilidade para a gestante. Segundo o Ministério da Saúde, as investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer essas questões.

Quais são as recomendações para mulheres grávidas?
O Ministério da Saúde orienta algumas medidas para mulheres grávidas ou com possibilidade de engravidar tendo em vista a ocorrência de casos de microcefalia relacionados ao vírus da zika.

Uma delas é a proteção contra picadas de insetos: evitar horários e lugares com presença de mosquitos, usar roupas que protejam a maior parte do corpo, usar repelentes e permanecer em locais com barreiras para entrada de insetos como telas de proteção ou mosquiteiros.

É importante informar o médico sobre qualquer alteração em seu estado de saúde, principalmente no período até o quarto mês de gestação. Um bom acompanhamento pré-natal é essencial e também pode ajudar a diminuir o risco de microcefalia.

Como é feito o diagnóstico da zika?
Ainda não há um teste padrão para diagnosticar a doença. “Como o zika é novo, não temos uma padronização nos testes. Para se ter certeza do diagnóstico, é preciso usar a técnica de PCR, que é complexa e não está disponível no mercado”, diz Rodrigo Stabeli, vice-presidente de Pesquisa e Laboratórios de Referência da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

No Brasil, somente três unidades da Fiocruz, além do Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, têm a capacidade de fazer esse exame. “Esses laboratórios têm a missão de desenvolver um método melhor de diagnóstico para suprir esse problema epidemiológico”, diz Stabeli.

Enquanto não existe um teste padrão, o diagnóstico nas regiões em que já se constatou a presença do vírus vem sendo feito por critérios clínicos.

Quais são as medidas de prevenção conhecidas?
Como o vírus da zika é transmitido pelo Aedes aegypti, mesmo mosquito que transmite a dengue e o chikungunya, a prevenção segue as mesmas regras aplicadas a essas doenças. Evitar a água parada, que os mosquitos usam para se reproduzir, é a principal medida.

Em casa, é preciso eliminar a água parada em vasos, garrafas, pneus e outros objetos que possam acumular líquido. Colocar telas de proteção nas janelas e instalar mosquiteiros na cama também são medidas preventivas. Vale também usar repelentes e escolher roupas que diminuam a exposição da pele. Em caso da detecção de focos de mosquito que o morador não possa eliminar, é importante acionar a Secretaria Municipal de Saúde do município.

Por enquanto, não existe vacina capaz de prevenir a infecção pelo vírus da zika.

Qual é a diferença entre dengue, chikungunya e zika?
Os vírus da dengue, chikungunya e zika são transmitidos pelo mesmo vetor, o Aedes aegypti, e levam a sintomas parecidos, como febre e dores musculares. Zika e dengue são do gênero Flavivirus, já o chikunguna é do gênero Alphavirus.

As doenças têm gravidades diferentes. A dengue, que pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes do vírus, é caracterizada por febre repentina, dores musculares, falta de ar e moleza. A forma mais grave da doença é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte.

O chikungunya caracteriza-se principalmente pelas intensas dores nas articulações. Os sintomas duram entre 10 e 15 dias, mas as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. Complicações sérias e morte são muito raras.

Já a febre pelo vírus da zika leva a sintomas que se limitam a no máximo 7 dias. Apesar de os sintomas serem mais leves do que os de dengue e chikungunya, a relação do vírus com a microcefalia e a possível ligação com a síndrome de Guillain-Barré tem trazido preocupação.

Caio Barbosa: Mangueira diz muito obrigada a Bethânia

cartão-pronto2 - Copia - CopiaO Carnaval teve uma tarde redentora com a vitória da Estação Primeira de Mangueira nos desfiles do Rio. Uma vitória incontestável em um dos melhores desfiles deste século, que devolve à galeria das campeãs do samba uma agremiação maiúscula que não podia mais ficar fora da festa.

A Mangueira estava há longos 14 anos sem vencer ( a última vez, em 2002, foi com o enredo Vou Invadir o Nordeste), apenas como coadjuvante de uma folia que, salvo raras exceções, terminava em Nilópolis (com a Beija Flor) ou no Morro do Borel (território da Unidos da Tijuca).

E Carnaval sem Mangueira é futebol sem bola. Não pode. A redenção não se deu apenas pelo resultado, ou por ser a Mangueira, mas pela forma como ele foi conquistado. Um título histórico, com a estreia de Ciganerey como intérprete, que se mostrou autêntico discípulo de Mestre Jamelão, o maior da história.

Uma conquista que teve a marca de um carnavalesco iniciante, Leandro Vieira, que também estreava na escola e no Grupo Especial. Ele foi brilhante na condução do enredo – sobre Maria Bethânia -, com fantasias e alegorias que dialogavam com a plateia como há muito não se via.

A Mangueira, cheia de caras novas, conseguiu um feito raro no Carnaval atual, unindo emoção à (quase) perfeição estética. O enredo mostrou Maria Bethânia como ela é, trazendo a Iansã, de quem é filha, e a religiosidade marcante da carreira da cantora para dentro da Sapucaí.

Quem foi ao Sambódromo não precisou ficar de olho no livrinho-roteiro da Liga das Escolas de Samba para entender o que cada ala tinha a dizer.  A comunicação direta com o público foi o ponto forte da escola. E é disso que o povo gosta.

E é isso que estava fazendo falta aos desfiles. A vitória da Mangueira, portanto, não foi apenas uma vitória da escola criada por gênios como Cartola e Carlos Cachaça. Foi a vitória do samba, do Carnaval. A vitória de quem ama uma das maiores festas populares do planeta. E que agora agradece muito à Estação Primeira e a Maria Bethânia por renovar essa paixão.

Anotem: o Carnaval deste ano fará escolas do Rio e carnavalescos repensarem seus enredos. Será uma revolução silenciosa, mas necessária para que os desfiles no Sambódromo voltem a encantar o público de todos os cantos. E a renovar este público, cada vez mais envelhecido e distante da razão de ser daquilo tudo o que se vê na passarela.

É bem verdade que aquela festa é, desde os anos 30, quando foi criada pelo genial Mário Filho, uma disputa por quesitos. Nunca foi um desfile de blocos. Sempre foi coisa muito séria. Mas, da segunda metade dos anos 90 para cá, parece que a regra havia mudado e o objetivo passou a ser apenas conquistar pontos e não o público.

A Mangueira foi além. Voltou ao passado. E com a força de um carcará, buscou todos esses pontos sem deixar de lado a emoção. Só temos a bater palmas e louvar a Menina de Oyá.  Para fechar com chave de ouro, falta apenas a lição dada pela Verde-e-Rosa pegar o trem na estação e chegar a Madureira, onde um talentoso carnavalesco chamado Paulo Barros fez sua morada, mas ainda não aprendeu que as estrelas da festa são as escolas. Discreto e competente, foi o que fez Leandro Vieira. E acertou na mosca. Se o tiro também acertou a Águia (da Portela), como se diz por aí, é para glorificar de pé. 

 

Caio Barbosa é jornalista e torce pela Beija-Flor

Correio 24Horas

Mangueira quebra o jejum de 14 anos e sai como campeã do carnaval do RJ

Apresentação1

Marina Araújo do G1, Rio de Janeiro

Terminou o jejum de uma das escolas de samba mais populares do Brasil: a Estação Primeira de Mangueira é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro. O último título tinha sido conquistado há 14 anos.

Em uma apuração apertada, a vencedora foi definida no último quesito, de alegorias e adereços, e por apenas um décimo de diferença. O enredo da escola homenageou a cantora Maria Bethânia.

A Mangueira quebrou um jejum de 14 anos sem vencer e o grito que estava entalado na garganta da comunidade.

O mestre-sala respirou aliviado. Ele e a porta-bandeira ousaram na passarela misturando o bailado com a dança dos orixás. “Oyá nos deu axé e abriu caminho para a Mangueira ser campeã”, disse Raphael Rodrigues.

A última vez que a Mangueira venceu foi em 2002 com um enredo sobre o Nordeste. Desta vez foi uma baiana a homenageada: a cantora Maria Bethânia.

“A Bethânia falou que só queria que a Mangueira ficasse feliz. A gente espera nesse momento que ela esteja muito feliz também porque a Mangueira está feliz”, disse o empresário Eduardo Teixeira.

“Eu sou uma cantora popular brasileira. Como eu, milhares de mulheres, rapazes, cantores deste país. E a Mangueira escolheu uma cantora. Acho isso muito nobre, muito bonito. A música ganhou muito”, contou Maria Bethânia.

A quadra lotou no final de tarde. Foi uma alegria sem fim. Não é para menos, a “verde e rosa”, uma das escolas mais tradicionais do Rio de Janeiro, venceu à base de muita emoção. Foi por um décimo.

O calor no sambódromo do Rio estava infernal e a disputa foi a mais acirrada dos últimos anos. Nota a nota. Entre as torcidas, muita tensão e reza.

Salgueiro e Mangueira seguiam empatadas até o último quesito, alegorias e adereços, quando a Mangueira virou e levou o título. A felicidade explodiu em verde e rosa.

A Mangueira foi a última a entrar na Avenida na segunda noite de desfiles e levou os 50 anos de carreira de Maria Bethânia para a Sapucaí. O desfile foi um passeio pela obra e religiosidade da cantora, filha de Yansã e menina de Oyá. Artistas, amigos e o irmão Caetano Veloso estavam lá.

Bethânia foi no último carro ao lado de duas afilhadas. Logo em seguida, o público tomou conta da Sapucaí, em um encerramento emocionante.

A Estácio de Sá foi rebaixada para o Grupo de Acesso e a Paraíso do Tuiuti subiu e vai desfilar no Grupo Especial de 2017.

‘PF e MPF não disfarçam mais caçada a Lula’

:

Gisele Federicce, Brasil 247 – Na visão do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), a decisão do juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato, de autorizar a abertura de um inquérito para investigar um sítio em Atibaia (SP) frequentado pela família do ex-presidente Lula é uma “provocação” e “afronta o estado democrático de direito”.

Em entrevista ao 247, o parlamentar resgatou o fato de que a Lava Jato foi aberta para apurar o cartel de empresas que prestavam serviços para a Petrobras, pelos quais pagavam propina e fraudavam contratos bilionários. E que em “um cenário delicado e complexo como esse, o Sérgio Moro autoriza uma investigação de benfeitorias num sítio em Atibaia. Isso afronta o estado democrático de direito”.

“Aí isso é notícia em todos os jornais no dia do aniversário do partido”, acrescenta Pimenta. Questionado se acredita que a decisão, divulgada no feriado, teria relação com os 36 anos do PT, comemorados nesta quarta-feira, o deputado afirma: “Eu tenho convicção de que é isso”. Sobre a informação de Sérgio Moro, publicada nesta quarta, de que a divulgação de sua decisão foi um “equívoco”, uma vez que o processo corre sob sigilo, Pimenta vê como um “deboche”.

“Equívoco com o ex-presidente da República em um cenário como esse?”, questiona. “No mínimo isso deve ser visto como uma provocação, um deboche, um escárnio… Uma forma de dizer ‘olha, eu faço o que eu quero, da maneira que eu quero. E se vocês não gostarem, não adianta reclamar, porque comigo é isso aqui’. Estou convencido disso”, reforça o deputado.

Ação seletiva

Para Paulo Pimenta, a decisão de Moro autorizando a investigação sobre o sítio “só reforça a convicção que nós estamos diante de uma ação seletiva que envolve setores – Polícia Federal, Ministério Público Federal – e acabam tendo a guarida do poder Judiciário e a proteção da grande mídia para uma operação seletiva jamais vista na história do Brasil”.

Segundo o deputado, “não existe nenhuma autoridade desde Getúlio Vargas que tenha sido submetida a um processo de tentativa de macular a sua história como Lula está sofrendo. São tantas as vertentes… tem os dois filhos, a nora, a esposa, as palestras, o sítio, o apartamento, os caças suecos, o trabalho do filho no Corinthians, o plágio”, contabiliza o petista.

“São tantas… que isso já ficou evidente (a perseguição). Até blitz ambiental no sítio pode ter, visitas a padaria, lojas. Nunca nesse país se investigou o patrimônio do [ex-presidente] Fernando Henrique, o apartamento em Indianópolis, o apartamento em Paris, as emissoras que Aécio [Neves] tem, que contrato que fez… Então é evidente que há uma ação política, e ela tem como pano de fundo a tentativa de impedir que Lula volte, e que acaba tendo um verniz de legalidade”.

O petista reforça que “é tão evidente a seletividade que os setores da burocracia (PF, MPF) perdem já o cuidado de qualquer liturgia”. “Dona Marisa [esposa de Lula] é chamada para depor, e a mulher do [presidente da Câmara, Eduardo] Cunha, nunca depôs”, compara, mencionando o deputado que é alvo de inquérito por corrupção no STF e acusado de manter contas secretas na Suíça.

Nesta terça e quarta-feira, o deputado postou alguns tuítes em protesto à decisão do juiz Sérgio Moro. Leia abaixo:

Apresentação1

 

5 Coisas que você precisa saber sobre o Zika

Original Title: Aa_FC3_58a.jpg

O canal de notícias norte-americano CNN (Cable News Network), publicou em seu site no dia 05 de fevereiro, um artigo para tirar algumas dúvidas sobre o Zica vírus, onde é respondida 5 perguntas fundamentais.

Abaixo um resumo do texto original:

1. O que é Zika e por que é tão sério?

O vírus Zika é parte da mesma família como a febre amarela, chikungunya e dengue, mas ao contrário desses, para o o vírus Zica não há nenhuma vacina para prevenir, tampouco medicamento para tratar a infecção.

O Zika vírus está sendo ligado a alarmantes casos de microcefalia – uma desordem neurológica que resulta em bebês que nascem com cabeças pequenas, de forma anormal. Isso causa problemas de desenvolvimento graves e, não poucas vezes, óbito. 

2. Como ocorre a propagação do Zika vírus?

O vírus, geralmente é transmitido quando o mosquito Aedes Aegypti pica uma pessoa com uma infecção ativa, e depois espalha o vírus ao picar outras pessoas. Há também, casos suspeito de transmissão por via sexual.

O vírus está no sangue por cerca de uma semana. Quanto tempo ele permaneceria no sêmen é algo que está sendo estudado.

3. Onde está o vírus Zika agora?

O vírus Zika está agora a ser localmente transmitidos em Barbados, Bolívia, Brasil, Cabo Verde, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guiana Francesa, Guadalupe, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, Martinica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Porto Rico, St. Martin, Suriname, Samoa, Tonga, Ilhas Virgens americanas e Venezuela, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

4. O que você pode fazer para se proteger contra Zika?

Com nenhum tratamento ou vacina disponível, a única proteção contra Zika é evitar viajar para áreas com uma infestação ativa. Se você quiser viajar para um país onde o Zika estiver presente, o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) recomenda a adesão estrita às medidas de proteção contra mosquitos: use um repelente aprovado pela EPA (Agência de Proteção Ambiental), usar calças compridas, camisas longas, de manga e grossa o suficiente para bloquear uma picada de mosquito, e dormir em ar-condicionado, quartos blindados, entre outros.

OBS: No caso do Brasil, a agência reguladora sobre as questões dos repelentes, é a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

5. O que está sendo feito para parar Zika?

Os investigadores estão a trabalhar arduamente em laboratórios de todo o mundo que tentam criar uma vacina Zika. Um ensaio clínico de uma vacina de vírus Zika poderia começar este ano, de acordo com Fauci.

Autoridades de saúde estão a implementar técnicas de controle de mosquito tradicionais, como a pulverização de pesticidas e esvaziamento de pé recipientes de água onde os mosquitos se reproduzem. O CDC incentiva proprietários, proprietários do hotel e visitantes de países com surtos Zika também para eliminar qualquer água parada que veem, como em baldes ao ar livre e vasos de flores.

 

CNN

 

Homens são mortos a tiros no quintal de uma creche em Ceará-Mirim, RN

pm_6FMl2baG1 – Corpos de dois homens, assassinados com tiros na cabeça, foram encontrados na manhã desta quarta-feira (10) no quintal de uma creche em Ceará-Mirim, município da Grande Natal. Segundo a Polícia Militar, as vítimas ainda não têm identificação, mas seriam bolivianos que trabalham numa usina de energia eólica.

De acordo com o cabo Jocean Pedro, da companhia de polícia de Ceará-Mirim, os corpos foram encontrados quando funcionários abriram a creche, que fica na travessa Capitão José da Penha. “Moradores da vizinhança disseram que ouviram barulhos de tiros ainda na madrugada, mas ninguém saiu de casa para ver o que era. Quando o dia amanheceu, os funcionários que abriram a creche para lavar o prédio se depararam com os dois corpos estirados no quintal. Eles podem ter corrido para dentro da creche para fugir dos assassinos, porque a creche sempre fica com os portões abertos”, relatou o policial.

Execução na Redinha
Homens armados invadiram duas casas na manhã desta quarta-feira (10) na comunidade da África, no bairro da Redinha, Zona Norte de Natal. Em uma delas, um jovem de 23 anos, identificado como Jeferson Miguel do Nascimento, foi executado com tiros na cabeça. Na outra, um homem de 30 anos foi baleado no peito, mas conseguiu correr. Ele pulou o muro e escapou ao se esconder na residência de um vizinho. Ninguém foi preso.

Violência
A quantidade de pessoas mortas no período do carnaval deste ano no Rio Grande do Norte já é maior que o número de assassinatos registrados ao longo do carnaval de 2015. No ano passado, em todo o período de festas, foram contabilizados 18 homicídios em todo o estado. Este ano, com a morte registrada na manhã desta quarta-feira (10) na Redinha e o duplo homicídio em Ceará-Mirim, pelo menos 24 pessoas foram assassinadas desda a sexta-feira passada, dia 5.

Mercado mantém previsão de dólar a R$ 4,35 no fim de 2016

Dólar: a perspectiva do mercado financeiro para o câmbio de 2017 também permaneceu
Dólar: a perspectiva do mercado financeiro para o câmbio de 2017 também permaneceu

 

Célia Froufe, do Estadão Conteúdo

Brasília – Mesmo com as incertezas sobre o desenvolvimento da economia internacional e doméstica, analistas do mercado financeiro quase não corrigiram suas expectativas para o comportamento cambial no encerramento de 2016 e de 2017.

A mediana das estimativas do mercado no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta quarta-feira, 10, pelo Banco Central, aponta para uma cotação de R$ 4,35, a mesma vista na semana passada – um mês antes, estava em R$ 4,25.

Com isso, o câmbio médio de 2016 ficou inalterado em R$ 4,20 de uma semana para outra – um mês antes, estava em R$ 4,14. 

A perspectiva do mercado financeiro para o câmbio de 2017 também permaneceu em R$ 4,40 no boletim Focus. Quatro edições atrás do documento, a mediana das previsões apontava para cotação de R$ 4,23. A única mudança foi vista no câmbio médio do ano que vem, que passou de R$ 4,29 para R$ 4,30 – estava em R$ 4,10 um mês atrás.

O BC tem mantido integralmente a rolagem de leilões de swap cambial, que foram mais expressivos desde de 2013, por meio de ofertas apelidadas de “ração diária”. Também rolou os vencimentos dos leilões de linha que venceriam em fevereiro.

Brasil, Peru e Colômbia lideram notas baixas na escola, diz OCDE

educação

G1 – Brasil, Peru, Colômbia, e Argentina estão entre os dez países que têm mais alunos com baixo rendimento escolar em matemática, leitura e ciência, segundo o relatório publicado nesta quarta-feira pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE) com 64 nações.

 

O Peru é o país com maior porcentagem de estudantes de 15 anos que não alcançam o nível básico estabelecido pela OCDE tanto em leitura (60%) como em ciência (68,5%), e o segundo em matemática (74,6%), atrás somente da Indonésia.

Os oito países latino-americanos que participaram do relatório PISA 2012, em que se baseia este novo estudo, estão muito acima da média da OCDE em porcentagem de alunos com baixo rendimento escolar nas três áreas analisadas.

Chile, Costa Rica e México são os países da região que têm menos alunos com baixo rendimento escolar, mas estão entre os 20 com mais estudantes que não atingiram o nível mínimo que a OCDE considera exigível de qualquer adolescente de 15 anos neste século.

Xangai (China), Cingapura, Hong Kong (China), Coreia do Sul, Vietnã, Finlândia, Japão, Macau (China), Canadá e Polônia ostentam os melhores resultados nas três áreas analisadas, com menos ou ao redor de 10% de alunos sem o nível mínimo.

Analisando a média dos 34 países que fazem parte da OCDE, o estudo conclui que ao redor de 28% dos estudantes de 15 anos termina a educação obrigatória sem o nível mínimo em pelo menos uma dessas três matérias.

Quase quatro milhões de alunos de 15 anos das nações da OCDE têm baixo rendimento em matemática e quase três milhões em ciência e leitura.

A proporção é maior se forem avaliados os 64 países que participaram do relatório PISA 2012, que em termos absolutos somam 13 milhões de alunos de 15 anos com baixo rendimento em pelo menos uma das três áreas.

Nessas 64 nações, 11,5 milhões de estudantes não têm o nível mínimo em matemática, nove milhões em ciência e 8,5 milhões em leitura.

O estudo concluiu que os resultados educativos dependem de muitos mais fatores do que simplesmente da renda per capita de um país, por isso todas as nações podem melhorar o rendimento de seus alunos se implementarem políticas adequadas.

Avanços
Países tão diversos econômica e socialmente como Brasil, México, Tunísia, Turquia, Alemanha, Itália, Polônia, Portugal e Rússia conseguiram reduzir a porcentagem de estudantes com baixo rendimento entre 2003 e 2012.

Algumas das recomendações da OCDE para atingir essa meta são os programas especiais para crianças com baixo rendimento, para filhos de imigrantes, para zonas rurais e para os alunos que vem de famílias onde não se fala a língua na qual são educados.

“A imigração não tem um papel tão forte como esperaríamos, porque não é por si só o fator de risco, mas os fatores associados a ela são”, explicou em uma conferência telefônica Andreas Schleicher, diretor de Educação e Aptidões da organização.

Os estudantes têm mais probabilidades de mostrar baixo rendimento se vêm de uma família de baixos recursos, se são filhos de imigrantes, se só têm um pai e se frequentam uma escola rural.

“Qual desses elementos pesa mais é algo que depende do país, por exemplo, nos Estados Unidos o baixo rendimento guarda muita relação com vir de uma família monoparental”, avaliou Schleicher.

Outros fatores de risco são não ter tido educação pré-escolar, repetido algum ano, mau comportamento, má gestão da escola ou políticas educativas governamentais ineficazes.

O baixo rendimento em matemática é ligeiramente mais frequente entre as meninas, enquanto em leitura há a maior lacuna entre os gêneros, com os crianças tendo menos da metade do rendimento das garotas.

Os jovens de 15 anos sem o nível mínimo têm risco maior de abandonar os estudos, costumam acabar em trabalhos mal pagos e pouco gratificantes, participam menos da política e mostram uma saúde pior.

Além disso, quando falta a uma alta porcentagem da população aptidões básicas, o crescimento econômico de todo o país pode ser “severamente comprometido”.

Os lucro econômicos que se perdem devido a políticas educacionais ruins deixam muitos países em um estado de “permanente recessão” que, advertiu a OCDE, pode ser longo e profundo.