Author: Foto Repórter

TJ DE SÃO PAULO CONTRA OS IDOSOS: Cassa liminar e suspende gratuidade da tarifa de ônibus a idosos de 60 a 64 anos

Grupo faz protesto na Av. Paulista contra a exclusão de gratuidade de ônibus a idosos de 60 a 64 anos em SP — Foto: Niyi Fote/THENEWS2/AE Conteúdo
Grupo faz protesto na Av. Paulista contra a exclusão de gratuidade de ônibus a idosos de 60 a 64 anos em SP — Foto: Niyi Fote/THENEWS2/AE Conteúdo

O Tribunal de Justiça suspendeu a liminar que garantia a gratuidade da tarifa nos ônibus municipais de São Paulo aos idosos de 60 a 64 anos a partir de 1º de fevereiro deste ano. Passageiros com 65 anos ou mais continuam com a isenção do pagamento da tarifa.

A decisão do presidente do TJ, Geraldo Francisco Pinheiro Franco, atendeu o recurso do Prefeitura de São Paulo. Na semana passada, a Justiça concedeu uma liminar mantendo o benefício aos passageiros.

O desembargador diz que a manutenção da gratuidade teria impactos de até R$ 338 milhões nos cofres públicos.

“Não é ocioso mencionar que, ao preservar a isenção de pagamento de transporte para usuários com idade entre 60 e 64 anos, por força da suspensão da eficácia do inciso IV, do artigo 7º da Lei nº 17.542/2020 e do artigo 2º do Decreto Municipal nº 60.037/2020, a decisão liminar pode acarretar sensíveis prejuízos à população, uma vez que o gasto público com referido benefício, somente para a indicada faixa etária, em 2021, está estimado pelo ente público em valor situado entre R$ 219 e R$ 338 milhões/ano (fls. 6), montante significativo e que poderia ser utilizado em outras áreas. E o custo do específico benefício, como ocorre com qualquer subsídio, ao fim e ao cabo deve ser assumido por toda a sociedade.”

Para o presidente do Tribunal de Justiça, o benefício tem sensível importância social, mas entende que, neste caso, não há justificativa para o poder judiciário interferir em decisão do poder executivo.

O magistrado também destacou que a lei federal só obriga estados e municípios a concederem gratuidade para pessoas com 65 anos ou mais nos transportes coletivos. “No caso das pessoas compreendidas na faixa etária entre 60 (sessenta) e 65 (sessenta e cinco) anos, ficará a critério da legislação local dispor sobre as condições para exercício da gratuidade nos meios de transporte previstos no caput deste artigo.”

De acordo com a São Paulo Transportes (SPTrans), 186 mil idosos vão perder a gratuidade no transporte público da capital com o decreto do prefeito Bruno Covas (PSDB).

Na última terça-feira (12), o desembargador Geraldo Pinheiro Franco cassou a decisão que mantinha a gratuidade do transporte público para idosos de 60 a 64 anos para trens do Metrô da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e para ônibus intermunicipais da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU).

O presidente do TJ-SP aceitou os argumentos da gestão Doria, entendendo que a Justiça não pode interferir em atos discricionários do Executivo e que os R$ 592 milhões previstos para o gasto com o subsídio em 2021 “podem acarretar sensíveis prejuízos à população”.

G1RN

Publicado edital de processo seletivo de médicos para rede estadual da PB; inscrições já estão abertas

Publicado edital de processo seletivo de médicos para rede estadual da Paraíba; inscrições já estão abertas — Foto: Divulgação/Secom-JP
Publicado edital de processo seletivo de médicos para rede estadual da Paraíba; inscrições já estão abertas — Foto: Divulgação/Secom-JP

O edital para um processo seletivo de 40 médicos que irão atuar no enfrentamento ao novo coronavírus, temporariamente, em caráter emergencial, foi publicado na edição especial deste sábado (16) do Diário Oficial do Estado (DOE). As inscrições já estão abertas desde às 0h deste sábado e vão até as 23h59 do dia 22 de janeiro.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através de uma página na internet. Para concorrer, o candidato deve se cadastrar na plataforma, acessar a aba “Concursos e Seleções” e efetuar a inscrição. Além disso, o candidato só terá direito a uma única inscrição. Caso seja constatada mais de uma, a última inscrição realizada será considerada. O processo seletivo deve ocorrer por meio de Avaliação dos Títulos, de caráter eliminatório e classificatório.

Conforme o edital da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), os médicos devem trabalhar a princípio nos municípios de Cajazeiras, Campina Grande, João Pessoa, Patos e Piancó, que são centro de referência no tratamento da Covid-19. Porém, os profissionais podem ser realocados para atender as necessidades dos serviços que estão no Plano de Enfrentamento da Covid-19, na Paraíba.

De acordo com o DOE, os candidatos pertencentes aos grupos de risco de infecção pela Covid-19 estão impedidos de concorrer. Não poderão participar: maiores de 60 anos, gestantes e lactantes, ser portador de comorbidades ou outras condições de risco de desenvolver sintomas mais graves da doença.

O número de candidatos classificados deve ser maior que o número de cargos disponíveis, sendo correspondente a três vezes o número de vagas ofertadas, em ordem decrescente. Segundo o edital, “gera apenas a expectativa de direito à contratação, ficando a concretização desse ato condicionado à exclusiva necessidade, oportunidade e conveniência da Secretaria de Estado da Saúde (SES)”.

São requisitos básicos para inscrição: anexar os documentos pessoais e documentos e títulos, na área de concorrência, no ato da inscrição, na sequência estabelecida, exclusivamente em PDF, no tamanho de até 10MB, e documentos pessoais.

O resultado preliminar deve ser publicado no Diário Oficial do Estado da Paraíba (DOE), no site do Governo do Estado, no Portal da Cidadania e no portal da Escola de Serviço Público do Estado, obedecendo a ordem rigorosa de classificação.

G1RN

Prefeito de Natal nomeia o próprio filho para secretaria de Trabalho e Assistência Social

Prefeitura de Natal — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Prefeitura de Natal — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), nomeou o próprio filho, Adjuto Dias de Araújo Neto, como secretário municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas) para a sua próxima gestão à frente do Executivo Municipal.

A nomeação foi publicada na edição desta sexta-feira (15) do Diário Oficial do Município (DOM). A função era ocupada até dezembro pela irmã do prefeito, Andréa Dias.

Adjuto Dias é delegado da Polícia Civil da Paraíba e já foi candidato a deputado estadual no Rio Grande do Norte nas eleições de 2018. O novo secretário já atuava na Semtas antes da nomeação como titular da pasta.

Segundo o prefeito, o filho tem os requisitos necessários para fazer uma boa gestão à frente da pasta.

“É a secretaria de assistência social, é um trabalho que ele gosta de fazer, que ele se identifica. Ele quer estar perto das comunidades. Ele tem visitado muitas delas aqui conosco, com a ex-secretária. Então, ele vai realizar um bom trabalho na Semtas, porque esse é o objetivo dele”, disse Álvaro Dias à Inter TV Cabugi.

Segundo o Movimento Articulado de Combate à Corrupção (Marcco), a nomeação de um filho ou familiar é uma decisão controversa.

O coordenador do movimento, Rafael Gonçalves, explicou que o Supremo Tribunal Federal (STF) entende que há uma ofensa ao princípio da moralidade em nomeações de parentes até o terceiro grau. Apesar disso, foram feitas ressalvas em relação a essas nomeações, observando a competência do nomeado para o cargo.

“A redação da súmula não abre exceções. Mas o que acontece? No julgamento, alguns ministros fizeram ressalvas em relação a cargos políticos, no caso de ministros de Estado e secretários”, explicou.

Adjuto Dias, filho do prefeito de Natal, foi nomeado na SEMTAS — Foto: Diário Oficial do Município

Adjuto Dias, filho do prefeito de Natal, foi nomeado na SEMTAS — Foto: Diário Oficial do Município

No dia 5 de janeiro, no primeiro ato administrativo do ano após a posse, o prefeito Álvaro Dias exonerou todos os cargos comissionados. Parte do secretariado foi renomeado nas publicações seguintes e alguns novos nomes tem sido anunciados.

Adjuto Dias é o terceiro secretário nomeado entre os que não terminaram a última gestão. Os outros são: José Vanildo, que já havia sido secretário de Esporte e Lazer em 2017, na gestão de Carlos Eduardo (PDT), em que Álvaro Dias era vice, na Secretaria Municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Projetos Estruturantes (Seharpe) ; e Sheila Freitas, que havia deixado a Secretaria Municipal de segurança Pública e Defesa Social (Semdes) em abril para se candidatar como vereadora na eleição em Natal, e agora retornou à pasta.

Ao todo, 19 nomes – entre secretários, auxiliares diretos e de órgãos de administração indireta – foram anunciados até este sábado na reforma administrativa da prefeitura de Natal após as exonerações de todos os cargos comissionados no dia 5 de janeiro, no primeiro ato administrativo após a posse do dia 1º.

Secretários e auxiliares anunciados

  • Adjuto Dias – Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas)
  • José Vanildo Silva – Secretaria Municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Projetos Estruturantes (Seharpe)
  • Cristina Diniz Barreto de Paiva – Secretaria Municipal de Educação (SME)
  • Irapõa Nóbrega Azevedo de Oliveira – Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur)
  • Heverton Freitas – Secretaria Municipal de Comunicação Social
  • Dácio Galvão – Secretaria Municipal de Cultura (Secut)
  • Thiago Mesquita – Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb)
  • Ludenilson Araújo Lopes, secretário de Tributação
  • Joanna de Oliveira Guerra, secretária de Planejamento
  • George Antunes, secretário de Saúde
  • Sheila Maria Freitas de Souza Fernandes e Melo, secretária de Segurança e Defesa Social
  • Thiago Costa Marreiros, presidente do NatalPrev
  • Rodrigo Ferraz Quidute, controlador-geral do município
  • Adamires França, secretária de Administração,
  • Joham Alves Xavier, secretário municipal de Governo
  • Fernando Pinheiro de Sá e Benevides; procurador-geral do município,
  • Genildo Pereira da Costa, consultor do município
  • Esdras Alves de Queiroz, coordenador do gabinete.
  • Carlson Geraldo Correia Gomes – Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infra-estrutura (Semov)

G1RN

Estudantes de escolas públicas do RN enfrentam provas do Enem após 10 meses sem aulas presenciais

Pesquisa realizada em junho apontava que, dos jovens que pretendiam fazer o Enem, quase a metade havia pensado em desistir da prova — Foto: Mariana Leal/MEC
Pesquisa realizada em junho apontava que, dos jovens que pretendiam fazer o Enem, quase a metade havia pensado em desistir da prova — Foto: Mariana Leal/MEC

A estudante Luana Félix, de 19 anos, vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano na tentativa de cursar medicina. Aluna da Escola Estadual José Fernandes Machado, no bairro Ponta Negra, Zona Sul de Natal, ela – assim como toda a turma – vai precisar encarar a prova e a concorrência a partir do próximo domingo (17) sem ter assistido uma aula presencial sequer desde o mês de março, por conta da pandemia da Covid-19.

“Com toda certeza nós não vamos ter a mesma chance. Não tivemos a base que os alunos que tiveram aula esse ano têm para realizar a prova”, lamentou.

A realidade dela e dos colegas de sala é também a de milhares de estudantes da rede pública do Rio Grande do Norte, que viram as aulas presenciais serem canceladas no dia 17 de março – há cerca de 10 meses.

Sem condições de investir em algum cursinho particular ou em outra forma de ensino, Luana precisou se virar como deu para estudar. A solução foi a internet – plataforma que ela mesmo admite que muitos estudantes sequer têm acesso.

“Eu me preparei da maneira que eu consegui, em meio a todos os acontecimentos. Não tenho condições de bancar um cursinho, então estudei por conta própria, procurando apostilas na internet”, disse.

“Acredito que nem todos tem esse acesso e que esse Enem vai ser mais desigual do que os outros”.

A estudante acredita que um dos principais problemas, para os alunos da rede estadual, foi a demora para definir como as aulas aconteceriam durante a pandemia. A escola em que ela estuda, por exemplo, não teve sequer aulas virtuais, apenas atividades que eram enviadas por um sistema on-line e que, segundo ela, “nem todos tinham acesso”.

“Meses depois é que foram enviar as atividades. Foram muitas atividades”, contou Luana, explicando que era líder da turma e repassava os exercícios aos demais alunos, que também se veem em uma situação delicada para fazer o Enem.

Estudante potiguar Luana Félix vai prestar o Enem 2020. Ela cita desigualdade e risco de contaminação pela Covid-19 — Foto: Cedida

Estudante potiguar Luana Félix vai prestar o Enem 2020. Ela cita desigualdade e risco de contaminação pela Covid-19 — Foto: Cedida

“A dificuldade não estava só em não ter acesso aos conteúdos, mas também em compreender a matéria. Nem todos tinham tempo e estrutura para realizar as atividades. No grupo da minha turma, eu ajudei da maneira que eu pude. Pedia ajuda dos professores que eu tinha o contato, mas mesmo assim foi e está sendo muito complicado”, falou.

Segundo a Secretaria da Educação da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), menos de 10% das escolas estaduais não realizaram, em 2020, atividades não presenciais no período da pandemia.

“A SEEC buscou disponibilizar diversas ferramentas para que eles continuassem com o processo de ensino aprendizagem, seja pela internet, com materiais impressos ou aulas na TV aberta. Em algumas regiões, até aulas pelo rádio foram ministradas”, disse em nota.

A secretaria disse que as atividades são consideradas as aulas, já que para cada atividade o professor preparou uma aula e inseriu no Sistema Integrado de Gestão da Educação (Sigeduc).

A estudante Letícia Gabrielly, de 19 anos, do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), está em situação semelhante: ela também não teve nenhuma aula presencial desde março.

A situação das duas alunas é distinta dos estudantes das escolas particulares, que tiveram o retorno gradativo das atividades a partir de setembro. Muitos deles também contaram com um cronograma organizado de aulas on-line.

Diferente de Luana, no entanto, Letícia teve acesso às aulas virtuais, mas apenas por volta dos meses de agosto e setembro – pelo menos cinco meses depois da suspensão das aulas.

Para tentar não ficar para trás no conteúdo que será cobrado nas provas do Enem, ela também tentou estudar por conta própria – em casa e sem auxílio – durante esse período. E o principal recurso foi a internet.

 Letícia Gabrielly, estudante potiguar também vai prestar Enem neste ano — Foto: Cedida

Letícia Gabrielly, estudante potiguar também vai prestar Enem neste ano — Foto: Cedida

“Devido à situação atual, sem aulas presenciais e com as aulas remotas totalmente diferentes do que eu era acostumada, eu tive que optar por estudar sozinha. Comecei a procurar assuntos específicos em vídeos na internet e fazer anotações”, disse.

Letícia vai tentar aprovação em algum curso da área de saúde, que ainda não definiu, no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Mas é outra que vê suas chances menores diante de parte da concorrência nesse momento.

“Eu acredito que a minha chance de ser aprovada nos cursos que eu quero caiu muito, pois além de ter que me adaptar para as aulas remotas, ainda tem a preocupação de como o mundo se encontra diante do caos que esse vírus está causando”.

As duas estudantes dizem algo em comum: que o Enem não deveria acontecer neste momento. Além de apontar o cenário de desigualdade, elas ainda reforçam o risco de contaminação pela Covid-19 durante o exame.

“O Enem deveria ser adiado. Não concordo em ser feito agora, porque não coloca em risco só os adolescentes, mas também os familiares. Vamos passar de cinco a seis horas numa sala fechada, fora os que vão passar todo esse tempo em escolas que não tem um ventilador funcionando. Acho irresponsabilidade”, diz Luana

“Vamos pegar ônibus lotados, filas para entrar e voltar para nossas casas sem saber se estamos infectando nossa família. Além de desigual, vai ser arriscado”, completa.

Letícia cita que a prioridade neste momento deveria ser preservar vidas.

“Eu acho uma falta de noção e de empatia, nós, estudantes, termos que fazer essa prova estando suscetíveis a uma contaminação de um vírus que já matou mais de 1 milhão de pessoas no mundo inteiro. A preocupação agora deveria ser preservar a vida de todos”, falou.

“O certo seria evitar aglomeração e incentivar as pessoas a ficarem em casa e não submeter os estudantes a um grande risco de contaminação”.

G1 consultou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) sobre quantos locais e quantas salas seriam usadas na aplicação das provas do Enem neste ano. O instituto respondeu que “os dados de logística para aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 serão disponibilizados pelo Inep após a aplicação do exame”.

Escola Estadual José Fernandes Machado, em Ponta Negra — Foto: Google Street View

Escola Estadual José Fernandes Machado, em Ponta Negra — Foto: Google Street View

Enquanto as escolas privadas tiveram o retorno gradativo e híbrido iniciado por volta de setembro no estado, a rede pública de educação está se preparando para o retorno das aulas presenciais no mês de fevereiro no Rio Grande do Norte.

As escolas estaduais voltam no dia 1º de fevereiro, enquanto as municipais têm previsão para um dia depois, no dia 2. Ambas vão finalizar primeiro o ano letivo 2020 nos primeiros meses de retorno.

G1RN

Polícia encontra 33 cilindros de oxigênio escondidos em caminhão em Manaus

Manaus na pandemia
Manaus tem colapso no sistema de saúde por causa da pandemia da Covid-19

As polícias Civil e Militar do Amazonas apreenderam 33 cilindros de oxigênio que estavam escondidos em um caminhão. A descoberta ocorreu após denúncia anônima que delatou a movimentação estranha de um veículo de carga no bairro Alvorada, em Manaus. No local, os policiais encontraram o caminhão carregado com os cilindros, sendo que 26 estavam carregados.

O caso ocorreu no mesmo dia em que hospitais da cidade ficaram desabastecidos de oxigênio devido ao colapso do sistema de saúde. Por falta do produto, pacientes internados com a Covid-19 morreram asfixiados. Dono de uma empresa que comercializa os cilindros, um homem de 38 anos contou que escondeu o produto pois “ficou com medo que a população invadisse o estabelecimento em busca do material e decidiu tirá-lo do local”.PUBLICIDADE

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), ele foi preso por reter produtos para o fim de especulação e permanece à disposição da Justiça. Ainda ontem, os cilindros de oxigênio foram distribuídos para quatro unidades de saúde. 

Onze foram entregues ao Hospital Beneficente Português, seis para a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas, outros seis para o Serviço de Pronto Atendimento  (SPA) do São Raimundo e três para o SPA do Coroado.

O Tempo

Ministério da Saúde adquire oxigênio por mais 48 horas para manter bebês internados em Manaus

Maternidade Ana Braga em Manaus — Foto: Ariane Alcântara/G1 AM
Maternidade Ana Braga em Manaus — Foto: Ariane Alcântara/G1 AM

O Ministério da Saúde informou, nesta sexta (15), que adquiriu cilindros de oxigênio que devem durar 48h para manter 61 bebês prematuros em leitos de UTIs em Manaus. Estados já haviam sinalizado oferta de leitos para receber bebês e grávidas que possam ficar sem oxigênio na capital.

Manaus enfrenta colapso no sistema de saúde pela falta de oxigênio nos hospitais. O caos piorou com o aumento de recorde de internações por Covid-19 no estado.

Sem oxigênio, o governo começou, nesta quinta (14), a transferência de 235 pacientes com Covid do Amazonas para outros estados. O maior pronto-socorro do estado, HPS 28 de Agosto, passou a recusar pacientes por conta de superlotação.

De acordo com o Ministério da Saúde, a medida atende a uma solicitação do Governo do Amazonas para recém-nascidos que estavam no limite de oxigênio. A pasta informou, ainda, que busca mais balas de oxigênio para que os prematuros não precisem ser transferidos para outros estados.

“A pasta já articulou com estados e municípios a disponibilidade inicial de 56 leitos de UTI que poderão receber os recém-nascidos, caso seja necessário: 25 em Curitiba (PR), 11 em Vitória (ES), 9 em Imperatriz (MA), 4 em Salvador (BA), 3 Feira de Santana (BA), 1 em Ariquemes (RO) e 3 no município de Macapá (AM)”, informou, em nota.

O Governo Federal informou que irá prestar apoio em todo o processo logístico de remoção. Nesta quinta, a Justiça determinou que a União também realiza, imediatamente, a transferência de pacientes que podem morrer pela falta de oxigênio.

G1AM

Palmeira goleia Parnamirim e é campeão da segunda divisão do Campeonato Potiguar

Palmeira é o campeão da segunda divisão do Campeonato Potiguar — Foto: Erick Dias/FNF
Palmeira é o campeão da segunda divisão do Campeonato Potiguar — Foto: Erick Dias/FNF

O Palmeira confirmou o favoritismo, goleou o Parnamirim por 4 a 0 na tarde desta sexta-feira, no Estádio Frasqueirão, e conquistou o título da segunda divisão do Campeonato Potiguar de 2020. O Verdão do Agreste comemora o acesso e, portanto, segue na elite do Rio Grande do Norte – isto porque foi o time rebaixado na primeira divisão de 2020. O regulamento da competição permite este “benefício” de jogar a segunda divisão na mesma temporada.

Em uma disputa de pontos corridos, o Palmeira fechou a participação com 15 pontos – cinco vitórias seguidas, todas sob o comando de João Paulo Oliveira, que substituiu Hugo Chacon após a derrota para o Alecrim, na abertura da competição.

O Alecrim terminou a segunda divisão com 10 pontos, após o empate por 1 a 1 com o Visão Celeste no Barretão, em Ceará-Mirim. O Verdão de Natal amarga o terceiro ano seguido longe da elite do futebol potiguar.

Com o acesso do Palmeira, a primeira divisão do Campeonato Potiguar de 2021 terá a participação dos mesmos clubes em 2020 – ABC, América-RN, Assu, Força e Luz, Globo FC, Palmeira, Potiguar e Santa Cruz.

O jogo

O Palmeira abriu o placar aos 16 minutos, em um golaço de Michel de fora da área. Os outros gols do time de Goianinha foram marcados no segundo tempo.

Cleiton, aos oito minutos, cortou dois defensores e mandou para as redes. Juninho Maranhão, de pênalti, ampliou aos 24. Vitinho recebeu cruzamento da direita, soltou a bomba e fechou o placar aos 43.

Leia mais notícias do esporte potiguar no ge RN | ge.globo/rn

MPT participa de reunião sobre o RN+ Vacina

CoronaVac e Oxford: tudo sobre as vacinas que devem ser as primeiras usadas  no Brasil - Jornal O Globo
Foto ilustração/ da Internet

Natal (RN), 15/01/2021 – O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT-RN) participou, nesta quinta-feira (14), de reunião que apresentou o RN+ Vacina, sistema de monitoramento de vacinação do Rio Grando de Norte, elaborado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), aos Ministérios Públicos do estado do RN. O RN+ Vacina é um sistema que vai otimizar a organização, distribuição e regulação da vacina contra a covid-19 em todo o estado.

O sistema elaborado pelo LAIS aprimora o controle em tempo real da distribuição de vacinas no RN. O sistema contempla um módulo de gestão, por meio do qual é possível acompanhar o número de doses disponibilizadas pelo SUS, quem já recebeu as doses, controlar o estoque etc. E há, também, um módulo voltado para o cidadão, com estrutura idealizada para utilização em celulares, com orientações sobre autocadastro, cartão de vacina virtual e vídeos explicando a importância da vacinação. Por meio de um acesso específico, os Ministérios Públicos acompanharão os dados da vacinação pelo sistema para fiscalizar todo o processo.

De acordo com Ileana Neiva, procuradora regional do MPT-RN que participou da reunião, a vigilância em saúde é fundamental para o monitoramento de grupos prioritários. “Para o planejamento de um sistema de vacinação, é necessário que sejam considerados dados epidemiológicos e, portanto, é fundamental o trabalho de vigilância em saúde, com a notificação dos casos para a Sesap, para que se possa saber em que setores está havendo mais adoecimento pela covid e para que as ações do plano de vacinação sejam canalizadas para atender aos trabalhadores de atividades essenciais com maior risco de infecção”, observou a procuradora. Também participou da reunião, representando o MPT, o procurador-chefe do MPT no RN, Xisto Tiago de Medeiros Neto.

De acordo com o LAIS, cada cidadão do RN poderá fazer o seu autocadastro para vacinação a partir do próximo dia 18 de janeiro. A equipe do laboratório estudou os três sistemas do SUS envolvidos no plano de vacinação (SISAB, SPMI e E-SUS AB) para uni-los e propiciar a troca de dados de forma simples e personalizada para as necessidade do estado.

Além disso, salas da vacinas e vacinadores serão cadastrados e se conectarão com o sistema o RN+ Vacina. Dessa forma, será possível fiscalizar em tempo real o mapa da vacinação no estado, desde a  Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat), onde as doses ficarão armazenadas, até a distribuição.

“Quando a vacina chegar no estado, em 72 horas inicia-se a vacinação no Rio Grande do Norte”, garantiu a governadora Fátima Bezerra na reunião. De acordo com a subsecretária de Saúde do RN Maura Sombreira, Maura Sobreira, o estado do RN priorizou, para a primeira etapa de vacinação, os grupos definidos pelo governo federal. Foi feita uma parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e com a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) para capacitar os 711 vacinadores cadastrados no estado, além de um cadastro de reserva. Foram adquiridos tablets para as salas de vacinas, com chip para acesso à internet, para que os vacinadores possam atualizar o RN+ Vacina.

Santuário torna-se Patrimônio Imaterial, Histórico, Cultural e Religioso do RN

O Santuário do Monte do Galo, localizado no município de Carnaúba dos Dantas, tornou-se Patrimônio Imaterial, Histórico, Cultural, Paisagístico, Turístico e Religioso do Rio Grande do Norte. Projeto neste sentido já havia sido aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado e, nesta sexta-feira (15) a Lei sancionada pela governadora Fátima Bezerra (PT) foi publicada no Diário Oficial do Estado. A iniciativa é de autoria do deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), presidente do Legislativo potiguar.

O Santuário do Monte do Galo é uma elevação rochosa com cerca de 459 metros acima do nível do mar e foi transformado em um local de peregrinações a partir do ano de 1928. Para se chegar ao seu topo é necessário percorrer um caminho sinuoso, com escadarias decoradas com as 14 estações da Paixão de Cristo, grutas com imagens de Nossa Senhora de Lourdes e Nossa Senhora da Conceição. 

“O Santuário do Monte do Galo representa expressão da fé do povo Carnaubense, que há décadas passou a ser cenário de fiéis e peregrinos que transformaram a devoção ao mito do galo e aos milagres de Nossa Senhora das Vitórias em romaria”, disse Ezequiel na justificativa do projeto. “O contingente de pessoas que todos os anos chegam a Carnaúba dos Dantas para visitar o Santuário lhe confere não só a importância como símbolo de fé e devoção, como também de instrumento de indiscutível relevância para o desenvolvimento da economia regional, na medida em que fomenta o turismo religioso”, completou.

Presidente da Assembleia Legislativa do RN, Ezequiel Ferreira/ Foto cedida

A história do Santuário do Monte do Galo se origina do cruzamento de episódios místico, de devoção e da instalação de um cruzeiro (marco) no cume do serrote. De acordo com a literatura, havia na região um evento misterioso, semelhante ao cantar de um galo. Os vaqueiros que passavam pela região ficavam espantados com o barulho, já que sabiam que naquela região não residiam pessoas, configurando-se para eles a existência de um lugar sagrado. 

O segundo episódio, o de devoção, foi marcado pela chegada da imagem de Nossa Senhora das Vitórias ao Monte do Galo, trazida por um filho de Carnaúba – Pedro Alberto Dantas. A história conta que ele estava acometido de beribéri e, numa noite de muita febre, achando que iria falecer, viu uma Santa com manto azul que surgiu para lhe proteger. A imagem pediu para que ele levasse consigo uma imagem igual a que estava vendo para sua terra natal.

Já o terceiro e último acontecimento se deu com a instalação de um cruzeiro no topo do serrote, marco representativo da fé, do civismo e de homenagem a Caetano Dantas, fundador de Carnaúba.

Chevrolet retoma investimento de R$ 10 bi para produzir novo modelo no Brasil

Chevrolet S10 2021 é a primeira picape do país com wi-fi a bordo

CHEVROLET S10 2021 VIRA A PRIMEIRA PICAPE DO PAÍS COM WI-FI A BORDO/ RENYERE TROVÃO

Após o baque sofrido por toda a indústria mundial por conta do novo coronavírus, a Chevrolet anuncia que irá retomar o investimento de R$ 10 bilhões nas fábricas do Estado de São Paulo para a produção de novos veículos sobre a plataforma GEM. A família de mercados emergentes da marca já conta com Onix , Onix Plus e Tracker , mas outros dois modelos devem ser lançados nos próximos anos, com produção dividida entre Brasil e Argentina.

De olho no sucesso da Fiat Toro , a Chevrolet terá uma  picape inédita entre Montana e S10 . Ao lado da futura Volkswagen Tarok, antecipada pela marca alemã no Salão do Automóvel de 2018, o modelo promete colocar fogo em um segmento que só cresce no Brasil.Com a chegada da nova picape da GM, a Montana deverá se despedir do mercado.

Nova picape da GM
Kleber Pinho da SilvaProjeção antecipa possível visual da nova picape da GM, que será feita na mesma plataforma do Tracker

Entre os crossovers, a Chevrolet tem plano de renovar a Spin, mudando seu posicionamento de mercado. A minivan se tornará um crossover , baseado no utilitário Orlando que foi apresentado na China em 2019, com espaço para sete ocupantes. Quando for lançada no Mercosul, a nova Spin será posicionada entre Tracker e Equinox.

Com base nos outros lançamentos feitos sobre a plataforma GEM, pode-se assumir que ambos os modelos terão seis airbags de série, carregador de celular por indução e conectividade Wi-Fi no sistema MyLink. Abaixo do capô, os utilitários terão motores turbo.

Onde serão feitos?

Fábrica
DivulgaçãoOs dois novos lançamentos da marca terão suas produções divididas entre Brasil e Argentina

Apesar da adequação para produzir novos modelos, a Chevrolet ainda não revelou qual deles será feito no Brasil e qual irá para a Argentina . Em fevereiro do ano passado, a marca paralisou a fábrica de Santa Fe, no país vizinho, para adaptar sua linha de montagem à plataforma GEM. Logo, pode-se assumir que o modelo argentino chegará primeiro às concessionárias.

O outro utilitário será alocado em uma das duas fábricas da Chevrolet no Estado de São Paulo, que recebem o aporte bilionário. Dessa forma, o modelo pode ser feito em São Caetano do Sul – ao lado dos irmãos Onix Joy, Montana e Spin –  ou em São José dos Campos – com os utilitários S10 e Trailblazer.

Futuro incerto do Cruze

Cruze
DivulgaçãoDescontinuado em todo o mundo, Chevrolet Cruze logo deverá deixar de ser fabricado na Argentina para dar lugar ao novo modelo

Descontinuado nos Estados Unidos e na China, o Chevrolet Cruze continua sendo produzido na Argentina em suas versões hatch e sedã. A marca ainda não lançou o modelo 2021, revelando que não há pressa em renová-lo.

Com as categorias dos sedãs e hatches médios em baixa e o crescimento do interesse em SUVs por toda a América Latina, tudo indica que o Chevrolet Cruze está próximo do fim. Segundo o site Argentina Autoblog, a marca cogita lançar o chinês Monza para substituir o Cruze em alguns mercados globais. A informação não foi confirmada pela fabricante.

IG Mail

Vacina CoronaVac tem eficácia global de 50,38% nos testes feitos no Brasil, diz Instituto Butantan


A CoronaVac registrou 50,38% de eficácia global nos testes realizados no Brasil, informou nesta terça-feira (12) o Instituto Butantan, que desenvolve a vacina contra a Covid-19 em parceria com o laboratório chinês Sinovac. O anúncio ocorreu em coletiva de imprensa em São Paulo.

O índice de eficácia global aponta a capacidade do imunizante de proteger em todos os casos – sejam eles leves, moderados ou graves. O número mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de 50%.

Na semana passada, o Butantan havia divulgado que, nos testes no Brasil, a CoronaVac atingiu 78% de eficácia na prevenção de casos sintomáticos leves, mas que precisaram de cuidados médicos. Aquele anúncio, portanto, descartou os infectados que não precisaram de atendimento.

Porém, quando esse grupo também foi levado em conta, aumentou o total de casos no cálculo – chegou-se, assim, à eficácia global de 50,38% (leia, abaixo, sobre a classificação usada pela OMS).

Na prática, significa que a CoronaVac tem potencial de:

  • reduzir pela metade (50,38%) os novos registros de contaminação em uma população vacinada;
  • reduzir a maioria (78%) dos casos leves que exigem algum cuidado médico.

Além disso, nenhum dos vacinados ficou em estado grave, foi internado ou morreu.

“Esta vacina tem segurança, eficácia e todos os requisitos que justificam o uso emergencial”, defendeu o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, durante o anúncio.

Os testes da CoronaVac no Brasil foram feitos em 12.508 voluntários – todos profissionais de saúde da linha de frente do combate ao coronavírus – e envolveram 16 centros de pesquisa. Após o anúncio desta terça, especialistas disseram que a vacina é segura, evita casos graves e ajuda a frear a epidemia.

Diretor de pesquisa do Butantan, Ricardo Palácios apresentou os dados do estudo e afirmou que já estava prevista “uma eficácia menor em casos mais leves e uma eficácia maior em casos moderados e graves”.

“Nós conseguimos demonstrar esse efeito biológico esperado. Esta é uma vacina eficaz. Temos uma vacina que consegue controlar a pandemia através deste efeito esperado, que é a diminuição da intensidade da doença clínica”, disse Palácios.

VÍDEO: 'Temos uma vacina que consegue controlar a pandemia', diz Ricardo Palácios

‘Temos uma vacina que consegue controlar a pandemia’, diz Ricardo Palácios

Na sexta-feira (8), o Butantan – que é vinculado ao governo de São Paulo – encaminhou à Anvisa o pedido para uso emergencial da vacina. No dia seguinte, Dimas Covas confirmou a incorporação de todas as doses da CoronaVac ao Plano Nacional de Imunização (PNI), do governo federal, que deve gerir o calendário de distribuição das vacinas em todo o país.

Já o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira (11) que vai ser mantido o cronograma de vacinação definido pelo Plano Estadual de Imunização (PEI), com previsão de iniciar a campanha até 25 de janeiro. Ele também cobrou do Ministério da Saúde uma definição de data para o PNI.

A CoronaVac é uma vacina contra a Covid-19 que usa vírus inativados. De acordo com pesquisadores chineses, o imunizante não apresentou “nenhuma preocupação com relação à segurança”. A maioria das reações foram leves, sendo dor no local da injeção a mais comum.

VÍDEO: Principais reações adversas à Coronavac são dor de cabeça, febre e dor muscular

VÍDEO: Principais reações adversas à Coronavac são dor de cabeça, febre e dor muscular

Eficácia da CoronaVac

Veja, abaixo, os principais pontos sobre a eficácia:

  • A taxa de eficácia é uma medida relativa, que mostra a diferença entre o número de casos registrados no grupo que recebeu a vacina e o número de casos no grupo que recebeu placebo (uma substância neutra).
  • Não se trata, portanto, do percentual de pessoas que ficam imunes após a vacinação.
  • Nos testes da CoronaVac no Brasil, 1,8% dos vacinados acabaram pegando a doença. No grupo placebo, esse percentual foi de 3,6%. É uma diferença de 50,4% – vem daí o índice de eficácia global.
  • No entanto, entre os contaminados que demandaram algum tipo de atendimento médico, essa discrepância foi maior. No grupo vacinado, 0,15% das pessoas precisaram de assistência. No grupo placeboesse percentual foi de 0,7%. É uma diferença de 78% – vem daí o índice de eficácia apresentado na semana passada.
Eficácia da CoronaVac — Foto: G1

Eficácia da CoronaVac — Foto: G1

A eficácia de uma vacina contra Covid-19 é calculada com o auxílio de um protocolo da OMS que classifica os casos da doença entre os voluntários dos testes.

Essa tabela da OMS separa os voluntários em dez níveis, sendo que o nível 0 corresponde a um paciente não infectado pelo coronavírus e o nível 10 equivale a um voluntário que morreu em decorrência da Covid-19.

taxa de eficácia de 78%, apresentada pelo Butantan na última semana, foi calculada considerando somente casos da doença com pontuação maior ou igual a 3. Esse cálculo leva em conta a comparação entre o número de casos no grupo vacinado e número de casos no grupo que recebeu placebo.

Portanto a eficácia de 78% demonstra o quanto a vacina é capaz de prevenir casos em que é confirmada a infecção pelo coronavírus sintomática e com necessidade de intervenção médica.

Protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que classifica os casos da doença entre os voluntários dos testes de uma vacina. — Foto: Jornal da USP

Protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que classifica os casos da doença entre os voluntários dos testes de uma vacina. — Foto: Jornal da USP

Outro dado apresentado pelo governo estadual na última semana, a eficácia de 100% em casos graves corresponde à capacidade CoronaVac de evitar casos de Covid-19 que exigem hospitalização, ou seja, superiores a 4 na escala da OMS.

No entanto, o percentual de 100% na prevenção de casos graves não tem significância estatística no estudo. Isso porque o número de casos graves entre todos os voluntários, incluindo aqueles que receberam placebo, foi muito pequeno. Por isso, a diferença estatística entre esses dois grupos não é relevante para a pesquisa.

A eficácia de 50,38% divulgada nesta terça refere-se também pacientes com Covid-19 considerados independentes, isto é, que apresentam apenas sintomas leves, sem necessidade de intervenção médica – esse grupo compõe a o grau 2 da OMS.

O estudo não aponta a eficácia para evitar casos de pacientes assintomáticos da Covid-19, ou seja, não estima quantos voluntários receberam a vacina e tiveram a doença, mas não apresentaram nenhum sintoma, o que corresponde ao grau 1 da OMS.

Na Indonésia, dados preliminares de testes de fase 3 mostraram uma eficácia de 65,3% para a CoronaVac. O país aprovou o uso emergencial, e o presidente Joko Widodo deve receber a primeira dose nesta quarta-feira (13).

Fantástico entra no Instituto Butantan e mostra em 1ª mão produção da CoronaVac  — Foto: Fantástico

Fantástico entra no Instituto Butantan e mostra em 1ª mão produção da CoronaVac — Foto: Fantástico

Detalhes dos testes

Segundo Ricardo Palácios, diretor de pesquisa do Butantan, a CoronaVac foi testada com os profissionais de saúde porque eles têm exposição ao vírus muito maior que a população em geral.

“[O teste] não é a vida real exatamente. É um teste artificial, no qual selecionamos, dentro das populações possíveis, aquela [em] que a vacina poderia ser testada com a barra mais alta. Fizemos deliberadamente para colocar o teste mais difícil para esta vacina [CoronaVac]. Porque, se a vacina resistisse a esse teste, iria se comportar infinitamente melhor em níveis comunitários”, disse o pesquisador.

“A gente quer comparar os diferentes estudos, mas é o mesmo que comparar uma pessoa que faz uma corrida de 1km em um trecho plano e uma pessoa que faz uma corrida de 1 km em um trecho íngreme e cheio de obstáculos”, comparou.

O diretor disse ainda que a definição de caso sintomático de Covid-19 no estudo captou os sintomas “mais leves possíveis”. O critério era apresentação de um ou mais sintomas da doença por dois ou mais dias – e, então, foi feita confirmação por exame diagnóstico do tipo RT-PCR.

Segundo Palacios, essa característica “prejudica a comparabilidade deste estudo com outros estudos” de vacinas para Covid-19. O diretor apresentou a classificação da OMS para falar sobre os casos de Covid-19 entre os voluntários.

“Esta é a forma que a OMS classifica os casos de Covid-19. Ela funciona como uma pirâmide, na qual a gente tem uma base larga de pessoas que não apresentam sintoma nenhum. E, aqui nós tínhamos que fazer uma escolha: onde colocar o limite”, disse Palacios.

“Nós estamos numa definição de caso [a partir do grau da OMS] 2, de casos extremamente leves. E, aí, a gente sabia que isso era uma negociação. A eficácia vacinal, ela ia baixar, quanto mais baixássemos o score [para a definição de caso], mas a gente ia ter maior número de casos”, explicou Palácios.

‘Risco quase zero’, diz cientista

Na avaliação da bióloga e presidente do Instituto Questão de Ciência, Natalia Pasternak, que também esteve presente na coletiva desta terça, a vacina cumpre o papel de iniciar a saída do Brasil da pandemia (veja mais no vídeo abaixo).

“Temos uma vacina que é potencialmente capaz de prevenir doença, doença grave e morte. E, afinal das contas, era tudo o que a gente queria desde o começo. A gente nunca falou no começo da pandemia: ‘Eu quero a vacina perfeita'”, afirmou Pasternak.

Vacina CoronaVac tem eficácia global de 50,38% nos testes feitos no Brasil

Vacina CoronaVac tem eficácia global de 50,38% nos testes feitos no Brasil

Ela destacou que, além de diminuir as chances de contaminação, o imunizante se mostrou eficiente para reduzir as complicações provocadas pela Covid-19.

“Fazendo cruamente uma análise de risco e benefício desta vacina – eu tenho uma vacina cujo risco, pessoal, [é] quase zero, porque os efeitos adversos são irrisórios”, completou a pesquisadora.

“Mas eu tenho um benefício, que não é só para mim, mas um benefício coletivo de saúde pública, de reduzir o risco de doença em 50%. Eu quero esse benefício. Não tem justificativa de não usar uma vacina com essa condição de risco e benefício.”

Documentação entregue à Anvisa

‘Temos urgência no pedido de uso da CoronaVac, um dia faz diferença’, diz diretor do Butantan
‘Temos urgência no pedido de uso da CoronaVac, um dia faz diferença’, diz diretor do Butantan

No sábado, a Anvisa afirmou que o Butantan entregou documentação incompleta dos testes feitos no país e cobrou o envio das informações.

Na ocasião, o instituto disse que a solicitação faz parte do processo e que seria prontamente atendida. Nesta segunda, o Butantan afirmou que 48% do processo já foi concluído e que a agência já analisou cerca de 40% dos documentos enviados.

A solicitação feita pelo Butantan é para 6 milhões de doses prontas vindas da China. O instituto ainda deve fazer um novo pedido para as doses envasadas no instituto em São Paulo.

Em entrevista à GloboNews nesta terça, Dimas Covas afirmou: “Nós entramos com o pedido de uso emergencial no última dia 8 – esse pedido está em análise. Foram solicitados documentos adicionais, nós estamos oferecendo em fluxo contínuo, e esperamos que em dez dias, até o dia 18, nós tenhamos uma resposta da Anvisa” (veja mais no vídeo acima).

Plano estadual de vacinação

O Plano Estadual de Imunização (PEI) foi elaborado pelo governo paulista considerando justamente a aplicação da CoronaVac.

Questionado sobre como a data de início do plano estadual pode estar mantida – já que o Instituto Butantan assinou um contrato de exclusividade para fornecer a CoronaVac para o governo federal –, Doria disse apenas que “a exclusividade é pela vida”.

O governador alegou ainda que “o sistema nacional de imunização será respeitado e atendido por São Paulo se atender São Paulo, dentro de critérios científicos”.

A promessa de Doria é utilizar os 5,2 mil postos de vacinação já existentes nos 645 municípios do estado e ampliar a rede para até 10 mil locais de vacinação por meio da utilização de escolas, quartéis da PM, estações de trem e terminais de ônibus, além de farmácias e de pontos de vacinação no sistema drive-thru.

G1SP

Covid-19: RN tem 60% de UTIs ocupadas, as privadas estão em 71,3%, já esteve bem pior

A matemática das UTIs: 3 desafios para evitar que falte cuidado intensivo  durante a pandemia no Brasil - BBC News Brasil
Foto da Internet

O boletim indica ainda que o RN tem atualmente 465 pessoas internadas por causa da Covid-19, sendo 302 na rede pública e 163 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 60% na rede pública e de 71,3% na rede privada.

O número de testes realizados para Covid-19 no estado segue desatualizado em 385.269, sendo 205.269 RT-PCR (conhecidos também como Swab) e 180.000 sorológicos.

Mas já esteve pior, pois em notícias da Uol de junho de 2020, o RN chegou a colocar a polícia na rua para fechar o comércio, o que não irá acontecer nos dias vindouro, uma vez que o vírus está seguindo seu curso natural provocando anticorpos em pessoas assintomáticas.

Então, todo cuida é importante para que se siga com a vida econômica em crescimento. O RN não pode parar!

Covid-19: RN tem 375.050 de recuperados e descartados da doença, ontem (12) registraram 7 óbitos, síndrome gripal inconclusivo são 65.806

RN ultrapassa 125 mil casos confirmados e tem 3.115 mortes por Covid-19 |  Rio Grande do Norte | G1
Foto da Internet

O Rio Grande do Norte chegou a 125.338 casos de Covid-19 e tem 3.115 mortes pela doença desde o início da pandemia. Os dados foram atualizados boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) desta terça-feira (12). Outros 511 óbitos seguem em investigação.

São 375.050 pacientes que apresentaram os sintomas, entre esses estão, segundo o boletim, 64.608 casos suspeitos e outros 286.840 descartados. O número de confirmados recuperados continua em 88.210, e o de inconclusivos, tratados como “Síndrome Gripal não especificada”, está em 65.806.

G1RN

Vídeo mostra tentativa de assalto a ex-prefeita de Natal

Criminoso aponta arma em direção à ex-prefeita Micarla de Sousa, enquanto ela reage a abordagem dando ré no carro. — Foto: Reprodução
Criminoso aponta arma em direção à ex-prefeita Micarla de Sousa, enquanto ela reage a abordagem dando ré no carro. — Foto: Reprodução

Dois criminosos tentaram realizar um assalto à ex-prefeita de Natal, Micarla de Sousa, na noite desta terça-feira (12) no bairro San Vale, na Zona Sul de Natal. A jornalista e empresária reagiu à abordagem na frente de sua casa e conseguiu fugir acelerando o veículo. A ação foi registrada por câmeras de segurança.

A tentativa de assalto aconteceu em frente à casa da ex-prefeita, na rua Eletricista Elias Ferreira. No momento em que Micarla e a mãe dela, a empresária Miriam de Sousa chegaram à rua, abriram o portão da casa e pararam em frente à garagem. Foi nesse instantes que os dois assaltante chegaram e cercaram o veículo.

O crime aconteceu por volta das 18h30, embora o horário mostrado na câmera esteja errado. O vídeo mostra Micarla chegando em casa. Ela dirigia o veículo. A mãe dela, Miriam de Sousa, estava no banco de passageiro. No momento em que o portão abre, uma motocicleta se aproxima e dois criminosos armados cercam o veículo.

Os criminosos pararam no meio da rua. O que estava na garupa desceu e correu apontando a arma em direção a Miriam. Enquanto o piloto da moto manobrava, o comparsa, ainda com arma em punho, deu a volta no carro se dirigindo para o lado do motorista, em que Micarla estava. Foi nesse momento que a ex-prefeita reagiu, arrancando o veículo em marcha-a-ré. Ela subiu a calçada e depois foi embora. O bandido corre apontando a arma em direção ao veículo em que estavam mãe e filha e depois foge.

Em um vídeo postado nas redes sociais após o crime, a ex-prefeita afirmou que sabe que reagir é errado, mas agiu por instinto, para proteger a mãe ao lado e o filho dela, que saia de casa no momento em que o portão estava abrindo. A ex-prefeita ainda afirmou que o bandido que correu atrás dela apertou o gatilho quatro vezes, mas não conseguiu disparar a arma.

“Eu não recomendo ninguém a reagir, mas foi instinto de proteger minha mãe, foi instinto de fechar a porta. ‘Eu vou, se não ele vai entrar e fazer coisa com meus filhos’. O instinto foi esse. Jamais diria para fazer isso, mas foi instinto de filha e mãe”, disse.

Micarla tem 50 anos e é jornalista e empresária. Foi vice-prefeita, deputada estadual e prefeita de Natal entre 2009 e 2012. Depois da tentativa de assalto, ela disse que ficou com a pressão alterada, mas decidiu ir com a família pregar em um culto na igreja que frequenta no bairro Candelária, também na Zona Sul.

G1RN

Veja o Vídeo:

SEM ADIAMENTO: ENEM acontecerá nas datas marcadas

Foto da Internet

A Justiça Federal negou, nesta terça-feira (12/1), o pedido de adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A solicitação foi feita na última sexta-feira (8/1), pela Defensoria Pública da União e pelo Ministério Público Federal.

Na ação, o defensor João Paulo Dorini alegava que o recente pico de infecções por Covid-19 era um risco aos estudantes.

“Temos agora uma prova agendada exatamente no pico da segunda onda de infecções, sem que haja clareza sobre as providências adotadas para evitar a contaminação dos participantes da prova, estudantes e funcionários que a aplicarão”, assinalou Dorini.
Em decisão divulgada durante a manhã desta terça, a Justiça afirmou que as medidas de segurança contra a Covid-19, anunciadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), são suficientes para garantir a segurança dos participantes durante as provas.

Portanto, as datas seguem as mesmas: 17 e 24 de janeiro para as provas impressas e 31 de janeiro e 7 de fevereiro para o exame digital. Aproximadamente 5,78 milhões de pessoas confirmaram a participação no Enem.

Medidas de biossegurança:


O Inep respondeu à Justiça alegando que tomou uma série de medidas para evitar a contaminação dos participantes, garantindo que a aplicação será “perfeitamente possível e segura para todos os envolvidos”. Entre as ações, estão o distanciamento social, a redução da capacidade máxima das salas, a higienização dos ambientes e a exigência de máscaras de proteção facial.

Na decisão desta terça-feira, a Justiça entendeu que o Inep comprovou, por meio de documentos anexados à ação e publicados no site do instituto, “que há informações suficientes sobre as medidas de biossegurança para a realização da edição 2020 do Enem”.

“Há informações quanto à necessidade de utilização de máscaras que cubram o nariz e a boca, a obrigatoriedade de o candidato levar mais de uma máscara para a troca ao longo do dia, a orientação para higienização das mãos com álcool em gel antes de entrar na sala de provas, a disponibilização de álcool em gel nas salas de provas e nos banheiros, as regras para lanches, a necessidade de distanciamento entre os participantes e os procedimentos de ida ao banheiro e vistoria de materiais”, consta na decisão.

Além disso, foi observado que pessoas com sintomas da doença ou infectadas pela Covid-19 poderão fazer a prova em outras datas, e que o Inep investiu 25% a mais em recursos para a segurança, em relação ao Enem anterior. “Portanto, não há como acolher a alegação de falta de clareza quanto os procedimentos de biossegurança”, afirmou a Justiça.