Black Friday: uma moda do Brasil aos Emirados Árabes

Shoppers reach out for television sets as they compete to purchase retail items on Black Friday at a store in Sao Paulo
Black Friday: data é o maior dia de vendas do planeta

Uma data tipicamente americana tem se transformado em uma das principais fontes de receitas de varejistas ao redor do mundo.

Black Friday teve início à zero hora desta sexta-feira em lugares que vão desde o Reino Unido até os Emirados Árabes (onde a data leva o nome de White Friday).

No Brasil, onde milhares de pessoas esperaram a abertura das portas de lojas e supermercados à meia-noite, varejistas esperam vender mais de 2,2 bilhões de reais.

Na terra onde a data se originou, a expectativa é que, após comerem 51,65 milhões de perus durante a celebração do Dia de Ação de Graças na quinta-feira, 115 milhões de americanos façam compras nesta sexta-feira.

O faturamento deve ser até 20% maior que no ano passado, totalizando 4,2 bilhões de dólares.

A tradição é antiga: há registros de que o dia de promoções que se repete toda quarta sexta-feira do mês de novembro, exista no país desde 1869. Sua origem está ligada à necessidade dos lojistas de reverter prejuízos acumulados no ano.

Enquanto nos Estados Unidos a Black Friday sempre foi sinônimo de filas quilométricas e clientes se acotovelando nas lojas, o e-commerce foi o principal fator para o desenvolvimento da data em outros países.

Na União Europeia o faturamento dos varejistas nesta sexta-feira deve ser 450% maior do que uma sexta-feira comum.

O principal destaque do bloco é o Reino Unido, onde a Black Friday se tornou a principal data de vendas dos varejistas.

Se consumidores brasileiros reclamam que os descontos por aqui são pequenos, os britânicos também têm do reclamar: a média de redução nos preços é de apenas 9%.

No México, uma pesquisa mostra que, ao invés de se planejarem, 25% das compras dos clientes são feitas por impulso. No Brasil, o percentual está em 17%.

O risco por aqui, para os lojistas, é que o sucesso da data de compras esvazie as compras de natal. Nos vizinhos Argentina e Chile, curiosamente a Cyber Monday (que traz ofertas de eletroeletrônicos na segunda-feira posterior à Black Friday) é mais popular que a data celebrada na sexta-feira.

Nada disso, no entanto, pegou na China. Por lá, o Dia dos Solteiros, celebrado em 11 de novembro é o dia de glória dos comerciantes.

A data também é o maior dia de vendas do planeta. Em 24 horas são vendidos 25 bilhões de dólares em produtos. A Black Friday, e os varejistas ocidentais, ainda têm muito o que aprender para chegar lá.

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/economia/black-friday-uma-moda-do-brasil-aos-emirados-arabes/?bt_ee=77iLOmOdALBC1RSF8kN2vHBBUezyFfdff3Q5gGnb9nfYwjITR65rZm/ecfN52TUl&bt_ts=1511516744844

Leave a Comment