Category: Economia

JBS ameaça abandonar negócio de R$ 500 milhões em Campo Grande

Parte interna da obra (Foto: Divulgação/JBS)
Parte interna da obra (Foto: Divulgação/JBS)

Depois de anunciar a paralisação de abates de bois em 7 frigoríficos de Mato Grosso do Sul, a JBS estuda repetir a alegação de cenário de “insegurança jurídica”, para abandonar projeto de R$ 500 milhões em Campo Grande, cuja obra está adiantada. A possível decisão é o contra-ataque do grupo no “cabo de guerra” que tem, na outra ponta, a ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul).

O empreendimento, que prevê criação 600 empregos diretos, corresponde a dois projetos do grupo, denominados Orygina e JBS Feed Solutions. Trata-se de complexo farmacêutico que reúne 12 empresas.

Com metade da obra concluída, em uma área de 280 mil m² na saída para Sidrolândia, o empreendimento seria entregue no primeiro semestre de 2018. O grupo, conforme apurado pelo Campo Grande News, estaria preparando um “mega lançamento”.

Como os projetos são de alta tecnologia, iriam empregar mão de obra qualificada. Dos 600 empregos previstos, 480 seriam para profissionais com nível superior.

A plataforma iria produzir princípios ativos farmacêuticos a partir de subprodutos derivados da cadeia de proteína animal. De acordo com a JBS, Mato Grosso do Sul foi escolhido por ter participação de cerca de 40% da produção nacional da empresa.

Agora, como resposta ao bloqueio de R$ 730 milhões, determinado pela Justiça na semana passada, o grupo deve transferir o negócio a outro estado, ainda não informado. A alegação é que a decisão judicial causa insegurança jurídica.

 

 

Fonte: https://www.campograndenews.com.br/economia/jbs-ameaca-abandonar-negocio-de-rs-500-milhoes-em-campo-grande

Confira o que abre e o que fecha no feriado de Nossa Senhora Aparecida em Natal

Comércio do Alecrim, um dos polos mais importantes da capital potiguar, não vai funcionar neste feriado (Foto: Canindé Soares)
Comércio do Alecrim, um dos polos mais importantes da capital potiguar, não vai funcionar neste feriado (Foto: Canindé Soares)

Shoppings centers e supermercados de Natal têm horário diferenciado nesta quinta-feira (12) em razão do feriado nacional de Nossa Senhora Aparecida, padroeria do Brasil. Comércio de rua e bancos não abrem, segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL Natal). Confira:

Comércio de Rua

Alecrim

  • Fechado

Centro da cidade

  • Fechado

Zona Norte

  • Fechado

Shoppings

Midway Mall

  • Praça de alimentação e Lazer: 11h às 22h
  • Lojas de Departamento: 13h às 21h
  • Demais lojas: 15h às 21h

Natal Shopping

  • Praça de Alimentação e Lazer: 11h às 22h
  • Quiosques Alimentação: 13h às 22h
  • Lojas âncoras/ Mega lojas: 13h às 21h
  • Demais Lojas/ Quiosques: 15h às 21h
  • Academia Formula: 09h às 15h

Praia Shopping

  • Praça de Alimentação e Lazer: A partir das 11h.
  • Lojas e Quiosques: 15 às 21h

Cidade Jardim

  • Praça de Alimentação: A partir das 11h
  • Lojas e Quiosques: 14 às 21hs

Via Direta

  • Praça de Alimentação e Lazer: 12h às 22h.
  • Lojas e Quiosques: Abertura facultativa das 14h às 20h

Shopping 10

  • Fechado

Partage Norte Shopping Natal

  • Lojas e quiosques: 15h às 21h
  • Praça de Alimentação/Lazer: 11h às 22h

Supermercados

  • Das 7h às 21hs

 

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/confira-o-que-abre-e-o-que-fecha-no-feriado-de-nossa-senhora-aparecida-em-natal.ghtml

Preços de brinquedos variam até 396% em Natal, aponta Procon

O preço dos brinquedos na capital potiguar tem variação de até 396%. A informação faz parte da pesquisa realizada pelo Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal (Procon). Os pesquisadores visitaram 11 estabelecimentos comerciais distribuídos pelas regiões comerciais da cidade de Natal, entre os dias 2 e 5 de outubro, e coletaram os preços de bonecos, jogos, massas de modelar, entre outros brinquedos.

A maior diferença de preço encontrada na pesquisa foi de 396,79% refrente a uma boneca cujo preço variava de R$ 29,99 a R$ 119.

De acordo com o Procon, fizeram parte da comparação de preços somente os itens comercializados em, no mínimo, três estabelecimentos visitados, totalizando 108 itens comparados.

“As variações e os preços constatados referem-se aos dias em que foi realizado o levantamento, portanto, os valores atuais podem ser diferentes. Os preços praticados pelo mercado estão sujeitos a alteração conforme a data da compra, inclusive por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções. Além disso, lojas da mesma rede podem praticar preços diferenciados. Foram pesquisadas as lojas no comércio desde lojas especializadas em brinquedos, lojas de departamentos, lojas populares e hipermercados”, informou o Procon.

O levantamento aponta para uma variação de preços considerável, o que demonstra a importância da pesquisa de preços antes da compra. Mas Procon alerta que é interessante que o consumidor analise a tendência geral de preços praticados pelo estabelecimento, já que eventualmente um mesmo local pode apresentar o preço mais caro para um item e para outros ter preços mais convidativos.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia

Servidores estaduais que ganham até R$ 2 mil devem receber nesta quarta (11), diz governo do RN

Governo do Rio Grande do Norte anunciou que vai depositar nesta quarta-feira (11) o pagamento dos servidores ativos, aposentados e pensionistas que recebem até R$ 2 mil. O montante é referente à folha de setembro.

Servidores da Educação e dos órgãos da administração indireta com arrecadação própria já receberam seus salários.

Já para os servidores que ganham acima de R$ 2 mil, o governo disse que o pagamento ainda depende da disponibilidade de recursos. O prazo para isso não foi divulgado.

Fonte:https://g1.globo.com/rn/

Governo do RN confirma que só vai concluir folha de agosto em outubro

Prédio da Governadoria do RN (Foto: Thyago Macedo)

Governo do Rio Grande do Norte anunciou que vai pagar na próxima sexta-feira (29) uma parcela de R$ 4 mil a 21.800 servidores ativos, inativos e pensionistas que têm salários acima deste valor. O complemento da folha, ainda de acordo com o anúncio só deve ser depositado no dia 5 de outubro. É a primeira vez, desde que começou a pagar a folha de forma parcelada – de acordo com as faixas salariais – que a administração vai completar um mês sem concluir a folha do mês anterior.

O pagamento da próxima sexta vai representar R$ 87 milhões e será liberado após as 12h. O complemento que será depositado no dia 5 de outubro vai representar mais R$ 66 milhões.

Apesar de atrasar os salários, o governo anunciou que pagará ainda na sexta-feira (29) os salários dos servidores dos órgãos de administração indireta (que têm arrecadação própria de recursos) – caso do Detran, Ipern, Idema, Jucern e Dei – além dos servidores da Educação, que conta com recursos federais. Um total de 23 mil servidores e receberão a soma de R$ 53 milhões.

O secretário de Planejamento, Gustavo Nogueira, afirmou que o mês de setembro historicamente é o pior em arrecadação para os estados e municípios. Ele cita como exemplo a receita do Fundo de Participação do Estado – FPE que deve ficar em R$ 225 milhões em setembro.

“Em agosto deste ano recebemos do FPE R$ 268 milhões, em julho R$ 236 milhões e em junho R$ 307 milhões. Esta redução no mês citado compromete a nossa capacidade de pagamento, e, mesmo com a receita total do Estado maior em termos reais em 4,5%, se comparado com igual período do ano de 2016, ainda não é suficiente para atingirmos o equilíbrio financeiro”, afirmou.

Gustavo Nogueira também informou que ao comparar o período de janeiro a 26 de setembro de 2017 com o mesmo período de 2014 a receita total do Estado apresenta uma queda real de -2,46%. “Buscamos o equilíbrio financeiro e condições para colocar a folha de pagamento em dia e ampliar a capacidade de investimentos do Estado. Esta é uma determinação do governador Robinson Faria que perseguimos e fazemos todos os esforços para alcançar. Entretanto também dependemos do crescimento econômico do país”, concluiu.

Do G1RN

Preço do gás de cozinha sobe pela segunda vez neste mês no RN

Gás de cozinha terá segundo aumetno em setembro a partir desta terça (26) (Foto: Pedro ventura/Agência Brasília)

O preço do botijão de 13kg de gás e cozinha terá o segundo aumento em menos de um mês, desta vez de 6,9%, de acordo com o que anunciou a Petrobras nesta segunda-feira (25). No Rio Grande do Norte, o Sindicato dos Revendedores de Gás (Singás) afirma que o valor deve ficar entre R$ 60 e R$ 68. O reajuste passa a valer a partir desta terça-feira (26).

De acordo com o presidente do Singás, Francisco Correia, o aumentou pegou os revendedores de surpresa. “Não tem justificativa. Não aumentou o custo do petróleo, dos derivados, não teve data-base do pessoal. O que está acontecendo é aumento da margem de lucro da Petrobras com o nosso dinheiro”, critica o sindicalista.

No dia 6 de setembro passado, o preço do botijão foi reajustado em 12,2%, citando os impactos da tempestade Harvey na principal região exportadora do produto, além de uma situação da baixa oferta. “Somando aí já são quase 20% de reajuste no mês”, acrescenta Correia.

Nos últimos dois meses, reajustes de 6,5% e 6,7% já tinham sido realizados e, ainda segundo Francisco Correira, a expectativa é de que haja mais um aumento no próximo dia 5 de outubro.

A decisão desta segunda-feira aplica-se exclusivamente ao gás liquefeito de petróleo de consumo residencial em botijões de 13 kg, e o ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos.

Do G1RN

Deputados aprovam à unanimidade pedido de empréstimo de R$ 698 milhões para Governo

O pedido de empréstimo de R$ 698 milhões do Governo do Estado à Caixa Econômica Federal foi autorizado pela Assembleia Legislativa. A votação aconteceu durante a sessão plenária desta quinta-feira (21). Os deputados aprovaram à unanimidade a mensagem 140/2017. Outra matéria também aprovada por todos os deputados foi a mensagem 137/2017, alterando a lei 9.626 de 2012, que previa obras exclusivamente para a Avenida Engenheiro Roberto Freire.

A alteração na lei irá permitir que os recursos da ordem de R$ 234,8 milhões possam ser aplicados em mobilidade urbana, saneamento básico e projetos de infraestrutura turística para os municípios de Natal, Macaíba, Parnamirim, Extremoz e São Gonçalo do Amarante. Uma dessas obras é a reforma e ampliação do Centro de Convenções de Natal.

“A Assembleia deu uma lição de amadurecimento, com deputados de situação e oposição ao Governo votando favoráveis a esse empréstimo e diante de um pleito de todos nós, serão destinados cerca de R$ 50 milhões para a área de segurança. Acreditamos que com isso iremos amenizar o sofrimento do cidadão, que está aflito no seu direito de ir e vir. A Assembleia sai maior num debate como esse, principalmente porque os recursos irão amenizar os problemas mais graves do Estado”, afirmou o presidente do Legislativo, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB).

Originalmente, estavam previstos cerca de R$ 11,5 milhões para a área de Segurança e foi ampliado para R$ 50 milhões. Desse valor, R$10 milhões serão destinados à Polícia Civil, garantidos por emenda parlamentar. Na discussão das matérias, o líder governista, deputado Dison Lisboa (PSD) defendeu a necessidade dos recursos para ampliar a capacidade de investimento do Governo. “Os recursos serão usados na saúde, rodovias, amortização da dívida, saneamento básico e segurança. Foi uma atitude extremamente louvável ampliar os recursos para a Segurança. E o mais importante aqui é o objetivo do governo em pagar uma folha de pagamento, desafogando a fonte 100, responsável pelo custeio da máquina administrativa”, afirmou.

No debate que antecedeu a votação, o deputado Getúlio Rêgo (DEM) afirmou que o momento era uma boa oportunidade para que sejam esclarecidos os motivos pelos quais os deputados iriam votar favorável à matéria: “É inegável as dificuldades que o Governo enfrenta. Mas faltou o cuidado de estabelecer um planejamento estratégico para compatibilizar a receita com despesa, a fim de garantir estabilidade no processo da contabilidade estadual. Esse novo empréstimo vai gerar dificuldades para o próximo governante, como o pagamento da dívida acrescida do projeto que estamos votando hoje. É preciso ficarmos atentos para os passos futuros que vão acontecer daqui pra frente, pois o governo tem obrigação redobrada de buscar alternativas e políticas de segurança eficientes que devolvam tranquilidade às pessoas”, disse.

Outros deputados também participaram do debate sobre a aplicação dos recursos, cobrando a utilização efetiva dos empréstimos na melhoria da qualidade de vida da população do Rio Grande do Norte.

Outros projetos 
De iniciativa parlamentar, foram aprovados os projetos 148/2016, que determina a obrigatoriedade de divulgação dos gastos públicos em eventos culturais; projeto 21/17, denominando de “Rodovia Deputado Patrício Júnior” a RN 117, no trecho que liga o entroncamento da BR 226 ao município de Martins; o projeto 125/2016, que obriga os estabelecimentos hoteleiros a identificarem crianças e adolescentes hospedados e o040/2017, que institui o Dia do Homem Cristão.

Terceirização vira motivo de guerra entre Riachuelo e MPT

Foto: Internet

As novas regras da legislação trabalhista viraram motivo de ‘guerra’ entre o presidente da Riachuelo, Flávio Rocha, e o Ministério Público do Trabalho do Rio de Grande do Norte. A varejista é acusada de terceirizar produções com condições inferiores que as dos trabalhadores da empresa. O MPT, por sua vez, pede uma indenização de R$ 37 milhões.

Segundo o MPT, que fiscalizou 50 pequenas confecções em 12 municípios no Rio Grande do Norte, chegou à conclusão que os trabalhadores terceirizados “recebem menor remuneração e têm menos direito” do que os contratados da Guararapes, dona da Riachuelo. As informações são da revista Exame.

Nas redes sociais, Rocha tem criticado diretamente a procuradora Ileana Mousinho, responsável pela ação. Ele acusa Mousinho de perseguição. A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho emitiu uma nota defendendo a procuradora afirmando que o empresário usa “mentiras e acusações levianas e irresponsáveis”.

Após a nota da associação, Flávio Rocha pediu “desculpas” e afirmou que estava defendendo os interesses da Guararapes Confecção. “Se fui enfático nas críticas foi porque o que está em jogo é o emprego de milhares de pessoas”, escreveu.

 

Fonte: http://girobusiness.com.br/terceirizacao-vira-motivo-de-guerra-entre-riachuelo-e-mpt/

Gás de cozinha vendido no RN deve chegar a R$ 90 até abril de 2018, diz sindicato

Gás de cozinha teve aumetno de 12,2% em todo país a partir da madrugada desta quarta (6) (Foto: Pedro ventura/Agência Brasília)

O preço do botijão de gás de cozinha vendido no Rio Grande do Norte, que atualmente custa entre R$ 50 e R$ 55, deverá subir a R$ 90 até abril de 2018. A estimativa é do Sindicato dos Revendedores de Gás do estado. Já a partir desta quarta-feira (6), quando passa a valer um aumento de 12,2% anunciado pela Petrobras, os valores poderão ficar entre R$ 58 e R$ 65.

De acordo com o presidente do Singás/RN, Francisco Correia, os reajustes para o consumidor final serão maiores que os 12% anunciados porque setembro é o mês da data-base dos trabalhadores do setor (renegociação dos salários), o que normalmente provoca aumento. Com isso, o aumento total deverá ficar em 17%.

Entretanto, de acordo com ele, a mudança ocorre principalmente por causa da atual política da Petrobras. Correia argumenta que a estatal quer igualar o preço do produto ao praticado na Europa, mas não leva em conta particularidades locais, como a produção de gás no país e a realidade dos consumidores.

Nos últimos dois meses, reajustes de 6,5% e 6,7% já tinham sido realizados. “Três meses atrás o preço médio aqui no estado era de R$ 45”, conta o empresário.

A estimativa do setor é que até abril o aumento total seja de 45%. “Não houve aumento de insumo. A Petrobras está simplesmente igualando os preços ao praticado na Europa e aumentando seu caixa”, afirmou. “Nem leva em conta que temos produção logo aqui, em Guamaré”, reforça.

“Isso é ruim para o consumidor e para nós também. O preço pode ficar até maior, porque também existe aumento dos impostos”, considerou o representante do sindicato.

Ainda segundo o sindicato, o preço só será reajustados nas revendedoras conforme o estoque for renovado – processo que já começa nesta quarta-feira (6) vai até o final da semana.

Do G1RN

Bandeira ficará amarela e potiguar pagará menos pela energia em setembro

Valores das bandeiras tarifárias aprovados pela Aneel para 2017 (Foto: Arte/G1)

No mês de setembro os potiguares devem pagar menos pela energia. Isso porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que a bandeira tarifária cairá de vermelha, patamar 1, para amarela no mês de setembro. Isso significa que a cobrança extra nas contas de luz cairá de R$ 3 para R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos.

Durante o mês de agosto, vigorou a bandeira vermelha, que aplicou uma cobrança extra nas contas de energia de R$ 3 para cada 100 kWh.

Os recursos arrecadados pela cobrança da bandeira tarifária servem para cobrir o aumento nos custos da geração de energia no país. A mudança na cor da bandeira, de vermelha para amarela, indica que esse custo baixou nas últimas semanas.

Isso ocorre quando o país usa menos energia das termelétricas, usinas que geram eletricidade mais cara, por meio da queima de combustíveis.

Fonte: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/bandeira-ficara-amarela-e-potiguar-pagara-menos-pela-energia-em-setembro.ghtml

Câmara retira de PEC porcentagem de recursos para fundo eleitoral

cédulas de reais
Dinheiro: o dispositivo foi retirado do texto por 441 votos a 1 (Vinicius Tupinamba/Thinkstock)

Brasília – A Câmara dos Deputados decidiu nesta quarta-feira retirar do texto da PEC que cria um fundo de financiamento eleitoral o dispositivo que determinava a percentagem da Receita Corrente Líquida a ser destinada às campanhas.

Segundo deputados que defendiam a supressão desta parte do texto, a definição do montante do fundo ficará a cargo da Comissão Mista de Orçamento (CMO).

O dispositivo foi retirado do texto por 441 votos a 1.

Este foi o primeiro ponto da polêmica PEC a ser analisado pela Câmara dos Deputados, após muitos embates, divergências e adiamentos.

Deputados ainda devem debater o sistema eleitoral a ser adotado nas próximas eleições, e outros temas como a reeleição e as datas de eleição e posse.

 

Fonte:http://exame.abril.com.br/brasil/camara-retira-de-pec-percentagem-de-recursos-para-fundo-eleitoral/

Dívida pública e fiscalização eleitoral nas manchetes de 21/08/17

(Montagem/VEJA.com)

O crescimento da dívida pública brasileira e a fiscalização eleitoral do fundo para financiamento de campanha estão nas manchetes dos jornais nesta segunda-feira. O endividamento público supera 80% do PIB, segundo critério do FMI, e não deve parar de subir antes de 2022. Segundo a Folha de S.Paulo, só o Brasil apresenta uma trajetória explosiva de endividamento entre as grandes economias emergentes. No Estado de S.Paulo, reportagem destaca que a estrutura da Justiça Eleitoral é considerada insuficiente para analisar as contas dos partidos, enquanto o Globo revela que o Conselho Nacional de Justiçadesistiu da meta de analisar 80% dos processos de crime contra a vida.

Folha de S.Paulo
Alta da dívida faz Brasil destoar de países emergentes
A dívida pública ultrapassou o equivalente a 80% da renda nacional, segundo critério do FMI. Para o governo, que adota outro cálculo, a dívida está em 73% do PIB. Em um caso ou em outro, é um patamar que destoa entre as grandes economias emergentes, e não será interrompida antes de 2022. Para estancar a escalada da dívida, seria necessário destinar ao pagamento de juros uma parcela expressiva da receita da União. 

O Estado de S.Paulo
Fundo de R$ 3,6 bi deve sobrecarregar fiscalização eleitoral
Enquanto a discussão do fundo público de R$ 3,6 bilhões para financiamento de campanha avança na Câmara, a fiscalização da aplicação dos recursos deve desafiar a estrutura da Justiça Eleitoral. O presidente do TSE, Gilmar Mendes, admite que será difícil analisar a destinação da verba. Há, atualmente, 148 servidores escalados para avaliar as contas anuais dos partidos. Se o fundo público for aprovado, cada um ficaria responsável por fiscalizar a destinação de R$ 24 milhões. 

Brasil tem 28 mil assassinatos em 6 meses
Foram cometidos 28,2 mil assassinatos, somando homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios, no Brasil no primeiro semestre, 6,7% a mais do que no mesmo período de 2016. São 155 casos por dia. A alta é puxada pelo Nordeste: quatro Estados tiveram aumento no número de mortes.

O Globo
Justiça desiste de meta para julgar crimes contra a vida
Em 2015, o CNJ tinha como meta a análise de 80% dos processos de crimes dolosos contra a vida que ingressaram nos tribunais brasileiros até 2012. Porém, o objetivo foi abandonado pelo conselho, que passou a tão somente monitorar o andamento dessas ações. Apenas 10,9% da fila de 72,4 mil ações penais iniciadas até 2012 foram julgadas.

Valor Econômico
Déficit alto põe governo sob risco de crime fiscal
A equipe econômica está preocupada com os riscos de descumprimento da chamada “regra de ouro” das finanças públicas, o artigo 167 da Constituição, que proíbe a emissão de dívida em valor superior às despesas de capital (essencialmente investimentos) do exercício.

Jornal do Commercio
Pernambuco eleva taxa nacional de homicídios
Derrocada do Pacto Pela Vida é um dos fatores que faz o Estado puxar para cima os números nacionais. Ceará e Rio Grande do Norte também estão mais violentos. Tráfico está na raiz da maioria dos crimes.

 

Fonte:http://veja.abril.com.br/brasil/divida-publica-e-fiscalizacao-eleitoral-nas-manchetes-de-210817/#

Petrobras divulga edital de concurso para 954 vagas

Fachada da Petrobras (Foto: Reprodução/GloboNews)
Fachada da Petrobras (Foto: Reprodução/GloboNews)

A Petrobras divulgou, nesta segunda-feira (14), edital de processo seletivo público para 954 vagas em cargos de níveis médio e superior. São 159 oportunidades imediatas e 795 para cadastro de reserva. Os salários vão de R$ 3.681,63 a R$ 9.786,14.

Do total das oportunidades, 5% são reservadas para pessoas com deficiência e 20% para negros. A Cesgranrio é a organizadora responsável pela seleção.

Os cargos de nível superior são para médico do trabalho júnior.

As vagas de nível médio/técnico são para técnico de enfermagem do trabalho júnior, técnico de inspeção de equipamentos e instalações júnior, técnico de manutenção júnior/caldeiraria, técnico de manutenção júnior/elétrica, técnico de manutenção júnior/instrumentação, técnico de manutenção júnior/mecânica, técnico de operação e técnico de segurança júnior.

As oportunidades são para os polos de Alagoas, Sergipe, Amazonas, Alto do Rodrigues (RN), Mossoró (RN), Natal, São Mateus (ES), Rio de Janeiro e Sudeste – Anchieta (ES), Angra dos Reis (RJ), Bertioga (SP), Cubatão (SP), Duque de Caxias (RJ), Guarujá (SP), Itaboraí (RJ), Itanhaém (SP), Macaé (RJ), Rio de Janeiro, Santos (SP), Seropédica (RJ) ou Vitória.

As inscrições podem ser feitas de 15 de agosto a 4 de setembro pelo site www.cesgranrio.org.br. A taxa é de R$ 47 para nível médio e R$ 67 para nível superior.

As provas objetiva e discursiva serão aplicadas em 1º de outubro, nas cidades de Natal, Maceió, Aracaju, Manaus, Rio de Janeiro, Vitória, Macaé (RJ), Santos (SP) e Vitória.

O processo seletivo terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado, uma vez, por igual período.

Últimas seleções

Os dois últimos processo seletivos da Peobtras foram realizados em 2014 e 2015. Em 2014, foram mais de 8 mil vavgas em cargos de níveis médio e superior. Foram 310.893 candidatos inscritos, cerca de 470 candidatos por vaga. O resultado final foi divulgado em janeiro de 2015. Já em maio de 2015, a seleção foi para 158 vagas para advogados.

Resultados

A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 316 milhões no 2º trimestre, informou a estatal na semana passada. O resultado representa uma queda de 14,6% em relação ao 2º trimestre de 2016 e um recuo de 93% na comparação com o 1º trimestre.

Trata-se do terceiro trimestre seguido de ganhos. No 1º trimestre, a petroleira tinha registrado lucro de 4,45 bilhões. Em 2016, a Petrobras acumulou prejuízo de R$ 14,8 bilhões, no 3º ano seguido de perdas.

Segundo a estatal, o resultado refletiu “as menores margens de derivados, a diminuição do volume vendido e redução das despesas operacionais”.

Petrobras

Vagas: 954

Salário: R$ 3.681,63 a R$ 9.786,14

Inscrições: 15 de agosto a 4 de setembro

Taxa: R$ 47 e R$ 67

Prova: 1º de outubro

Fonte: http://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/petrobras-divulga-edital-de-concurso-para-954-vagas.ghtml

Indústria criou 375 mil vagas em um trimestre, aponta IBGE

Indústria de alimentos
Indústria de Alimentos: puxou aumento, tanto formal como informalmente (Angel Navarrete/Bloomberg)

Rio – A indústria criou 375 mil postos de trabalho em um trimestre, o equivalente a um aumento de 3,3% no total de ocupados no setor. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta sexta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar da boa notícia, a expansão se deu por meio de um aumento de trabalhadores informais, especialmente na indústria alimentícia. “Que indústria é essa que está aumentando o contingente de ocupados? A gente vê que a frequência maior se dá sobre o contingente de trabalhadores sem carteira assinada”, ressaltou Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE. “A indústria extrativa não se altera, é a indústria de transformação que contrata. E quem puxou foi a indústria alimentícia”, explicou.

No segundo trimestre, o total de ocupados no País cresceu 1,4% em relação ao primeiro trimestre do ano, com a criação de 1,289 milhão de vagas. Outros setores que contrataram no período foram comércio, com 199 mil funcionários a mais; transporte, armazenagem e correio, com mais 131 mil; alojamento e alimentação, mais 77 mil; serviços domésticos, 39 mil a mais; administração pública, defesa, seguridade social, educação e saúde, mais 485 mil novas contratações; e outros serviços, com a geração de 238 mil novos postos.

Segundo Azeredo, houve elevação no montante de pessoas trabalhando por conta própria no segmento de cabeleireiros e serviços de beleza, que se enquadram na categoria de “outros serviços”, e como motoristas de passageiros, o que pode ser explicado por um maior número de motoristas de aplicativos como o Uber.

“O avanço no setor de transporte se caracteriza principalmente por uma entrada de motorista de passageiros. É possível que seja motorista de aplicativo, mas a pesquisa não consegue fazer essa distinção”, ponderou ele. “A gente não tem como separar qual é o motorista de táxi e o de aplicativo. Mas a gente sabe que o aplicativo é uma forma de resgate do emprego. A pessoa perde o emprego e se insere no aplicativo”, completou.

No caso do segmento de Administração Pública, o coordenador do IBGE disse que houve um movimento sazonal de contratação após uma demissão tradicionalmente mais acentuada ao fim de cada ano.

“Na administração pública, 48% desse grupamento é voltado para a educação, e ela teve um peso importante. É comum que no fim do ano as prefeituras demitam professores para fechar as contas, depois contratam de novo. Esse aumento de alta e baixa é sazonal”, disse.

 

Fonte:http://exame.abril.com.br/economia/industria-criou-375-mil-vagas-em-um-trimestre-aponta-ibge/

Suspensão de aumento de impostos de combustíveis causa prejuízo diário de R$ 78 milhões, diz governo

Resultado de imagem para Preços de combustíveis

O governo federal afirma que a suspensão do aumento de tributos sobre a gasolina, diesel e etanol, determinada na terça-feira (26), por um juiz de Brasília, causa um prejuízo de R$ 78 milhões por dia. O argumento é citado no recurso da Advocacia Geral da União (AGU), com base em informações repassadas pela Secretaria do Tesouro Nacional.

O juiz substituto Renato Borelli, da 20ª Vara Federal de Brasília, determinou na terça-feira (25) a suspensão imediata do decreto publicado na semana passada pelo governo que elevou a alíquota de PIS/Cofins que incide sobre a gasolina, o diesel e o etanol.

Sem a receita prevista com o aumento do imposto, o Tesouro Nacional argumenta que vários programas do governo poderão não ter continuidade, e isso envolve o Ministério da Saúde, de Segurança Pública e até o Bolsa Família (veja a nota do Tesouro na íntegra abaixo).

A decisão liminar (provisória) vale para todo o país e atendeu a pedido feito em uma ação popular, movida pelo advogado Carlos Alexandre Klomfahs.

Apesar de determinar a suspensão imediata do decreto, tecnicamente a decisão só vale quando o governo for notificado. A decisão também determina o retorno dos preços dos combustíveis.

O aumento começou a valer na sexta (21). Segundo o governo, a tributação sobre a gasolina subiu R$ 0,41 por litro e mais que dobrou: passou a custar aos motoristas R$ 0,89 para cada litro de gasolina, se levada em consideração também a incidência da Cide, que é de R$ 0,10 por litro.

A tributação sobre o diesel subiu em R$ 0,21 e ficou em R$ 0,46 por litro do combustível. Já a tributação sobre o etanol subiu R$ 0,20 por litro.

Governo anuncia alta de tributos sobre combustíveis (Foto: Ministério da Fazenda )

Governo anuncia alta de tributos sobre combustíveis (Foto: Ministério da Fazenda )

Borelli aponta que a decisão do governo de elevar a tributação sobre os combustíveis via decreto é inconstitucional. De acordo com o juiz federal, “o instrumento legislativo adequado à criação e à majoração do tributo é, sem exceção, a Lei, não se prestando a tais objetivos outras espécies legislativas.”

Ele aponta que a medida do governo prejudica o consumidor e não respeitou o princípio segundo o qual nenhum tributo será cobrado antes de 90 dias da publicação da lei que o instituiu ou aumentou.

“Não pode o Governo Federal, portanto, sob a justificativa da arrecadação, violar a Constituição Federal, isto é, violar os princípios constitucionais, que são os instrumentos dos Direitos Humanos”, afirma Borelli na decisão.

No recurso, o governo afirma que a decisão de elevar a tributação via decreto não é inconstitucional e que os efeitos da decisão do juiz de Brasília repercutem diretamente sobre todos os cidadãos brasileiros, que dependem dos bens e serviços e da estabilidade econômica e social, cujo suporte é a arrecadação da União. “A manutenção da medida outorgada, nesse sentido, agride a própria Magna Carta também nas disposições que consagram a supremacia do interesse público”, alegou a AGU.

Contas públicas no vermelho

Com o aumento da tributação sobre os combustíveis, o governo espera uma receita adicional de R$ 10,4 bilhões no restante de 2017. O objetivo da medida foi elevar a arrecadação federal, que neste ano tem ficado abaixo da esperada.

Por conta da baixa arrecadação, o governo enfrenta dificuldades para cumprir a meta fiscal deste ano, que é de déficit (despesas maiores que receitas) de R$ 139 bilhões.

Nota do Tesouro Nacional citada no recurso:

A decisão judicial em comento suspende a vigência do Decreto nº 9.101, de 20/07/2017, que alterou alíquotas dos tributos Cofins e PIS/PASEP. Tal decisão impossibilitará que sejam arrecadados R$10.396,0 milhões, entre os meses de julho e dezembro de 2017. A cada dia, perde-se R$ 78 milhões de reais, que deixam de ingressas nos cofres públicos e impedem o financiamento das funções de governo.

Sem o ingresso dessa receita no caixa da União, vários programas do Governo Federal estarão ameaçados de continuidade, entre os quais gastos do Ministério da Saúde, de Segurança Pública, execução do Bolsa Família.

Atualmente, encontram-se contingenciadas R$39,0 bilhões de despesas do Governo Federal.

Nesse sentido, caso não fosse implementada essa medida de aumento de receita no último Relatório de Reavaliação Bimestral de receita e despesas, seria necessário um contingenciamento adicional de R$16,3 bilhões em despesas do Governo Federal, ao invés do valor de R$ 5,9 bilhões realizados, o que corresponderia a cerca de 15% de todos os recursos contingenciáveis.

O contingenciamento final alcançaria 38% do total, algo impraticável para a execução orçamentária do ano, e afetaria fortemente a continuidade de alguns programas.

Por outro lado, devido à frustração de receitas programadas e, sem o mencionado contingenciamento, o Governo Federal estaria descumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei de Diretrizes Orçamentárias, que fixa para este ano uma meta de déficit primário de R$139,0 bilhões. Nesse sentido, devido a total impossibilidade de novos cortes nas despesas federais – que levariam à paralização de programas e serviços essências à população, tais como, funcionamento de hospitais, compra de vacinas e medicamentos, segurança pública e merenda escolar – o Governo Federal optou pelo o aumento dos tributos referidos.

Assim, caso venha a ser confirmada a suspensão do aumento das alíquotas dos tributos Cofins e PIS/PASEP, não restará outra alternativa ao Governo Federal que não a suspensão dos serviços citados.

Além disso, não há mais prazo necessário para a implementação de outras medidas tributárias em substituição ao PIS e Cofins sobre combustíveis, ainda no atual exercício, uma vez que, na sua maioria, dependem de aprovação pelo Congresso Nacional.

Fonte:http://g1.globo.com/economia/noticia/governo-diz-que-prejuizo-diario-e-de-r-78-milhoes-com-suspensao-de-decreto-sobre-combustiveis.ghtml