Category: Educação

Enem 2017 será aplicado em dois domingos consecutivos

Resultado de imagem para Enem

O Ministério da Educação (MEC) anunciou mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que, este ano, será realizado em dois domingos consecutivos – dias 5 e 12 de novembro – e não mais em um único fim de semana. As inscrições estarão abertas de 8 a 19 de maio.

A medida deverá beneficiar os sabatistas, integrantes de religiões que guardam o sábado. Até o ano passado, eles tinham que ficar em uma sala até o sol se pôr e faziam as provas de sábado à noite.

Os candidatos interessados em fazer o exame devem pagar uma taxa de inscrição. São isentos do pagamento da taxa os estudantes concluintes do ensino médio em escolas públicas e os participantes de baixa renda.

Os estudantes isentos que não comparecerem e não justificarem a ausência perderão o benefício em 2018, caso queiram fazer a prova novamente.

As mudanças foram feitas com base em consulta pública realizada pelo ministério.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/brasil/enem-2017-sera-aplicado-em-dois-domingos-consecutivos/

MEC libera R$ 22,9 milhões para bolsas de ensino superior

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) vai receber R$ 22,94 milhões para pagamento de bolsas destinadas a estudantes do ensino superior. Os recursos foram liberados pelo Ministério da Educação nesta quinta-feira (23).

A maior parte da liberação financeira, R$ 14,15 milhões, vai beneficiar cerca de 18 mil estudantes cadastrados no programa Bolsa Permanência (PBP). O benefício é concedido a estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica, além de indígenas e quilombolas.

 

 

De Robson Pires

UFRN finaliza cadastro dos aprovados no Sisu nesta quarta-feira (8)

Campus central da UFRN, em Natal (Foto: UFRN/Divulgação)

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) finaliza o cadastramento dos aprovados na primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) nesta quarta-feira (8). A maior instituição pública de ensino superior do estado dispôs 6.898 vagas para o período letivo de 2017.

O cadastramento é válido para 107 cursos em seis campi da UFRN. Do total de vagas, 3.440 serão ofertadas na ampla concorrência 3.458 pelo sistema de cotas.

Confira o edital de cadastramento na UFRN pelo SiSU 2017.1

As datas de atendimento variam de acordo com o campus para o qual seja destinada a vaga, distribuídas da seguinte forma: campi Natal e Macaíba nos dias 3, 6, 7 e 8. Campus Caicó ou curso multicampi de Medicina (Caicó, Currais Novos e Santa Cruz) nos dias 6, 7 e 8 e campi de Currais Novos e Santa Cruz nos dias 7 e 8.

A pró-reitoria de Graduação recomenda aos estudantes acessar o edital disponível em sisu.ufrn.br, onde poderão consultar dia e local do cadastramento, além dos documentos e declarações necessários. O horário de atendimento será das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h em todos os pontos de cadastramento.

Os que não foram aprovados na primeira chamada têm até o dia 10 de fevereiro para acessar o endereço eletrônico do Sisu (sisu.mec.gov.br), e manifestar interesse em participar da lista de espera para ocupação de vagas remanescentes. A lista de segunda chamada será divulgada pela UFRN no dia 18 de fevereiro, e o cadastramento acontecerá entre os dias 21 e 24 do mesmo mês.

 

ProUni oferece 214 mil bolsas no primeiro semestre; inscrições começam na terça

As inscrições para o processo seletivo do Programa Universidade para Todos (ProUni) serão abertas à 0h de terça-feira (31). Ao todo, serão oferecidas 214.110 bolsas de estudos no primeiro semestre deste ano. O período de inscrições se encerrará às 23h59 (horário de Brasília) de 3 de fevereiro. Segundo o Ministério da Educação (MEC), essa é a maior oferta de vagas desde a criação do programa.

Do total de bolsas ofertadas, 103.719 são integrais e 110.391, parciais – o governo federal cobre 50% da mensalidade. As inscrições devem ser feitas na página eletrônica do programa. O candidato deve informar o número de inscrição e a senha usados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016. É possível escolher até duas opções de curso, por ordem de preferência.

ProUni

Criado em 2004, o programa oferece bolsa de estudo integral ou parcial (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. O programa é dirigido a egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular, na condição de bolsistas integrais.

O estudante precisa comprovar renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio para a bolsa integral e de até três salários mínimos para a parcial. A seleção ocorre duas vezes por ano.

 

agenciabrasil.ebc.com.b

Enem 2016: resultado com as notas individuais é liberado

Resultado de imagem para Enem

As notas com os resultados individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 foram divulgadas nesta quarta-feira (18). Para ter acesso, o participante precisa digitar CPF e senha no sitehttp://enem.inep.gov.br/participante. O resultado também pode ser conferido pelo aplicativo oficial do Enem.

Logo após a divulgação, a página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou instabilidade. No Twitter, usuários reclamavam que não conseguiam checar as notas.

Por volta das 12h, a presidente do Inep, Maria Inês Fini, admitiu o problema. “A consulta está à disposição, embora nosso site esteja sofrendo inúmeros ataques de pessoas que torcem contra a educação brasileira”, disse Maria Inês Fini.

A presidente do Inep não deu detalhes de como ocorreram ou quem seriam os responsáveis pelos atos contra a página do Enem. “Estamos reagindo a esses ataques, tentando recuperar e colocar novamente no ar”, afirmou Maria Inês.

Segundo o site “Is it down right now”, que acompanha a estabilidade de serviços conectados, a página enem.inpe.gov.br chegou a ficar fora do ar para todo mundo. O problema no acesso começou por volta das 11h30. Por volta das 18h, as instabilidades ainda persistiam.

Dados e acesso

Os candidatos podem conferir as notas de cada uma das quatro provas – ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática – e da redação.

Para fazer a consulta, o participante deve fazer login no site do Enem com dados pessoais e senha. Quem perdeu o código pode resgatá-lo no botão “esqueci minha senha” disponível no sitehttp://enem.inep.gov.br/participante.

Usos das notas do Enem

As notas do Enem podem ser usadas para disputar vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificado (Sisu), ou ainda para bolsas e financiamentos em universidades privadas.

SISU
Inscrições: 24 a 27 de janeiro

PROUNI
Inscrições: 30 de janeiro a 2 de fevereiro

FIES
Inscrições: 6 a 9 de fevereiro

O Programa Universidade para Todos (Prouni) oferece bolsas de estudo na rede privada, e leva em contaa partir do desempenho no Enem e da situação socioeconômica do candidato. Com a nota do Enem, também é possível participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

No Sisu 2017, estudantes que fizeram qualquer uma das três edições do Enem realizadas em 2016 poderão concorrer a uma das 238 mil vagas.

Candidatos com mais de 18 anos podem ainda usar o Enem para receber a certificação do ensino médio.

Queda no desempenho

Se considerada a média total dos participantes, houve queda na nota em ciências humanas e ciências da natureza. No mesmo critério, subiu o resultado geral em linguagens e em matemática.

Já em redação diminuiu o total de alunos que conseguiram nota mil, que é a máxima possível. O Inep ainda apontou que houve aumento significativo na parcela de participantes que tiraram nota zero.

Caderno de prova do Enem 2016 (Foto: )Caderno de prova do Enem 2016 (Foto: )

Caderno de prova do Enem 2016 (Foto: )

Mudanças no Enem 2017

Nesta quarta também foi aberta a consulta pública que vai reunir sugestões de mudanças no Enem. As contribuições podem ser enviadas em um formulário disponível no link http://www.inep.gov.br/. A consulta pública está aberta até 10 de fevereiro.

O MEC estuda maneiras de economizar na realização do próximo exame. Entre as decisões já tomadas está eliminar uma das funções do Enem: a certificação de conclusão do ensino médio.

A partir deste ano, pessoas maiores de 18 anos que não terminaram o ensino médio na idade regular deverão fazer o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Fonte:http://g1.globo.com/educacao/noticia/enem-2016-notas-ja-podem-ser-consultadas.ghtml

MEC realiza consulta pública sobre mudanças no Enem

Mais de 700 mil pessoas já acessaram a página do Inep; sugestões podem ser enviadas até 10 de fevereiro

Resultado de imagem para Estudante no enem
Imagem copiada do Google

O Ministério da Educação (MEC) abriu nesta quarta-feira (18) consulta pública para avaliar a possibilidade de o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ser aplicado em apenas um dia, entre outras mudanças.

As sugestões devem ser apresentadas na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). O Inep registrou mais de 10 mil participações só na primeira hora no ar. Até o início da tarde de hoje, a consulta, que vai até 10 de fevereiro, teve mais de 700 mil acessos.

Os interessados precisam preencher quatro quesitos. O primeiro trata da aplicação das provas. O MEC quer saber se elas podem ser realizadas em apenas um dia.

No caso de permanecerem os dois dias do formato atual, o Ministério da Educação deseja saber quais seriam os ideais: no domingo e na segunda-feira; em dois domingos seguidos; ou continuaria mesmo no sábado e domingo. Algumas religiões, como a adventista e a judaica, costumam guardar os sábados e uma troca nos dias atenderia a essa peculiaridade, por exemplo.

A consulta inclui, ainda, a possibilidade de o exame poder ser feito pelo estudante usando o computador e não apenas com a escrita, uma evolução importante e provável de ocorrer a partir de 2018. Por fim, o MEC reservou um espaço para sugestões de outras modificações no Enem que o cidadão brasileiro gostaria que fossem adotadas.

“Nenhuma dessas mudanças, se forem aprovadas, implicará qualquer queda na qualidade do exame”, garantiu Mendonça Filho. “É claro que a opção por apenas um dia de provas significaria a redução de custos, como o uso de um volume menor de papel e a contratação de segurança. Mas só ofereceremos essa possibilidade depois de receber estudos técnicos detalhados de especialistas”, afirmou.

Mudanças em 2017

ministro reforçou que a certificação do ensino médio, que atualmente pode ser feita pelo Enem, será desmembrada e feita exclusivamente pelo Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

A pasta também deverá fortalecer uma avaliação para testar os conhecimentos dos estudantes do ensino médio. A intenção é que o Enem seja voltado apenas para a seleção de vagas no ensino superior. Os treineiros – estudantes ainda que não cursam o ensino médio, mas fazem as provas só pra treinar – seguirão podendo fazer o exame.

 

 

Fonte:http://www.brasil.gov.br/educacao/2017/01/mec-realiza-consulta-publica-sobre-mudancas-no-enem

Enem 2016: resultado já pode ser consultado


notas com os resultados individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 foram divulgadas nesta quarta-feira (18). Para ter acesso, o participante precisa digitar CPF e senha no sitehttp://enem.inep.gov.br/participante. O resultado também pode ser conferido pelo aplicativo oficial do Enem.

Logo após a divulgação, a página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou instabilidade. No Twitter, usuários reclamavam que não conseguiam checar as notas.

Por volta das 12h, a presidente do Inep, Maria Inês Fini, admitiu o problema. “A consulta está à disposição, embora nosso site esteja sofrendo inúmeros ataques de pessoas que torcem contra a educação brasileira”, disse Maria Inês Fini.

A presidente do Inep não deu detalhes de como ocorreram ou quem seriam os responsáveis pelos atos contra a página do Enem. “Estamos reagindo a esses ataques, tentando recuperar e colocar novamente no ar”, afirmou Maria Inês.

Segundo o site “Is it down right now”, que acompanha a estabilidade de serviços conectados, a página enem.inpe.gov.br chegou a ficar fora do ar para todo mundo. O problema no acesso começou por volta das 11h30.

Dados e acesso

Os candidatos podem conferir as notas de cada uma das quatro provas – ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática – e da redação.

Para fazer a consulta, o participante deve fazer login no site do Enem com dados pessoais e senha. Quem perdeu o código pode resgatá-lo no botão “esqueci minha senha” disponível no sitehttp://enem.inep.gov.br/participante.

Usos das notas do Enem

As notas do Enem podem ser usadas para disputar vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificado (Sisu), ou ainda para bolsas e financiamentos em universidades privadas.

As datas de inscrições para as edições do primeiro semestre de 2017 dos programas (Sisu, Prouni e Fies) foram divulgadas nesta quarta. Veja abaixo:

SISU
Inscrições: 24 a 27 de janeiro

PROUNI
Inscrições: 30 de janeiro a 2 de fevereiro

FIES
Inscrições: 6 a 9 de fevereiro

Alunos têm acesso a sistema informatizado do Fies a partir de hoje

O Sistema Informatizado do Fundo de Financiamento Estudantil (SisFies) será aberto para os alunos a partir de hoje (16). Os estudantes podem, portanto, renovar seus contratos, já que os aditamentos são feitos pela internet. A renovação vale somente para contratos formalizados até 31 de dezembro de 2016. As novas inscrições estão previstas para fevereiro.

Os contratos do Fies devem ser renovados a cada semestre. O pedido de aditamento é feito inicialmente pelas faculdades e, em seguida, os alunos devem validar as informações inseridas pelas instituições no SisFies.

Na última segunda-feira (9), o acesso ao sistema foi aberto às instituições de ensino superior para o cadastro de dados dos alunos beneficiados. Agora, os estudantes devem confirmar as informações. O prazo para as instituições inserirem os dados vai até o dia 30 de abril.

Piso salarial dos professores tem reajuste e sobe para R$ 2.298,80 em 2017

No caso do reajuste deste ano, é considerado o crescimento do valor mínimo do Fundeb de 2016 em relação a 2015
Arquivo/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) anunciou, nesta quinta-feira (12), que o piso salarial dos professores terá aumento de 7,64% em 2017. O valor representa incremento de 1,35% acima da inflação acumulada de 2016, que foi de 6,29%.

“Para este ano, o piso nacional do magistério é de R$ 2.298,80”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho. “O professor que tem carga horária mínima de 40 horas semanais e formação em nível médio (modalidade curso normal) não pode receber menos do que esse valor.”

Os dados estão de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), divulgado na última quarta-feira (10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mendonça Filho anunciou, também, a nova composição do fórum permanente para acompanhamento da atualização progressiva do valor do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. A medida foi publicada na edição desta quinta-feira (9) do Diário Oficial da União (DOU)

Segundo o ministro, o reajuste tem como base os termos do art. 5º da Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério, sempre a partir de janeiro.

O critério adotado para o reajuste, desde 2009, tem como referência o índice de crescimento do valor mínimo por aluno, ao ano, do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que toma como base o último valor mínimo nacional por aluno (vigente no exercício que finda), em relação ao penúltimo exercício.

No caso do reajuste deste ano, é considerado o crescimento do valor mínimo do Fundeb de 2016 em relação a 2015. Os estados e municípios que, por dificuldades financeiras, não possam arcar com o piso, devem contar com a complementação orçamentária da União, como determina a Lei 11.738/2008, no art. 4º.

Fórum

O fórum será integrado por representantes da Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep); do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE); da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE); do Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed); e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

O grupo tem como objetivo acompanhar a atualização progressiva do valor do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica.

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do MEC

Em carta ao governo, reitor reafirma que Uerj pode fechar por falta de recursos

Resultado de imagem para UERJ

Depois que  o Conselho Universitário da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)divulgou um comunicado sobre a possibilidade de interromper as atividades nas diversas unidades acadêmicas e administrativas, devido à falta de pagamento dos salários, bolsas e verbas de custeio, hoje (10) o reitor da instituição, Ruy Garcia Marques, divulgou uma carta enviada ao governo em que afirma que o estado está “forçando o fechamento da universidade”.

No documento, chamado “A Uerj e o Futuro do Rio de Janeiro”, Marques destaca a situação precária de funcionamento da universidade após os atrasos em pagamentos e repasses de verbas. Os salários dos professores e técnicos, além do pagamento a alunos bolsistas, estão atrasados desde novembro. O reitor afirma que “desprezar o ensino superior, a pós-graduação e a pesquisa é apostar na miséria, na violência e num futuro sem perspectivas positivas”. O reitor diz ainda que “forçar o fechamento da Uerj é não pensar no futuro de nosso estado e de nosso país”.

Assinado também pela vice-reitora, Maria Georgina Muniz Washington, e com o apoio de diversos ex-dirigentes, o texto afirma que “a Uerj está sendo sucateada, numa absoluta falta de visão estratégica por parte dos governantes do nosso estado, a quem incumbe o financiamento de uma universidade pública e inclusiva como a nossa”.

O texto destaca que a Uerj é atualmente a 11ª colocada em qualidade entre as 195 universidades brasileiras e a 20ª da América Latina, segundo o ranking da Times Higher Education de 2016. O reitor ressalta ainda que a insituição tem bons resultados na inserção de seus alunos no mercado de trabalho e em produção científica.

“São cerca de 35 mil alunos em seus cursos de graduação, nas modalidades presencial e de ensino a distância, mais de 4 mil em cursos de mestrado e doutorado, cerca de 2 mil em cursos de especialização e 1,1 mil nos ensinos fundamental e médio (Instituto de Aplicação – CAp-Uerj). Além do Campus Maracanã, dispõe-se em 13 unidades externas, constituindo seis campi regionais espalhados pelo estado do Rio de Janeiro, colaborando com seu desenvolvimento regional”.

A Uerj também é responsável pelo Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), um dos maiores do Rio de Janeiro, pela Policlínica Piquet Carneiro (PPC) e pela Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI).

“Fica clara, portanto, a importância da Uerj no cenário educacional de nosso estado, bem como seu impacto positivo para a nossa economia, preparando recursos humanos muito qualificados para as áreas da indústria, da tecnologia, do comércio, da educação, da saúde e da pesquisa avançada”, ressalta a carta.

O governo do estado informou que a demanda da Uerj seria respondida pela Secretaria de Fazenda (Sefaz). De acordo com a pasta, os funcionários estatutários da Uerj vêm recebendo os salários junto com os demais servidores, dentro do calendário atual de pagamentos. “Neste caso, a referência novembro 2016 está sendo parcelado em 5 vezes. Foram pagas as duas primeiras parcelas dias 5 e 6 e serão pagas as demais dias 11, 13 e 17”.

A Sefaz destaca que os repasses continuam sendo feitos à Uerj, “mesmo diante da grave crise financeira que o estado atravessa”, mas que, desde o início da crise, “a prioridade absoluta tem sido o pagamento dos salários dos servidores do estado”.

Edição: Amanda Cieglinski
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2017-01/em-carta-ao-governo-reitor-reafirma-que-uerj-pode-fechar-por-falta-de

Conceito de Kant é tema de redação da Fuvest

O tema da redação da segunda fase da Fuvest, que começou neste domingo, 8, foi sobre a menoridade, conceito do filósofo Immanuel Kant. Os candidatos tinham de elaborar um texto argumentativo para responder se o homem atual conseguiu atingir esclarecimento para sair da menoridade.

A prova trazia como material de apoio para o estudante um texto do filósofo escrito em 1784 e um enunciado que contextualizava o período da publicação. Segundo o filósofo, a menoridade é a incapacidade do homem de fazer uso de seu entendimento sem ser direcionado por outro indivíduo. A saída desse estado só é possível pelo esclarecimento, ou seja, quando se torna capaz de pensar de modo livre e autônomo.

Para o estudante Julian Navarro, de 18 anos, apesar de tratar de um conceito complexo, a redação não estava difícil. “Tive Filosofia no colégio e é um assunto que gosto e tenho facilidade. Achei um tema bastante pertinente com o contexto socioeconômico brasileiro”, disse o candidato, que tenta vaga em Economia.

Linniker Gardim, de 19 anos, também disse ter gostado do tema da redação. “Eles formularam a pergunta de uma forma que não deixava o aluno se perder ou fugir do tema. Eu falei sobre como o homem é hoje influenciado pelos meios de comunicação e a educação de má qualidade no País”, disse o estudante, que disputa uma vaga no curso de Saúde Pública.

Professores de cursinho disseram que a proposta da redação seguiu o perfil dos anos anteriores, em que a Fuvest relaciona temas filosóficos com o cotidiano. “A relação neste ano não estava tão explícita como nas outras edições, mas a proposta pedia claramente que o aluno usasse sua observação da realidade. Não foi um tema que trouxe grande dificuldade para os candidatos porque permitia uma série de relações”, disse Heric Palos, professor de Português do Etapa.

Segundo Eduardo Calbucci, supervisor de Português do pré-vestibular Anglo, o tema da redação não deveria trazer grandes dificuldades aos alunos. “O equívoco de alguns candidatos era achar que havia necessidade de conhecimento prévio sobre a filosofia kantiana. O texto e a proposta eram acessíveis para o aluno desenvolver a redação”, afirmou o professor.

Entre as possibilidade de discussões, estavam os papéis da política, do sistema educacional, da religião, dos meios de comunicação e até as relações familiares. “É bom porque dá uma amplitude de caminhos para o candidato”, afirmou Maria de Lourdes Cunha, professora de Literatura do Curso Objetivo. “Como não havia coletânea de textos, demandava mais repertório do aluno. O que torna mais difícil que ele fuja do tema”, acrescentou Calbucci.

Português.

Além da redação, os candidatos também fizeram ontem a prova de Língua Portuguesa, com dez questões de interpretação de texto, gramática e literatura. Para os professores, a prova seguiu a tendência de enunciados diretos e curtos, além de cobrança de gramática aplicada ao texto.

Vinicius Haidar, coordenador do cursinho Poliedro, considerou que as questões estavam bem elaboradas. “As de literatura tiveram um grau alto de dificuldade, mas as de interpretação e gramática estavam mais fáceis do que no ano passado. A prova cobrou uma gramática mais aplicada”, disse.

Palos também avaliou que as questões de literatura exigiram um pouco mais do aluno, mas a complexidade se assemelhou à de outros anos. “Foram questões muito bem feitas, cobraram quatro dos nove livros obrigatórios, sempre fazendo relações com outros conceitos.”

Henrique Rasquel, de 17 anos, disse ter achado a prova simples, apesar de exigente. “As questões sobre os livros não eram apenas para certificar a leitura, mas pediam contextualização. Só não tinha lido Mayombe e tive dificuldade para responder”, afirmou o estudante, que quer entrar em Farmácia.

Abstenção.

Dos 22.869 convocados para a segunda fase do vestibular, 1.933 faltaram à prova deste domingo – 8,5% de abstenção. O índice é maior que o do ano passado, quando 7,9% dos candidatos deixaram de comparecer ao primeiro dia da segunda fase.

Nesta segunda, os candidatos fazem uma prova de 16 questões com as disciplinas que constituem o núcleo comum do ensino médio (História, Geografia, Matemática, Física, Química, Biologia, Inglês), sendo algumas questões interdisciplinares. Amanhã, último dia de provas, são 12 questões de duas ou três disciplinas, a depender da carreira escolhida. Cada um dos dias de prova vale 100 pontos. O candidato que zerar em uma das avaliações estará eliminado do vestibular.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Fonte:http://istoe.com.br/conceito-de-kant-e-tema-de-redacao-da-fuvest/

Câmara inclui estudos de filosofia e sociologia no ensino médio

O plenário da Câmara dos Deputados, durante análise da MP do ensino médio (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
O plenário da Câmara dos Deputados, durante análise da MP do ensino médio (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

A Câmara dos Deputados concluiu na noite desta terça-feira (13) a análise da medida provisória que estabelece umareforma no ensino médio. Durante a sessão, os deputados aprovaram tornar obrigatória a inclusão dos estudos de filosofia e sociologia nessa fase de ensino. O texto segue para o Senado.

O chamado “texto-base” da MP foi aprovado na semana passada, mas, para concluir a análise da medida, os deputados precisavam votar sugestões de alteração à proposta original. O texto-base não fazia menção à obrigatoriedade sobre os estudos de filosofia e sociologia.

Deputados críticos à emenda aprovada nesta terça, incluindo de PT, Rede e PSOL, queriam aprovar a obrigatoriedade desses conteúdos como disciplinas. O argumento deles é que o texto que segue para o Senado, por se referir a “estudos e práticas”, abre uma brecha para que filosofia e sociologia sejam incluídas de forma diluída em outras disciplinas.

Polêmica

Por se tratar de uma medida provisória, o texto tem força de lei desde a publicação no “Diário Oficial”, em setembro. Para se tornar uma lei efetiva, precisa ser aprovado em até 120 dias (4 meses) pelo Congresso Nacional.

A medida flexibiliza o conteúdo e determina que 60% da carga horária do ensino médio serão obrigatórios, enquanto os demais 40%, optativos, conforme o interesse do aluno.

Na versão original enviada pelo governo, a MP dizia que somente matemática, português e inglês seriam compulsórios. Os demais conteúdos para a etapa obrigatória seriam definidos pela Base Nacional Curricular Comum (BNCC), ainda em debate.

Tempo integral

A medida provisória em análise no Congresso Nacional incentiva o ensino integral e estabelece que a carga horária deve ser ampliada, progressivamente, até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800 horas.

O texto aprovado estipula que, no prazo de cinco anos, as escolas deverão ter carga horária anual de mil horas.

Itinerários e ensino em módulos

O conteúdo obrigatório no ensino médio será orientado para atender às seguintes áreas: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

No texto, há a previsão de que o sistema de ensino tenha módulos e seja integrado para permitir que o estudante possa aproveitar aspectos de áreas diferentes.

As escolas, pela reforma, não são obrigadas a disponibilizar aos alunos todas as cinco áreas, mas deverão oferecer duas ou mais áreas, além de integrar com disciplinas de outros currículos.

Apoio financeiro

A Medida Provisória instituiu o Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral, por meio do qual o Ministério da Educação apoiará a criação de 257,4 mil novas vagas no ensino médio integral.

Originalmente, a previsão era repassar à rede de ensino R$ 2 mil por ano para cada aluno, durante quatro anos. O texto aponta que a política poderá ser aplicada “por dez anos”.

‘Notório saber’

O texto aprovado manteve a autorização para que profissionais com “notório saber”, reconhecido pelo sistema de ensino, possam dar aulas exclusivamente para cursos de formação técnica e professional, desde que ligada às áreas de atuação deles.

Também ficou definido que profissionais graduados sem licenciatura poderão fazer uma complementação pedagógica para que estejam qualificados a ministrar aulas.

Fonte: http://g1.globo.com/educacao/noticia/camara-inclui-estudos-de-filosofia-e-sociologia-no-ensino-medio.ghtml

Governo amplia inscrições para vagas remanescentes do Fies

fies-agora

O prazo para concorrer às vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foi prorrogado até a próxima sexta-feira (9) pelo Ministério da Educação (MEC).

Podem concorrer às vagas remanescentes os estudantes que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média geral mínima de 450 pontos e nota na redação que não seja zero. É necessário comprovar renda familiar mensal bruta de até três salários-mínimos.

As inscrições devem ser feitas no sistema Fies Seleção. Após a inscrição, o candidato deve concluir o processo nos dois dias úteis subsequentes, noSistema Informatizado do Fies (SisFies).

http://www.brasil.gov.br/

Enem é aplicado em quatro cidades do Rio Grande do Norte

download

A segunda edição de 2016 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começa neste sábado (3). No Rio Grande do Norte, 5.150 candidatos estão aptos a fazerem as provas neste fim de semana em Natal, Macau, Caicó e Pau dos Ferros. O Enem não foi realizado em novembro em alguns locais de rpovas que estavam ocupados por estudantes que protestavam contra a PEC do teto dos gastos públicos.

No total, 277.622 candidatos poderão fazer as provas, que acontecem nos mesmos moldes da edição de novembro: neste sábado, o Enem aplica as provas de ciências humanas e ciências da natureza. No domingo (4), acontecem as provas de linguagens, matemática e redação.

Em Natal, as provas serão realizadas no Colégio Marista e no Colégio Nossa Senhora das Neves.

Correção
No sábado e no domingo, o G1 apresentará a resolução das 90 questões de ciências humanas e ciências da natureza, além de um gabarito extraoficial preparados pelos professores do Sistema Ari de Sá. No domingo, será a vez de linguagens, redação e matemática. Segundo o Inep, o gabarito oficial do Enem deve ser divulgado pelo Ministério da Educação na manhã de quarta-feira (7).

MEC divulga os novos locais de prova do Enem de 3 e 4 de dezembro

provas-do-enem

O ministério da Educação divulgou na manhã desta terça-feira (22) os novos locais de prova para os 277.624 mil alunos que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos dias 3 e 4 de dezembro. Os candidatos poderão checar os cartões de confirmação de inscrição com os novos endereços no site do Enem ou no aplicativo do exame criado pelo governo.

O volume de afetados corresponde a 3,21% do total de inscritos nesta edição. Entre os estudantes autorizados a participar dessa segunda aplicação, 98,5% (273.521) farão o Enem em nova data em decorrência das ocupações e 1,45% (4.103) em consequência de contingências relacionadas, principalmente, a problemas de infraestrutura como interrupção temporária do fornecimento de energia elétrica. A nova aplicação do Enem custará R$ 10.512.564,33.

Só não haverá a segunda aplicação de prova no Acre, Amazonas, Amapá e Roraima. Os estados com o maior volume de inscritos previstos para a segunda aplicação são Minas Gerais (72.302), Paraná (43.617), Bahia (37.927) e Espírito Santo (23.486).

Aviso

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou que enviou SMS e e-mail a todos os 275.016 inscritos autorizados para participar dessa segunda aplicação, comunicando sobre a liberação dos novos cartões de confirmação.

A apresentação do cartão de confirmação nos dias de prova não é obrigatória, entretanto, o documento tem informações valiosas para os participantes, tais como: número de inscrição, data, local e horário de realização das provas, opção de língua estrangeira, necessidade de atendimento especializado ou específico (quando houver); além da indicação de solicitação de certificação do ensino médio (se for o caso).

É necessário informar CPF e senha antes de visualizar o cartão de confirmação. Quem esqueceu a senha, deverá entrar na Página do Participante do Enem para recuperá-la, informando o CPF e a data de nascimento. Feita a solicitação, é necessário aguardar o encaminhamento da senha por e-mail ou mensagem no celular (SMS), para realizar o novo acesso.

Teoria de Resposta ao Item

O Enem é baseda no modelo de Teoria de Resposta ao Item, ou TRI, que garante equivalência à prova aplicada nos dias 5 e 6 de novembro. Isso significa que a prova de dezembro terá a mesma dificuldade da aplicada em novembro, garantindo que os candidatos tenham as mesmas chances.

Na prova baseada na TRI, as perguntas divididas previamente em diferentes dificuldades permitem um cálculo estatístico e de outras teorias matemáticas aplicadas para que os avaliadores analisem de maneira mais profunda as respostas dos alunos, ainda que em testes de múltipla escolha.

Se eles notam que o aluno errou muitas perguntas consideradas fáceis e acertou muitas difíceis, a metodologia indica que houve chute, fazendo sua média cair. Logo, a nota final passa a depender não só do número de acertos, mas também da dificuldade de cada questão acertada ou errada.

As notas individuais do Enem 2016 serão divulgadas no dia 19 de janeiro de 2017.