Category: Internacional

Bolsonaro diz que Trump é seu exemplo

Nos EUA, Jair Bolsonaro também disse que pretende se aproximar de Trump para o bem de ambos os países – FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

“O Trump serve de exemplo para mim”, disse o pré-candidato à Presidência, deputado Jair Bolsonaro (PSC), que participa de eventos nos Estados Unidos durante esta semana. “Sei da distância minha para o Trump, mas, havendo possibilidade, pretendo me aproximar dele para o bem do Brasil e dos Estados Unidos. Serve para levar muitos exemplos daqui para o Brasil.”
Bolsonaro também se esforçou para espelhar a ideia de patriotismo do americano, dizendo que pretendia “botar a garotada para cantar o Hino Nacional” nas escolas do país e “pôr um ponto final na doutrinação e sexualização das crianças” do ensino público brasileiro.

Debaixo de chuva, Bolsonaro desceu do carro num estacionamento vazio em Boston, a segunda parada de sua turnê pelo país, e foi direto para um encontro com líderes evangélicos, que o esperavam de mãos dadas, para uma oração, num estúdio fotográfico em cima de uma barbearia de subúrbio. Não houve gritos de “mito”.

Muitos dos 60 pastores reunidos ali se diziam ex-militares e exigiram do deputado do PSC que mostrasse como criaria um governo “firme”.

Do Blog: Sou contra a ideia de bancada evangélica aqui e em qualquer parte do mundo. Jesus disse: ” Meu Reino não é deste mundo, e daqui Eu não sou.”

 

Fonte: http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/826639/bolsonaro-diz-que-trump-e-seu-exemplo

Mãe que se recusa a vacinar filha é presa; entenda a polêmica

Rebecca Bredow se recusou a cumprir ordem judicial para vacinar filho de nove anos
Rebecca Bredow se recusou a cumprir ordem judicial para vacinar filho de nove anos Foto: WXYZ

Uma mãe do Estado americano de Michigan foi condenada a sete dias de prisão depois de ter se recusado a cumprir uma ordem judicial para vacinar o filho.

Rebecca Bredown não queria que o menino, de nove anos, recebesse imunização, apesar de já ter concordado com o procedimento com o pai da criança, de quem é divorciada.

A lei de Michigan permite que pais não vacinem ou atrasem a vacinação dos filhos por crenças pessoais. O assunto tem causado polêmica; na Europa e nos Estados Unidos têm havido cada vez mais relatos de pais que optam por não vacinar seus filhos.

 

Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/mundo/mae-que-se-recusa-a-vacinar-filha-e-presa-entenda-a-polemica,411339c35b4adfe9fcfd767571de051e57qcuvgx.html

“Este é o melhor e o pior dos tempos”, diz Obama no Brasil

Da Época

Para o ex-presidente americano, o maior desafio atual é a reconstrução de renovação de arranjos políticos e sociais que permitam que a globalização beneficie a todos.

Resultado de imagem para obama em discurso no brasil
Foto: Internet

ex-presidente americano Barack Obama esteve nesta quinta-feira, dia 5 de outubro, em São Paulo. Ele foi o principal palestrante do Fórum Cidadão Global, organizado pelo jornal Valor Econômico, onde falou para lideranças empresariais brasileiras. Veja a seguir, os alguns dos principais trechos de seu discurso:

Desafios globais
“De algumas formas, este é o melhor dos tempos e o pior dos tempos. O mundo é mais próspero do que nunca, mas isso veio com uma desestruturação industrial e uma estagnação em muitas economias desenvolvidas que deixou muitos trabalhadores e comunidades acreditando que as perspectivas para elas e para seus filhos serão piores, em vez de melhores, no futuro. A questão que se coloca a todos, seja no Brasil ou nos Estados Unidos, na Ásia, na África é: temos a capacidade de reconstruir e renovar nossos arranjos políticos e sociais de forma que funcione para todos e não apenas para alguns?”

Desigualdade socioeconômica
“Temos que ter certeza de que essa nova economia funcione para todos os povos e nações. Eu acredito que o capitalismo e os mercados abertos são os maiores geradores de riqueza na história da humanidade. Elevaram o padrão de vida ao redor do mundo, gerando inovações e aumentando a produtividade. Mas também é verdade é que a globalização e a automação enfraqueceram a posição dos trabalhadores para garantir salários justos. Em um mundo onde apenas 1% controlam tanta riqueza quanto todo o resto, não veremos estabilidade política. Em cada país, temos que construir novos contratos sociais que deem a todas as nossa pessoas jovens a educação de que precisam. Que garantam um sistema de impostos que seja justo e que não permita que aqueles que se beneficiam dessa nova economia se esquivem de suas obrigações. Temos que modernizar nossa rede de seguridade social, porque ela não só cria estabilidade política, mas também dá suporte para que as pessoas possam arriscar sabendo que, se as coisas não saírem como esperado, ao menos terão o básico para sobreviver.”

Cooperação internacional
“Da mesma forma que lutamos para reduzir a desigualdade em nossos países, teremos que reduzir a distância entre nações ricas e pobres. A maior parte dos nossos grandes desafios demanda cooperação internacional. Tome a questão do aquecimento global. Nós acabamos de ver uma temporada de furacões devastadora. Nós nunca poderemos atribuir um furacão em particular às mudanças climáticas. Mas o que nós sabemos com certeza é que a tendência indica furacões mais fortes, temporadas de incêndios mais longas, mais inundações. É o nosso futuro se a temperatura ao redor do mundo continuar a crescer. Mas nenhum país será capaz de resolver esse problema sozinho. Teremos que trabalhar em conjunto para baixar as emissões de carbono a um nível que nos permita ganhar o tempo necessário para que sejam alcançados os avanços científicos e energéticos que resolverão esse problema de uma vez por todas.”

Ameaças globais
“Temos que reconhecer que, no cenário global, a maior ameaça não são as velhas disputas entre as grandes potências, como no passado. Mas, frequentemente, são os Estados falidos, redes terroristas ou o descontentamento em grandes populações que não tem oportunidades. O que isso significa é que não podemos resolver os problemas apenas com tanques e aviões. Eu estou muito orgulhoso de os Estados Unidos serem a maior potência militar no mundo. Isso é necessário, em alguns casos, para manter a paz. Mas além de mantermos nossa vantagem militar e tecnológica, temos também que manter aliança fortes ao redor do mundo. E para fazer isso, temos que entender que nossa segurança não depende apenas de equipamento militar. Depende também de uma diplomacia forte. E a força de nossa economia e de nossas ideias é igualmente importante para garantir a paz. É dessa forma que podemos criar um cenário de esperança, em vez de círuclos de medo e desespero que vemos crescer em tantas regiões do mundo.”

Diversidade e imigração
“Precisamos renovar nosso sentido e abertura a outras culturas e aos que parecem diferentes de nós. Minhas esperança é que, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, que têm uma história multirracial, vejamos isso como uma vantagem e não como uma fraqueza. As possibilidades de pessoas com trajetórias e experiêncais diferentes, todas contribuindo para uma nação avançar, é o futuro. Isso inclui estar aberto a imigrantes. Como a imigração acontece, faz diferença. Ela tem que ser ordenada. Vão haver algumas tensões. Por isso, temos que ser cuidadosos em relação a levas de imigração sem controle que possam levar a conflitos políticos. Mas temos que reconhecer que, nessa nova era, em que todos estão conectados, devemos dar a eles as boas vindas. O fluxo contínuo de novas ideias e o dinamismo econômico funciona. E deverísmo continuar abertos e lidar com refugiados de países devastados peloa guerra, em parte porque nossas próprias famílias, no Brasile  nos Estados Unidos, vêm desses países. E em parte porque estão fugindo de lugares onde são oprimidos.”

Tecnologia da informação
“Precisamos reconhecer como a tecnologia muda a forma como as pessoas consomem informação e que, o que achamos que era só para o bem, as vezes leva a danos e a tendências perversas em nossos países. Estamos mais conectados do que nunca, mas isso de certa forma torna mais fácil nos isolarmos em tribos, em bolhas, onde só ouvimos pessoas que pensam como nós e nunca confrontamos nossas próprias percepções das coisas, porque tudo que lemos e vemos é simplesmente o que um algoritmos nos disse que deveríamos ver. Nos tronamos tão seguros de nossas crenças que tendemos a descartar informações que não se encaixam em nossas opiniões, em vez de basearmos nossas opiniões em fatos e evidências. Isso significa que vamos ter que encontrar novas formas de cultivar o jornalismo independente. Temos que reagir às novas formas de propaganda que estão sendo turbinadas pelo cenário digital e teremos que trabalhar para ouvir as pessoas das quais discordamos, para que possamos encontrar pontos de apoio e o compromisso que a democracia requer.”

O que se sabe até agora e o que falta saber sobre o ataque em Las Vegas

Pelo menos 59 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas no ataque do atirador Stephen Paddock na noite deste domingo (1º, madrugada de segunda no Brasil) contra uma multidão que estava em um festival de música country em Las Vegas.

Durante o dia, vários detalhes foram divulgados sobre o massacre, como, por exemplo, a identidade do atirador, mas outros pontos ainda estão por esclarecer.

Abaixo, veja o que se sabe e o que ainda não se sabe sobre o caso:

Qual foi a motivação do atirador para o ataque?

Isso permanece sem ser esclarecido. O homem de 64 anos era um contador aposentado sem histórico criminal no estado de Nevada, onde vivia atualmente. “Era um cara rico que jogava vídeo-pôquer em cruzeiros”, descreveu seu irmão Eric, acrescentando que Stephen jogava pôquer apostando US$ 100 por mão e podia comprar o que quisesse. De acordo com o familiar, ele teria ganhado dinheiro investindo em imóveis.

Eric afirmou que o atirador não tinha qualquer vínculo político ou religioso. “Nada. Nenhuma afiliação religiosa, política. Ele só saía para passear”, disse. “Era apenas um cara normal. Algo se rompeu nele, algo aconteceu”, sugeriu.

O pai de Paddock se chamava Patrick Benjamin Paddock, e era um ladrão de bancos que figurou na lista dos criminosos mais procurados pelo FBI de junho de 1969 até maio de 1977, de acordo com a CNN. Segundo Eric, seu pai morreu há alguns anos.

Click na foto!

Stephen Paddock, o atirador do ataque em Las Vegas, em foto não datada do arquivo de seu irmão, Eric (Foto: Arquivo pessoal/Eric Paddock via AP)

Leia mais no Link: https://g1.globo.com/mundo/noticia/o-que-se-sabe-ate-agora-sobre-o-ataque-em-las-vegas.ghtml

Tiroteio em Las Vegas deixa 50 mortos e 200 feridos

Resultado de imagem para Tiroteio em Las Vegas
Foto: AFP

Washington – Pelo menos 50 pessoas que assistiam a um show de música country foram mortas e cerca de duzentas ficaram feridas em um ataque a tiros indiscriminado registrado na noite do domingo (horário local, madrugada de segunda-feira em Brasília) em Las Vegas (EUA), informou o chefe da Polícia Metropolitana de Las Vegas, Joseph Lombardo.

O xerife informou em coletiva de imprensa sobre o número de vítimas e declarou que o suposto autor dos disparos foi abatido posteriormente pela Polícia em um hotel próximo ao local do fato.

O fato aconteceu no encerramento dos três dias do festival country Route 91 Harvest que acontecia ao ar livre perto do hotel Mandalay Bay, na zona sul da famosa avenida que concentra os principais hotéis e cassinos de Las Vegas.

Segundo Lombardo, o suspeito agiu sozinho e fez o seu ataque a partir do 32º andar do hotel Mandalay Bay, onde foi encontrado pela Polícia e abatido pelos agentes.

Sobre a sua identidade, Lombardo se limitou a dizer que se trata de um morador local, sem dar mais detalhes, e só confirmou que a polícia procura a acompanhante do agressor, que identificou como uma mulher asiática chamada Marilou Danley.

“Confirmamos que um suspeito foi abatido. Esta investigação continua”, tinha assegurado pouco antes na sua conta do Twitter a Polícia, informando que acreditava que o sujeito agiu sozinho, desmentindo informações anteriores da imprensa local que apontavam para dois possíveis agressores.

Pouco após os disparos, a Polícia ordenou o fechamento de uma ampla seção do sul do Boulevard Las Vegas, via principal da cidade e conhecida pela fila de hotéis e cassinos que há nele, bem como de várias ruas adjacentes da zona sul dessa avenida central.

“Estamos investigando relatos de um atirador ativo perto do Mandalay Bay Casino. Pedimos a todos que, por favor, evitem a área”, escreveu a Polícia Metropolitana de Las Vegas em sua conta do Twitter, alertando sobre o fato, ao mesmo tempo em que fechava as ruas da região.

Dezenas de viaturas da Polícia foram imediatamente enviadas para o local. As autoridades também acionaram uma equipe da SWAT para encontrar o autor.

O ataque aconteceu por volta das 22h de domingo (horário local, 1h de segunda-feira em Brasília) enquanto o cantor de música country Jason Aldean se apresentava no encerramento do festival.

Segundo testemunhas, nessa hora foram ouvidas longas rajadas de tiros efetuados possivelmente com um fuzil semiautomático, que provocaram o pânico entre o público e que continuaram inclusive depois que a banda parou de tocar.

Em alguns vídeos publicados nas redes sociais pode-se escutar rajadas de tiros, enquanto as pessoas correm apavoradas, perguntando-se o que está acontecendo ou abaixadas no chão se protegendo dos disparos.

Entre os mortos há policiais fora de serviço que assistiam ao show, segundo Lombardo, e se teme que entre os feridos haja mais agentes, porque tinham ido em grupo.

Os feridos foram levados em ambulâncias principalmente para o University Medical Center e para o Sunrise Hospital Medical Center, onde muitos deles se encontram em estado crítico.

Devido ao incidente, além do fechamento da zona sul da cidade e de uma estrada, vários voos com destino ao aeroporto internacional de Las Vegas foram desviados para outros terminais como medida de precaução.

 

Fonte:https://exame.abril.com.br/mundo/ataque-a-tiros-em-las-vegas-deixa-20-mortos-e-mais-de-100-feridos/

Nós vamos “consertar a bagunça” da Coreia do Norte, diz Trump

Resultado de imagem para Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na tarde desta terça-feira que o país e seus aliados no Ocidente vão ajudar a “consertar a bagunça” que se tornou a Coreia do Norte, mas negou que tenha planos militares para resolver a situação.

“Uma intervenção militar não é primeira opção para Coreia do Norte. Isso poderia devastar o país”, disse o presidente americano, ao lado do primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, nos jardins da Casa Branca.

Rajoy também reforçou o tom pacífico e disse que a Espanha não “tem interesse que haja guerra em qualquer país do mundo”.

Trump disse a Rajou que os países que eles lideram enfrentam inimigos em comum, que seriam além da Coreia do Norte a Venezuela.

O presidente americano elogiou ainda a decisão da China de restringir o suprimento de petróleo e o acesso da Coreia do Norte ao mercado bancário.

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/mundo/nos-vamos-consertar-a-bagunca-da-coreia-do-norte-diz-trump/

Trump responde a ministro e aumenta ameaças à Coreia do Norte

Resultado de imagem para Tramp

Londres – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retomou a retórica contra a Coreia do Norte neste fim de semana, alertando o ministro das Relações Exteriores do país que ele e o líder Kim Jong-Un “não estarão por perto por muito tempo”, com Pyongyang montando um grande evento contra os EUA.

O Ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, disse durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, no sábado, que mirar os EUA com seus foguetes era inevitável após o “Sr. Presidente Maligno” ter chamado o líder de Pyongyang de “piloto de foguete” em uma missão suicida.

“Acabei de saber que o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte falou na ONU. Se ele estiver transmitindo os pensamentos do pilotinho de foguete, eles não estarão por perto por muito tempo”, disse Trump, no Twitter, sábado à noite.

Trump e Kim têm trocado cada vez mais insultos e ameaças pessoais enquanto Pyongyang corre para atingir sua meta de desenvolver um míssil nuclear capaz de atingir os Estados Unidos – algo que Trump jurou impedir.

Analistas dizem que o crescimento da retórica está aumentando os riscos de um erro de cálculo de um lado ou do outro que pode gerar repercussões massivas.

A KRT, televisão estatal da Coreia do Norte, exibiu um vídeo no domingo mostrando dezenas de milhares de pessoas participando de um evento contra os Estados Unidos na praça Kim Il Sung em Pyongyang.

A KCNA, agência de notícias oficial da Coreia do Norte, disse que mais de 100 mil pessoas se reuniram para o evento no sábado e fizeram discursos apoiando os comentários que Kim fez mais cedo esta semana.

“Estamos aguardando o momento certo para ter a batalha final contra os EUA, o império maligno, e remover os EUA do mundo”, disse a KCNA, citando Ri Il-bae, comandante dos Guardas Vermelhos. “Uma vez que o respeitoso comandante supremo Kim Jong-Un der a ordem, nós iremos aniquilar o grupo de agressores”.

 

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/mundo/trump-responde-ministro-e-aumenta-ameacas-a-coreia-do-norte/

Secretário dos EUA reitera diplomacia com Coreia do Norte

Resultado de imagem para Rex Tillerson,
Rex Tillerson: “nós estamos muito desafiados, mas nossos esforços diplomáticos continuam inabaláveis”/ Foto: Internet

Washington – O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, reconheceu nesta sexta-feira que as crescentes tensões com a Coreia do Norte são desafiadoras, mas disse que esforços diplomáticos continuarão, em meio a retóricas agressivas e ameaças de confronto militar.

“Nós estamos muito desafiados, mas nossos esforços diplomáticos continuam inabaláveis”, disse Tillerson, em entrevista à ABC. “Nós implementamos as sanções econômicas mais fortes que já foram reunidas contra (o líder norte-coreano) Kim Jong Un”.

“Então ele está sendo testado com as sanções, com as vozes de todos os cantos do mundo”.

 

Fonte:http://exame.abril.com.br/mundo/secretario-dos-eua-reitera-diplomacia-com-coreia-do-norte/

Tempestade Irma atinge centro da Flórida com rastro de destruição

Furacão Irma na Flórida
Tempestade: por volta da 5h, o Irma seguia para o noroeste pelo centro da Flórida (Carlos Barria/Reuters)

Tampa, Flórida/Miami – O furacão Irma atingiu áreas densamente povoadas do centro da Flórida nesta segunda-feira, abrindo caminho pelo Estado norte-americano com ventos fortes, inundações litorâneas e chuvas torrenciais que deixaram milhões de pessoas sem eletricidade, arrancou telhados de casas e alagou ruas de várias cidades.

O furacão perdeu força gradualmente e se tornou uma tempestade tropical na manhã desta segunda-feira, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

Por volta da 5h, o Irma seguia para o noroeste pelo centro do Estado e estava cerca de 100 quilômetros ao norte de Tampa, com ventos contínuos máximos de quase 120 km/h.

Uma grande área das costas leste e oeste do Estado continuam vulneráveis a inundações litorâneas, quando furacões elevam as águas oceânicas a níveis perigosamente anormais. Este risco se estende ao litoral da Geórgia e a partes da Carolina do Sul.

O diretor de gerenciamento de emergências da Flórida, Bryan Koon, disse que as autoridades esperariam até o raiar do dia nesta segunda-feira para iniciar os esforços de resgate e avaliar os danos, acrescentando ainda não ter o número de vítimas do Estado, segundo o jornal Miami Herald.

Os estragos parecem ter sido graves em Florida Keys, onde o Irma chegou à costa do Estado na condição de furacão de categoria 4, com ventos contínuos de mais de 215 km/h nas primeiras horas de domingo, disse o diretor de emergências do condado de Monroe, Martin Senterfitt, segundo o jornal.

Senterfitt disse em uma teleconferência que uma grande operação aérea de ajuda está sendo preparada pela Força Aérea e pela Guarda Nacional Aérea para levar socorro à cadeia de ilhas, que estão ligadas por uma série de pontes e pistas elevadas que partem de Key Largo, quase 160 quilômetros a sudoeste da pitoresca cidade de Key West.

No início desta segunda-feira o Irma provocou rajadas de vento de até 160 km/h por hora e chuvas torrenciais em áreas em torno de Orlando, uma das regiões turísticas mais populares da Flórida por causa de seus vários parques temáticos, informou o Serviço Nacional do Clima.

Em Daytona Beach, cidade do litoral leste situada cerca de 90 quilômetros ao nordeste de Orlando, ruas foram alagadas e as autoridades de emergência realizaram vários resgates em meio às águas elevadas, disse o Departamento de Polícia de Daytona Beach em sua conta de Twitter.

No domingo, o Irma fez sua primeira vítima fatal nos Estados Unidos — um homem encontrado morto em sua caminhonete, que se chocou com uma árvore devido aos ventos intensos na cidade de Marathon, em Florida Keys, disseram autoridades locais.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/mundo/tempestade-irma-atinge-centro-da-florida-com-rastro-de-destruicao/

Temer posta mensagem de solidariedade aos brasileiros que estão na Flórida

Resultado de imagem para Temer
Foto: Internet

O presidente Michel Temer disse em uma postagem no Twitter, neste domingo, Temer disse que está acompanhando a chegada do furacão e colocou a rede de embaixadas e consulados brasileiros em “estado de alerta” para prestar todo o apoio necessário aos brasileiros afetados pelo furacão Irma, que já atingiu o sul da Florida.

— Minha solidariedade à comunidade brasileira e a todos os afetados. Coloquei nossa rede de embaixadas e consulados em estado de alerta para prestar todo o apoio necessário aos brasileiros afetados.

 

Fonte: http://noticias.r7.com/internacional/furacao-irma-causa-inundacoes-e-deixa-milhares-sem-luz-na-florida-10092017

Furacão Irma causa inundações e deixa milhares sem luz na Flórida

Ponta do tornado é visto em Fort Lauderdale
Ponta do tornado é visto em Fort Lauderdale Karina Bauza/Twitter/Reuters

furacão Irma chegou à Flórida Keys, um conjunto de ilhas ao sul da Flórida, na noite de sábado (9), classificado com categoria quatro, a segunda mais forte. Na manhã deste domingo (10), estações de monitoramento do NHC (Centro Nacional de Furacões, em inglês) indicavam a tempestade provocava ventos de 209 km/h. O olho do furacão se move pelas ilhas.

De acordo com a rede de televisão CNN, 560 mil pessoas estão sem energia elétrica no sul da Flórida. Em Miami, há ruas inundadas e árvores caídas. As ruas, totalmente vazias, são iluminadas pela intensidade dos raios e o forte vento se deixa notar nos edifícios da cidade, que recebem o impacto de objetos que saem voando devido às fortes sequências.

Em Miami Beach, a popular Collins Avenue também se viu inundada e se teme que os efeitos possam ser muitos piores à medida o furacão vá se aproximando e gere um possível aumento do nível do mar, o que afetaria as numerosas áreas costeiras da região.

As autoridades de Miami publicaram um aviso no Twitter de que as equipes de resgate não responderão a novos chamados de emergência na cidade devido à “força extrema dos ventos”. No Condado de Collier, os serviços também podem parar de funcionar.

 

Fonte:http://noticias.r7.com/internacional/furacao-irma-causa-inundacoes-e-deixa-milhares-sem-luz-na-florida-10092017

Maior terremoto no México desde 1932 deixa pelo menos 61 mortos

Juchitan: uma das regiões atingidas pelo terremoto (Jorge Luis Plata/Reuters)

México.- Pelo menos 61 mortos, mais de 250 feridos e 159 municípios em estado de emergência é o saldo preliminar do terremoto que na noite da última quinta-feira atingiu o México e uma parte da América Central, o de maior magnitude sofrido por este país desde 1932.

Diversos municípios do sul do México acordaram na sexta-feira entre escombros, edifícios danificados e sem energia elétrica, como consequência do terremoto de magnitude 8,2 na escala de Richter registrado às 23h49 (hora local) de quinta-feira.

Desde que a terra tremeu, o número de mortos não parou de subir.

O presidente Enrique Peña Nieto declarou três dias de luto nacional pelas vítimas fatais do terremoto.

De acordo com Peña Nieto, 45 pessoas morreram em Oaxaca (sul), 12 em Chiapas (sudeste) e quatro em Tabasco (sudeste).

Dos mortos em Oaxaca, 36 são do município de Juchitán. A prioridade nesse local, garantiu o presidente, é “restabelecer o abastecimento de água e alimentos, assim como atendimento médico às vítimas”.

As estimativas iniciais indicam que até 50 milhões de pessoas foram expostas ao terremoto no México e 37 milhões perceberam de maneira moderada ou forte.

A magnitude do terremoto, cujo epicentro ficou a 133 quilômetros ao sudoeste de Pijijiapan, em Chiapas, superou ao que foi registrado em 19 de setembro de 1985 (de 8,1 na escala Richter).

Embora não haja mortes ou danos maiores na capital, o som do alerta sísmico fez com que voltassem os fantasmas de 1985, quando milhares de pessoas morreram na cidade.

O Ministério do Interior emitiu uma declaração de emergência para 41 municípios do estado de Oaxaca. A região mais atingida pelo terremoto é a do Istmo de Tehuantepec, especialmente Juchitán.

Cerca de 7 mil casas, a metade do total, têm danos estruturais importantes, segundo o governador de Oaxaca, Alejandro Murat.

Além disso, há um policial desaparecido e que pode estar embaixo de escombros do Palácio Municipal, parcialmente destruído.

O Ministério da Marinha emitiu em Chiapas um alerta na região por risco de tsunami, com isso, quase 10 mil pessoas foram evacuadas, “principalmente na costa”, desde que ocorreu o terremoto, pouco antes da meia-noite, disse o governador Manuel Velasco.

Já o Ministério do Interior declarou emergência extraordinária para 118 municípios de Chiapas, enquanto o Exército lançou o plano DN-III, que deslocou aproximadamente mil soldados para as áreas afetadas.

Além disso, 100 membros da Gendarmaria foram transferidos para municípios necessitados.

Em Chiapas, Oaxaca e Tabasco, a rede rodoviária federal sofreu alguns danos “sem afetar a conectividade”, afirmou a Secretaria de Comunicações e Transportes (SCT).

As autoridades mexicanas pediram que permanecessem alertas após o terremoto, em antecipação a possíveis tremores.

O Serviço Sismológico Nacional (SSN) registrou que ontem, até às 13h (hora local), foram detectadas 337 réplicas. Entre elas, a de maior magnitude foi de 6,1 na escala Richter.

O México teve apenas no ano passado, 15,4 mil movimentos sísmicos, de acordo com dados da Universidade Autônoma Nacional do México (UNAM).

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/mundo/maior-terremoto-no-mexico-desde-1932-deixa-pelo-menos-61-mortos/

Novo teste da Coreia do Norte aumenta tensão sobre guerra nuclear

People walk past a street monitor showing North Korea’s leader Kim Jong-Un in a news report about North Korea’s nuclear test, in Tokyo
Coreia do Norte: nas últimas semanas, a Coreia do Norte ameaçou um teste de mísseis próximo à base americana de Guam, no Oceano Pacífico

Cinquenta e cinco anos depois de a crise dos mísseis entre Estados Unidos e União Soviética, o mundo está novamente às voltas com a guerra nuclear. No domingo, a Coreia do Norte confirmou o sucesso de seu maior teste nuclear, uma bomba de hidrogênio, capaz de ser lançada por seus mísseis balísticos intercontinentais.

A Coreia do Sul afirmou há pouco ter informações que a Coreia do Norte prepara o lançamento de um novo teste balístico. O país simulou, nesta segunda-feira, um ataque a uma base militar norte-coreana.

O anúncio do novo teste, e os registros de atividade sísmica nos países do Pacífico, deixaram os Estados Unidos e seus aliados, principalmente Coreia do Sul, Japão e China, em estado de atenção. A semana por vir deve ser decisiva em termos diplomáticos.

Os medidores de tremor da região apontaram que o teste foi 10 vezes mais forte do que o último, feito há cerca de um ano. Algumas cidades da China próximas à fronteira com a Coreia do Norte relataram tremores semelhantes a terremotos.

Nas últimas semanas, a Coreia do Norte ameaçou um teste de mísseis próximo à base americana de Guam, no Oceano Pacífico.

O país também disparou mísseis que passaram sobre o território japonês, um importante aliado dos norte-americanos. Ainda ontem, Trump se reuniu com seus consultores de defensa, entre eles o secretário James Mattis, para discutir a questão.

Mattis, secretário de Defesa, fez uma declaração ainda no domingo dizendo que qualquer ataque norte-coreano aos Estados Unidos ou seus aliados daria lugar a uma resposta militar massiva. “

Temos muitas opções militares e o presidente queria ser avisado de todas elas. […] Nós não estamos procurando aniquilar totalmente um país, leia-se a Coreia do Norte, mas, como dito, temos muitas opções”, disse Mattis em coletiva, alertando ao regime de Kim Jong-un.

Em sua conta no Twitter, Trump afirmou que planeja impor sanções econômicas a todos os parceiros comerciais dos Estados Unidos que mantêm relações com a Coreia do Norte.

Donald J. Trump 

@realDonaldTrumpThe United States is considering, in addition to other options, stopping all trade with any country doing business with North Korea.

Tradução:  “Os Estados Unidos estão considerando, além de outras opções, parar todo o comércio com qualquer país que faça negócios com a Coréia do Norte.”

A pressão dos Estados Unidos sobre os chineses é certa: ainda no domingo Trump afirmou que a “Coreia do Norte é uma vergonha para a China, que está tentando mediar a questão”. Com a crescente tensão contra Kim, a posição de mediador da China é cada vez mais delicada.

Há 55 anos o mundo escapou do conflito nuclear. Mas o presidente americano à época não era Donald Trump. O nível de incerteza é total.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/mundo/novo-teste-da-coreia-do-norte-aumenta-tensao-sobre-guerra-nuclear/

‘É de uma singeleza ímpar’, diz Temer na China sobre decreto que extingue reserva de mineração na Amazônia

Na China, onde está em visita oficial, o presidente Michel Temer minimizou a polêmica em torno da extinção da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) um dia depois de o ministro do STF Gilmar Mendes dar dez dias ao governo para explicar a decisão.

“É uma questão jurídica. Vamos nos pronunciar sobre isso. Vocês sabem que lá havia uma exploração clandestina ilegal do minério. Vocês verificaram pelo decreto que foi expedido que há preservação absoluta de toda e qualquer área ambiental e de área indígena”, afirmou Temer a jornalistas.

Extinção de reserva na Amazônia pegou ambientalistas e centros de pesquisa brasileiros de surpresa
Extinção de reserva na Amazônia pegou ambientalistas e centros de pesquisa brasileiros de surpresa Foto: MÁCIO FERREIRA/ AG. PARÁ/FotosPúblicas

“O que há é uma regularização da exploração que se faz naquela região. Nada mais do que isso. É de uma singeleza ímpar”, acrescentou.

Mendes foi escolhido relator no STF da ação do PSOL contra o decreto que extinguiu a reserva, que está em uma área entre os Estados do Pará e do Amapá e tem 47 mil quilômetros quadrados, o tamanho equivalente ao território da Dinamarca.

Na terça-feira, a Justiça Federal já havia suspendido a decisão do governo.

A extinção da reserva, criada em 1984, vem gerando polêmica desde que foi anunciada, na semana passada. Assinado pelo presidente Michel Temer, o decreto nº 9.142 extinguiu a Renca e liberou a região para a exploração privada de minérios.

O governo afirma que cumprirá legislações específicas sobre a preservação da área. Mas especialistas alertam para os riscos para as áreas de proteção integral e terras indígenas que estão compreendidas dentro do perímetro da Renca.

 

Fonte:https://www.terra.com.br/noticias/brasil/e-de-uma-singeleza-impar-diz-temer-na-china-sobre-decreto-que-extingue-reserva-de-mineracao-na-amazonia,61e8740228813e9e6f73895195e7caa7pfopaxm7.html

 

Harvey, a tempestade que desafia Houston – e Trump

IDOSA AGUARDA RESGATE EM HOUSTON: o mais potente evento climático a atingir os Estados Unidos desde o furacão Katrina / Adrees Latif/ Reuters
Idosa Aguarda Resgate: o mais potente evento climático a atingir os Estados Unidos desde o furacão Katrina (Adrees Latif/Reuters)

A segunda-feira será dia de começar a contar os prejuízos da tempestade tropical Harvey, que atingiu a cidade de Houston, no Texas, no fim de semana. O Harvey era esperado como um furacão, mas perdeu força. Ainda assim, é o mais potente evento climático a atingir os Estados Unidos desde o furacão Katrina, que assolou Nova Orleans em 2005.

É o primeiro desastre natural do governo Donald Trump, e coloca à prova uma faceta ainda desconhecida do presidente. Trump confirmou que irá o Texas na terça-feira para verificar os estragos deixados pelas chuvas. Pelo Twitter, o presidente americano afirmou que a situação é “histórica”. “Inundação não tem precedentes, e está vindo mais chuva. O espírito das pessoas é incrível. Obrigado!”, afirmou.

No sábado, Trump afirmou que evitará cometer os erros de George W. Bush na resposta ao Katrina, quando sua resposta foi considerada tardia por analistas e moradores. Trump declarou estado de desastre no Texas, o que permite que ele envie recurso e ajuda federal. O Departamento de Saúde e Serviços Humanos declarou emergência sanitária no Texas e pediu que clínicas e hospitais atendam idosos e pessoas de baixa renda.

O governador do Texas, Greg Abott, afirmou à rede Fox News que “a situação é grave, e vai piorar”. A região de Houston recebeu mais de 60 centímetros de chuva nas últimas 24 horas, e entre 38 e 63 centímetros ainda devem cair até quinta-feira. As ruas da cidade estão alagadas, postes foram arrancados e o aeroporto está fechado. Duas pessoas morreram e 1.800 estão em abrigo. O Katrina, em 2005, deixou 1.800 mortos.

Mas a conta financeira no Texas tende a ser relevante em virtude da produção de petróleo. O litoral do estado concentra um terço das refinarias de petróleo do país e 20% da produção. No sábado, 112 plataformas foram evacuadas, o que representa 24,5% da produção diária de petróleo e 26% da de gás nos Estados Unidos.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/mundo/harvey-a-tempestade-que-desafia-houston-e-trump/