Category: Notícias

‘Gemidão’ do WhatsApp causa demissão de entregador de farmácia em Natal

Motoboy abriu arquivo no celular e caiu na pegadinha do ‘gemidão’ (Foto: Fernanda Zauli/G1 )

O motofretista de uma farmácia de Natal foi demitido por justa causa após cair na pegadinha do ‘gemidão’ do WhatsApp. O caso foi parar na Justiça do Trabalho, onde o ex-empregado conseguiu reverter a demissão para dispensa sem justa causa. A empresa alegou que o áudio causou constrangimento e prejuízos financeiros.

Segundo a defesa do empregado, a postagem aparentava ser um vídeo jornalístico, mas continha um áudio de uma mulher gritando alto em tom sexual. O motociclista ainda afirmou que “tal pegadinha é costumeira nos grupos de WhatsApp e tem o intuito de constranger a pessoa que recebe o vídeo”.

O caso aconteceu em janeiro de 2017, mas só foi divulgado após uma decisão judicial, proferida na última sexta-feira (18). Funcionário da empresa desde maio 2014, o motociclista não teria direito a alguns direitos concedidos a quem perde o trabalho se a justa causa tivesse sido mantida – caso do saque ao FGTS e seguro-desemprego. Ele alegou que caiu involuntariamente em uma pegadinha enviada pelo aplicativo de troca de mensagens durante seu horário livre.

Apesar de reverter a demissão, a Justiça não concedeu direito a idenização por danos morais, solicitado pelo motociclista.

Constrangimento

Para os representantes da farmácia, o ex-empregado apresentou ‘maus hábitos’ ao assistir vídeos no celular em horário de expediente, ‘sobretudo quando comete ofensa ao pudor’. Para os advogados, houve desrespeito aos colegas de trabalho, clientes e à própria empresa.

A empresa também afirmou que o áudio provocou várias reclamações e prejuízos. De acordo com a defesa, ‘clientes saíram sem efetuar suas compras ao ouvirem os sons que ecoaram por todo estabelecimento’ e disseram que não voltaríam mais ao estabelecimento.

Para a juíza Isaura Maria Barbalho Simonetti, da 5ª Vara do Trabalho de Natal, é incontestável que o trabalhador utilizou o aplicativo durante o expediente e que assistiu a um vídeo pornográfico. Porém, a magistrada considerou que não existem provas que a intenção do empregado era causar constrangimento. As comprovações quanto aos prejuízos que a farmácia alega também não teriam sido apresentadas.

Em Sergipe, Lula diz que ‘talvez’ tenha cometido erros no governo

Resultado de imagem para Lula em SErgipe
O governador de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), e o ex-presidente Lula (PT), Foto: Beto Macário/UOL

 

CATIA SEABRA, ENVIADA ESPECIAL ARACAJU, SE (FOLHAPRESS) –

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu, no fim da tarde de domingo (20), erros à frente do governo. Usando a expressão “talvez” e falando no plural, o petista, no entanto, dividiu a responsabilidade com a sucessora Dilma Rousseff. “Sei que não fizemos tudo, talvez tenhamos cometido erros. Se a companheira Dilma estivesse aqui, com certeza iria reconhecer que teve erros”, afirmou, durante sua passagem por estância Estância (SE). A cidade é uma das paradas de sua caravana pelo Nordeste, região pela qual o ex-presidente viaja desde a semana passada. Dois dias antes, Lula criticou a ex-presidente, queixando-se até da resistência dela em convidar o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para integrar seu governo. Ao falar dos processos a que responde, Lula disse, sobre um palanque, que a elite não o perdoava por ter levado filé à mesa do pobre. “Eu resolvi andar porque vocês sabem o que estão tentando fazer comigo. Tenham certeza que o problema não é o Lula. O problema são vocês”, disse ele, listando ações de seu governo. “Eles não nos perdoam. Eles não me perdoam porque os pobres começaram a viajar a São Paulo de avião”, afirmou. Lula afirmou ainda que o governo quer fazer novas privatizações: “Essa gente quer vender tudo, o Banco do Brasil, a Caixa, a Petrobras, a BR”. CHORO O ex-presidente chorou ao lamentar a morte do ex-governador de Sergipe, Marcelo Déda, e do ex-senador José Eduardo Dutra, ambos petistas, e de sua mulher, Marisa Letícia. Vaiado ao ser anunciado no palanque, o governador Jackson Barreto (PMDB) também chorou quando Lula agradeceu publicamente por sua lealdade a Dilma. “Quero te dizer foi um dos poucos de governadores deste país que mostrou ter caráter e não teve medo de apoiar a companheira Dilma. Eu sou agradecido. Na noite em que Dilma estava sendo torturada, nós estávamos no Alvorada e apareceram os cinco governadores do PT e o companheiro Jackson, porque os outros não tiveram coragem de ir”, contou o ex-presidente.

 

Fonte: http://www.bemparana.com.br/noticia/521274/em-sergipe-lula-diz-que-talvez-tenha-cometido-erros-no-governo

PSDB CONVOCA CONVENÇÃO PARA ENXOTAR AÉCIO

Marcos Oliveira/Agência Senado
Foto: Internet

Em meio a forte crise, o PSDB publicou neste fim de semana resolução convocando as convenções para a eleição de nova direção e a escolha dos candidatos do partido às eleições de 2018. A indicação do nome para a Presidência da República será em 9 de dezembro. Se houver mais de um candidato – o partido hoje está entre Geraldo Alckmin e João Doria, governador e prefeito de São Paulo, respectivamente – serão realizadas prévias em fevereiro de 2018.

Dificilmente o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente licenciado do partido, e Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente interino, devem continuar à frente do PSDB. Não há registro na história dos tucanos de presidentes “contestados” no cargo. O próprio Tasso pode não ficar até dezembro, pois uma ala influente do partido considera que ele está “provocando” as alas da legenda que não pensam como ele.

A convenção de dezembro é uma vitória de Alckmin, que espera eleger um presidente aliado na convenção. Os tucanos deram a largada à sucessão presidencial num momento crítico, quando o senador Aécio Neves (PSDB-MG) articula a sua volta à presidência do partido, aproveitando-se de um momento de fragilidade de Tasso Jereissati (PSDB-CE). Tasso é o responsável pelo programa partidário, criticado pela maioria, no qual o PSDB reconhece ter cometido erros e condena o presidencialismo de “cooptação”.

A reação foi imediata e em geral contrária a Tasso. A avaliação no PSDB é que o senador teria dado um tiro no próprio pé e auxiliado o PT – este sim responsável pela ruína econômica do país. Mas no fim de semana Tasso conseguiu mais apoios e pode não ser tão simples como parecia, na última semana, Aécio tirá-lo da presidência do PSDB.

As informações são de reportagem de Raymundo Costa e Marcelo Ribeiro no Valor.

 

Fonte:https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/312836/PSDB-convoca-conven%C3%A7%C3%A3o-para-enxotar-A%C3%A9cio.htm

Dívida pública e fiscalização eleitoral nas manchetes de 21/08/17

(Montagem/VEJA.com)

O crescimento da dívida pública brasileira e a fiscalização eleitoral do fundo para financiamento de campanha estão nas manchetes dos jornais nesta segunda-feira. O endividamento público supera 80% do PIB, segundo critério do FMI, e não deve parar de subir antes de 2022. Segundo a Folha de S.Paulo, só o Brasil apresenta uma trajetória explosiva de endividamento entre as grandes economias emergentes. No Estado de S.Paulo, reportagem destaca que a estrutura da Justiça Eleitoral é considerada insuficiente para analisar as contas dos partidos, enquanto o Globo revela que o Conselho Nacional de Justiçadesistiu da meta de analisar 80% dos processos de crime contra a vida.

Folha de S.Paulo
Alta da dívida faz Brasil destoar de países emergentes
A dívida pública ultrapassou o equivalente a 80% da renda nacional, segundo critério do FMI. Para o governo, que adota outro cálculo, a dívida está em 73% do PIB. Em um caso ou em outro, é um patamar que destoa entre as grandes economias emergentes, e não será interrompida antes de 2022. Para estancar a escalada da dívida, seria necessário destinar ao pagamento de juros uma parcela expressiva da receita da União. 

O Estado de S.Paulo
Fundo de R$ 3,6 bi deve sobrecarregar fiscalização eleitoral
Enquanto a discussão do fundo público de R$ 3,6 bilhões para financiamento de campanha avança na Câmara, a fiscalização da aplicação dos recursos deve desafiar a estrutura da Justiça Eleitoral. O presidente do TSE, Gilmar Mendes, admite que será difícil analisar a destinação da verba. Há, atualmente, 148 servidores escalados para avaliar as contas anuais dos partidos. Se o fundo público for aprovado, cada um ficaria responsável por fiscalizar a destinação de R$ 24 milhões. 

Brasil tem 28 mil assassinatos em 6 meses
Foram cometidos 28,2 mil assassinatos, somando homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios, no Brasil no primeiro semestre, 6,7% a mais do que no mesmo período de 2016. São 155 casos por dia. A alta é puxada pelo Nordeste: quatro Estados tiveram aumento no número de mortes.

O Globo
Justiça desiste de meta para julgar crimes contra a vida
Em 2015, o CNJ tinha como meta a análise de 80% dos processos de crimes dolosos contra a vida que ingressaram nos tribunais brasileiros até 2012. Porém, o objetivo foi abandonado pelo conselho, que passou a tão somente monitorar o andamento dessas ações. Apenas 10,9% da fila de 72,4 mil ações penais iniciadas até 2012 foram julgadas.

Valor Econômico
Déficit alto põe governo sob risco de crime fiscal
A equipe econômica está preocupada com os riscos de descumprimento da chamada “regra de ouro” das finanças públicas, o artigo 167 da Constituição, que proíbe a emissão de dívida em valor superior às despesas de capital (essencialmente investimentos) do exercício.

Jornal do Commercio
Pernambuco eleva taxa nacional de homicídios
Derrocada do Pacto Pela Vida é um dos fatores que faz o Estado puxar para cima os números nacionais. Ceará e Rio Grande do Norte também estão mais violentos. Tráfico está na raiz da maioria dos crimes.

 

Fonte:http://veja.abril.com.br/brasil/divida-publica-e-fiscalizacao-eleitoral-nas-manchetes-de-210817/#

Vice-prefeito de cidade do interior do RN morre em acidente de carro

Vice prefeito foi arremessado para fora do carro e morreu na hora (Foto: Arquivo Pessoal )
Vice prefeito foi arremessado para fora do carro e morreu na hora (Foto: Arquivo Pessoal )

O vice-prefeito do município de Grossos, Martins Carlos Gomes, de 53 anos, morreu em um acidente de carro na noite deste domingo (20). O acidente aconteceu na RN-012, na saída da cidade. Grossos fica na região Oeste potiguar.

Martins dirigia uma picape Hilux de cor branca. Ao sair da cidade, perdeu o controle e acabou capotando o carro. O corpo foi arremessado para fora do veículo.

Carro do ex-prefeito ficou destruído após acidente  (Foto: Divulgação/PM )
Carro do ex-prefeito ficou destruído após acidente (Foto: Divulgação/PM )

Fonte: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/vice-prefeito-de-cidade-do-interior-do-rn-morre-em-acidente-de-carro.ghtml

Embriagado, homem atropela motociclista, briga com PMs e é preso em Natal

Do G1

Tumulto causado após empresário tentar resistir à prisão  (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Tumulto causado após empresário tentar resistir à prisão (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Um atropelamento seguido de briga de trânsito se transformou numa confusão generalizada entre um empresário natalense de 57 anos, os filhos dele e policiais militares. O fato aconteceu no começo da noite deste domingo (20), na Avenida Ayrton Senna, Zona Sul de Natal.

Segundo testemunhas, o empresário furou um sinal vermelho e arrastou um motociclista por uma distância de aproximadamente 70 metros. Após o atropelamento, ele tentou fugir, mas foi amarrado com uma corda por populares. Quando os policiais chegaram, ele foi preso em flagrante após realizar teste do bafômetro, que comprovou o crime de embriaguez ao volante.
Embriagado, empresário tentou resistir à prisão  (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Embriagado, empresário tentou resistir à prisão (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Mesmo detido, o homem começou a agredir os policiais militares do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) e do 5º Batalhão da Zona Sul. Durante a realização do flagrante, dois filhos do empresário tentaram retirar o pai do local. “Meu pai é um trabalhador, trabalhou 20 anos. Não é vagabundo não. Não coloquem ele ai não”, dizia um deles, se referindo ao camburão da PM.

Os policiais foram agredidos com tapas e socos e reagiram. “Os familiares não entendem. Dizem que ele não cometeu crime, mas cometeu sim. Ele quase matou uma pessoa, e está visivelmente embriagado”, disse o Sargento Thiago, do 5º BPM.

Depois de quase vinte minutos de confusão, o empresário foi retirado da mala. Quase sem conseguir andar, foi levado a outra viatura, sendo finalmente contido. Ele foi levado para a Delegacia de Plantão da Zona Sul.

O motociclista foi socorrido e está hospitalizado  (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi )

O motociclista foi socorrido e está hospitalizado (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi )

O motociclista atropelado teve ferimentos na cabeça e foi levado ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho, no Hospital Walfredo Gurgel. Ele deu entrada no hospital consciente, foi orientado no setor de politrauma e, após estabilizado, fez uma tomografia e avaliação médica.

Fonte:http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/embriagado-homem-atropela-motociclista-briga-com-pms-e-e-preso-em-natal.ghtml

 

Um mal dos nossos dias, depressão põe em risco carreiras jurídicas

Resultado de imagem para Juízes
Foto: Inteenet

A depressão sempre existiu, mas, atualmente, vem se tornando mais comum. Primeiro, porque é exposta e discutida, Segundo, em razão das peculiaridades da vida contemporânea, na qual a estabilidade cedeu espaço para a incerteza na vida familiar e profissional. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), “mais de 300 milhões de pessoas vivem com depressão, um aumento de mais de 18% entre 2005 e 2015”.

É possível afirmar, sem aprofundamento científico, que a depressão pode ter origem física, podendo ser tratada com remédios, ou ter motivação psicológica, hipótese essa que exige o apoio de terceiros e, em muitos casos, tratamento com psiquiatra ou psicólogo.

No mundo do Direito, ela também se faz presente, desde os bancos acadêmicos até o mundo profissional no seu mais elevado nível.

A começar pelos estudantes de Direito que, além da perda de referências mais estáveis (por exemplo, religião), veem suas perspectivas profissionais sem grande ânimo. Os concursos tornaram-se extremamente difíceis, e a concorrência na advocacia tornou-se maior. Registra reportagem que o Brasil tem 1 milhão de advogados. Os dados são do cadastro nacional de profissionais mantido pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil[3].

Não é diferente em outras profissões jurídicas. Professores de faculdades privadas de Direito queixam-se de má remuneração. Nas mais conceituadas, onde os salários são melhores, reclamam da pressão pela publicação de artigos, financiamento para pesquisas e outros dados que elevam a pontuação da instituição junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Magistrados, agentes do Ministério Público, membros da advocacia pública e Defensorias queixam-se de trabalho excessivo e, por vezes, mesmo recebendo vencimentos acima da média, paradoxalmente deixam-se levar ao desânimo e à depressão.

Em todos os casos em que esse mal apareça, revelando seus sintomas, o primeiro passo a ser dado é não ignorá-lo. Os que dele sofrem devem exteriorizar suas preocupações com pessoas da família, colegas ou amigos em quem depositem absoluta confiança. Abrir-se, sem vergonha de aparentar fraqueza, é o primeiro passo.

Os que rodeiam os deprimidos devem, antes de mais nada, ouvi-los. Transmitir interesse em ajudá-los, aconselhá-los, discutir formas de solucionar o problema. Nos casos menos graves, uma voz amiga pode ser a solução.

 

Leia mais no link: http://www.conjur.com.br/2017-ago-20/segunda-leitura-mal-nossos-dias-depressao-poe-risco-carreiras-juridicas

Brasil registra 10 estupros coletivos por dia, segundo Ministério da Saúde

Foto: Internet
O crime responde atualmente por 15% dos casos de estupro atendidos pelos hospitais

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2016 foram registrados 3.526 casos de estupro coletivo no país, o que dá em média dez casos por dia. Os dados foram divulgados com exclusividade pelo jornal Folha de S.Paulo, neste domingo (20).

Ainda segundo o levantamento, Acre, Tocantins e Distrito Federal lideram o ranking de estupro coletivo por cem mil habitantes –com 4,41, 4,31 e 4,23, respectivamente. O crime responde atualmente por 15% dos casos de estupro atendidos pelos hospitais. Foram 22.804 atendimentos no ano passado.

Desde 2011, dados sobre violência sexual se tornaram de notificação obrigatória pelos serviços de saúde e são organizados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde.

Subnotificação
Apesar dos números alarmantes, um estudos feitos pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) mostram que apenas 10% dos estupros são notificados. Levando em consideração que são resgistrados 50 mil casos por ano, Brasil teria outros 450 mil episódios de violência sexual sequer notificados.

 

Fonte:http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/brasil-registra-10-estupros-coletivos-por-dia-segundo-ministerio-da-saude/

Desembargador reclama de roupa de advogada e se recusa a ouvi-la

Advogada Pamela Helena

O desembargador Eugênio Cesário, do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO), se recusou a ouvir a sustentação oral de uma advogada por considerar que a roupa dela era inadequada. O caso aconteceu nesta quinta-feira (17/8).

“Nós temos um decoro forense a cumprir e a atividade do advogado requer esse decoro também (…) O fórum é todo feito de simbologia, olha as bandeiras de simbologia, olha nossas togas, a que a senhora vai vestir aí e a senhora vem fazer uma sustentação oral de camiseta? Se for para fazer, eu saio”, disse o desembargador.

Após ouvir a manifestação do magistrado, a advogada Pamela Helena de Oliveira Amaral respondeu: “Desculpe, eu respeito, mas discordo. Eu não estou de camiseta”.

Depois de a relatora do caso afirmar que não via problema na roupa da advogada e opinar pela continuidade do julgamento, o desembargador Eugênio Cesário chegou a sair da sala.

A questão só foi resolvida depois que a advogada pegou emprestado o blazer de uma colega e a relatora convenceu o desembargador a retornar. “Eu estava completamente abalada, mas em respeito ao meu cliente e aos demais presentes, inclusive os outros desembargadores, resolvi prosseguir com a sustentação oral”, explicou Pamella.

Em nota, o TRT-18 lamentou o ocorrido e classificou o episódio como um “incidente isolado”. Já a seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil repudiou o “preconceito estampado na fala do desembargador”. Segundo a OAB-GO, a decisão do magistrado “fere as prerrogativas funcionais e a Constituição, que estabelece que a advocacia é função essencial à Justiça”.

Além disso, a OAB-GO aponta que o Estatuto da Advocacia estabelece que é competência privativa da OAB determinar o traje dos advogados no exercício profissional. “Não cabe a um representante do Poder Judiciário impedir a plena atividade da advocacia por esse motivo e sem a devida justificação jurídica de seus atos”, diz a entidade em nota.

Macacão de alça
Pamela Helena explicou que, ao contrário do alegado pelo desembargador, ela não estava vestindo uma camiseta, e sim um macacão de alça. Ela conta que, desde que seu filho nasceu, há quase dois anos, ela utiliza roupas semelhantes devido a amamentação, e nunca teve problema.

“Inclusive um dia antes eu estava com uma roupa semelhante no Tribunal Superior do Trabalho para fazer uma sustentação oral e fui informada que não havia qualquer problema de não estar vestindo um terninho ou blazer, pois o que se exige é o uso da beca. Inclusive o regimento do TRT-18 também exige somente a beca”, afirma a advogada, que ainda deve apresentar uma representação formal na OAB.

Vestido curto
Recentemente outra advogada teve problemas num fórum por causa de sua roupa. O caso aconteceu em Palmas, capital do Tocantins. Uma advogada grávida foi impedida de entrar no local porque estava com um vestido considerado muito curto.

Uma resolução de 2015 do Tribunal de Justiça de Tocantins proíbe a entrada no tribunal de pessoas com roupas “excessivamente curtas” (saias, vestidos e shorts que estão mais de 3 cm acima da linha do joelho).

 

Fonte: http://www.conjur.com.br/2017-ago-18/desembargador-reclama-roupa-advogada-recusa-ouvi-la

Procon Legislativo registra mais de 200 atendimentos em Nova Parnamirim

Um das áreas mais populosas da Região Metropolitana de Natal, o bairro de Nova Parnamirim, em Parnamirim, foi beneficiado com o atendimento da unidade móvel do Procon Legislativo. A região tem mais de 55 mil habitantes, segundo o IBGE. Se fosse uma cidade, ela seria a terceira de região metropolitana.

Na última quarta (16) e quinta-feira (17), foram realizados 218 atendimentos pelo projeto itinerante da Assembleia Legislativa, dos quais foram registrados quatro procedimentos para audiências, reforçando o alto grau de resolutividade do Procon Legislativo já na primeira demanda gerada pelo consumidor.

“Dos 214 atendimentos restantes, alguns foram para esclarecimentos, tirar dúvidas e orientações no geral, mas muitos outros também foram para reclamações e, seguindo o padrão que temos, contatamos o fornecedor na mesma hora e conseguimos mediar acordo”, explica o diretor do órgão, Dary Dantas.

As principais reclamações continuam concentradas nos serviços de telefonia, tv por assinatura, bancos e planos de saúde.

O Procon Legislativo tem focado em regiões mais populosas para levar os seus serviços. Antes de Nova Parnamirim, a zona Norte da capital foi beneficiada com a ação, quando foram gerados 169 atendimentos. A Assembleia Legislativa, através de seus canais oficiais, informará o cidadão quando a próxima ação for realizada.

Médico do Samu Natal é advertido por atendimento ‘polêmico’ ao telefone

Rodrigo Paiva foi baleado em Natal (Foto: Arquivo Pessoal)
Rodrigo Paiva foi baleado em Natal (Foto: Arquivo Pessoal)

Um médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Natal foi advertido por usar ‘linguajar inadequado’ e apresentar ‘excesso de preocupação com segurança no local’ ao atender uma chamada com pedido de socorro ao advogado Rodrigo Paiva, de 37 anos, baleado em um assalto no último sábado (12), na Zona Leste de Natal. Uma atendente também recebeu advertência da coordenação do serviço por falta de objetividade na identificação do endereço. Escute o áudio.

A gravação da chamada foi conseguida pela família da vítima. Nela, uma mulher leva quase dois minutos para explicar à atendente a localização onde o fato aconteceu. Em seguida, ela é atendida por um médico, que usa palavras de ‘baixo calão’, segundo os familiares, que também reclamaram da falta de ‘humanização’ diante de um caso grave.

“Um médico grosso dizendo que não ia mandar ninguém sem polícia. Com esse tempo, chamasse o Itep [Instituto do estado que realiza perícia de locais de crime e exumação de corpos de vítimas]. Meu irmão estava morrendo. Não tem palavra para descrever isso. É uma falta de preparo”, disse o irmão do advogado, Carlos Virgílio, à Inter TV Cabugi.

No áudio, a mulher reclama da burocracia para conseguir o atendimento. “Minha senhora, não tem como mandar logo não, a ambulância? É uma urgência”, diz ao ser informada pela atendente que ainda falaria com um médico. Ao atender a ligação, o profissional ainda afirmou que só poderia enviar uma equipe com a presença da Polícia Militar no local.

“É assim mesmo senhora, funciona desse jeito, viu?”, diz o médico ao iniciar o diálogo, enquanto a mulher comenta com alguém ao seu lado sobre a demora. “Ave maria! É que o homem tá baleado aqui”, comenta a cidadã. “É que a culpa primeiro não é da gente, né?”, retruca o profissional.

Ao questionar a mulher sobre o local do ferimento, ela responde o nome da rua. “Foi na bunda, na perna na cabeça, na orelha, em que local?”, pergunta ele.

Apesar da advertência, os coordenadores consideraram que não houve falta severa dos profissionais. O secretário municipal de Saúde de Natal, Luiz Roberto Fonseca, afirmou que o caso poderá ser apreciado por uma comissão de ética. “Algumas colocações, alguns comentários, a forma como foi colocado, pode ter tido um tom jocoso. Protocolarmente, não houve erro”, considerou.

De acordo com o secretário e a coordenação do Samu, os dois servidores cumpriram o protocolo de atendimento e o tempo estimado para o serviço. Ainda de acordo com o Samu, a ambulância chegou a ser encaminhada para o local, mas o procedimento foi cancelado quando a equipe foi avisada de que o advogado já tinha sido socorrido por populares.

Falhas

A coordenação do Samu considerou que houve excesso do médico com a segurança do local, mas confirmou que as equipes de atendimento só se deslocam para atendimento em locais de crime quando há presença da polícia. O secretário de Saúde afirmou que a medida visa proteger os profissionais bem como outros cidadãos. “Um dos nossos objetivos é justamente evitar fazer uma nova vítima”, declarou ao G1.

Fonte: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/medico-do-samu-natal-e-advertido-por-atendimento-polemico-ao-telefone-ouca-audio.ghtml

Como está sendo a Operação Abate da PF

Resultado de imagem para Cândido Vaccarezza
Cândido Vaccarezza é apontado por tráfico de influência – Foto: Internet

Essa investigação trata do fornecimento de asfalto para a Petrobras pela empresa norte-americana Sargeant Marine, que também teve início a partir do relato Costa. Foram colhidas provas adicionais a partir de buscas e apreensões da 1ª e da 16ª fases da operação Lava Jato, além de resultados de quebra de sigilo bancário, fiscal e telemático e de pedidos de cooperação internacional.

As provas apontam que Cândido Vaccarezza utilizou a influência decorrente do cargo em favor da contratação da Sargeant Marine pela Petrobras e que isso culminou na celebração dos contratos, entre 2010 e 2013, no valor de aproximadamente US$ 180 milhões, segundo os procuradores.

O MPF também afirmou que a atuação de Vaccarezza ocorreu no contexto do esquema político-partidário que drenou a Petrobras e que ele agiu em nome do PT.

“Na divisão de valores das propinas, há documentos indicando seu direcionamento tanto para a “casa” (funcionários da Petrobras) como para o “PT”. Os valores então devidos ao partido, totalizando propinas de pelo menos cerca de US$ 500 mil, foram destinados em grande parte a Vaccareza, sendo possível que a investigação venha a revelar outros destinatários das vantagens ilícitas”, disse o MPF.

Fonte: http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/pf-cumpre-mandados-da-43-fase-da-operacao-lava-jato.ghtml

Detalhes da Operação Fronteiras da PF

Resultado de imagem para PF em SP
Foto: da Internet

Segundo o MPF, as investigações tiveram início a partir de relato do colaborador e ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e se desenvolveram com a análise de materiais apreendidos na 13ª fase da operação.

Os procuradores dizem que Costa ajustou com o cônsul honorário da Grécia no Brasil, Konstantinos Kotronakis, um esquema de facilitação de contratação de navios gregos por meio do fornecimento de informações privilegiadas e o pagamento de propinas.

Em um primeiro momento, o esquema era efetivado pela intermediação de Henry Hoyer de Carvalho e, depois, por intermédio de uma empresa de brokeragem constituída na Inglaterra e pertencente a Georgios Kotronakis, filho de Konstantinos, segundo o MPF.

“Dessa forma, os grupos Tsakos e Aegean, dos quais Konstantinos Kotronakis é, respectivamente, diretor e sócio-administrador, além das empresas Dynacom Tankers Management, Galbraiths e Dorian Hellas, com as quais o cônsul grego ostenta vínculos indiretos, formalizaram contratos de afretamento com a Petrobras, entre os anos de 2009 a 2013, em valores que superam US$ 500 milhões”, disseram os procuradores.

Pelo menos 2% desses valores era destinado ao pagamento de propina para funcionários públicos corrompidos, operadores financeiros e agentes políticos, afirma o MPF.

Fonte:http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/pf-cumpre-mandados-da-43-fase-da-operacao-lava-jato.ghtml

PF cumpre mandados de duas novas fases da Operação Lava Jato

Resultado de imagem para PF em SP
Sede da PF em São Paulo. Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) cumpriu 46 mandados judiciais de duas novas fases da operação – a 43ª e a 44ª em cidades de São Paulo e Rio de Janeiro na manhã desta sexta-feira (18). Seis pessoas foram presas temporariamente, entre elas está o ex-líder do governo Lula e Dilma e ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, que deixou o PT. Ele foi preso em São Paulo.

O Ministério Público Federal (MPF) afirma que Vaccarezza usou a influência decorrente do cargo em favor da contratação da empresa Seargent Marine pela Petrobras. No total, a empresa obteve 12 contrato entre 2010 e 2013 que somam US$ 180 milhões.

Provas colhidas durante a Operação Abate indicam que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, além de outros dois gerentes, também foram beneficiados pelo pagamento de propina.

É a primeira vez que a PF realiza duas fases da operação ao mesmo tempo. As ações foram batizadas de Sem Fronteiras e Abate, respectivamente.

Henry Hoyer de Carvalho, que é operador financeiro, e o irmão dele, que não teve o nome divulgado, foram presos no Rio de Janeiro. Os outros nomes ainda não foram divulgados pela PF.

Do total de mandados, seis são de prisão de temporária, 29 são de busca e apreensão e 11 são de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Uma das operações foi batizada de Sem Fronteiras. Segundo a PF, o foco é a relação espúria entre executivos da Petrobras e grupo de armadores gregos para obtenção de informações privilegiadas e favorecimento obtenção de contratos milionários com a empresa brasileira.

A outra é a Operação Abate, que mira um grupo criminoso que era apadrinhado por um ex-deputado federal, cuja influência era utilizada para a obtenção de contratos da Petrobras com empresa estrangeira. Nesta relação criminosa, recursos foram direcionados para pagamentos indevidos a executivos da estatal e agentes públicos e políticos, além do próprio ex-parlamentar, segundo a PF.

As duas etapas investigam os crimes de corrupção, desvio de verbas públicas e lavagens de ativos identificados em contratação de grandes empresas com a Petrobras.

A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou convertida para preventiva, que é quando não há prazo para deixar a carceragem.

Os presos serão levados para a sede da PF, em Curitiba.

Fonte: http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/pf-cumpre-mandados-da-43-fase-da-operacao-lava-jato.ghtml

Ações contra Temer estão nas mãos de Moraes

Alexandre de Moraes toma posse como ministro do Supremo Tribunal Federal
Alexandre de Moraes: ex-ministro do governo Temer vai decidir sobre ações que pede definição sobre pedidos de impeachment (Adriano Machado/Reuters)

Pode sair a qualquer momento a decisão do ministro Alexandre de Moraes, doSupremo Tribunal Federal, sobre duas ações apresentadas ao Supremo — uma por parlamentares da oposição, outra pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) — exigindo que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, dê andamento aos pedidos de impeachment do presidente da República, Michel Temer. Moraes afirmou que vai decidir até o início da próxima semana.

Alegando omissão por parte do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os deputados Alessandro Molon (Rede-RJ), Aliel Machado (Rede-PR), Henrique Fontana (PT-RS) e Júlio Delgado (PSB-MG) pediram no dia 28 de junho que a Suprema Corte conceda uma liminar obrigando Maia a analisar a presença dos requisitos formais nas denúncias já apresentadas e a providenciar a instalação das comissões especiais para avaliar o mérito dos pedidos. Com a demora do Supremo, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou com um mandado de segurança nesta quinta-feira para que a Corte obrigue Maia a se posicionar.

O presidente da OAB, Claudio Lamachia, afirma que Maia foi “omisso” sobre o pedido de impeachment e cobra do Supremo um prazo para que ele decida se dá prosseguimento à denúncia. “O atraso injustificado da autoridade coadora em analisar a denúncia resta em flagrante prejuízo à sociedade”, escreveu Lamachia.

Há mais de 20 pedidos de impeachment acumulados na Câmara. As ações da OAB e dos parlamentares de oposição cai nas mãos do único juiz do Supremo indicado justamente pelo presidente Michel Temer. Moraes foi ministro da Justiça do atual governo. Nem as togas dos ministros do Supremo esperam uma decisão desfavorável ao governo nestas ações.

 

Fonte: