Category: Notícias

Policiais paralisam atividades por 24h por causa de atrasos salariais no RN

Foto: Anderson Barbosa/G1
Foto: Anderson Barbosa/G1

G1 – Delegados, agentes e escrivães da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, além de servidores da Secretaria de Segurança Pública e funcionários do Instituto Técnico de Perícia (Itep) paralisam as atividades por 24 horas nesta terça-feira (18) no estado. A parada é um protesto contra os atrasos de salários por parte do Governo do Estado. Até esta terça-feira (17), o governo não pagou os salários do mês de setembro dos servidores que recebem acima de R$ 5 mil.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN), com a paralisação de 24 horas, apenas as Delegacias de Plantão estarão funcionando em Natal. No interior, as delegacias regionais também vão funcionar. Já no Itep e na Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), serão mantidos apenas os serviços essenciais.

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do RN (Adepol) quer, além do pagamentos dos salários de setembro, que o governo apresente um planejamento para o pagamento nos próximos meses. “Os servidores não estão obrigados a trabalharem arriscando suas vidas sem sequer saberem o dia que receberão pagamento”, afirmou, em nota, a associação.

Por volta das 10h30, após uma caminhada, agentes da segurança pública se reuniram em frente a Assembleia Legislativa para reivindicar o pagamento em dia dos salários.

Em caminhada, servidores saíram da sede do Sinpol e foram protestar em frente à Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Sinpol-RN)
Em caminhada, servidores saíram da sede do Sinpol e foram protestar em frente à Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Sinpol-RN)

Na sexta-feira passada (14), as categorias se reuniram na Governadoria, no Centro Administrativo do Estado, e realizaram um ato público contra os atrasos nos salários. Os servidores chegaram a interditar uma via da BR-101 por alguns minutos.

Por volta das 10h30, agentes da segurança pública se reuniram em frente a Assembleia Legislativa para reivindicar o pagamento em dia dos salários (Foto: Anderson Barbosa/G1)
Por volta das 10h30, agentes da segurança pública se reuniram em frente a Assembleia Legislativa para reivindicar o pagamento em dia dos salários (Foto: Anderson Barbosa/G1)

Por risco de contaminação, juíza manda fechar a Ceasa em Natal

Ceasa possui nove áreas de mercado permanente, divididos em 188 boxes (Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução)
Ceasa possui nove áreas de mercado permanente, divididos em 188 boxes (Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução)

Os comerciantes da Central de Abastecimento do Rio Grande do Norte (Ceasa), que funciona na Av. Capitão-mor Gouveia, no bairro de Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal, têm um prazo de 72 horas para desocuparem o local. A sentença é da juíza Andréa Régia Leite Holanda Macedo Heronildes, titular da 19ª Vara Cível da capital potiguar, que acatou Ação Civil Pública movida pela promotora de Justiça e Defesa do Meio Ambiente Gilka da Mata Dias.

A Polícia Militar foi autorizada a fazer uso da força, além de multa diária no valor de R$ 10 mil em desfavor do seu diretor-presidente em caso de descumprimento. A decisão é de primeira instância. A Procuradoria Geral do Estado anunciou que vai recorrer.

O G1 tentou falar com a direção da Ceasa, mas não conseguiu contato.

A decisão da juíza foi publicada no site do Tribunal de Justiça do Estado na sexta-feira (14). Nela, a magistrada considera que o funcionamento da Ceasa, do jeito que está, “pode acarretar prejuízos irreparáveis à saúde da coletividade, em virtude do acúmulo de águas nas ruas adjacentes”, “além de águas servidas que obstruem as bocas coletoras do sistema de drenagem”. Ainda de acordo com a decisão, a juíza também ressalta que a Ceasa trabalha com gêneros alimentícios, e que “acabam sendo contaminados por essa falta de condições sanitárias do local, sem falar na poluição ambiental que está ocorrendo no local”.

Também consta na decisão o não cumprimento de prazos de adequação que foram acordados em 2010, ano no qual o processo foi instaurado. “No dia 11 de outubro de 2016, foi possível verificar a continuidade da situação de risco para a saúde pública, em razão das precárias condições sanitárias existentes, em razão do descumprimento da decisão judicial”, acrescentou a magistrada.

Por fim, além da desocupação por parte dos comerciantes, a juíza ainda determina o mesmo prazo, de 72 hroas, para total paralisação das atividades da Ceasa, “devendo a mesma se abster de realizar qualquer atividade no local até o cumprimento das obrigações contidas na sentença”. Leia AQUI a íntegra da sentença.

A Ceasa
Segundo o site da Ceasa, suas instalações ocupam uma área de aproximadamente 10 hectares, onde estão instaladas: uma área denominada shopping, contendo 40 lojas de 75 m2; nove áreas de mercado permanente, divididos em 188 boxes; quatro áreas de mercado livre do produtor, divididos em 750 pedras; e três áreas de mercado livre.

Por mês, ainda de acordo com a Ceasa, circulam, em média, 3 mil veículos carregados, 70 mil veículos de passeio, 120 mil pessoas, 14 mil toneladas de produtos alimentícios (representando um montante de aproximadamente R$ 15 milhões), além de 300 toneladas de resíduos sólidos descartados.

Do G1RN

O que está por trás da redução das mortes no trânsito de SP

Leo Branco, da Revista EXAME

Pedestres em São Carlos, no interior paulista: mortalidade no trânsito caiu 50% em um ano
Pedestres em São Carlos, no interior paulista: mortalidade no trânsito caiu 50% em um ano

São Carlos, cidade do interior paulista com 245 000 habitantes, é conhecida por ter boas universidades e pela vida noturna agitada que oferece à juventude. Se, por um lado, a concentração de estudantes é bem-vinda, por outro, resultava em um destaque triste até pouco tempo atrás. Há dois anos, São Carlos estava em segundo lugar no país­ em estatísticas de mortes de jovens no trânsito.

A combinação de bebedeira com direção, comum entre os universitários, estava por trás do problema. “Era uma epidemia de violência nas ruas”, afirma Márcio Marino, secretário municipal de Transportes. De janeiro a agosto deste ano, as mortes em acidentes de trânsito na cidade caíram para 16, menos da metade dos 35 casos observados no mesmo período de 2015.

Hoje, as ruas e avenidas de lá têm 38% menos mortes do que a média nacional. Como foi possível melhorar tão depressa? A resposta está na adoção de algumas medidas simples, entre as quais pequenas obras viárias — 32 faixas de pedestres em locais perigosos foram pintadas com azul berrante para nenhum motorista passar desavisado.

Além disso, foram montadas blitzes diárias para flagrar motoristas alcoolizados ou que superam limites de velocidade. “Foi preciso mudar o comportamento de quem dirige”, diz Marino. A conquista obtida por São Carlos não é um caso isolado.

Estabilizadas num patamar elevado por uma década, as mortes no trânsito no estado de São Paulo começaram a cair no ano passado, e se descolaram da média nacional, que permanece altíssima para padrões globais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, em 2015 houve 23 fatalidades no trânsito para cada grupo de 100 000 brasileiros, conferindo ao país­ um vergonhoso 125o lugar em segurança no trânsito, bem atrás de vizinhos como Chile (70o) e Argentina (73o). Já em São Paulo, nos oito primeiros meses deste ano ocorreram 13 mortes por 100 000 habitantes, 6% menos do que no mesmo período de 2015.

Em um conjunto de 15 cidades com alto índice de acidentes, como São Carlos, a redução foi de 15%. Por trás desses resultados está a ação do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, uma força-tarefa criada em 2015 com prefeituras, órgãos estaduais, como o Detran e a Secretaria de Segurança Pública, e grandes empresas, como a cervejaria Ambev.

“Só com bastante gente envolvida é possível reverter esse problema social”, diz Pedro Mariani, vice-presidente de relações institucionais da Ambev. No ano passado, a cervejaria e outros parceiros privados investiram 4 milhões de reais no Infosiga, um banco de dados sobre acidentes de trânsito até então espalhados em 15 órgãos públicos, como polícias e a Secretaria de Saúde.

Inspirado em softwares utilizados pela polícia para mapear áreas barra-pesada, o Infosiga informa as vias mais violentas no mês anterior.

De posse dos dados, técnicos das prefeituras, do governo estadual, da consultoria de gestão Falconi e do CLP, centro de formação de gestores públicos, contratados pelos parceiros privados, se debruçam em estratégias para reduzir os acidentes, com metas que são checadas todo mês. Os municípios com bons resultados têm prioridade em verbas estaduais para obras viárias e compra de aparelhos como radares.

Em dois anos, o governo estadual deverá aportar 450 milhões de reais no programa. Por ora, foram somente 10 milhões de reais, o suficiente para gerar medidas simples, porém eficazes. Em Praia Grande, na Baixada Santista, no intuito de reduzir atropelamentos de ciclistas à noite, a prefeitura criou placas que brilham no escuro para ser instaladas nas bicicletas.

Para receber a placa gratuitamente, o ciclista deve passar por um curso de formação de condutores e informar seus contatos. Mais de 18 000 ciclistas fizeram as aulas. Hoje, quem é pego infringindo regras de trânsito, além de receber algum tipo de multa, é procurado para ouvir um sermão dos agentes de trânsito locais.

“Foi o suficiente para diminuir 60% dos acidentes com bicicletas”, diz Marcelo Prado, secretário de Trânsito de Praia Grande. Desde o começo do programa, já foram salvas 226 vidas no estado de São Paulo, de acordo com a Falconi. É pouco ainda diante do estarrecedor número de 44 000 mortes que ocorrem nas estradas e ruas brasileiras anualmente.

Caso os 5 571 municípios do país adotassem o que vem dando certo em São Paulo, estima-se que em um ano seriam poupadas 6 700 vidas. Se o Brasil inteiro mantivesse patamares de segurança semelhantes aos da Suécia, terceiro país com as estradas mais seguras (atrás dos nanicos Mônaco e Micronésia), as fatalidades cairiam para 5 600 por ano no país.

Além do benefício de oferecer menos risco às pessoas, ter vias seguras também traria um alívio para a economia. Anualmente, o Brasil gasta 18 bilhões de reais no tratamento de feridos em acidentes, em indenizações às famílias de mortos e na reposição de mão de obra perdida na selvageria do trânsito.

“O país economizaria 3 bilhões de reais se tivesse uma melhoria na segurança viária igual à das cidades paulistas”, diz Álvaro Guzella, sócio da Falconi. As campanhas de direção segura, como a das cidades do interior paulista, vão na direção do que deu certo lá fora. Referência em segurança viária, a Suécia conseguiu diminuir a mortalidade no trânsito de sete para dois casos por 100 000 habitantes de 1997 para cá.

O caminho foi criar uma campanha nacional, chamada Vision Zero, com o objetivo de zerar as mortes. Em 15 anos, o governo sueco investiu 1,2 bilhão de dólares em pequenas obras viárias nos pontos críticos, como a construção de rotatórias, medida considerada mais eficaz que o uso de semáforos na prevenção de acidentes.

Além disso, o governo fechou parcerias com 40 empresas, como a montadora Volvo, para campanhas que educaram os motoristas a pisar no freio. Lá, os limites de velocidade em algumas cidades caíram para menos de 50 quilômetros por hora, o que no início causou gritaria similar à que houve na capital paulista quando a velocidade máxima nas marginais baixou de 90 para 70 quilômetros por hora.

No longo prazo, as medidas se provaram bem-sucedidas. Em 2015, a Suécia registrou 259 mortes no trânsito. “Estamos perto de atingir a meta”, diz Matts Belin, supervisor do programa Vision Zero. Recentemente, o bilionário Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova York, pôs 125 milhões de dólares à disposição de governos interessados em adaptar vias para o trânsito de pedestres.

Em junho, a prefeitura de Fortaleza estabeleceu o limite de velocidade no centro em 30 quilômetros por hora graças ao programa de Bloomberg. A capital paulista deverá fazer o mesmo no centro histórico de São Miguel Paulista, na zona leste, até o fim do ano, com o apoio do programa.

“A segurança viária ainda é um tema ignorado por muitos governantes”, diz Kelly Henning, diretora da Bloomberg Philanthropies, braço de filantropia do bilionário. Felizmente, os avanços obtidos mostram que é possível ter ruas mais seguras no futuro.

Poder de compra do brasileiro volta ao nível de 2011

Consumo: em dois anos, poder de compra do brasileiro caiu mais de 9%
Consumo: em dois anos, poder de compra do brasileiro caiu mais de 9%

O orçamento cada vez mais apertado trouxe novos hábitos para a vida da consultora de beleza Karen Lima Piasentim. Com a renda em queda, ela trocou o antigo hobby de comprar sapatos por uma nova mania: colecionar tabloides de liquidação e traçar estratégias para conseguir comprar ao menor preço possível. A ideia é mapear os trabalhos fora de casa e os supermercados que estão na mesma rota. “Assim, consigo comprar o produto mais barato e não gasto combustível”, conta a consumidora, que também virou visitante assídua de sites de desconto.

O malabarismo feito por Karen tem sido rotina para grande parte das famílias que viram os gastos extrapolarem a renda de 2014 pra cá. Em dois anos, o poder de compra da população brasileira – um cálculo que leva em conta a renda domercado de trabalho, a renda da previdência, o crédito, os juros e a inflação – caiu de R$ 3,49 trilhões para R$ 3,17 trilhões, queda de 9,1% chegando ao menor patamar desde 2011, segundo a Tendências Consultoria Integrada. Na prática, significa dizer que a população está mais pobre, sem condições para aumentar consumo nem fazer poupança.

Neste ano, segundo o economista João Morais, autor do levantamento, o principal limitador do poder de compra das famílias brasileiras foi o mercado de trabalho. Em dois anos, a taxa de desemprego do País saltou de 5% para 11,6%. Junta-se a isso o aumento dos juros e a escalada dos índices de preços ao consumidor, que corroeram a renda do brasileiro (algo em torno de 24% de 2014 pra cá).

No dia a dia, o efeito desse conjunto de taxas e cifras é a sensação de que o mesmo salário não dá conta das mesmas despesas do passado. “Tivemos dois anos de inflação alta e reajustes salariais abaixo dos índices”, lembra Morais.

Para encaixar as despesas ao orçamento, os consumidores cortam quantidades, trocam marcas, eliminam produtos considerados não essenciais e mudam hábitos. Só neste ano, o consumo de combustíveis caiu 4,44%; o de energia elétrica, 1,25%; e a venda de veículos novos recuou 22,8%. “Temos percebido uma mudança no padrão de consumo dos brasileiros, que passaram a racionalizar até na alimentação”, afirma Christine Pereira, diretora comercial da Kantar Worldpanel, que consulta 11,3 mil lares no Brasil inteiro.

Segundo ela, esse movimento se reflete em marcas mais populares e no aumento das idas ao supermercado em busca de promoções. “As famílias estão fazendo malabarismo. Mesmo nas promoções, para comprar algum produto ‘premium’, só com uma marca mais popular”, diz a executiva. Karen confirma a tese de Christine. “Antes tinha preconceito com algumas marcas. Hoje experimento coisas que não conheço.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: http://exame.abril.com.br/economia/noticias/poder-de-compra-do-brasileiro-volta-ao-nivel-de-2011

Roubo de 45 galinhas motiva morte de garoto de 12 anos no RN, diz PM

João Victor da Silva Enedino tinha 12 anos (Foto: PM/Divulgação)
João Victor da Silva Enedino tinha 12 anos (Foto: PM/Divulgação)

G1 – Um garoto de 12 anos foi morto a pedradas na noite da sexta-feira (14) na cidade de São José do Campestre, distante 100 quilômetros de Natal. Os suspeitos do assassinato também são adolescentes. Ambos têm 17 anos e foram apreendidos no final da tarde deste sábado (15), logo após o corpo de João Victor da Silva Enedino ter sido encontrado em meio a um matagal. Mas, por que apedrejaram o menino até a morte?

Em depoimento, PM relata a motivação para a morte do garoto João Victor (Foto: Reprodução/G1)
Em depoimento, PM relata a motivação para a morte do garoto João Victor (Foto: Reprodução/G1)

O G1 teve acesso ao depoimento de um dos policiais militares que fez a apreensão dos menores. Segundo relatou o soldado Renê Ramon Barbosa Nunes, um dos suspeitos contou que “o ato infracional se deu devido a vítima ter roubado 45 galinhas de um dos autores do homicídio”. O delegado Marcelo Marcos Alves de Lima, que é da cidade de Canguaretama e foi quem atendeu a ocorrência, confirma a motivação. “As investigações ainda vão comprovar o que os adolescentes afirmam. Pode até ser que haja outra causa, mas, até o momento, é o que consta no papel”, ressaltou.

O matagal onde o corpo de João Victor foi encontrado fica em uma comunidade afastada da área urbana da cidade, chamada de Rua da Paraíba. “Ele foi morto na noite da sexta, mas o corpo só foi encontrado na tarde do sábado. Quando chegamos lá, já havia uma aglomeração de curiosos. Ao lado do corpo do menino, muitas pedras que foram usadas para matá-lo. Realmente um crime brutal e que chocou todo mundo”, disse o soldado Renê.

Ainda de acordo com o delegado, os dois suspeitos apreendidos devem ser apresentados ainda neste domingo (16) em um centro de triagem para adolescentes infratores, em Natal, de onde devem seguir para internação. Eles foram autuados por ato infracional análogo ao crime de homicídio. Caso a participação deles seja comprovada, devem permanecer internados em um centro de educação pelo período máximo de 3 anos.

Temer diz que redução no preço da gasolina não elevará imposto

Temer dá entrevista para jornalistas brasileiros em hotel de Goa, na Índia (Foto: Beto Barata/PR)
Temer dá entrevista para jornalistas brasileiros em hotel de Goa, na Índia (Foto: Beto Barata/PR)

G1 – O presidente Michel Temer disse neste sábado (15), em entrevista à imprensa brasileira na Índia, que a redução do preço da gasolina e do óleo diesel anunciada pela Petrobras não vai resultar em aumento da Cide, contribuição que incide sobre combustíveis. Segundo ele, o governo quer evitar alta não só na Cide, como em qualquer tipo de tributo.

Ele deu a declaração ao ser questionado se haveria, com a queda no preço dos combustíveis, espaço para uma elevação da Cide. Temer negou essa possibilidade e disse que a PEC do teto de gastos públicos, aprovada em 1º turno na Câmara esta semana, tem como um dos objetivos evitar aumento na carga tributária.

“A Cide não, não há nenhuma previsão neste momento para esta espécie. Aliás, quando nós pensamos no teto dos gastos públicos, nós pensamos exatamente na possibilidade de evitar qualquer tributação […] E nós tentamos evitar, estamos tentando evitar o quanto possível qualquer espécie de nova tributação. Especialmente a CPMF, e confesso que a Cide é a primeira vez que eu ouço”, afirmou o presidente.

O anúncio do corte dos preços pela Petrobras levou a especulações em torno da Cide, especialmente para compensar o setor sucroalcooleiro, cujo etanol perde competitividade com a gasolina mais barata.

Especialistas apontam que o governo poderia aproveitar uma redução dos preços na refinaria para retomar a cobrança da Cide. O tributo foi zerado em 2012 justamente para atenuar o impacto do aumento do preço da gasolina.

O preço da gasolina comum para os consumidores é formado pela seguinte proporção: 31% são os custos de operação da empresa para produzir o combustível, 10% são impostos da União (Cide, PIS/Cofins), 28% são impostos estaduais (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS), 15% é o custo do etanol adicionado à gasolina e 16% se refere à distribuição e revenda.

Temer falou com jornalistas após um almoço oferecido pela Federação das Indústrias do Estado Rio de Janeiro (Firjan) na cidade indiana de Goa, onde ocorrerá encontro de cúpula dos países que formam os Brics (Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul).

Na noite deste sábado, na Índia, Temer participou de um jantar informal com os líderes dos Brics, o presidente Xi Jingping (China), o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, o presidente russo, Vladimir Putin e com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma. (Veja a foto mais abaixo nessa reportagem).

Ainda enquanto comentava sobre a redução no preço dos combustíveis, Temer disse que foi informado pelo presidente da Petrobras, Pedro Parente, que a empresa vai se basear nos preços internacionais para definir o valor do combustível nas refinarias do país.

“O presidente Pedro Parente me ligou anteontem, haveria uma reunião da diretoria logo em seguida, no final da tarde, e ele me antecipou que muito possivelmente haveria uma redução do valor do óleo diesel e da gasolina. Mas, evidentemente, que isto estava vinculado, dizia ele, ao mercado internacional. Portanto, haverá uma avaliação a cada mês ou a cada dois meses, tendo em vista o mercado internacional”, disse Temer.

Inflação
O mercado aposta que a decisão da Petrobras deve levar o Comite de Política Monetária (Copom) do Banco Central a reduzir a taxa básica de juros na próxima reunião, marcada para a semana que vem. Isso porque, com a redução dos preços, o impacto sobre a inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), será menor.

A taxa básica de juros, a Selic, é uma das principais ferramentas do Banco Central para controlar a inflação. O objetivo do BC é que a inflação fique dentro da meta, de 4,5% ao ano, com possibilidade de variar dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Quando o juro sobe, o dinheiro fica mais caro e o consumo tende a cair, o que derruba os preços da economia como um todo. Quando a inflação está sob controle, há, portanto, espaço para reduzir o juro.

Agenda
No domingo, o presidente dedicará a agenda aos encontros da cúpula, que terá como objetivos neste ano “institucionalização do bloco”; “implementação de decisões de encontros anteriores”; “integração entre mecanismos existentes”; “inovação de acordos”; e “continuidade de atos”.

Após participar da cúpula, Temer terá a chamada reunião bilateral com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi. Há uma previsão de que os dois almocem juntos e assinem atos de cooperação entre o Brasil e a Índia nas áreas agrícola e ambiental.

Na última terça (11), o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, afirmou que a visita de Temer a Narendra Modi tem como objetivo “reforçar a presença brasileira na Ásia”.

Parola disse ainda que a reunião do Brics é uma oportunidade de o presidente Temer mostrar “o novo Brasil” que, segundo ele, o governo está construindo, com “maior credibilidade e responsabilidade fiscal”.

Temer e Marcela são recepcionados, na base aérea de Goa, pelo general Vilay Kumar Singh, ministro indiano para Assuntos Externos (Foto: Beto Barata/PR)
Temer e Marcela são recepcionados, na base aérea de Goa, pelo general Vilay Kumar Singh, ministro indiano para Assuntos Externos (Foto: Beto Barata/PR)

Japão
Encerrada a agenda na Índia, Temer seguirá, na noite do dia 17, para Tóquio, capital do Japão, onde deverá desembarcar na terça (18), e terá, ao longo do dia, reuniões na embaixada brasileira na cidade.

Esta será a primeira visita de um chefe de Estado brasileiro ao país asiático em 11 anos. Em novembro de 2015, a então presidente Dilma Rousseff chegou a marcar uma viagem ao país, mas a cancelou, o que gerou um mal-estar diplomático.

Para o dia 19, estão previstos na agenda do presidente uma reunião com o imperador Akihito, no Palácio Imperial, e um almoço com empresários brasileiros e japoneses (no qual Temer buscará atrair investimentos estrangeiros).

Já no dia 20, último dia da viagem internacional, Temer deverá se reunir com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, para, em seguida, embarcar de volta ao Brasil. A previsão é que o presidente chegue a Brasília na sexta (21).

Michel Temer antes de jantar na Índia com líderes dos Brics, Xi Jingping (China), Vladimir Putin (Rússia),  Narendra Modi (Índia) e Jacob Zuma (África do Sul).  (Foto: Foto: PRAKASH SINGH / AFP))
Michel Temer antes de jantar na Índia com líderes dos Brics, Xi Jingping (China), Vladimir Putin (Rússia), Narendra Modi (Índia) e Jacob Zuma (África do Sul). (Foto: Foto: PRAKASH SINGH / AFP))

Michel Temer na Índia (Foto: PRAKASH SINGH / AFP)
Michel Temer antes de jantar na Índia com líderes dos Brics, Xi Jingping (China), Vladimir Putin (Rússia), Narendra Modi (Índia) e Jacob Zuma (África do Sul). (Foto: PRAKASH SINGH / AFP)

Arena das Dunas recebe evento de cultura pop neste fim de semana

Arena das Dunas, em Natal, recebe o SAGA 2.0 neste final de semana (Foto: Ney Douglas)
Arena das Dunas, em Natal, recebe o SAGA 2.0 neste final de semana (Foto: Ney Douglas)

Natal recebe neste final de semana um evento totalmente voltado para os fãs da cultura pop e geek. O Saga 2.0 acontece sábado (15) e domingo (16), das 10h às 20h, na Arena das Dunas. Durante o evento, os visitantes poderão participar de concursos de games, dança e visitar estandes. Segundo a organização, o evento passou por reformulações e promete reinventar-se com novas formas de interação com o público, atividades e convidados.

Autor de vários temas de animes, entre eles os populares Dragon Ball Kai e Digimon Tamers, o cantor japonês Takayoshi Tanimoto é a grande atração deste ano. Ele ainda será o responsável pelo show de encerramento do evento. Outros 15 convidados nacionais, incluindo youtubers e outras personalidades do mundo geek participam da edição.

Dentre os concursos mais disputados estão os de cosplay (no qual os concorrentes se fantasiam de personagens do universo geek), K-pop (concurso de dança ao som de música pop coreana, onde se avaliam as coreografias e os figurinos), animakê (karaokê com músicas de ‘animês’, como são conhecidos os desenhos japoneses) e  de games, com jogos populares como ‘Street Fighter’ e ‘Just Dance’. Além dos concursos e atividades, os visitantes também podem adquirir produtos com temas do universo geek nos estandes montados para o evento.

A grande novidade para esse evento será o novo espaço nomeado ‘Espaço Futuro’. No miniauditório, que tem capacidade para 300 pessoas, serão realizadas palestras, debates e mesas redondas com profissionais que atuam no mercado regional nas áreas de tecnologia e audiovisual. O Instituto Metrópole Digital (IMD) irá trazer apresentações relacionadas a área de desenvolvimento de jogos. O Senac trará profissionais ligados à área do audiovisual e oferecerá certificado para aqueles que participarem de suas atividades.

Serviço
SAGA 2.0
Dias 15 e 16 de outubro, das 10h às 20h
Local: Arena das Dunas/Natal-RN
Valores (antecipados): Ingressos individuais a R$ 27,50; combo para os dois dias: R$ 50.
Compra online: www.sagaentretenimento.com.br/ingressos

No RN, MP firma termo de conduta para regulamentar etapa de vaquejada

vaquejada

G1 – O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) firmou nesta quinta-feira (13) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para regulamentar uma etapa do circuito amador de vaquejada do Rio Grande do Norte. O termo define que a Associação de Vaqueiros Amadores do RN (Assovarn) e os responsáveis diretos pela organização da sétima etapa do circuito terão que garantir contrapartidas, como o atendimento veterinário e o plantio de mudas de árvores nativas. O evento deve acontecer entre os dias 14 e 16 de outubro na cidade de Santo Antônio, no Agreste potiguar. O termo terá validade até a publicação oficial da decisão final da ADI 4983 do STF.

Dentre os termos estabelecidos no ajustamento, a organização do evento terá que garantir que todos os animais participantes no evento – bovinos e equinos – passem por uma inspeção veterinária prévia. Durante o evento também será obrigatória a presença de um médico veterinário, a fim de atender qualquer emergência envolvendo os animais.

Outra garantia estabelecida pela regulamentação é que os bovinos que participem do evento só podem ser usados em dias intercalados, não podendo ser utilizados em dias subsequentes. Após as corridas, os animais também deverão passar por uma inspeção posterior, na qual um laudo veterinário será enviado ao Ministério Público. Em caso de lesão dos animais, os promotores do evento terão por obrigação tratar dos cuidados veterinários necessários.

O acordo também proíbe o uso de luvas de prego, parafusos e qualquer outro material que possa danificar a cauda do boi. O vaqueiro também fica proibido de bater no boi de forma que possa causar ferimentos ao animal. Também estão proibidos os usos de espora, chicote e objetos cortantes no boi e no cavalo.

Por fim, o TAC estabelece como contrapartida que, como forma de promover o Meio Ambiente, os organizadores doem 200 mudas de árvores nativas para fins de reflorestamento da Mata do Pilão, devastada por um incêndio nesta semana.

Em caso de lesão de algum bovino, os organizadores terão, como penalidade, que reflorestar uma área de 0,5 hectare de mata nativa. Em caso de morte de algum animal – hipótese ‘remota’, segundo o documento – a área reflorestada deve ser de 2 hectare.

Proibição
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na quinta-feira (6) derrubar uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada, tradição cultural nordestina na qual um boi é solto em uma pista e dois vaqueiros montados a cavalo tentam derrubá-lo pela cauda. Por 6 votos a 5, os ministros consideraram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.

Apesar de se referir ao Ceará, a decisão servirá de referência para todo o país, sujeitando os organizadores a punição por crime ambiental de maus tratos a animais. Caso algum outro estado tenha legalizado a prática, outras ações poderão ser apresentadas ao STF para derrubar a regulamentação.

No RN, van invade faixa contrária em batida que matou casal

Segundo a PRF, motocicleta invadiu a faixa contrária e bateu de frente com a van, que seguia com turistas para Galinhos (Foto: PRF/Divulgação)
Segundo a PRF, motocicleta invadiu a faixa contrária e bateu de frente com a van, que seguia com turistas para Galinhos (Foto: PRF/Divulgação)

G1 – Um vídeo gravado a partir de um aparelho celular mostra o momento exato da batida frontal envolvendo uma motocicleta e uma van de turismo, acidente ocorrido na manhã desta quarta-feira (12) na BR-406, no município de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. Um casal, que estava na moto, morreu na hora. Pelas imagens, é possível ver que o motorista da van faz uma ultrapassagem irregular, em local sinalizado por faixa contínua (veja abaixo).

Em contato com o G1, o inspetor Roberto Cabral, do núcleo de comunicação da PRF, disse que o vídeo será considerado pela equipe que atendeu a ocorrência. “A princípio enxergamos que houve imprudência do motorista da van em fazer uma manobra irregular. Este tipo de ultrapassagem é uma das principais causas de acidentes fatais nas rodovias do país. No entanto, a investigação é que vai determinar o culpado pela colisão”, ressaltou.

O acidente
A batida entre a motocicleta e a van aconteceu por volta das 8h45 no Km 165 da rodovia, perto da entrada para o Aeroporto Internacional Aluízio Alves. “Recebemos a informação que a moto, na qual estavam o homem e a mulher, invadiu a faixa contrária e colidiu de frente com a van, que seguia com turistas para Galinhos. Infelizmente o casal não resistiu. Já na van, ninguém se feriu”, relatou o inspetor Tibério Freitas.

Assembleia recebe imagem de Nossa Senhora da Apresentação

unnamed-24

A Assembleia Legislativa recebeu nesta quinta-feira (13) a imagem da padroeira de Natal, Nossa Senhora da Apresentação, que faz parte da programação da festa da padroeira de da capital. A santa foi conduzida até a Capela do Legislativo, onde permanece até amanhã, oportunidade em que será celebrada uma missa, às 10h, pelo arcebispo metropolitano Dom Jaime Vieira Rocha

“É com imensa alegria que a Casa do Povo se integra a este momento santo da comunidade católica. Recebemos a imagem peregrina de Nossa Senhora da Apresentação com amor e devoção dentro da programação da Arquidiocese de Natal e convidamos a todos para que participem das celebrações que tem como temática a mensagem da misericórdia”, exaltou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

A passagem da imagem de Nossa Senhora da Apresentação pela sede do Legislativo faz parte da tradicional peregrinação que antecede os festejos em torno da padroeira, oportunidade em que a imagem da santa percorre lares e instituições governamentais e não governamentais na capital potiguar. Após sair da Assembleia, a imagem será conduzida para a paróquia Santa Terezinha.

O coordenador de peregrinação da Arquidiocese, Shirleno Sharlisson, explica que a visita da imagem é um momento preparatório para a festa da Padroeira. “A passagem da santa por esses locais tem a intenção de fazer o convite para a festa e transmitir a mensagem tema do evento, que esse ano é a misericórdia”, afirma.

Os festejos para a festa de Nossa Senhora da Apresentação são realizados de 11 a 21 de novembro, com vasta programação religiosa e social na cidade. A festa da padroeira é promovida pela Arquidiocese de Natal e este ano tem como tema ‘Senhora da Apresentação, Mãe da Misericórdia’.

Dois bancos são alvos de criminosos durante a madrugada no RN

Em Governador Dix-Sept Rosado, além da explosão em um dos terminais, os criminosos também atiraram nas vidraças da agência (Foto: PM/Divulgação)
Em Governador Dix-Sept Rosado, além da explosão em um dos terminais, os criminosos também atiraram nas vidraças da agência (Foto: PM/Divulgação)

G1 – Duas agências do Banco do Brasil foram alvos de criminosos na madrugada desta quarta-feira (12) na região Oeste do Rio Grande do Norte. O primeiro crime aconteceu por volta das 2h40, em Ipanguaçu. O segundo, às 3h, foi em Governador Dix-Sept Rosado. Segundo a Polícia Civil, nos dois casos os assaltantes não conseguiram levar o dinheiro dos terminais.

Em Ipanguaçu, ainda de acordo com a polícia, os assaltantes arrombaram a agência, mas não conseguiram saquear o caixa. Os homens fugiram logo em seguida.

Já em Governador Dix-Sept Rosado, os criminosos chegaram armados à agência, explodiram um caixa e atiraram nas vidraças. Um vigilante, ao observar a ação, acionou a polícia e o bando também fugiu sem levar nada. Eles escaparam em dois carros.

Assembleia Cidadã é referência para alunos de pós-graduação do IFRN

unnamed-22

Alunos do curso de especialização “Gestão de Programas e Projetos de Esporte e Lazer na Escola”, oferecido pelo Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) conheceram as ações do projeto Assembleia Cidadã, que leva cidadania, esporte e lazer para alunos da rede pública de ensino do Estado. A ideia é que estudantes da especialização conheçam na prática exemplos exitosos na área de estudo.

A professora Josely Gomes, que compõe o corpo docente do IFRN, explica que o curso de “Gestão de Programas e Projetos de Esporte e Lazer na Escola” é hoje um dos mais procurados na instituição e vem sendo muito bem avaliado. Segundo ela, a parceria com o projeto Assembleia Cidadã agrega valor qualitativo à especialização e contribui para a compreensão e aprendizado dos alunos.

“É muito importante nesses cursos não apenas a formação cognitiva, ou seja teórica, para fortalecer a capacidade dos estudantes em criar programas e projetos nessa esfera, como também mostrarmos projetos que já estão bem encaminhados, em pleno funcionamento, como é o caso das ações nas escolas beneficiadas pela Assembleia Cidadã”, avalia Josely.

De acordo com a professora, o projeto mantido pelo Parlamento potiguar é hoje um dos únicos que estão efetivamente em desenvolvimento no Estado. Para ela, os programas governamentais com esse propósito, como o 2° Tempo e o Mais Cultura, Mais Educação, estão praticamente em extinção.

“Temos poucos projetos hoje nesse sentido e daí a importância dos alunos conhecerem, através de uma equipe multidisciplinar, as possibilidades de implementar esses programas. As escolas do RN, de forma geral, são carentes em atividades desse estilo, que são de suma importância para a formação humana desses alunos”, explica a professora.

Na última sexta-feira (7), aconteceu o primeiro encontro entre profissionais do projeto Assembleia Cidadã e os alunos de curso de especialização. Na oportunidade, os estudantes foram apresentados às ações desenvolvidas pelo projeto de cidadania, esporte e lazer do Legislativo.

Assembleia Cidadã

O projeto Assembleia Cidadã é uma iniciativa da Assembleia Legislativa e atua com a promoção da cidadania entre os norte-riograndenses. A ação contempla atendimentos diversos para a população escolar potiguar, voltadas para a saúde, educação, desporto, lazer e ação social.

“É gratificante para a Assembleia Cidadã passar a metodologia de atuação e sua experiência para os alunos da especialização do IFRN. Através do projeto piloto socioeducativo, com profissionais específicos nas áreas aplicadas, iniciou-se a parceria com o objetivo de contribuir para o ambiente escolar, assim como, responsabilidade social e educacional e temas multidisciplinares para os alunos”, observa a coordenadora da Assembleia Cidadã, Magaly Cristina.

George Soares pede união política em favor da vaquejada

unnamed-21

Em pronunciamento durante a sessão plenária desta terça-feira (11) na Assembleia Legislativa, o deputado George Soares (PR) lamentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que considera ilegal a prática de vaquejadas e fez um apelo pela união da classe política em favor de uma alternativa para reverter a decisão do STF.

“Trata-se de uma atividade econômica que fomenta todo a região Nordeste e muitos outros estados por todo o país. A decisão do STF criminaliza uma prática não apenas econômica, mas também cultural. Precisamos unir forças pela aprovação de uma PEC (Projeto de Emenda Constitucional) pela legalização e regulamentação da atividade”, disse George.

De acordo com dados apresentados pelo parlamentar, a vaquejada gera mais de 20 mil empregos diretos e indiretos no Estado e injeta cerca de R$ 30 milhões na economia do Rio Grande do Norte. “São mais de 600 mil empregos em todo o país que ficam penalizados com a decisão”, afirmou George ressaltando ainda a evolução da atividade nos últimos anos.

O deputado também chamou atenção para a importância cultural da vaquejada. “Existe uma relação histórica entre o homem do campo e o cavalo. A vaquejada é uma prática tradicional que não tem como retroagir”.

Ao final do pronunciamento, George reforçou a necessidade de união da classe política e declarou apoio irrestrito à causa. “Temos que encontrar alternativas para dar uma condição jurídica legal de fazermos com que essa Casa possa contribuir com todos os demais estados nordestinos e, juntos, fazermos com que essa atividade não pare”, concluiu o parlamentar, parabenizando ainda a articulação das entidades representativas que se fizeram presentes na Assembleia Legislativa.

Em aparte, o deputado Vivaldo Costa (PROS) se solidarizou com o pronunciamento de George Soares. “Tem toda a razão quando diz que a defesa da causa não é de apenas um deputado, mas de toda a classe política”, declarou. O deputado Getúlio Rêgo (DEM) também declarou apoio à causa. “Manifesto a minha solidariedade a essa tentativa de buscar caminhos para a reversão da decisão do Supremo Tribunal Federal”, falou o parlamentar.

Para Gustavo Carvalho, a vaquejada representa o Nordeste

unnamed-20

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela proibição da vaquejada no estado do Ceará por considerar que a atividade impõe sofrimento aos animais. O assunto repercutiu nos Estados do Nordeste e o deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) se pronunciou sobre a decisão, durante sessão plenária na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (11). O parlamentar defende que o esporte representa o Nordeste e ainda gera emprego e renda.

“A notícia de proibição da vaquejada abalou o Nordeste. O esporte representa o espírito do Nordestino e além da cultura, a vaquejada tem uma cadeia produtiva que gera emprego e renda. A vaquejada faz parte do fortalecimento da economia. São mais de 700 mil empregos fomentados, além do trabalho informal”, destacou Gustavo Carvalho.

Os deputados receberam hoje os segmentos representativos da vaquejada e o deputado Gustavo Carvalho disse que não se surpreendeu com o apoio da Assembleia Legislativa à continuidade da prática do esporte. “A Assembleia Legislativa já demonstrou, em um primeiro momento, o apoio total e incondicional à vaquejada”. Gustavo Carvalho lembrou ainda que as associações têm se preocupado com os bons tratos aos animais.

Em aparte, o deputado Dison Lisboa (PSD) reforçou a questão dos cuidados com os animais. Para ele, existe uma evolução em relação ao assunto. “Nas últimas seis vaquejadas que aconteceram em Alagoas, não houve queda de animais. Antigamente isso era mais comum, mas hoje existem até rabo artificial, ou seja, não há contato direto com o animal. Cada dia mais tem se buscado a regulamentação da prática do esporte, com redução da clandestinidade”, falou Dison.

Presidente da Assembleia anuncia apoio da Casa às vaquejadas

unnamed-18

O presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), anunciou o apoio da Casa Legislativa ao movimento em prol da vaquejada, considerada inconstitucional após recente decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou uma lei estadual que regulamenta a prática no Ceará. Para oficializar o apoio, uma moção assinada pelos deputados será encaminha ao STF. O anúncio foi feito durante reunião realizada na manhã desta terça-feira (11) com a presença de um grande número de deputados, criadores, representantes de associações relacionadas às vaquejadas e prefeitos.

“O preconceito não pode existir com o nordeste brasileiro e suas características culturais. Quero destacar a solidariedade desta Casa Legislativa com a causa. A vaquejada é raiz da nossa história além de um grande gerador de emprego e renda para a nossa região”, destacou Ezequiel Ferreira de Souza

A Associação dos Vaqueiros Amadores do Rio Grande do Norte (Assovarn) estima que, havendo o fim das vaquejadas, mais de 20 mil pessoas fiquem desempregadas, representando uma redução de algo em torno de R$ 30 milhões injetados mensalmente na economia local só de salários.

Ocorrendo o fechamento dos postos de empregos, serão atingidos médicos veterinários, domadores, vaqueiros, caseiros, tratadores, motoristas, cozinheiros, tratoristas, donos de bares, casas de show e artistas, mas que os prejuízos serão ainda maiores, porque a vaquejada movimenta toda uma cadeia econômica.

Durante a reunião os deputados decidiram pela elaboração de um projeto de lei, a ser votado em caráter de urgência, para garantir a realização do calendário de eventos. O objetivo é dar segurança aos eventos já planejados. Outros encaminhamentos feitos na manhã desta terça-feira são a formação de uma comissão para visitar o Tribunal de Justiça do RN e Ministério Público a fim de garantir apoio, e outra comissão para participar de mobilização no dia 25 de outubro, em Brasília, quando vaqueiros de todo o Brasil pretendem ocupar a capital federal para protestar contra a decisão que proíbe as vaquejadas. “É preciso uma mobilização regional para conseguirmos repercussão nacional”, enfatizou Ezequiel Ferreira.

Pelos cálculos da Associação dos Vaqueiros Amadores do Rio Grande do Norte, ainda em fase de levantamento, já é possível estimar que a cadeia econômica da vaquejada gere mais de 60 mil empregos indiretos somente no Rio Grande do Norte. No Nordeste, os empregos gerados de forma direta passam de 200 mil e os de forma indireta 600 mil indiretos. “Essa decisão é contra a economia e a cultura nordestina. Se atividade for proibida será um caos, por isso viemos até aqui sensibilizar os políticos em prol das pessoas que sobrevivem da vaquejada”, afirma Paulo Saldanha, presidente da Associação dos Vaqueiros Amadores.

Os responsáveis pelas vaquejadas no Rio Grande do Norte querem desmistificar a acusação de maus tratos, já que atualmente todos os animais são acompanhados por médicos veterinários e todos os eventos possuem um regulamento voltado para o bem estar do animal, que impede qualquer tipo de violência.

Participaram da reunião os deputados Dison Lisboa (PSD), Gustavo Fernandes (PMDB), Kelps Lima (SDD), Ricardo Motta (PROS), Carlos Augusto Maia (PSD),Tomba Farias (PSB), Márcia Maia (PSB), George Soares (PR), Cristiane Dantas (PCdoB), Gustavo Carvalho (PSDB), José Adécio (DEM) e Albert Dickson (PROS).