Category: Notícias

Caio Barbosa: Mangueira diz muito obrigada a Bethânia

cartão-pronto2 - Copia - CopiaO Carnaval teve uma tarde redentora com a vitória da Estação Primeira de Mangueira nos desfiles do Rio. Uma vitória incontestável em um dos melhores desfiles deste século, que devolve à galeria das campeãs do samba uma agremiação maiúscula que não podia mais ficar fora da festa.

A Mangueira estava há longos 14 anos sem vencer ( a última vez, em 2002, foi com o enredo Vou Invadir o Nordeste), apenas como coadjuvante de uma folia que, salvo raras exceções, terminava em Nilópolis (com a Beija Flor) ou no Morro do Borel (território da Unidos da Tijuca).

E Carnaval sem Mangueira é futebol sem bola. Não pode. A redenção não se deu apenas pelo resultado, ou por ser a Mangueira, mas pela forma como ele foi conquistado. Um título histórico, com a estreia de Ciganerey como intérprete, que se mostrou autêntico discípulo de Mestre Jamelão, o maior da história.

Uma conquista que teve a marca de um carnavalesco iniciante, Leandro Vieira, que também estreava na escola e no Grupo Especial. Ele foi brilhante na condução do enredo – sobre Maria Bethânia -, com fantasias e alegorias que dialogavam com a plateia como há muito não se via.

A Mangueira, cheia de caras novas, conseguiu um feito raro no Carnaval atual, unindo emoção à (quase) perfeição estética. O enredo mostrou Maria Bethânia como ela é, trazendo a Iansã, de quem é filha, e a religiosidade marcante da carreira da cantora para dentro da Sapucaí.

Quem foi ao Sambódromo não precisou ficar de olho no livrinho-roteiro da Liga das Escolas de Samba para entender o que cada ala tinha a dizer.  A comunicação direta com o público foi o ponto forte da escola. E é disso que o povo gosta.

E é isso que estava fazendo falta aos desfiles. A vitória da Mangueira, portanto, não foi apenas uma vitória da escola criada por gênios como Cartola e Carlos Cachaça. Foi a vitória do samba, do Carnaval. A vitória de quem ama uma das maiores festas populares do planeta. E que agora agradece muito à Estação Primeira e a Maria Bethânia por renovar essa paixão.

Anotem: o Carnaval deste ano fará escolas do Rio e carnavalescos repensarem seus enredos. Será uma revolução silenciosa, mas necessária para que os desfiles no Sambódromo voltem a encantar o público de todos os cantos. E a renovar este público, cada vez mais envelhecido e distante da razão de ser daquilo tudo o que se vê na passarela.

É bem verdade que aquela festa é, desde os anos 30, quando foi criada pelo genial Mário Filho, uma disputa por quesitos. Nunca foi um desfile de blocos. Sempre foi coisa muito séria. Mas, da segunda metade dos anos 90 para cá, parece que a regra havia mudado e o objetivo passou a ser apenas conquistar pontos e não o público.

A Mangueira foi além. Voltou ao passado. E com a força de um carcará, buscou todos esses pontos sem deixar de lado a emoção. Só temos a bater palmas e louvar a Menina de Oyá.  Para fechar com chave de ouro, falta apenas a lição dada pela Verde-e-Rosa pegar o trem na estação e chegar a Madureira, onde um talentoso carnavalesco chamado Paulo Barros fez sua morada, mas ainda não aprendeu que as estrelas da festa são as escolas. Discreto e competente, foi o que fez Leandro Vieira. E acertou na mosca. Se o tiro também acertou a Águia (da Portela), como se diz por aí, é para glorificar de pé. 

 

Caio Barbosa é jornalista e torce pela Beija-Flor

Correio 24Horas

Mangueira quebra o jejum de 14 anos e sai como campeã do carnaval do RJ

Apresentação1

Marina Araújo do G1, Rio de Janeiro

Terminou o jejum de uma das escolas de samba mais populares do Brasil: a Estação Primeira de Mangueira é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro. O último título tinha sido conquistado há 14 anos.

Em uma apuração apertada, a vencedora foi definida no último quesito, de alegorias e adereços, e por apenas um décimo de diferença. O enredo da escola homenageou a cantora Maria Bethânia.

A Mangueira quebrou um jejum de 14 anos sem vencer e o grito que estava entalado na garganta da comunidade.

O mestre-sala respirou aliviado. Ele e a porta-bandeira ousaram na passarela misturando o bailado com a dança dos orixás. “Oyá nos deu axé e abriu caminho para a Mangueira ser campeã”, disse Raphael Rodrigues.

A última vez que a Mangueira venceu foi em 2002 com um enredo sobre o Nordeste. Desta vez foi uma baiana a homenageada: a cantora Maria Bethânia.

“A Bethânia falou que só queria que a Mangueira ficasse feliz. A gente espera nesse momento que ela esteja muito feliz também porque a Mangueira está feliz”, disse o empresário Eduardo Teixeira.

“Eu sou uma cantora popular brasileira. Como eu, milhares de mulheres, rapazes, cantores deste país. E a Mangueira escolheu uma cantora. Acho isso muito nobre, muito bonito. A música ganhou muito”, contou Maria Bethânia.

A quadra lotou no final de tarde. Foi uma alegria sem fim. Não é para menos, a “verde e rosa”, uma das escolas mais tradicionais do Rio de Janeiro, venceu à base de muita emoção. Foi por um décimo.

O calor no sambódromo do Rio estava infernal e a disputa foi a mais acirrada dos últimos anos. Nota a nota. Entre as torcidas, muita tensão e reza.

Salgueiro e Mangueira seguiam empatadas até o último quesito, alegorias e adereços, quando a Mangueira virou e levou o título. A felicidade explodiu em verde e rosa.

A Mangueira foi a última a entrar na Avenida na segunda noite de desfiles e levou os 50 anos de carreira de Maria Bethânia para a Sapucaí. O desfile foi um passeio pela obra e religiosidade da cantora, filha de Yansã e menina de Oyá. Artistas, amigos e o irmão Caetano Veloso estavam lá.

Bethânia foi no último carro ao lado de duas afilhadas. Logo em seguida, o público tomou conta da Sapucaí, em um encerramento emocionante.

A Estácio de Sá foi rebaixada para o Grupo de Acesso e a Paraíso do Tuiuti subiu e vai desfilar no Grupo Especial de 2017.

Escola não foi favorecida por confusão, diz carnavalesco de campeã paulista

Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil
São Paulo - A escola de samba Império de Casa Verde venceu o Carnaval 2016 em São Paulo. A taça foi conquistada com 269,4 pontos. Este é o terceiro título da escola, que ganhou em 2005 e 2006 (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Império de Casa Verde venceu o carnaval de 2016 em São Paulo com 269,4 pontos. Este é o terceiro título da escola, que ganhou em 2005 e 2006Rovena Rosa/Agência Brasil

 

Campeã do carnaval 2016 em São Paulo, a Império de Casa Verde ganhou pela força da comunidade, avalia o carnavalesco da escola Jorge Freitas. Em seu primeiro ano à frente da agremiação, ele disse que a energia nas pessoas da escola ajudou a levar ao título e negou que a escolha tenha sido favorecida pela confusão durante a apuração das notas.

“Existe uma comunidade muito forte, que precisava de uma pessoa que os incentivasse, que mostrasse que eles seriam capazes. Eles são campeões. Deus me deu esse dom, e eu fiz com que eles se tornassem campões do carnaval 2016. É uma consagração não só do meu trabalho, mas da comunidade. Isso mostra que todas as escolas tem condição de apresentar grandes carnavais”, declarou.

A apuração do carnaval foi marcada por momentos de tumulto, sendo que a leitura das notas precisou ser interrompida diversas vezes. A confusão começou quando foram divulgadas as notas do quesito evolução. A Império de Casa Verde ficou sem nota de um jurado. Segundo o regulamento, a maior nota recebida no quesito foi atribuída à escola.

 São Paulo - Jurado do quesito Evolução esquece de dar nota e cria confusão na apuração do Carnaval de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Confusão na apuração do carnaval de SP

Integrantes das escolas rivais ficaram revoltados por acreditar que houve favorecimento. “O que a gente quer é justiça no carnaval, foi uma injustiça. Eu falo pelo carnaval, não aguentamos mais, somos todos decentes, trabalhamos o ano inteiro. Eu quero o bem do carnaval”, reclamou Marco Bianchini, diretor da Unidos de Vila Maria.

O carnavalesco da Império de Casa Verde discorda. “O jurado não favoreceu. Existe um regulamento que precisa ser cumprido. Independentemente de ter dado a nota ou não, a nota maior é atribuída, isso foi feito”, defendeu-se.

Prisão

Durante o tumulto, um diretor da Unidos de Vila Maria foi detido pela polícia por desobediência. O delegado Osvaldo Nico declarou que chegou a haver agressão a um policial. “O jurado deu nota baixa. Que culpa a polícia tem? Não foi a polícia que escolheu o jurado. Estão perturbando. Ele agrediu o policial, a polícia não vem aqui apanhar”. Após a prisão, a apuração prosseguiu, apesar do clima tenso.

999710-09022016-_abr1145 999711-09022016-_abr1149 999712-09022016-_abr1267 999715-09022016-_abr1282

 

Primeira a desfilar, Estácio leva à avenida enredo sobre São Jorge

24885917775_3cf40bfa47_k_1

Jornal do Brasil – Depois de cinco anos pesquisando a história de um dos santos mais populares do país, o carnavalesco Chico Spinosa viu o sonho realizado na avenida. Ele comemorou a recepção do público à Estácio de Sá, escola que abriu o desfile do Grupo Especial neste domingo (7) com um enredo sobre São Jorge.

“Acho que o Rio de Janeiro é devoto de São Jorge. Não só os componentes, não só os sambistas. A cidade do Rio de Janeiro tem por São Jorge como o primeiro”, declarou o carnavalesco após o desfile. Campeã da Série A, antigo grupo de acesso, no ano passado, a eswcola obteve o direito de subir neste ano para o Grupo Especial, considerado a elite do carnaval carioca.

Chiquinho, como é chamado, diz que a pesquisa sobre o santo deu trabalho, mas compensou. “Passei por tudo em busca de São Jorge. Viver esta experiência porque também sou devoto. Fiquei muito feliz em colocar São Jorge abençoando esta avenida para que tenhamos grandes carnavais”, completou.

Ao ver as arquibancadas populares da Praça da Apoteose, área de dispersão das escolas, aplaudindo e cantando o samba com a bateria ele ficou com os olhos cheios de água. “É muito bom. A gente fica emocionado. Estou voltando. Passei muitos anos fazendo carnaval em São Paulo e o que estou sentindo é que o Rio de Janeiro ainda me recebe de braços abertos”, ressaltou.

O ator e diretor Jorge Fernando chegou emocionado à Praça da Apoteose. Devoto de São Jorge, disse que poder representar o santo na abertura do desfile não teve preço. “Aprendi a ser devoto com a minha mãe. Nasci no mês de Jorge. Estou muito feliz. Teve uma energia muito forte”, destacou.

Problema no abre-alas

A Estácio de Sá entrou na avenida com a força da torcida no Setor 1 da arquibancada popular, mas logo os torcedores da escola ficaram apreensivos. O carro abre-alas, Berço da Civilização, que representava a Capadócia (região onde nasceu São Jorge), teve um problema na acoplagem das duas partes que compunham a alegoria e não andava.

As primeiras alas já iam no setor seguinte, enquanto a turma da força que são empurradores de alegorias tentava resolver o problema. O motorista Cláudio Luiz disse que tiveram que trocar o pino que juntava as duas partes por uma corrente. “Aí ele atravessou a avenida toda sem problema. Foi só trocar”, disse.

Ao ver que o trabalho deu certo, Cláudio, empurrador de carros da escola há 22 anos, comemorou o dever cumprido. “Temos que ter um plano B”, ressaltou. “Venho [ao sambódromo] só na Estácio. Sou estaciano. Sinto que é uma responsabilidade ter de empurrar o carro para ele chegar certinho no fim”, acrescentou Cláudio, empurrador de carros da Estácio de Sá há 22 anos.

Fotos do carnaval 2016

Grupo debocha da Pátria Educadora no Cordão do Boitatá
FOTO: PERLA RODRIGUES / G1

Carnaval 2016

Carnaval 2015 no Brasil. Imagem: Fotos sob licença Creative Commons.

carnaval-recife-polinda

Imagem Divulgação | Flicker Creative Commons - Bloco Coruja com Ivete Sangalo no Circuito Dodô | Foto: Raul Spinassé / Ag. A Tarde

Carnaval Rio de Janeiro - Sapucaí.  Foto: Osvaldo Rove.

Inquérito apura se Lula se envolveu em esquema de MPs, diz PF

lula_triste

Estadão Conteúdo De Brasília – Em ofício à Justiça Federal, o delegado da Polícia Federal Marlon Cajado afirmou que inquérito em curso na Operação Zelotes apura se mais agentes públicos estão envolvidos no suposto esquema de “compra” de medidas provisórias, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o secretário executivo do Ministério da Fazenda Dyogo Oliveira e a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra.

O documento foi enviado no último dia 2 ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, em Brasília, para justificar críticas de advogados de que haveria um inquérito “paralelo” investigando os mesmos fatos já denunciados à Justiça.

O delegado argumentou que, embora já houvesse provas suficientes para denunciar dois ex-servidores públicos (Lytha Spíndola e Fernando Mesquita), “os demais documentos juntados aos autos apontavam para eventuais colaborações de outros servidores públicos para a consecução dos interesses da organização criminosa.”

“Buscando-se evitar conclusões precipitadas, fez-se necessária a instauração de novo procedimento policial tentar alcançar a verdade real sobre os fatos apurados, isto é, se outros servidores públicos foram de fato corrompidos e estariam associados a essa organização criminosa ou se esta estaria “vendendo fumaça”, vitimando-os e praticando tráfico de influência com relação aos mesmos, a saber, Erenice Alves Guerra, Dyogo Henrique e Oliveira, Nelson Machado, Luiz Inácio Lula da Silva”, afirmou o delegado.

Cajado alega que a denúncia contra parte dos investigados no caso das MPs, já aceita e convertida em ação penal, foi oferecida porque investigação a respeito era improrrogável por envolver pessoas presas. Ele explica que outro inquérito foi aberto para averiguar a possibilidade de “corrupção” dos outros servidores, pois ainda estava pendente a análise de várias provas, incluindo o material apreendido em computadores.

Lula já foi ouvido na Zelotes, mas na condição de informante. Ele era presidente quando duas das medidas sob suspeita foram editadas, a MP 471/2009 e a MP 512/2010. O filho caçula do petista, Luís Cláudio Lula da Silva, recebeu R$ 2,5 milhões de um dos lobistas presos na Zelotes, acusado de atuar em suposto esquema de corrupção para atuar nas normas. A PF suspeita de que os pagamentos possam estar relacionados à edição de uma terceira norma, a MP 627/2013 e também à compra de caças pelo governo brasileiro, naquele ano.

Questionado se o filho recebeu recursos como compensação por ter atuado em favor das MPs e da transação dos caças, o ex-presidente disse que as hipóteses são absurdas.

Erenice era “número 2” da presidente Dilma Rousseff quando a petista chefiava a Casa Civil. Mais tarde, a substituiu no comando da pasta. As MPs passam pelo crivo do órgão antes de ser editadas pela Presidência. Documentos da Zelotes mostraram que Erenice se associou em negócios a um dos investigados, José Ricardo da Silva, após deixar a Casa Civil. Ela nega irregularidades.

Dyogo e Nelson Barbosa, que foi secretário executivo da Fazenda na gestão Mantega, são citados em documentos apreendidos com os lobistas que intermediavam interesses de montadoras de veículos no governo e no Congresso. Eles também negam envolvimento em ilicitudes.

Propina

No ofício, o delegado afirma ainda que não há elementos suficientes, por ora, para remeter a investigação ao Supremo Tribunal Federal. No diário de um dos investigados, João Batista Gruginski, apreendido pela PF, há menção a suposto pagamento de propinas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR), fora o ex-senador Gim Argello (PTB-DF). Congressistas, por lei, podem ser alvos de inquéritos criminais perante a corte suprema.

“A nosso ver, se trata e única menção de nome de parlamentares cuja corrupção em princípio não encontra amparo em outros documentos juntados aos autos, o que denota a prática de mais um crime de tráfico de influência atribuível aos acusados”, justificou.

Cajado não descartou, contudo, o envio do caso à “instância adequada” caso seja necessário.

O juiz Vallisney de Souza Oliveira decidiu, no entanto, nesta quinta-feira (4) manter o caso na 10ª Vara, mas vai remeter para análise do STF os documentos com as menções aos senadores e também os argumentos do delegado. Caberá à Corte decidir se há necessidade de avocar a investigação.

Caern suspende abastecimento de água em 11 bairros de Natal

cartão-pronto2 - Copia - CopiaG1 –  A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) vai interromper, a partir deste sábado (6), o fornecimento de água no bairros do Alecrim, Barro Vermelho, Cidade Alta, Lagoa Seca, Petrópolis, Pirangi, Ribeira, Rocas, Santos Reis, Tirol, e praias do Forte até Areia Preta e Mãe Luíza, todos em Natal. A suspensão é necessária em razão de um serviço de manutenção na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Jiqui.

Ainda de acordo com a Caern, o fornecimento de água será retomado logo após o término do serviço, que deve durar até 24 horas. Já a previsão para que o abastecimento esteja totalmente normalizado, é de 48 horas.

Agora é verdade: bandido que matou Karol vai ser beneficiado e solto com novas medidas judiciais

12439263_873560192765453_461732973326730774_n
Karol foi morta na tarde do dia 10 de janeiro, quando fazia caminhada na Avenida Itapetinga, acompanhada de sua irmã.

Saiu agora em um dos telejornais de Natal, que o bandido que matou Karol foi beneficiado pela lei que julgou hoje (03), nas audiências de custódias, onde foram beneficiados 324 presos com alvará de soltura.

Está sendo inútil o clamor das famílias que perdem seus entes queridos, por causa de uma lei criminal que é de 1946 e 1973.

Todos lembram de que quando o Brasil foi tri-campinho no ano de 1970, a música que fez sucesso em todo o mundo, foi “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, salve a seleção…”.

P1020165
População e familiares fizeram protesto em favor da justiça; mas seus gritos não foram ouvidos.

Hoje somos mais de 200 milhões de habitantes respondendo a uma lei que foi feita para um país em acedência. Com uma população ordeira e pacata como era naquele período.

173364
Cláudio Moura é o assassino de Karol

Com se sentir seguro com criminosos a soltas?

A população precisa aprender a cobrar na direção correta: a mudança das leis pertence ao Congresso Nacional, composto pelos deputados federais e pelos senadores, e sancionadas pelo presidente da Republica do Brasil. Então, é em vão você gritar contra a polícia, quer seja militar ou civil; contra vereadores e prefeitos; e contra deputados estaduais e governadores. Mas, podemos cobrar desses políticos da terra, mais próximos, como os vereadores e deputados estaduais; prefeitos e governadores, que tenham compromissos de só apoiarem deputados federias e senadores comprometidos com mudança nas leis criminais.

Não podemos sofrer esse tipo de justiça, onde se mata um jovem inocente, e o bandido ganha uma tornozeleira para ser apenas monitorado sua condição de ir e vir. E a vítima? Ai as autoridades quer que se faça a justiça com as próprias mãos; o que não é justiça.

Chuvas “ressuscitam” a paisagens da caatinga

Robson Pires fez publicação com fotos da Fotos: vereador Jânio Barra.
Robson Pires fez publicação com fotos do vereador Jânio Barra.

As sucessivas chuvas no Rio Grande do Norte mudaram a “cara” da caatinga. Galhos secos e retorcidos florescem e tornam o ambiente mais verde, trazendo vida após uma grave seca que se arrasta há anos nos estados nordestinos. Com as chuvas, agricultores já começam a fazer novos plantios e criando a esperança de novas colheitas e alívio ao homem do campo. Um dos cenários “ressuscitados” foi a cachoeira da Carapina, em Felipe Guerra.

Raio-X mostra ossos partidos de garota vítima de bala perdida no RN

Anderson Barbosa do G1 RN

Um dos ossos foi despedaçado; o outro, quebrado, conforme mostra o raio x do antebraço da adolescente (Foto: Divulgação/Família)
Um dos ossos foi despedaçado; o outro, quebrado, conforme mostra o raio x do antebraço da adolescente (Foto: Divulgação/Família)

O tiro que atingiu o antebraço esquerdo da estudante Sabrina Bezerra, de 17 anos, vítima de uma bala perdida na noite deste sábado (30) no alto do 17º andar de uma apartamento residencialno bairro de Nova Parnamirim, na Grande Natal, fez um grande estrago. Ao transfixar o braço, o projétil despedaçou parte do rádio e partiu o cúbito, também chamado de ulna. Apesar disso, ela passa bem.

Sabrina Bezerra passou por uma cirurgia e continua internada. Em uma rede social, a adolescente escreveu: “Obrigada a todos que se preocuparam e peço que continuem rezando por mim e por nosso estado, que cada vez mais se encontra precário de paz”. Na mesma postagem, ela desabafa: “Tudo isso por uma confusão no trânsito! Onde vamos parar?? Quando o amor ao próximo prevalecerá no coração de cada um?”.

Sabrina Bezerra precisou de uma cirurugia no pulso (Foto: Reprodução/Facebook)

A adolescente estava em um dos quartos do apartamento ao lado de duas primas quando foi atingida. Segundo ela, o disparo foi feito durante uma briga de trânsito a poucos metros do edifício, em um cruzamento da Av. Abel Cabral. Dois homens discutiam quando um deles sacou a arma, apontou para o alto e puxou o gatilho. As primas se abaixaram assim que viram o homem sacar a arma. Sabrina continuou de pé, assistindo a briga. Após o disparo, a bala passou a poucos centímetros do rosto dela, acertando o braço que estava apoiado numa rede de proteção instalada na janela. A bala, depois de atingir e transfixar os ossos, ficou alojada no teto.

“Quando escutou a confusão ela disse: – gente, vem ver. A gente foi. Aí ficamos as três juntas, olhando. A gente viu tudo. Até a hora que o cara levantou a arma para cima. Na hora ela disse que só sentiu a pressão, que não viu que tinha um tiro”, relatou uma das primas.

Dona no apartamento, Elizabeth Bezerra é tia de Sabrina. Ela contou que as adolescentes entraram em pânico após o disparo. “Elas começaram a gritar… ai, tia, tia, tia… pelo amor de Deus. Sangue… E eu desesperada, o que foi? o que foi? Ela disse: foi um tiro”, relembrou.

Elizabeth também contou que se mudou para o apartamento, em Nova Parnamirim, já para tentar escapar da violência. Segundo ela, há dois meses um filho dela foi assaltado e por pouco não foi morto. Ela conta que vendeu a casa e comprou o apartamento por acreditar que, no 17º andar, estaria longe da criminalidade. “Eu nunca imaginei que isso pudesse acontecer no alto de um prédio. Pensei que aqui estávamos seguras. Mas não estávamos, né? Eu sei que foi fatalidade. Mas, é difícil, é difícil a gente aceitar uma situação dessa. É muito difícil”, lamentou.

As pessoas envolvidas na briga de trânsito, inclusive o homem que efetuou o disparo, ainda não foram identificadas. O caso será investigado pela 2ª Delegacia de Polícia de Parnamirim.

Chuva passa dos 100 milímetros em Apodi, na região Oeste potiguar

Em Assu, chuva alagou várias ruas e quase encobriu carros (Foto: Luiz Emanoel/Blog de Olho no Assu)
Em Assu, chuva alagou várias ruas e quase encobriu carros (Foto: Luiz Emanoel/Blog de Olho no Assu)

O fim de semana foi marcado por chuvas fortes em vários municípios do estado, principalmente na região Oeste. Em Apodi, por exemplo, as precipitações chegaram a 104,5 milímetros. Em Campo Grande, choveu 96,5mm. Já em Assu, que registrou 74,9 mm, ruas foram alagadas e carros quase ficaram submersos.

Segundo a gerência de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), choveu em 69 dos 157 municípios do estado neste final de semana.

Serviço em estação deixará 70% da Zona Norte de Natal sem água

cartão-pronto2 - Copia - Copia

A Estação de Tratamento de Água (ETA) de Extremoz, na Grande Natal, vai passar por um serviço de manutenção preventiva de rotina nesta quarta-feira (3). Com isso, segundo a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), haverá paralisação no abastecimento em 70% dos imóveis da Zona Norte da capital. Praticamente todos os bairros serão afetados, com exceção de pequenas localidades abastecidas por poços, como Pajuçara e Gramoré.

A previsão, ainda de acordo com a Caern, é que o serviço seja concluído por volta das 17h30 da própria quarta-feira. “O abastecimento em todas as regiões será normalizado em até 72 horas, após a conclusão dos trabalhos”, afirmou a empresa em comunicado.

A companhia acrescenta que a manutenção é feita periodicamente para garantir a qualidade da água distribuída pela ETA de Extremoz, nos aspectos operacional e estético da unidade. Na ocasião, é feita a limpeza dos floculadores, decantadores, filtros e manutenção preventiva da Estação Elevatória da ETA.

Do G1

PF diz que Collor gastou R$ 16,4 mi com despesas de consumo

Senador Fernando Collor: os gastos milionários com consumo são bem inferiores a renda declarada pelo senador em todo o período, de R$ 700 mil / Antonio Cruz/Agência Brasil
Senador Fernando Collor: os gastos milionários com consumo são bem inferiores a renda declarada pelo senador em todo o período, de R$ 700 mil / Antonio Cruz/Agência Brasil

Exame
De Andreza Matais e Fauto Macedo do Estadão Conteúdo

São Paulo – O senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) gastou R$ 16,4 milhões entre 2011 a 2014 com despesas de consumo, como pagamento de contas de energia elétrica, água, telefone, TV por assinatura, passagens aéreas, segurança privada, medicamentos, funcionários, tributos, entre outros.

As informações constam de laudo da Polícia Federal, finalizado em 14 de janeiro, para a Operação Politeia que investiga suposto envolvimento do senador com esquema de corrupção na BR Distribuidora.

Collor é suspeito de receber propina em troca de contratos com a subsidiária da Petrobrás que era controlada politicamente por ele até o ano passado.

Suas empresas seriam usadas para lavar o dinheiro por meio de empréstimos fictícios. Os gastos milionários com consumo são bem inferiores a renda declarada pelo senador em todo o período, de R$ 700 mil.

Ao analisar documentos apreendidos na sede da TV Gazeta, os investigadores descobriram que Collor fez 6.762 empréstimos entre 2011 e 2014 com sua empresa que totalizaram R$ 31,1 milhões.

Desse montante, 49,5% foram destinados a cobrir gastos correntes do senador. Há registros de pagamento de horas de voo (R$ 140.250), viagens de turismo internacional (R$ 30.874), conta de energia elétrica em Campos do Jordão (R$ 1.782), três despesas registradas como “Foto campanha FC 2010”, ano em que ele disputou e perdeu a eleição para o governo de Alagoas. O último valor não foi registrado.

Os investigadores destacaram que o fato de Collor ter usado parte do dinheiro que tomou “emprestado” da TV Gazeta com despesas pessoais é relevante porque são valores que não podem ser recuperados, ao contrário do que ocorre com bens adquiridos cujos valores poderiam ser readquiridos por meio de venda. “A TV Gazeta, além de conceder empréstimos a Collor sem observar sua capacidade de pagamento, não se preocupou com o fato de que ele despendeu pelo menos metade dos recursos recebidos em consumo – e o fez com o conhecimento da empresa, pois ela registrava isso na sua contabilidade”, diz a perícia.

“Os rendimentos declarados por ele de 2011 a 2013 foram ínfimos em relação ao montante da dívida perante a TV Gazeta (R$ 31,14 mi). Essa dívida era de 110 vezes o valor dos rendimentos anuais do senador em 2011 e 118 vezes em 2013”, escreveram os peritos. Para concluir que as supostas dívidas de Collor com a TV Gazeta “foram constituídas em circunstâncias que caracterizam transferências de recursos e não empréstimos, ainda que tenham sido contabilizados como tal.”

Os documentos apreendidos na TV Gazeta e outras duas empresas que tem Collor como sócio revelaram aos investigadores que a empresa recebeu ao menos R$ 9,6 milhões em dinheiro vivo, além de outros repassem sem qualquer relação com sua atividade.

Do montante, R$ 523 mil foram depositados pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores da Operação Lava Jato, e Rafael Ângulo, que distribuía propina a mando do doleiro. Os dois fizeram 17 depósitos entre outubro de 2012 e janeiro de 2014.

A perícia comprovou o que foi dito em depoimentos na Lava Jato de que Ângulo viajava para Maceió para fazer as entregas de dinheiro em espécie destinadas a Collor. As datas das viagens coincidem com as dos depósitos, realizados um ou dois dias depois.

Dos R$ 9,6 milhões, R$ 5,6 milhões foram para Collor ou sua mulher, Caroline. Do montante, R$ 3,3 milhões foram contabilizados pelas empresas como sendo para abater a suposta dívida do casal, mas os investigadores descobriram que até isso era uma operação simulada.

“Em alguns casos, os depósitos foram transferidos imediatamente (de volta) para Collor.”

Collor tem negado irregularidades nos empréstimos tomados com suas empresas.

Em nota à reportagem em novembro passado, sua assessoria informou que “todos os gastos e despesas realizados pelo senador Fernando Collor são categoricamente compatíveis com os recursos por ele recebidos nos anos de 2011 a 2013, considerados os rendimentos recebidos e os empréstimos tomados no período, notadamente junto à TV Gazeta de Alagoas, empresa familiar da qual é acionista.”

Correios abrem edital para oferecer serviço de telefonia celular

Correios vão selecionar operadora para oferecer serviço de telefonia celular por meio de rede virtual  Agência Brasil
Correios vão selecionar operadora para oferecer serviço de telefonia celular por meio de rede virtual Agência Brasil

Os Correios abriram concorrência para empresas interessadas no projeto de exploração do serviço de telefonia móvel por meio de rede virtual. A estatal escolherá uma operadora de celular como seu representante. A empresa selecionada oferecerá o serviço com chip da marca Correios.

Após a abertura das propostas, que devem ser apresentadas até o dia 17 de março, todas as empresas poderão fazer novos lances. Os Correios avaliarão as propostas considerando o somatório do maior valor de remuneração dos chips pré-pagos e do maior percentual de comissão pela venda de recargas realizadas. O valor mínimo previsto para a operação pretendida é de R$ 282 milhões, para um período de cinco anos.

Nessa operação, os Correios usarão a infraestrutura de telecomunicações da operadora selecionada. Para concorrer, a operadora deve estar presente em pelo menos 50% dos municípios brasileiros.

Agência do Brasil

Morre ex-prefeito de Currais Novos Geraldo Gomes

carlson_geraldoMorreu nas primeiras deste domingo (31), o ex-prefeito de Currais Novos, Geraldo Gomes, de 84 anos. Ele estava internado na UTI do Hospital do Coração, em Natal, e seu estado de saúde era considerado delicado em decorrência de problemas respiratórios. A notícia da morte foi confirmada pelo seu filho, o advogado Carlson Gomes. Nascido em 09 de Janeiro de 1932, doutor Geraldo, como também era conhecido, governou Currais Novos por quatro oportunidades, sendo a última de 2009 a 2012. Às 9h o corpo segue para Currais Novos, onde será celebrada missa às 14h na matriz de Santana. Às 16h ele será transladado de volta para a capital do estado, onde prosseguirá o velório no Centro de Velório São José. Às 8h desta segunda-feira (1º) será celebrada uma segunda missa e, em seguida, o sepultamento no Cemitério Morada da Paz, em Emaús.

Robson Pires