Category: Policial

Operação combate facções dentro da Cadeia Pública de Caraúbas, RN

Buscas dentro das celas foram iniciadas ainda na tarde desta terça-feira (24) (Foto: G1/RN)
Buscas dentro das celas foram iniciadas ainda na tarde desta terça-feira (24) (Foto: G1/RN)

G1 – Agentes penitenciários do Grupo de Operações Especiais (GOE), policiais militares e policiais civis realizam, desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (25), uma operação de busca e apreensão dentro da Cadeia Pública de Caraúbas, na região Oeste potiguar. O objetivo é combater facções e evitar o planejamento de crimes a partir da unidade.

Secretário de Justiça do RN, Wallber Virgolino revelou que as revistas no presídio começaram ainda na tarde desta terça (24). Na ocasião, cinco telefones foram encontrados. “Todos serão repassados à Polícia Civil, que analisará os telefones no sentido de subsidiar as investigações”, disse ao G1.

Segundo a diretora da unidade, Ivna Benevides, ainda não foi decidido se as visitas íntimas previstas para esta quarta-feira serão suspensas ou realizadas em outro dia.

Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

BBtmNiw.img

Em meio à dor de ver o irmão envolvido e morto em um caso policial que ganhou destaque em toda a imprensa nos últimos dias, Elaine de Pádua saiu em defesa de Rodrigo Augusto, o fã obcecado que fez a apresentadora Ana Hickmann de refém em um hotel de Belo Horizonte, no sábado passado. A ex-modelo estava na cidade para lançar uma linha de roupas. Para Elaine, Rodrigo agiu por “amor” e não por “maldade” e foi “assassinado com crueldade e frieza”.

“Ele já estava imobilizado quando levou os tiros, os três pelas costas”, escreveu em mensagem no Facebook. Rodrigo Augusto de Pádua foi morto pelo cunhado de Ana Hickmann, Gustavo Corrêa, que também foi feito refém pelo fã e entrou em luta corporal quando ele teria avançado sobre a apresentadora, desarmando-o e então atingindo-o duas vezes na cabeça, além de uma terceira vez no braço. Segundo contou em entrevistas e à polícia, ele teria agido em legítima defesa: nesse meio tempo, a mulher de Gustavo, Giovanna, foi alvejada duas vezes por Rodrigo, no braço e no abdômen.

“Sinto muito pela apresentadora e sua família, sei que não foi fácil todo esse pesadelo, mas, por ela ser uma pessoa pública, estão nos crucificado e isso é injusto. Não estou aqui para defender ou isentar meu irmão da sua responsabilidade, ele não está mais entre nós para se defender. Estava transtornado sim, mas foi assassinado com crueldade e frieza”, escreveu Elaine. “Eu acredito no Deus de justiça e amor e sei que a verdade vai aparecer, caso isso não aconteça eu acredito na lei divina, porque essa não falha jamais.”

Para ela, o irmão só queria “conversar” com Ana Hickmann, e não fazer mal à apresentadora. “Muitas contradições nos depoimentos e, como minha mãe mesma disse, ele só queria conversar e vê-la… queria atenção de alguma forma. Não vamos esquecer que ele foi impulsionado pelo amor que tinha por ela, em seu mundo ele sofria muito com tudo isso… só quem convivia com ele sabe o que estou dizendo”, escreveu. “O amor levou o meu irmão a tudo isso, não à maldade e crueldade como estão falando.”

Elaine continua descrevendo o irmão morto como um filho dedicado à mãe e contando seus planos para o futuro. “Respeitem a minha família e a memória do meu irmão, ele não está mais aqui… e não tentem achar um culpado crucificando minha família…. minha mãe sangra, ele era a menina dos olhos dela e ele como sempre dizia: ‘Minha mãezinha linda e gordinha. Te amo e não vivo sem a senhora, cuida da sua saúde’, e abraçava o tempo todo, quando podia…”, publicou. “Seu grande sonho era ser médico, dermatologista… Enfim… uma vida interrompida pela brutalidade. Orem por mim e pela minha família, a dor é imensa.”

Outro irmão de Rodrigo Augusto, Helisson, frisou em seu perfil no Facebook que o sequestrador era um “ser humano bom e amável”. “Todos que nos conhecem sabem que Rodrigo Augusto de Pádua era alegre, amoroso, gentil, cuidava dos meus pais com muito amor”, escreveu.

Após 2 dias sumida, adolescente de 14 anos é encontrada na Grande Natal

menina

A adolescente Sarah Mendes Clemente, de 14 anos, que estava sumida desde a última sexta-feira (20), foi encontrada. Contudo, a família da garota prefere não dizer onde ela estava.

Sarah, que mora no bairro do Engenho, emParnamirim, cidade da Grande Natal, havia saído de casa para ir a um mercadinho. Foi quando a família informou o desaparecimento dela.

Segundo Arimatéria Silva Mendes, pai da garota, Sarah está bem e foi encontrada na tarde desta segunda (23).

Ele preferiu não informar onde a adolescente foi achada nem os motivos do desaparecimento.

Sarah Mendes Clemente estuda na Escola Estadual Santos Dumont e integra uma agência de modelos.

Governo Temer enfrenta teste com Lava Jato

Jucá não teve como se explicar à imprensa sobre sua fala gravada
Jucá não teve como se explicar à imprensa sobre sua fala gravada.

Exame – O otimismo do mercado com o governo interino de Michel Temer sofreu um abalo com a revelação, feita pela Folha de S. Paulo, de conversa gravada entre o ministro do Planejamento, Romero Jucá, e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, na qual eles discutem sobre um pacto para barrar as investigações da Lava Jato.

Por enquanto, a reação do mercado ainda é relativamente comedida, com o dólar subindo em torno de 1,5%.

Analistas ainda têm dúvidas sobre os desdobramentos das denúncias, que envolvem um ministro que teria o papel de negociar no Congresso reformas vitais para a recuperação da confiança dos investidores, como a da Previdência.

O consenso é que os solavancos no mercado vão aumentar se as denúncias persistirem.

A gravação com Jucá mostra que a Lava Jato, um dos fatores que precipitaram a queda de Dilma Rousseff, é também um risco para Temer, diz Ricardo Ribeiro, analista da consultoria MCM.

Para ele, é uma evidência dos riscos de instabilidade no novo governo, que o mercado considerava mais apto a encaminhar as reformas no Congresso do que o governo Dilma.

As pressões para que Jucá deixe o governo devem aumentar, diz o consultor da MCM. Em entrevista nesta segunda-feira, o ministro disse que não vê qualquer razão para pedir demissão.

A coluna de Lauro Jardim, do site do jornal O Globo, afirma que Temer decidirá até amanhã sobre o futuro de Jucá e a tendência é o ministro deixar o governo.

A tensão no gabinete de Temer surge em um momento de pausa no rali que precedeu o impeachment de Dilma e a posse de Temer. Um dos motivos desta pausa é a aposta em alta dos juros nos EUA, que aumentou após a ata da última reunião do BC americano e deixou o mercado de sobreaviso para a fala de dirigentes do Fed nesta semana.

Ou seja, a notícia sobre as gravações de Jucá encontrou um mercado naturalmente mais sensível a notícias negativas.

Para Leonardo Monoli, sócio e diretor da Jive Asset, as gravações de Jucá não devem gerar uma crise, paralisando totalmente as votações, mas o desdobramento da notícia nas vésperas da votação da meta fiscal merece atenção. “Não digo que paralisa, mas aumenta a expectativa para essa primeira importante votação”.

Ribeiro, da MCM, considera que a mudança da meta fiscal deve ser aprovada nesta semana no Congresso. Não interessaria ao Congresso inviabilizar o governo logo de partida, o que prejudicaria a própria liberação de emendas para os parlamentares. “Sem a meta, não tem dinheiro para ninguém”, diz Ribeiro.

No caso de reformas exigem 2/3 dos votos, porém, os riscos são maiores. A gravação de Jucá, mostrou que haverá um “risco efetivo” para a viabilidade do governo no caso de as denúncias continuarem, diz o consultor.

PF deflagra 30ª fase da operação Lava Jato em SP e no Rio

size_810_16_9_policia-federal

Exame – A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal deflagraram nesta manhã os trabalhos da 30ª fase da Operação Lava Jato.

A Operação Vício tem a participação de cerca de 50 policiais federais e dez servidores da Receita, que cumprem 28 mandados de busca e apreensão, dois de prisão preventiva e nove de condução coercitiva nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo.

As investigações estão relacionadas ao esquema de corrupção e lavagem de ativos decorrentes de contratos firmados com a Petrobras.

“Trata-se da apreciação de vários contratos e correspondentes repasses de valores não devidos entre empresas contratantes da Petrobras, funcionários da estatal e agentes públicos e políticos”, diz nota divulgada pela PF.

Três grupos de empresas são investigados por terem se utilizado de operadores e de contratos fictícios de prestação de serviços para repassar, principalmente, à Diretoria de Serviços e Engenharia e Diretoria de Abastecimento da estatal.

Aos investigados estão sendo atribuídos, entre outros, crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de ativos.

O nome da operação está relacionado à “sistemática, repetida e aparentemente dependente prática de corrupção por determinados funcionários da estatal e agentes políticos que aparentam não atuar de outra forma senão por meio de atos lesivos ao Estado.

O termo ainda remete à ideia de que setores do Estado precisam passar por um processo de desintoxicação do modo corrupto de contratar, presente não ação de seus representantes”, acrescenta a nota.

Em outro procedimento, estão sendo cumpridos mandados que buscam a apuração de pagamentos indevidos a um executivo da área internacional da Petrobras em contratos firmados para aquisição de navios-sondas.

Os presos e o material apreendido devem ser levados ainda hoje para a PF em Curitiba.

Mais informações serão dadas em entrevista coletiva, às 10h, no auditório da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Polícia Federal deflagra a 29ª etapa da Operação Lava Jato

download

G1 – A Polícia Federal (PF) está nas ruas para cumprir mandados referentes à 29ª fase da Operação Lava Jato desde a madrugada desta segunda-feira (23) em Brasília, Pernambuco e no Rio de Janeiro. A ação foi batizada de “Repescagem”.

Estão sendo cumpridos seis mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva e dois mandados de prisão temporária.

A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou convertida em preventiva, que é quando o investigado fica preso à disposição da Justiça sem prazo pré-determinado.

Os mandados foram expedidos em procedimento que investiga os crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção passiva a ativa envolvendo verbas desviadas do esquema criminoso revelado no âmbito da Petrobras.

Segundo a PF,um dos investigados foi assessor do ex-deputado federal José Janene e tesoureiro do Partido Progressista. “Foi, juntamente com o deputado, denunciado na Ação Penal 470 do STF (Mensalão), acusado de sacar cerca de um milhão e cem mil reais de propinas em espécie das contas da empresa SMP&B Comunicação Ltda., controlada por Marcos Valério Fernandes de Souza, para entrega a parlamentares federais do Partido Progressista, no escândalo criminal conhecido vulgarmente por Mensalão”, disse a PF.

Segundo a PF, surgiram elementos probatórios que apontam a participação do investigado também no esquema criminoso que vitimou a Petrobras. As investigações apontam que ele continuou recebendo repasses mensais de propinas, mesmo durante o julgamento do Mensalão e após ter sido condenado, repasses que ocorreram pelo menos até o ano de 2013.

Ana Hickmann sofre tentativa de homicídio em hotel de Minas Gerais

anahickmann

Uol – Ana Hickmann sofreu uma tentativa de homicídio na tarde deste sábado (21), em um hotel em Belo Horizonte (MG). Um homem chamado Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, invadiu o quarto onde ela estava hospedada e tinha intenção de atirar na apresentadora, segundo informações da Polícia Militar. Ele se dizia fã de Hickmann e foi morto pelo cunhado da artista.

“Um fã teria se aproximado, atirado e uma assessora que não é parente da Ana Hickmann foi baleada, levada ao hospital Biocor e passa bem. Ana não foi atingida”, informou um tenente da Polícia Militar de Belo Horizonte à repórter do “Brasil Urgente”, da Band. Outro major disse que o acusado estava hospedado no mesmo hotel de Ana.

O “Cidade Alerta”, da Record, informou que a cunhada e assessora de Ana Hickmann, Giovana Oliveira, levou dois tiros, um no abdome e outro no braço. Ela realizou procedimento cirúrgico que durou cinco horas, noticiou o jornalístico.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o suspeito estava no corredor do 9º andar do hotel, abordou o cunhado de Ana Hickmann, Gustavo, e o levou até o quarto. O suposto fã fez a apresentadora, o cunhado e sua mulher de reféns e obrigou os três a se sentarem de costas para ele, informou o programa da Band.

Em seguida, o indivíduo começou a destratar a vítima com palavras pejorativas e de baixo calão. O cunhado, Gustavo, levantou-se e foi em direção ao criminoso, Rodrigo, que efetuou dois disparos em Ana Hickmann, mas os tiros feriram a assessora, informou o Boletim de Ocorrência.

Juiz marca audiência de policial civil acusado de homicídio em Natal

Policial civil Iriano Serafim Feitosa foi morto a tiros no dia 3 de fevereiro; acusado é colega de corporação (Foto: Ana Paula Nelson/Arquivo Pessoal)
Policial civil Iriano Serafim Feitosa foi morto a tiros no dia 3 de fevereiro; acusado é colega de corporação (Foto: Ana Paula Nelson/Arquivo Pessoal)

G1 – O juiz Ricardo Procópio Bandeira de Melo, da 3ª Vara Criminal de Natal, marcou a data da audiência de instrução do agente de Polícia Civil Tibério Vinícius Mendes de França, acusado pela morte do também policial civil Iriano Serafim Feitosa, assassinado no dia 3 de fevereiro deste ano no conjunto Cidade Satélite, na Zona Sul da capital. A audiência terá início no dia 15 de junho.

De acordo com o estabelecido pelo juiz nesta quinta-feira (19), como o número de testemunhas a serem ouvidas é alto – ao todo, 19 serão ouvidos – a instrução será realizada em duas datas. Começando no dia 15 e sendo concluída no dia 17 de junho.

Tibério Vinícius Mendes de França está preso desde o dia 22 de março. O policial foi chamado para prestar depoimento na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e, ao chegar, recebeu voz de prisão. O agente também é apontado pela Polícia Federal como suspeito de envolvimento com grupos de extermínio, investigação que faz parte da operação Thanatus, deflagrada em dezembro do ano passado.

Relembre o caso
Iriano foi morto no dia 3 de fevereiro quando dirigia o carro dele pela Av. Xavantes, no conjunto Cidade Satélite, Zona Sul de Natal.

Esposa do policial, a advogada Ana Paula Nelson contou que estava no carro no momento do atentado. “Acho que o crime não foi planejado para ser ali, daquela forma. Esse policial se aproveitou de um descuido do meu marido. Ele se aproximou sozinho em uma moto e, sem parar, efetuou vários disparos. Como os tiros foram do lado onde estava o Iriano, ele foi atingido mais vezes e eu acabei sendo baleada duas vezes”, lembrou.

Câmeras de segurança registraram a execução. O vídeo, (You Tube) a baixo, mostra o momento em que o o carro de Iriano reduz a velocidade para passar por uma lombada. Um motociclista fica ao lado do carro e efetua vários disparos de arma de fogo. Iriano morreu minutos após dar entrada no pronoto-socorro Clóvis Sarinho, em Natal. A advogada Ana Paula Nelson, viúva de Iriano, foi atingida por dois tiros – um na perna e outro no quadril.

 Iriano Serafim Feitosa estava dirigindo o carro, ao lado da esposa, quando foi baleado (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Iriano Serafim Feitosa estava dirigindo o carro, ao lado da esposa, quando foi baleado (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

 

‘Derrotada’, diz mulher de engenheiro paranaense morto em Mossoró

Cleilton Cirino Coelho da Silva e Jordânia Santos moravam juntos há três anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Cleilton Cirino Coelho da Silva e Jordânia Santos moravam juntos há três anos (Foto: Arquivo Pessoal)

G1 -“Estou me sentido derrotada. Ainda não acredito que ele morreu”. As palavras são da técnica em enfermagem Jordânia Santos, de 21 anos, companheira do engenheiro agrônomo paranaense Cleilton Cirino Coelho da Silva, de 24, vítima de uma bala perdida na noite desta quarta-feira (18) em um espetinho na cidade de Mossoró, na região Oeste potiguar.

Com exclusividade, e ainda bastante abalada, Jordânia conversou com o G1 na manhã desta quinta-feira (19). Ela contou que um irmão de Cleilton vem ao Rio Grande do Norte para buscar o corpo. “Nós vamos levá-lo para o Paraná, onde ele será velado e sepultado”, afirmou.

“Como pode isso? Jamais imaginei passar por uma dor desse tamanho. Quero forças. Preciso superar, isso vai me destruindo aos poucos. É muito difícil saber que a cada segundo que passa eu fico me sentindo mais distante dele. Queria acordar desse pesadelo. Só estou fisicamente aqui, mais meu pensamento está muito distante”, disse Jordânia.

Ainda de acordo com Jordânia, ela e Cleilton não eram casados, mas viviam juntos há 3 anos emBaraúna, cidade vizinha a Mossoró. “Tempo suficiente para descobrir o quanto era admirável. Um homem honesto, trabalhador, que vai nos fazer uma falta enorme”, relatou.

Jordânia, que tem uma menina de 4 anos de um outro relacionamento, disse que Cleilton tratava a criança como se fosse sua própria filha. “Ele a amava. E nós o amávamos também”, acrescentou.

O crime
Cleilton Cirino estava em um espetinho no bairro Aeroporto quando dois homens se aproximaram já atirando. Segundo a Polícia Militar, o alvo dos bandidos seria o churrasqueiro, que acabou atingido. Os tiros também acertaram um outro homem que estava no local. O engenheiro morreu na hora. Os outros dois baleados foram socorridos ao Hospital Regional Tarcísio Maia, onde permanecem internados.

Cleilton, que era natural de Alto Paraná, no Paraná, trabalhava em uma empresa agrícola na cidade de Baraúna. A mulher dele contou que eles pretendiam se mudar para Mossoró nesta quinta-feira.

Mais violência no RN: Engenheiro agrônomo morre vítima de bala perdida

Cleilton Cirino Coelho da Silva (Foto: Arquivo Pessoal)
Cleilton Cirino Coelho da Silva
(Foto: Arquivo Pessoal)

Um engenheiro agrônomo de 24 anos foi morto a tiros na noite desta quarta-feira (18) em um espetinho na cidade de Mossoró, no Oeste potiguar. Segundo a Polícia Militar, o alvo dos bandidos seria o churrasqueiro do estabelecimento, que acabou baleado. Um outro homem também foi atingido pelos disparos.

O crime aconteceu no bairro Aeroporto. De acordo com a PM, Cleilton Cirino Coelho da Silva estava no local quando dois criminosos chegaram atirando. Ele morreu no local. O churrasqueiro e o outro homem foram socorridos para o hospital.

Cleiton trabalhava em uma empresa agrícola.

G1

José Dirceu é condenado a 23 anos de prisão na Lava Jato

José Dirceu (C): o ex-chefe da Casa Civil foi condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa
José Dirceu (C): o ex-chefe da Casa Civil foi condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa

Exame – São Paulo – O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foi condenado nesta quarta-feira (18) a 23 anos e três meses de prisão em regime fechado no âmbito da Operação Lava Jato. O juiz federal Sergio Moro divulgou a sentença pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Dirceu está preso em Curitiba desde agosto de 2015, na 17ª fase da Lava Jato, chamada Pixuleco.

Sobre o crime de corrupção passaiva, Dirceu foi considerado culpado pelo recebimento sozinho de cerca de R$ 15 milhões em propinas, incluindo recursos provenientes de superfaturamento de contratos com os quais a Petrobras teve que arcar com prejuízo.

Somaram-se aí 10 anos de pena, pelo registro de cinco crimes de corrupção, continuidade delitiva e majoração de 1/2. Moro considera que o fato merece “reprovação especial” por se tratarem de desvios nos cofres públicos.

“O mais perturbador, porém, em relação a José Dirceu de Oliveira e Silva consiste no fato de que recebeu propina inclusive enquanto estava sendo julgado pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal a Ação Penal 470 [mensalão], havendo registro de recebimentos pelo menos até 13 de novembro de 2013”, diz o texto de Moro.

“Nem o julgamento condenatório pela mais Alta Corte do País representou fator inibidor da reiteração criminosa, embora em outro esquema ilícito.”

Pelo crime de lavagem de mais de R$ 10 milhões, Moro fixou pena de nove anos e dois meses de reclusão. Foi reconhecida mais uma vez a continuidade delitiva em pelo menos oito crimes, elevando a pena do ato mais grave em 2/3.

O juiz federal diz ainda que a lavagem envolveu, neste caso, “especial sofisticação”, já que contou com transações escusas e simulação de prestação de serviços com diversos contratos e notas fiscais falsas, tudo para pagamento de vantagens indevidas.

“Valores de propina ainda foram ocultados em reformas de imóveis realizadas no interesse do condenado, mas que sequer estavam em seu nome”, afirma Moro. “Consequências devem ser valoradas negativamente. (…) A lavagem de significativa quantidade de dinheiro merece reprovação a título de consequências.”

Para organização criminosa, o juiz federal considera que não houve estrutura hierarquizada nos episódios constatados, não se tratando, portanto, de “tipo mafioso”.

“Não reconheço José Dirceu de Oliveira e Silva como o comandante do grupo criminoso, pelo menos considerando-o em toda a sua integralidade (empresários, intermediários, agentes públicos e políticos)”, diz. Como não houve agravante, além da cooptação de Renato Duque e Pedro Barusco, o juiz utiliza a pena mais branda de quatro anos e um mês.

Outros nove acusados receberam penas na sentença: Fernando Antônio Guimarães Hourneaux de Moura (lobista), Gerson de Mello Almada (ex-vice-presidente da Engevix), João Vaccari Neto (ex-tesoureiro do PT), José Adolfo Pascowitch (irmão do operador), Júlio Cesar dos Santos (ex-sócio da JD Consultoria, empresa de Dirceu), Luiz Eduardo de Oliveira e Silva (irmão de Dirceu), Milton Pascowitch (operador do esquema), Pedro Barusco (ex-gerente da Petrobras) e Renato Duque (ex-diretor da Petrobras).

falso carteiro assalta Correios em Natal

Falso carteiro e um comparsa que fingiu ser cliente renderam o vigilante e roubaram a agência dos Correios em Capim Macio, na Zona Sul de Natal (Foto: Divulgação/PM)
Falso carteiro e um comparsa que fingiu ser cliente renderam o vigilante e roubaram a agência dos Correios em Capim Macio, na Zona Sul de Natal (Foto: Divulgação/PM)

Uma foto divulgada pela Polícia Militar mostra o momento em que um ladrão vestido de carteiro assaltou uma agência dos Correios na Zona Sul de Natal. Um comparsa, que fingiu ser cliente, também participa do crime. Na fuga, a dupla roubou a arma e o colete de um vigilante.

Pelas imagens, é possível ver quando o criminoso que finge ser cliente chega à agência e fica sentado. O segundo, vestido com uma roupa de carteiro, entra em seguida, saca a arma e anuncia o assalto. Neste momento, o comparsa que estava sentado se levanta e passa a recolher os pertences dos verdadeiros clientes.

A PM disse que um carro da corporação chegou a passar três vezes na frente da agência, mas os policiais não perceberam o assalto.

‘Covardia’, diz pai de taxista baleado por bandidos na Zona Sul de Natal

Polícia ainda busca pistas dos criminosos (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Polícia ainda busca pistas dos criminosos (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

“O que eu espero é que ele seja preso, que ele pague  e que ele diga porque ele fez isso com meu filho, porque meu filho não merece não. Foi covardia. Covardemente ele atirou”. Foi com a voz embargada que o pai do taxista baleado na Zona Sul de Natal na madrugada deste domingo (15) falou sobre o bandido que atirou no filho. O crime aconteceu na Avenida dos Xavantes, no conjunto Cidade Satélite.

De acordo com uma testemunha que preferiu não se identificar, o taxista havia pego um casal de passageiros em uma boate da Zona Sul. A suspeita é que esse mesmo casal tenha cometido o crime.

“Não levaram nada dele, a gente acredita que não foi um assalto porque senão teriam levado pertences dele ou o carro. O que aparenta é um acerto de contas, mas a gente acha que ele foi confundido com outra pessoa, disse o homem.

O caso está sendo investigado pela 11ª Delegacia de Polícia Civil. Segundo a delegada Danielle Filgueira, a polícia está realizando buscas e está definindo as linhas de investigação. “Nós estamos trabalhando com duas possibilidades. Tanto um crime passional, no caso da tentativa de homicídio, tanto em relação a uma tentativa de latrocínio”, disse a delegada.

De acordo com a assessoria de comunicação do hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, o taxista passou por duas cirurgias. Ele está inconsciente, sedado e fica internado por tempo indeterminado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

PM e mulher levam tiros em tentativa de assalto a supermercado no RN

b86894eabb5193d980339d680f3b2ee1-e1454021395706

Um policial militar da reserva de 55 anos e uma mulher de 28 foram baleados durante uma tentativa de assalto a um supermercado, crime ocorrido na tarde deste sábado (14) na cidade de Mossoró, na região Oeste potiguar. Segundo a própria PM, os criminosos são três homens que fugiram em um Palio de cor verde. O policial e a mulher, que é funcionária do estabelecimento, foram socorridos para o hospital.

Segundo informações do 2º Batalhão da PM, o crime aconteceu por volta das 12h40. “Dois homens foram em direção ao supermercado enquanto um terceiro ficou no Palio estacionado nas proximidades, dando apoio para a fuga. Os dois tentaram render o policial, que estava logo na entrada do supermercado conversando com a mulher. O PM reagiu e os criminosos atiraram nele. A mulher não foi vítima de bala perdida. Eles também atiraram nela”, afirmou o sargento Elinaldo.

O sargento disse que o tiro que atingiu o PM transfixou o ombro dele. Já a bala que acertou a mulher, ficou alojada na região da bacia. “Os dois foram socorridos para o Hospital Regional Tarcísio Maia, mas não sabemos o estado de saúde deles”, acrescentou.

A PM ainda fez buscas pela região, mas os criminosos não foram encontrados.

Do G1

Preso em Natal, suspeito confessa tiro que deixou vigilante paraplégico

camera_1

Preso nesta segunda-feira (9) durante um assalto à mão armada no bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal, um jovem de 18 anos foi identificado como sendo o responsável pelo tiro que deixou um vigilante paraplégico durante assalto à farmácia em abril deste ano no bairro do Igapó, na Zona Norte de Natal. De acordo com o delegado Jodelcir Pinheiro, da 12ª Delegacia de Polícia Civil, o suspeito confessou o disparo e detalhou o crime, mas negou que tivesse intenção de atingir o vigilante.

O crime aconteceu no dia 4 de abril deste ano. O suspeito, identificado como Glaydson Emanoel Rosendo da Silva – que na época do crime tinha 17 anos – e outro adolescente assaltaram uma farmácia. Durante o assalto, após o outro suspeito retirar o colete e a arma do vigilante Jeimyson Nunes de Azevedo, de 26 anos, Glaydson teria atirado a queima-roupa no vigia. O tiro acertou o pescoço de Jeimyson, que foi internado e ficou paraplégico.

De acordo com Jodelcir, Glaydson confessou e detalhou o crime, mas negou que tivesse a intenção de atingir o vigia. “Ele diz que não chegou a atirar no vigilante. Deu aquele disparo dentro da farmácia para assustar os clientes e para evitar que fosse seguido”, contou o delegado. Ainda de acordo com Jodelcir, o depoimento já foi adicionado ao inquérito.

No entanto, como ainda era adolescente na época em que conheceu o crime, Glaydson ainda responderá pelo disparo no vigilante como menor de idade. Apesar disso, como foi preso em flagrante por roubo à mão armada, o suspeito  responderá separadamente pelo novo crime.

Identificação do suspeito
Segundo o delegado, Glaydson já havia sido identificado pelos policiais através das imagens e durante as investigações. No entanto, os policiais ainda não haviam conseguido chegar até o suspeito.  omo quem pratica o assalto  tem o hábito de continuar fazendo, porque vive disso, todos os dias observavam as prisões e as delegacias de plantão”, explicou.

No depoimento, o suspeito ainda explicou que comprou a arma utilizada no crime no ‘Mercado da 4’, no bairro do Alecrim, na Zona Leste de Natal. Ele disse que teria pago uma quantia de R$ 4.500 pela pistola.

Do G1