CCJ do Senado sabatina André Mendonça nesta quarta-feira (1º)

O  ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública André Mendonça
O ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública André Mendonça
MARCOS CORRÊA/PR 06.04.2021

Está marcada para esta quarta-feira (1º), a partir das 9h, a sabatina do ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública André Mendonça na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. Ele foi indicado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), para ocupar a vaga no STF (Supremo Tribunal Federal) deixada pelo ministro Marco Aurélio Mello.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) será relatora da indicação e já sinalizou ser favorável ao nome de Mendonça. No sábado (27), ela publicou no Twitter que recebeu uma ligação de Davi Alcolumbre, presidente da comissão, para convidá-la para a relatoria.

“Eu vejo que o convite vindo a mim por parte do presidente [da CCJ] Davi é um prestígio à bancada feminina do Senado e também aos evangélicos, e demonstra claramente o seu respeito pela diversidade religiosa no Brasil. É um momento importante de vida brasileira”, afirma. “Eu, como relatora, vou me pautar por informações e também pela boa técnica legislativa, sem nenhum preconceito político e ideológico e muito menos religioso”, garante.

A indicação de Mendonça estava paralisada na CCJ há quase cinco meses. A demora de Alcolumbre em pautar a sabatina gerou críticas por parte de Bolsonaro e de senadores governistas, que cobravam uma definição por parte do presidente do colegiado.

R7