Chuvas em Pernambuco matam 84 pessoas; não há clareza sobre quantidade de desaparecidos

Homens trabalham em busca de vítimas de chuvas
Cerca de 32 mil famílias estão em áreas de risco de deslizamento de encostas e transbordamento de rios/RAFAEL VIEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Subiu para 84 o número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingem Pernambuco desde o início da última semana. A atualização mais recente foi divulgada pelo governo estadual por volta das 19 horas deste domingo, 29. Não há clareza sobre o número de desaparecidos. Ainda segundo o balanço do governo Paulo Câmara (PSB), 14 municípios decretaram estado de emergência. São eles: Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São José da Coroa Grande, Moreno, Nazaré, Macaparana, Cabo de Santo Agostinho, São Vicente Ferrer, Paudalho, Paulista, Goiana, Timbauba e Camaragibe. As equipes estaduais de segurança estão atuando em 12 pontos de deslizamento, com o emprego de cães farejadores e equipamentos de resgate – o Exército e a Marinha estão auxiliando com 100 e 20 profissionais, respectivamente, e seis embarcações. “Precisamos desobstruir os acessos às cidades, restabelecer o abastecimento de água e analisar o trabalho que está sendo feito nesses locais. As equipes foram reforçadas, os 92 novos bombeiros que tiveram suas nomeações antecipadas já estão trabalhando e vamos intensificar as ações”, afirma Câmara em nota divulgada pelo governo local. “Vamos continuar atuando nas áreas críticas e restabelecer os serviços, para avançarmos na reconstrução das cidades”, acrescentou o gestor estadual.

Mais cedo, em coletiva de imprensa, o ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Daniel Ferreira, havia dito que o número de vítimas fatais estava em 44, com outras 56 pessoas desaparecidas, 25 feridas, 3.957 desabrigadas e 573 desalojadas. Somente em um bairro, Jardim Monte Verde, na zona sul da capital, 20 pessoas morreram em um deslizamento. Além de Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Camaragibe registraram óbitos. O governo federal montou uma força-tarefa interministerial para auxiliar a população assolada pela tragédia – além do MDR, estão presentes representantes dos ministérios da Cidadania, da Saúde, do Turismo e do Trabalho e Previdência. Pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que irá para o Estado nesta segunda-feira, 30, para “se inteirar da tragédia”. Na tarde deste sábado, 28, o ministro Daniel Ferreira anunciou que as Forças Armadas foram acionadas para auxiliar os municípios atingidos. “O MDR fez o pré-anunciamento das Forças Armadas, que devem deslocar equipes para fazer o auxílio aos municípios. E, igualmente, a equipe do MDR está se deslocando para lá, para agilizar o reconhecimento federal da situação de emergência dos municípios e possibilitar, assim, liberação de recursos para socorro e assistência humanitária”, disse Ferreira em um vídeo divulgado no Twitter. Foram liberados, inicialmente, R$ 2,5 milhões para ações de socorro e assistência humanitária.

Na manhã do sábado, 28, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), anunciou que 20 municípios acumularam mais de 200 milímetros de chuvas, entre eles Recife (209 mm), Jaboatão dos Guararapes (215 mm) e São Lourenço da Mata (200,2 mm). Itapissuma foi a cidade com maior precipitação, registrando 318 milímetros. Ao menos 14 escolas e creches da rede municipal de ensino foram abertas para receber os desabrigados e desalojados. Em Macaparana, município da Zona da Mata de Pernambuco, uma casa desabou e foi levada pelo rio na manhã do sábado, 28. Em um vídeo que circula pelas redes sociais, é possível ver o momento em que o imóvel é levado pela correnteza. “Olha a casa caindo. Ô, senhor do céu. A casa caiu”, grita um homem, desesperado.

Jovem Pan

Leave a Comment