“Convite à Cultura“ traz crianças especiais à Escola da Assembleia

unnamed (3)

Inclusão social tendo a presença da música, do audiovisual e da oralidade como elementos principais. Assim esteve composto o cenário da 2ª edição do Projeto “Convite à Cultura”, realizado na manhã desta quarta (24), na Escola da Assembleia, que contou com uma bela e atenta plateia formada por crianças “especiais” e suas desprendidas mães, beneficiadas pela metodologia inclusiva da Escola Madre Fitzbach gerida pela Associação de Orientação aos Deficientes – ADOTE/RN.

Neste segundo encontro do “Convite à Cultura”, a emoção e o sentimento de igualdade tomaram conta de todos os presentes ao evento, com a presença especial de tão ilustre plateia. Emanuelle (seis anos), Túlio e Emmily (ambos com dez anos), Gabriel e João Victor (12 anos), e Paulo Eduardo (13 anos) – acompanhados de suas mães, exemplos vivos de desprendimento e desmedido amor materno –, mostraram o quanto é necessário e possível a inclusão de portadores das mais diversas “deficiências”, como síndrome de down, autismo e outras, no cotidiano e atividades desenvolvidos pela sociedade, que em pleno século XXI, ainda coloca barreiras e preconceitos para esse convívio.

O elemento musical ficou a cargo da brilhante apresentação do Coral da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, que teve o privilégio de, logo na sua estreia na Escola da AL/RN, cantar para um público tão especial, que ao término de cada canção aplaudiu calorosamente o grupo. O coral, que tem à frente o regente Bruno Santos, interpretou clássicos da MPB, como: Coração do Estudante, Asa Branca e Meu querido, meu velho, meu amigo. A apresentação emocionou a todos, tornando-se perceptível através do brilho nos olhares das mães e seus filhos, e do restante da plateia composta por servidores da casa e convidados.

Convidado a participar do evento, por seu trabalho de apoio a Sociedade dos Cegos do RN, o Deputado Gustavo Fernandes se fez presente e enalteceu o “Convite à Cultura”, destacando a importância e a necessidade de ações inclusivas, referindo-se, de maneira elogiosa, ao projeto iniciado em julho pela Escola da Assembleia. “Esse projeto merece todo o nosso respeito e apoio. As barreiras para uma real inclusão social devem ser, urgentemente, derrubadas. Coloco o meu mandato à disposição para uma ampla discussão relacionada ao tema, que trata dos reais direitos desses seres humanos tão especiais. A inclusão social é de vital importância para o crescimento de qualquer sociedade, que deve ser justa e humana. Contem sempre comigo”, ressaltou o deputado.

A ADOTE/RN esteve representada pela coordenadora pedagógica, Katiene Miranda, responsável pela vinda à Escola da AL das crianças e mães atendidas pela instituição. Na ocasião, destacou a necessidade de mais eventos inclusivos, como o de hoje. “É uma honra para a ADOTE está aqui na Escola da Assembleia, participando de tão importante e necessária ação. Acreditamos que a inclusão deva ser feita a partir da fase infantil. Esse projeto é um enorme alento para todos nós, envolvidos nesse contexto, tratarmos de maneira séria e honesta a inclusão desses seres tão lindos, com os quais aprendemos muito”, declarou, emocionada, Katiene.

Durante a programação foi reproduzido o documentário “Amor Azul: um vídeo-documentário sobre amor, autismo, pais e filhos”, que trata da relação de amor, renúncia e desprendimento entre pais (em sua esmagadora maioria mães), que renunciam a tudo, para viver, de maneira exclusiva, em função dos seus filhos especiais. O doc emocionou a todos, mas principalmente as mães atendidas pela ADOTE/RN, que se viram nos papeis das mães personagens do vídeo reproduzido.

Portador da síndrome de down, Paulo Eduardo da Costa (13 anos) – garoto carinhoso, alegre e atento – revelou, à maneira de sua linguagem própria, ao final da programação, como são seus dias na ADOTE e as impressões que teve do evento de hoje. “Faço tarefa, almoço, brinco na quadra com a bola, no computador faço jogo e pinto. Gostei e foi muito legal. A música é linda. Gostei do filme muito”.

“Eventos como o de hoje, na segunda edição do nosso projeto piloto Convite à Cultura, mostra que a nossa intenção de levarmos educação, em primeiro lugar, arte e cidadania, primeiramente aos nossos servidores, e comunidade como um todo, está surtindo efeito. Vê a satisfação e felicidade de crianças especiais e de suas mães atendidas pela ADOTE, por terem participado ativamente da programação, revela a necessidade, cada vez maior, para ações voltadas à inclusão”, enaltece Carlos Russo, diretor da Escola da Assembleia.