Corretor de imóveis acusado de matar motoboy no trânsito de Natal vai a júri popular

Motocicleta de James ficou destruída com a força da batida. Ele morreu.  (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Motocicleta de James ficou destruída com a força da batida. Ele morreu. (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

O corretor de imóveis Marcos Rodrigues Barbalho II, acusado de homicídio qualificado pela morte do motoboy James Sousa da Silva, de 28 anos, vai a júri popular. A decisão foi do juiz José Armando Ponte Dias Júnior, da 2ª Vara Criminal de Natal. O julgamento, no entanto, ainda não tem data marcada. O réu aguarda o júri em liberdade.

Segundo a acusação, o corretor matou o motoboy jogando o carro em cima dele, fazendo com que a moto se chocasse contra um poste na avenida Prudente de Morais, na Zona Sul de Natal – fato ocorrido no dia 8 de julho de 2015. O vídeo acima mostra o momento em que o carro do corretor atinge a moto da vítima, após uma suposta discussão de trânsito, de acordo com investigações da polícia.

Laudo do Instituto Técnico de Perícia (Itep) concluiu que o carro do corretor, no momento em que colidiu com a motocicleta do motoboy, estava a 59,6 km/h. A velocidade limite estabelecida para o trecho da avenida é de 50 km/h. Com a força do impacto, a moto foi lançada para a frente e se chocou com um poste. James morreu na hora. Já o corretor, fugiu após a batida.

Marcos Rodrigues Barbalho II nega ter tido a intenção de bater o carro dele na motocicleta, e que tudo o que aconteceu não passou de um acidente.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2018/08/29/corretor-de-imoveis-acusado-de-matar-motoboy-no-transito-de-natal-vai-a-juri-popular.ghtml