Defesa assina diretriz e militares estão liberados para atuar no RN

Do Blog: Quando o as forças armadas militar entra em uma ação que deveria ser apenas do Estado, é sinal de que quem vai debelar a bandidagem é o governo federal, já que o governo do Estado perdeu o controle da situação.

O senhor governador poderia não ter começado essa tragédia. Não que esteja errado a colocação de bloqueadores de celulares nos presídios, mas que fosse feito de todos os presídios, simultaneamente e de forma secreta.

Antes deveria ter feito uma varredura nos presídios e removido todos os celulares. Aí sim, o preso ficaria sem fazer seu comando de dentro da cadeia.

Raul Jungmann virá a Natal para explicar atuação dos militares (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Raul Jungmann virá a Natal para explicar atuação dos militares (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

G1 – Ainda assim, haveria protesto, mas com certeza seria de menor proporção e talvez não necessitasse das forças armadas do Brasil aqui, como estamos vendo que estão chegando.

Os 1.200 militares autorizados pela Presidência da República para auxiliar as forças de segurança pública do Rio Grande do Norte no combate à onda de ataques criminosos que o Estado vem sofrendo estão liberados para começar a atuar nas ruas. Isso porque no final da tarde desta terça-feira (4) o ministro da Defesa, Raul Jungmann, assinou a diretriz que detalha como será a atuação dos mil homens do Exército Brasileiro e dos outros 200 da Marinha do Brasil que irão atuar em Natal. Na próxima na quinta (4), o ministro virá a Natal para detalhar como será a atuação dos militares.

Segundo a assessoria de comunicação social do Exército no RN, a maior parte dos militares que irão às ruas já está no Estado. “São militares que servem aqui em nossos batalhões e pelotões. Haverá reforço de outros militares vindos da Paraíba e de Pernambuco. Mas ainda vamos receber essa diretriz e, diante do que diz esse documento, traçar como será a atuação dos nossos homens”, explicou.

O Rio Grande do Norte vem sofrendo uma onda de ataques criminosos desde a sexta-feira (29). No domingo (31), o governador Robinson Faria comunicou que solicitou auxílio de tropas federais. Na noite do mesmo dia, o presidente em exercício Michel Temer, anunciou que liberou o envio do reforço militar.

Ataques
Por quatro noite seguidas, o Rio Grande do Norte é alvo de ataques criminosos. Entre a noite de segunda (1º) e a manhã desta terça (2), novos atentados aconteceram em Natal e região metropolitana, além de cidades do interior. A instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária de Parnamirim é apontada pelo governo como motivo dos ataques. Desde sexta (29), já foram registrados 74 atentados no estado.

Ônibus
Os ônibus urbanos de Natal começaram a sair das garagens às 5h30 desta terça (2). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Rio Grande do Norte(Sintro/RN), 70% da frota está nas ruas. Os ônibus serão recolhidos as 21h30. Segundo o Seturn, nesta quarta (3) toda a frota deverá ir às ruas normalmente.

Segundo o Seturn, nove ônibus já foram atacados somente em Natal. Os prejuízos já passam dos R$ 2 milhões. A frota de ônibus na capital potiguar é composta por 712 veículos, que são utilizados diariamente por mais de 700 mil pessoas.

Prisões e transferências
Com a prisão dos dois homens na base da PM do Planalto, chega a 67 o número de presos suspeitos de envolvimento com os ataques que vêm acontecendo no estado. Nesta segunda,cinco detentos apontados pelo Governo do Rio Grande do Norte como chefes da facção criminosa que reivindica os ataques foram transferidos para a penitenciária federal de Mossoró.

De acordo com o governador Robinson Faria, os presos transferidos foram identificados pelo setor de inteligência da polícia potiguar após terem celulares monitorados. Ainda de acordo com o governador, outros vinte detentos serão transferidos para presídios federais em breve.

Na manhã desta terça, a polícia potiguar anunciou a prisão de Daniel Silva de Carvalho, apontado como sendo o “número 2” da facção que reivindica os ataques criminosos que vêm sendo registrados. Além dele, foi presa Islania de Abreu Lima, que também seria uma das chefes da quadrilha. Os dois foram presos em cumprimento a mandados de prisão.