Defesa de Lula tenta criar novo embaraço para a justiça que julga Lula

LULA: março deve ser um mês decisivo para as pretensões eleitorais do ex-presidente  / Leonardo Benassatto/ Reuters
Lula: o julgamento pode deixar o petista muito próximo da prisão (Leonardo Benassatto/Reuters)

Não havendo mais o que fazer quanto a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a sua defesa tenta causar embaraço para conseguir protelar os procedimentos judiciais.

Os advogados de Lula alegaram que precisavam organizar o deslocamento até Porto Alegre para acompanhar o julgamento. Eles pediram ao juízo que o TRF4 comunicasse a eles, os advogados, cinco dias antes de ser julgado o Embargo de Declaração, um recurso para analisar possíveis omissões da parte do juízo.

O artigo 100 do Regimento Interno daquele tribunal define que o julgamento dos Embargos de Declaração independe de pauta, sendo o recurso incluído em mesa para julgamento, com notificação diretamente no eproc, sem efeito de intimação. Diz o desembargador Gebran.

Conforme o juiz, cabe à defesa acompanhar o trâmite e tomar conhecimento da data do julgamento diretamente no eproc. (sistema eletrônico)

Os advogados de Lula entregaram o Embargo de Declaração no dia 20 de fevereiro contra o acórdão do Tribunal da Lava Jato. Por meio do recurso, a defesa questionou o que classifica de obscuridades nos votos dos desembargadores da Corte de apelação da Operação Lava Jato.

 

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/trf4-nega-a-defesa-de-lula-pedido-para-aviso-de-julgamento/

 

Leave a Comment