Deputados garantem apoio a ações contra criminalidade no Rio Grande do Norte

unnamed (5)

Os deputados estaduais, durante sessão extraordinária desta segunda-feira (1º), se pronunciaram sobre o atual momento da segurança pública no Rio Grande do Norte e os recentes ataques de badidos no estado. Os parlamentares garantiram apoio às ações de combate e cobraram trabalho direcionado à solução definitiva do problema.

O presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), leu nota oficial da Assembleia Legislativa, que garante o apoio dos parlamentares no combate à crise. Para o deputado, é preciso a união entre os Poderes para que se possa chegar a uma solução efetiva.

“É preciso unir forças de todos os poderes – Legislativo, Executivo, Judiciário, bem como o Ministério Público, e demais instituições – para colaborar e apresentar ações de combate à violência. Nos colocamos à disposição do Governo e da sociedade para encontrar soluções. Estamos solidários às ações de Segurança e os 24 deputados irão apoiar todos os projetos de combate ao crime, ao mesmo tempo em que torcemos para que a proteção às pessoas seja imediatamente retomada em todo o Rio Grande do Norte”, disse Ezequiel Ferreira.

Em pronunciamento, o deputado Kelps Lima (SDD) preferiu não apontar culpados para a crise no sistema prisional e na segurança pública, mas disse que é preciso uma rediscussão sobre o modelo de gestão pública no Rio Grande do Norte e em todo o país. O parlamentar comparou a crise na área de combate à criminalidade com os problemas enfrentados em outras áreas, como Saúde, Educação e de infraestrutura. Para ele, todas as áreas passam por sérias dificuldades devido ao modelo de gestão implantado em todo o país.

“Há uma falência da máquina pública. A diferença (entre as áreas) é que atinge públicos diferentes. O que conclamo é que nós precisamos rediscutir a máquina pública potiguar. Temos que limitar, sim, os gastos, gastar melhor, e saber que o Poder Público tem que servir a todos os potiguares”, disse Kelps, que também elogiou as atitudes tomadas para o combate à crise.

O entendimento de Kelps Lima foi semelhante ao do deputado José Dias (PSDB), que também enalteceu a nota apresentada pelo deputado Ezequiel Ferreira em nome dos demais parlamentares. Na opinião do tucano, a divisão entre os recursos públicos no país e a própria Constituição não contribuem para que os serviços à população e o combate à criminalidade pelos estados sejam eficazes.

“Minha esperança não morreu, mas temos uma grande missão pela frente e dependemos de um esforço coletivo”, opinou José Dias.

Também comentando a situação da crise de segurança, o deputado Hermano Morais (PMDB) disse que é preciso seguir com o enfrentamento e não se pode recuar. Enaltecendo o trabalho dos policiais e demais profissionais da segurança, Hermano disse que as posições políticas não podem ser empecilhos no momento de combate à criminalidade.

“Sou deputado de oposição, mas quero manifestar meu apoio ao Governo para tomar as medidas corretas, mas que continuem sendo medidas de enfrentamento. Não podemos baixar a cabeça. Que possa ser devolvida a tranquilidade aos cidadãos potiguares”, declarou o deputado.

Os deputados George Soares (PR) e Fernando Mineiro (PT), por outro lado, defenderam a necessidade de investimentos em políticas públicas para evitar o crescimento da criminalidade. O parlamentar do PR cobrou ações de enfrentamento também em Assu e afirmou que é preciso buscar trabalhos para ressocialização e combate às drogas para redução de índices de violência.

“O Governo precisa dar um norte à segurança pública, sem acusar governos passados. Faço o apelo a essa Casa para que discuta e cobre do Governo investimento no combate às drogas, que é onde está a manutenção dessa criminalidade. Porém, na atual situação, é preciso o combate imediato e peço que também mandem tropas para o interior do estado, em especial para Assu, que foi alvo de ataques e é uma cidade-polo da região”, disse George Fernandes.

Já Fernando Mineiro usou a palavra para elogiar o trabalho da polícia, mas criticando a falta de estrutura, condições de trabalho, de investimento em inteligência, em preparo e capacitação permanente dos policiais. Garantindo que apoia todas as ações tomadas para debelar esses ataques, o deputado pede a implementação de políticas públicas conjuntas para diminuir a onda de violência e que sejam destinados recursos para as melhorias da área de segurança.

“É necessário pensar a questão da segurança à luz de outras políticas públicas, que é o que temos falando constantemente, junto à população. É preciso que essa Casa, ao debater o orçamento de 2017, dê uma atenção mais profunda à questão da segurança”, disse Mineiro, sugerindo ainda que o Governo convoque os prefeitos das cidades onde estão ocorrendo ações para discutir e participar do combate à criminalidade.