Deputados reforçam a necessidade de união política contra o coronavírus

A preocupação dos deputados estaduais com a Covid-19 no Rio Grande do Norte tem crescido a cada dia e a busca por soluções tem sido uma constante entre os parlamentares. Em mais uma sessão ordinária por videomonitoramento, realizado nesta quinta-feira (21), a pandemia seguiu como pauta principal.

O deputado e médico Vivaldo Costa (PSD) ressaltou mais uma vez o trabalho que vem sendo realizado no Hospital Regional do Seridó, localizado em Caicó, especializado no atendimento de pacientes vítimas da Covid-19. Segundo o parlamentar o que falta agora é a união dos 25 prefeitos da região, para que os serviços continuem sendo realizados a contento.

“Hoje a situação ainda está confortável, mas todos os dias chegam pacientes de todas as cidades da região Seridó. Se todos os prefeitos colaborarem e contribuírem através de uma pactuação ou de um possível consórcio, ficaremos mais tranquilos e a população terá garantia de atendimento, caso precise”, ressaltou.

Vivaldo sugeriu que essa convocação seja feita pela Governadora Fátima Bezerra e que ela, pessoalmente, lidere esse mutirão em favor da vida. “Esse é um trabalho que deve ser feito pela própria governadora. Com essa união ganhamos todos. Mas antes de mais nada, estaremos salvando vidas”, sugeriu Vivaldo.

O parlamentar lembrou ainda que está cobrando por que já fez a sua parte. “Destinei R$ 200 mil em emendas parlamentares para o Hospital Regional do Seridó, por entender que é preciso a união de todos nesse momento de dificuldade”, convocou.

Em consonância com o colega, o deputado Ubaldo Fernandes (PL) destacou a liberação de R$ 200 mil reais em emendas, oriundas do seu mandato para os municípios de Natal e Tangará. Ele explicou que os recursos já estão nos cofres dos referidos municípios.

“Como forma de colaborar no combate à Covid-19, destinamos metade dos recursos para compras de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para o município de Tangará e para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Natal (SAMU)”, informou.

Ubaldo Fernandes ressaltou o esforço do Governo do Estado em atender aos requerimentos dos deputados, ao se referir à reabertura dos serviços do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RN). “Mesmo de forma gradativa e seguindo todas as orientações das autoridades de saúde, a volta de algumas atividades do Detran vai ser muito importante e vai evitar o acúmulo de processos, atendendo e a necessidade da população em ter acesso aos serviços oferecidos por aquele órgão”, comemorou.

Durante a sessão ordinária por videomonitoramento, o deputado Francisco do PT falou sobre dois projetos de Lei, de sua autoria, protocolados na Assembleia Legislativa que tratam de proteger e fortalecer os direitos das mulheres, crianças e adolescentes e os profissionais da linha de frente no combate ao coronavírus.

O primeiro dispõe sobre a gratuidade e prioridade na renovação de documentos das mulheres em situação de risco, violência doméstica e familiar e bem como das crianças e adolescentes sob sua guarda ou responsabilidade. Já o segundo projeto determina prioridade na realização de testes e na adoção de medidas imediatas para preservar a saúde dos profissionais, considerados essenciais no combate ao coronavírus.

“Esses projetos visam, antes de mais nada, proteger a mulher do aumento dessa violência que vem crescendo nesse momento de pandemia e facilitar o cuidado daqueles profissionais que estão na linha de frente no combate ao coronavírus”, explicou.

Francisco do PT finalizou sua participação celebrando o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o que considerou uma medida acertada do Ministério da Educação.

Ainda pautados pelo tema Covid-19, o deputado Coronel Azevedo (PSC) destacou mais uma ação do Governo Federal que vai permitir a abertura de mais 251 novos leitos de UTI no Rio Grande do Norte. Segundo o parlamentar, os municípios beneficiados serão: Natal, Caicó, João Câmara, Macaíba, Mossoró, Extremoz, Parnamirim, Pau dos Ferros, João Câmara e São Gonçalo do Amarante.

“Com essa medida o RN estará credenciado a receber mais R$ 36 milhões do Governo Federal no combate à Covid-19.  É o Governo Federal agindo em prol da população, sem primeiro fazer propaganda enganosa dos governos passados. É esperar, que no mínimo, o Governo do Estado e as prefeituras deem esse crédito ao Governo Federal”, informou.

A deputada Isolda Dantas (PT) fez um breve comparativo da situação do Brasil com a Argentina, levando em conta os comportamentos dos presidentes dos dois países. A deputada destacou que, guardando as devidas proporções, se o presidente da Argentina tivesse seguido o mesmo comportamento do presidente Jair Bolsonaro, naquele país já haviam sido registrados mais de 1.600 mortos. Os dados oficiais daquele país informam que o número de mortes registrado chega a 382. De acordo com a parlamentar, a diminuição dos números se deu em virtude do presidente daquele país ter seguido rigorosamente as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), ao contrário do presidente do Brasil.

“As quase 19 mil mortes no Brasil tem o carimbo do Governo Bolsonaro. Se o governo da Argentina tivesse agido como o Governo Bolsonaro, ou seja, não confiasse na ciência e confiasse no seu fanatismo, no seu ódio e na sua extrema direita, a Argentina estaria com números estrondosos. Isso fez a diferença. O Brasil tem hoje quase 19 mil mortes e não são só números e não podemos nos acostumar com eles”, ressaltou.

Isolda disse ainda que é preciso cobrar uma postura séria e que as orientações da ciência sejam seguidas pelo presidente Jair Bolsonaro. “Temos que cobrar do presidente ações mais concretas, assim como fizeram os países que estão combatendo essa pandemia de forma séria e evitando um maior número de mortes. O comportamento e as declarações do presidente Jair Bolsonaro agridem não só aquelas 19 mil famílias brasileiras que perderam seus entes queridos, mas a todos nós”.

O deputado Albert Dickson (PROS), informou que protocolou dois projetos de lei na Assembleia Legislativa obrigando as prefeituras a oferecer a cada paciente diagnosticado com coronavírus, um kit contendo as medicações: hidroxicloroquina, azitromicina e zinco.

“Como médico tenho tratado centenas de pacientes e temos tido um efeito positivo na administração dessas substâncias no período inicial da doença. O problema é que esses medicamentos estão em falta nas farmácias do RN e, tanto as prefeituras como o Governo do Estado teriam mais facilidade em adquiri-los”, justificou.

Albert destacou que o projeto deve ser apreciado pelos parlamentares e votado o mais breve possível, devido a sua importância.

“A administração dessas medicações e a cura da doença no estado inicial traz como resultado o menor número de pessoas nos leitos de UTI, que já estão ficando escassos. Mas para que os médicos prescrevam-nas é necessário que exista o medicamento no mercado ou nas farmácias das unidades de saúde”, ressaltou.

Leave a Comment