Desafios da mulher contemporânea marcam Sessão Solene na Assembleia Legislativa

Crédito das Fotos: João Gilberto

As lutas e vitórias foram reconhecidas, mas foram os desafios que pontuaram a Sessão Solene que a Assembleia Legislativa realizou em homenagem ao Dia Internacional da Mulher nesta sexta-feira (9). A proposição foi das deputadas Márcia Maia (PSDB), Cristiane Dantas (PCdoB) e Larissa Rosado (PSB), que fizeram homenagem a três mulheres de destaque na sociedade potiguar.

“Todos os dias, percebo que não há tempo para esmorecer. Não há tempo para nos demorarmos em comemorar as conquistas. A nossa luta não pode, nem por um minuto, parar. Certa vez, em uma de minhas leituras sobre o tema, vi uma definição sobre como machismo está arraigado nas entranhas da sociedade”, destacou a deputada Márcia Maia (PSDB).

Para Cristiane Dantas, deter o avanço da violência sobre as mulheres é desafio mais urgente. “Desde que lancei a Frente Parlamentar da Mulher em 2017, com a parceria das colegas deputadas aqui presentes, órgãos públicos e movimentos feministas, essa tem sido a principal questão tratada nas audiências públicas realizadas em várias cidades do interior do Estado: o combate à violência doméstica”, declarou a parlamentar.

Larissa Rosado enfatizou a necessidade das mulheres crescerem na representação política. “Aqui mesmo nessa Casa somos três de 24. E isso se repete nas câmaras municipais. Precisamos encorajar nossas mulheres a participar da política para avançar nas lutas e não apenas para participar para cumprir cota”, enfatizou a deputada.

Foram homenageadas a agente de saúde Francisca das Chagas Simplício de Souza, que tem reconhecido trabalho comunitário na zona Norte de Natal; Dionízia Maria da Conceição, Dona Diá, agricultora e ex-coordenadora do MST e a professora Udymar Pessoa Dantas Cardoso, servidora pública de Natal há 33 anos e que deixou uma mensagem de encorajamento.

“A professora Elisabeth Nasser me ensinou uma preciosa lição que carrego até hoje e passo para vocês. A mulher de nossos tempos só tem dois caminhos a seguir: ou o do medo ou o da coragem. Eu escolhi o da coragem”, encorajou Cardoso.