Devido a ataques, ônibus terão escolta durante a madrugada em Natal

ônibus serão escoltados pela Guarda Municipal durante a madrugada (Foto: Fred Carvalho/G1)
ônibus serão escoltados pela Guarda Municipal durante a madrugada (Foto: Fred Carvalho/G1)

G1 – Nesta quinta-feira (04), as linhas do transporte público da capital realizará a última viagem às 22h. A informação é da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) da capital. Durante a madrugada, os ônibus terão escolta da Guarda Municipal. A decisão foi tomada, segundo a STTU, em conjunto com o Sindicato das Empresas de Transporte (Seturn), dos Rodoviários (Sintro) e Guarda Municipal (GMN).

“É bom deixar claro para população que a última partida do terminal é às 22h, e não o recolhimento. Os ônibus irão até os seus destinos e voltarão aos bairros e, dai, serão recolhidos” esclareceu a secretária da STTU, Elequicina Santos. Ainda de acordo com a secretária, os ônibus devem passar nas regiões de maior aglomeração entre 22h30 e 23h. “Pedimos para que a população não deixem para ir para as paradas em cima da hora”, ressaltou.

Após as 22h, as linhas corujão serão acionadas. “Às 23h sai a primeira viagem das linhas corujões, que realizarão mais uma viagem depois desta”, informou o secretário adjunto de Transportes, Clodoaldo Cabral. Estas viagens contarão com escolta de viaturas da Guarda Municipal, garantiu Alberfran Câmara Grilo – que é subcomandante da instituição. “Depois desta operação, iremos para as garagens acompanhar a saída do transporte nas primeiras viagens”, garantiu.

Segundo Júnior Rodoviário, tendo segurança, os rodoviários não recolherão a frota. “Esta operação é caso a normalidade seja mantida. Se houver novos ataques, vamos recolher”, informou.

Funcionamento na sexta-feira
De acordo com Clodoaldo Cabral, o funcionamento do transporte público nesta sexta-feira (5) ocorrerá normalmente. “As linhas iniciarão a operação às 4h e seguirão normalmente até a última viagem e com 100% da frota na rua, caso não ocorram novos ataques”, informou.

Ataques
A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed) registra 106 ataques em 36 cidades do Rio Grande do Norte desde a tarde da última sexta-feira (29). Até a manhã desta quinta, 100 pessoas foram presas suspeitas de envolvimento nos ataques.

A instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária de Parnamirim, na Grande Natal, é apontada pelo governo como motivo dos atentados.

Motim
Na noite desta quarta, os detentos da Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal, fizeram um motim. Os presos empilharam colchões no pé do muro e atearam fogo, segundo o secretário estadual de Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino, pois “o objetivo era que as chamas atingissem o transformador ou a própria torre onde foram os instalados os bloqueadores de celular”. O Corpo de Bombeiros apagou o fogo.

Não houve registro de feridos e o motim foi controlado, e a Polícia Militar não soube informar se os bloqueadores foram danificados. Os aparelhos serão avaliados nesta quinta (4).