Dilma pede combate a mosquito enquanto não há vacina contra Zika

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (21) em Recife (PE), durante a inauguração da pista leste da Via Mangue, que é preciso combater o mosquito Aedes aegypti enquanto não houver a vacina contra o Zika vírus, apontado como responsável pelos casos de microcefalia registrados no país desde o fim do ano passado.

“A gente só vai conseguir ter o combate e sair vitorioso se a população se engajar. Por mais esforços que façamos, sempre é possível ter água parada que nós não vimos. Daí, quem tem mil olhos? A população. E ela também pode nos ajudar para que a gente, enquanto não temos a vacina, enquanto não podemos fazer um combate mais agressivo a ele [vírus], que a gente tire as condições de reprodução do mosquito”, disse a presidente.

No discurso, que durou cerca de meia hora, Dilma elogiou o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), por terem adotado “ações protagonistas” no combate ao Zika.

À plateia, a presidente também disse ser preciso assegurar a conscientização da população para que não deixe água parada, o que contribui para a proliferação do mosquito transmissor do vírus.

ALCA_PONTE
A conclusão da obra vai beneficiar a capital pernambucana e metropolitana de Recife. O trecho conta com faixa exclusiva de ônibus e ciclovia. Foto: Divulgação URB Recife.

“Nós temos de fazer todo esforço e o Ministério da Saúde está vendo, com todos os grandes laboratórios brasileiros e internacionais, como faremos para ter a vacina, não só contra o vírus da dengue, mas também contra o Zika”, disse a presidente.

Ao iniciar a fala sobre o assunto, ela se confundiu e pediu que haja o combate contra o “vírus do mosquito zika”.

Conforme a Secretaria de Comunicação Social, ao retornar a Brasília na tarde desta quinta, Dilma receberá no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, o ministro da Saúde, Marcelo Castro. Procurado pelo G1, o ministério disse que ele foi convocado pela presidente e, em razão disso, cancelou uma agenda que teria na Paraíba.

Economia
Dilma dedicou parte do discurso desta quinta a uma avaliação da crise econômica. Para ela, o momento da economia é “crítico”, mas o governo tem de trabalhar para reequilibrar as contas públicas, reduzir a inflação e retomar os investimentos.

“Nós estamos, neste ano que passou, 2015, e agora nesse início de 2016, enfrentando grandes desafios e enfrentando também uma situação bastante instável no mundo. O mundo hoje passa também por um momento crítico. O nosso objetivo neste momento é reequilibrar o orçamento do país, reduzir a inflação e reconstruir a capacidade de investimento público e privado no país”, declarou.

“E eu estou confiante de que, neste ano, nós vamos lançar a terceira fase do Minha Casa, Minha Vida e, com isso, a gente vai ajudar milhões de pessoas a ter acesso à casa própria. Nós também vamos fazer concessões e vamos continuar apoiando todas as iniciativas de segurança hídrica em relação à seca”, acrescentou  presidente.

G1