Diretor do Butantã diz que uma morte entre os testados com a CoronaVac pode não ter sido por causa dos efeitos

Anvisa interrompe os testes da vacina chinesa Coronavac
Divulgação/Gov SP

A Anvisa suspendeu os testes da vacina CoronaVac que está em parceria com o governador de São Paulo, João Dória, para massificar as vacinações em todos os paulistas. A vacina estava sendo testada pelo Instituto Butantã.

Ocorreu que entre os dez mil voluntários, segundo reportagem do G1, um deles morreu. Mas o diretor do Butantã, Dimas Covas, disse que o voluntário que tinha apenas 33 anos pode não ter morrido por reação da vacina.

Veja a fala dele dita à TV Cultura, reproduzida pelo G1

“Como são mais de 10 mil voluntários nesse momento, podem acontecer óbitos. Nesse momento, [o voluntário] pode ter um acidente de trânsito e morrer. Ou seja, é um óbito não relacionado à vacina. É o caso aqui. Ocorreu um óbito que não tem relação com a vacina”, disse Dimas Covas para a TV Cultura.

E aí, você acredita na vacina chinesa?

Leave a Comment