Em 2011, chuva na Região Serrana de Petrópolis deixou mais de 900 mortos – Imagem de 2011

Carro fica pendurado após deslizamento de terra em Nova Friburgo, em 14 de janeiro  — Foto: Marcos de Paula/Agência Estado
Carro fica pendurado após deslizamento de terra em Nova Friburgo, em 14 de janeiro — Foto: Marcos de Paula/Agência Estado

A região serrana do Rio de Janeiro foi alvo da maior tragédia climática da história do Brasil, quando a chuva que caiu no dia 11 de janeiro de 2011 deixou mais de 900 mortos e quase 100 desaparecidos.

Os municípios mais afetados foram Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis.

Em apenas três horas, o volume de água ultrapassou a expectativa mensal para a região, provocando deslizamentos e enchentes.

Os dias seguintes a 11 de janeiro pareciam cenas de um filme: militares por toda parte; montanhas marcadas pelos deslizamentos; destroços, lama e poeira pelas ruas; bairros completamente devastados; imóveis que nunca se imaginaria que seriam abalados, ruíram; e o pior de todos os cenários: centenas de mortos que, até hoje, não foram encontrados.

Dez anos depois, em 2021, o governo do estado previa ainda o investimento de cerca de R$ 500 milhões em obras para revitalizar a região.

G1