Em depoimento a Moro, Dilma fala sobre indicação de Bendine à presidência da Petrobras

Resultado de imagem para Dilma depondo a moro

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) prestou depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, na manhã desta sexta-feira (27).

Ela foi ouvida como testemunha de defesa no processo em que o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, é acusado de receber propina.

Ele está preso em Curitiba, desdeo 27 de julho, e responde por corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e embaraço à investigação. Dilma nomeou Bendine para a presidência da Petrobrás com a missão de acabar com a corrupção na estatal.

Ela falou sobre a nomeação dele durante o depoimento a Moro. “Eu convidei o doutor Bendini e eu disse a ele que, para mim, era importante que ele deixasse a presidência do Banco do Brasil e fosse para a Petrobras”, explicou.

A ex-presidente relatou que fez o convite quando Graça Foster decidiu que deixaria a presidência da estatal. Porém, Dilma deixou bem claro, ao longo do depoimento, que gostaria que Graça tivesse continuado o seu trabalho como presidente da Petrobras.

“Em um determinado fim de semana, não lembro a data, ela, em definitivo, disse que se afastaria e me pediu que eu tomasse uma providência. A Petrobras não podia ficar sem direção”, contou.

“Escolhi o doutor Bendine e o doutor Ivan [de Souza Monteiro] pelo desempenho que eles tinham tido diante do Banco do Brasil que era um elemento, para mim, bastante valioso”, acrescentou.

De acordo com Dilma, a atuação deles fez com que o banco, que estava em uma “situação frágil”, apresentasse “bons resultados”. Ainda de acordo com a ex-presidente, foi necessário persuadir Bendini a aceitar o cargo porque ele estava em uma “posição confortável” no banco.

“Houve uma necessidade de uma persuasão. Eu persuadi o doutor Bendini a aceitar, junto com o doutor Ivan. Por que era também complicado? Era a saída dos dois, mas eles tinham sucessores naturais, pelo que me informaram. E, aí, foi possível fazer uma transição muito rápida”, afirmou.

Fonte: https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/em-depoimento-a-moro-dilma-fala-sobre-indicacao-de-bendine-a-presidencia-da-petrobras.ghtml

Leave a Comment