Família de motorista de Uber morto em chacina no RN acredita que ele foi vítima de ‘queima de arquivo’

Jebson Pedro Barbosa Nascimento, de 30 anos, é uma das quatro vítimas da chacina ocorrida na noite desta terça-feira (23) dentro de um kitnet em Nova Parnamirim, bairro de Parnamirim, cidade da Grande Natal. Técnico em enfermagem, fazia três meses que ele trabalhava como motorista de Uber. E foi fazendo um corrida que Jebson foi parar no condomínio onde aconteceu a matança. “Foi queima de arquivo”, disse um primo do motorista em entrevista à Inter TV Cabugi.

Ainda de acordo com o primo, que pediu para não ser identificado, Jebson estava com o carro estacionado em frente ao condomínio, aguardando o pagamento de uma corrida, quando os criminosos se aproximaram, o tiraram do veículo, obrigaram que ele entrasse no kitnet e o mataram juntamente com os outras três vítimas que estavam no imóvel.

Os três homens mortos na chacina ainda não foram oficialmente identificados. Os corpos aguardam reconhecimento de parentes no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), em Natal.

“Creio que mataram ele porque estava no momento errado no lugar errado. Arrancaram ele de dentro do carro e o executaram. Tanto que o carro dele ficou aberto, com a chave na ignição, com carteira e celular dentro”, afirmou o primo de Jebson.

A chacina

O kitnet onde aconteceu a chacina fica em um condomínio na rua Grossos, próximo da Casa de Pedra, local bastante conhecido em Nova Parnamirim. Vizinhos relataram ter ouvido os tiros por volta das 23h30. A polícia foi chamada e, ao chegar ao local, encontraram os quatro corpos. Também havia drogas dentro do imóvel.

Testemunhas disseram aos policiais que dois homens chegaram ao condomínio e tiveram a entrada liberada. A polícia também informou que não havia sinais de arrombamento na porta do kitnet.

O caso será investigado pelo 2º Distrito Policial de Nova Parnamirim.