Governador Robinson depois de mostrar indignação na TV com a insegurança do RN, faz mudança pífia

Quando vi a entrevista do governador Robinson de Faria na Inter TV Cabugi, pensei que as mudanças seriam de uma proporção bem válida para os momentos vividos na insegurança do Estado. Mas com a saída apenas do comandante da Polícia Militar, vejo que é uma mudança tão pífia quanto à saída de Dinorá, que teve de sair de Alcaçuz no início de 2015.

Nada vai mudar!

Faz-se necessário reconhecer que o ano de 2015 foi muito violento; invés de ficar apresentando um percentual comparado ao ano de 2014. Foram mais de 1500 homicídios em 2015, e isso é muito serio. O trabalho de uma boa segurança requer uma “Tolerância Zero”.

Do G1 RN

Governador do RN anuncia saída do comandante-geral da PM
Governador reuniu cúpula da segurança pública nesta quinta (21) (Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi)
Governador reuniu cúpula da segurança pública nesta quinta (21) (Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi)

Em reunião com a cúpula da segurança pública do estado, o governador Robinson Faria anunciou na noite desta quinta-feira (21) a saída do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ângelo Mário de Azevedo Dantas. Até a publicação desta matéria o governador não havia anunciado o nome do substituto para o cargo.

“Eu vou mudar todo o comando da PM. Com todo respeito ao ex-comandante, coronel Ângelo, e ao subcomandante, mas infelizmente a Polícia Militar, apesar da boa vontade e da honestidade, ela não se adequou a velocidade que a população e o govenador esperava no combate à violência”, disse Robinson Faria.

Ele disse ainda que procura um comandante “com perfil de liderança e com capacidade de interpretar esse momento difícil, que seja combativo, que ofereça respostas rápidas para a população e que não fique procurando culpados que ele próprio vá para a linha de frente”.

A reunião foi convocada após a a morte da universitária Maria Karoline Álvares de Melo, de 19 anos, que foi assassinada a tiro durante um assaltona Zona Norte de Natal na quarta-feira (20), e ainda após uma nova fuga na Penitenciária de Alcaçuz. Em entrevista ao RNTV nesta quinta-feira, o governador afirmou que estava se “sentindo desafiado” diante à onda de violência no estado