Governo tem pressa para votar reforma da Previdência

Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Deputado Arthur Maia está sendo pressionado por diferentes categorias do funcionalismo público (foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil )

O relator da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS/BA), está sendo pressionado por diferentes categorias do funcionalismo para fazer mudanças no texto que alteram as regras para a aposentadoria.

Diante desse quadro, o presidente Michel Temer está pedindo para que seus aliados votem logo o relatório de Maia. Após a votação na comissão, a matéria seguirá para ser votado em plenário e, se aprovado, será encaminhado ao Senado.

Se o Senado aprovar o texto como ele for aprovado pela Câmara, o texto será promulgado pelas Mesas da Câmara e do Senado. Caso ocorra alteração na proposta, volta para a Câmara para ser votada novamente.

Inicialmente, o relator defendia aposentadoria com idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, da iniciativa privada e também para o poder público. Já reduziu o patamar das mulheres para 62 anos. Também abriu algumas exceções, diferenciando a Polícia Federal, cuja idade mínima para requerer a aposentadoria ficaria em 55 anos.

Os policiais legislativos federais pressionam para alcançar o mesmo benefício. Os policiais legislativos federais fazem a segurança das dependências da Câmara dos Deputados e do Senado, além da escolta dos presidentes das duas casas legislativas. Hoje, são cerca de 500 policiais legislativos na ativa e que serão afetados pelas mudanças.

Reunião

Oficialmente, não há reunião agendada para a comissão especial da reforma da Previdência para esta quarta-feira. No site da Cãmara não consta reunião da comissão para esta quarta-feira

Entretanto, extraoficialemnte, o encontro poderá acontecer na manhã esta quarta-feira, às 9h30, se prevalecer a avaliação de aliados do governo federal que o texto começa a ser desfigurado diante das pressões de diferentes categorias do funcionalismo público.

Nessa terça-feira (2), agentes penitenciários invadiram o Ministério da Justiça em protesto contra a reforma da Previdência.

Também nessa terça-feira, servidores públicos de diversas categorias e representantes dos aeronautas fizeram um corpo a corpo durante a sessão do comissa especial da reforma da previdência. Eles reivindicaram muadnças em benefício desses trabalhadores.

 

Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2017/05/03/interna_politica,866599/governo-tem-pressa-para-votar-reforma-da-previdencia.shtml