Hotelaria do RN tem ocupação média de 52% em julho e ABIH projeta crescimento ‘gradual

Via Costeira concentra boa parte dos leitos de hotéis em Natal — Foto: Divulgação/ABIH
Via Costeira concentra boa parte dos leitos de hotéis em Natal — Foto: Divulgação/ABIH

A rede hoteleira do Rio Grande do Norte teve uma ocupação de 52% nos principais destinos do estado no mês de julho. O dado está na pesquisa mensal da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RN, que foi divulgada nesta sexta-feira (13).

Os principais destinos turísticos do estado são Natal, Pipa e Tibau do Sul, e também São Miguel do Gostoso.

“A hotelaria do RN começa a registrar uma lenta recuperação, impulsionada pelo turismo regional, ou seja, aquele de final de semana. Os municípios de apelo lazer contaram com uma ocupação mais instável neste mês. Já os hotéis com apelo corporativo ainda não apresentaram uma recuperação, devido às restrições ainda em vigor devido à pandemia, ocasionando a falta de eventos e fluxo corporativo”, explicou Abdon Gosson, presidente da Abih.

“Esperamos que com o avanço da vacinação e a queda no número de internações, em breve estaremos aumentando esses números”, frisou.

O resultado ainda é considerado abaixo do ideal. Porque a média anterior à pandemia para um mês como julho, que também é de férias escolares e recesso, era de 80%. “Tem muitos hotéis que estavam com 30% de ocupação, ou no máximo 60%. Mesmo assim é um motivo pra gente comemorar”, disse Abdon Gosson.

“Até maio, a ocupação média não passava de 20%. E um hotel para se pagar precisa de uma ocupação média de no mínimo de 45% a 50% para pagar os custos. Então, a hotelaria ainda está trabalhando muito no vermelho, alguns no amarelo, quase ninguém no verde. E, se tivesse verde, é muito pouquinho. É um momento bom, de recuperação”.

Comparado com o mesmo período de 2020, a Abih considerou os números satisfatórios, já que no ano anterior 80% dos hotéis estavam fechados por causa de um cenário mais crítico da pandemia no estado.

Perspectivas

A perspectiva é de que no final de ano esses números melhorem, segundo a ABIH, com boa parte da população já vacinada contra a Covid e a malha aérea nacional operando em maior área a nível nacional.

“Cada dia que passa, cada semana, cada quinzena, e mês, a tendência é realmente de melhorar, porque as pessoas estão se vacinando”, diz o presidente da ABIH, Abdon Gosson.

“Então há uma tendência forte e a gente já esta sentindo isso pelas solicitações – não as vendas – de outubro pra frente, por parte de operadores, agências que solicitam grupos, reservas individuais. As pessoas procurando mais”, pontua.

O presidente da associação aponta que há um otimismo principalmente para o fim de ano, réveillon, e o verão do próximo ano. “A gente espera que o réveillon desse mês de dezembro seja um dos melhores da história e a alta estação seja muito boa, do verão até o carnaval”.

O dirigente reforça que “o turismo vem sofrendo fortemente há um ano e meio” por conta da pandemia e que “não será da noite para o dia que se consegue retomar o que deixou de faturar e os empregos foram perdidos”.

“Há uma perspectiva de crescimento, a gente espera que seja gradual, porém consistente. Que a cada dia, a cada mês a gente tenha números melhores. A maior indústria geradora do nosso estado é o turismo e a gente precisa fazer com que esses pais e mães de família que precisam diretamente desses trabalhos voltem a um momento bom e de segurança”, pontuou.

G1RN

Leave a Comment