Motoristas e cobradores de ônibus entram em greve em Natal

Como alternativa para a população que depende do transporte público, alguns ônibus locados foram para as ruas (Foto: Wendell Jefferson)
Como alternativa para a população que depende do transporte público, alguns ônibus locados foram para as ruas (Foto: Wendell Jefferson)

Rodoviários de Natal entraram em greve nesta terça-feira (7). A paralisação é por tempo indeterminado. De acordo com Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro/RN), motoristas e cobradores exigem um reajuste salarial de pelo menos 10%. Já os empresários do setor, oferecem menos de 5%.

Natal possui uma frota efetiva de 623 ônibus. A categoria cumpre a lei de greve e mantém 30% da frota nas ruas. Em média, 530 mil pessoas utilizam o sistema diariamente.

A Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) autorizou táxis, transporte escolar e veículos de fretamento regulamentados pelo Departamento Estadual de Rodagem (DER) a realizarem o serviço de lotação. Já os ônibus intermunicipais estão circulando normalmente.

Inicialmente, o Sintro queria 15% de aumento no salário. Nesta segunda-feira (6), houve uma rodada de negociação e o sindicato dos rodoviários baixou o pedido de reajuste para 10%. Contudo, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Seturn) – que representa os empresários do setor – oferece 4,79%. “Sem acordo, a greve segue por tempo indeterminado. Contudo, estamos dispostos a negociar”, afirmou Júnior Rodoviário, presidente do Sintro.

Um motorista de ônibus em Natal recebe atualmente R$ 1.712,70; um cobrador, R$ 1.027,62. Os vales alimentação são de R$ 230 para motoristas e R$ 170 para cobradores.