Mulher lamenta a morte de ator que fez Pedrinho no ‘Sítio’: ‘Lutou bravamente’

pedrim pedrim (1)

A mulher de Daniel Lobo, o terceiro e último a interpretar o personagem Pedrinho na primeira versão para televisão do “Sítio do Picapau Amarelo”, em 1986, usou uma rede social para lamentar a morte do companheiro. Em uma publicação no Facebook, a regente de coral Flávia Sebold afirmou que o ator foi “um guerreiro” e que “lutou bravamente”.

app-facebook
Flavia Sebold

há 15 horas

Hoje uma parte de mim se foi.

Daniel Lobo, meu primeiro namorado, meu esposo, meu homem, meu amor.

Não sei como dizer a falta que você me faz.
Você foi um guerreiro. Lutou bravamente nestas últimas semanas.

Lutou bravamente hoje.

Você que me tornou mulher, foi o sol da minha vida. Trouxe alegria para os meus dias.
Aprendi o que é amor.
Te aceitei por inteiro. Lembra?
Te amei em todos os detalhes.

Semana passada no café da manhã você estava com uma leveza no semblante, estava feliz, com um sorriso leve e encantador.

Te amo para sempre.
Meu coração sempre estará com teu coração.
Nós não éramos dois, éramos um.
Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, no amor e na dor.

Vá em paz. Descanse meu amor.
Descanse com os anjos. Meu pai estará te ajudando e cuidando de você aí.

Te amo.
Saudades eternas.

 

O ator morreu, aos 43 anos, na noite desta quinta-feira, em Tubarão, no Sul de Santa Catarina, devido às complicações de um tumor no aparelho digestivo. Ao G1, a mulher disse que os sintomas do marido, com quem era casada há seis meses, começaram a aparecer há cerca de cinco semanas, quando ele passou a sentir um “mal-estar contínuo”.

Após descobrir que tinha um tumor, Daniel chegou a ser operado e queria manter seu tratamento em Tubarão, onde morava com a mulher. O casal planejava ter um filho ainda neste ano.

O velório de Daniel Lobo acontece, a partir das 15 horas desta sexta-feira, na Capela e Funerária Renascer, na Avenida Marcolino Martins Cabral, em frente à Igreja Santa Teresinha, em Tubarão. O enterro está programado para acontecer uma hora depois, no Cemitério Municipal de São Ludgero.

daniel

O ator, que se consagrou na primeira versão televisiva do “Sítio do Picapau Amarelo”, estava se dedicando ao teatro. Ele estava atuando e dirigindo a peça “Nise da Silveira – Guerreira da Paz”, que conta a história da psiquiatra de Alagoas discípula do psicanalista alemão Carl G.Jung. A peça chegou a ser encenada em Florianópolis, em junho do ano passado. Depois, foi para o Museu de Arte de São Paulo (Masp), mas foi interrompida depois que Daniel Lobo começou a ter complicações por causa do tumor.