O feminicídio aumentou 81,8% nos últimos três anos

Imagem capturada da Globo

O crime de feminicídio sofreu um aumento de 81,8% nos últimos três anos; mesmo tendo uma queda de 16% este ano. O crime que está tipificado no Código Penal, no Art. 121, que verbaliza o “matar alguém, foi mudado nos últimos anos por incluir os assassinatos das mulheres de forma separada dos demais assassinatos. Precisamente no parágrafo 7º desse artigo está positivado os crimes de mortes contra as mulheres.

Mesmo após a ferramenta da Lei Maria da Penha os crimes de assassinatos contra as mulheres continuaram a acontecer, já que a referida lei pode impedir algumas violências menores. Mas quanto as violências contra a vida, no caso, quando os parceiros estão determinados em matar suas companheiras, parece que a Lei Maia da Penha ainda não conseguiu intimidá-los.

Acreditamos que as penas para os crimes que interrompe a vida, seja dos homens, de crianças, de anciões e das mulheres deveriam ter um aumento mais considerado com o objetivo de alcançar uma maior punibilidade.

Pois o crime contra o patrimônio mediante o sequestro por extorsão seguido de morte da vítima tem uma punição bem maior, com a dosimetria de 24 a 30 anos. Não há aumento da pena final; mas um considerado aumento na pena inicial, o que não ocorreu com a chegada da Lei Maria da Penha. Pois está dosimetria já estava positivada nos homicídios qualificados, antes da referida Lei entrar em vigor.

O que a maioria dos professores e doutores penais verem é que o que houve de fato foi  apenas umas medidas políticas invés de atacar o problema de verdade.

 

Fonte: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/rntv-2edicao/videos/t/edicoes/v/numero-de-feminicidios-cai-16-no-rn-em-2018-nos-ultimos-tres-anos-o-aumento-foi-de-80/6929499/