Para delegado, morte de garoto em falésia na Grande Natal foi acidental

joao_XOzoB9D

Responsável pela investigação da morte do adolescente João Pedro Lima Pontes, de 14 anos, encontrado morto nesta terça-feira (15) em meio às falésias da praia de Cotovelo, no litoral Sul potiguar, o delegado Marcel Gouveia, da 2ª Delegacia de Parnamirim, disse acreditar que a morte do garoto foi um acidente.

De acordo com o delegado, o fato do corpo do adolescente ter sido encontrado ao lado dos pertences é um indicativo de que ele não foi alvo de uma ação criminosa. “Provavelmente trata-se de um fatídico acidente. Vamos esperar passar o momento de luto da família para voltar a ouvir os pais. Quando eu estive no local e conversei com familiares nos foi dito que ele era um menino bom e sem nenhum historico de depressão”, disse Marcel.

Já a família, acredita que foi um crime. “Nós acreditamos que foi assassinato. Ele não tinha envolvimento com nada errado, era muito inocente”, disse Marcos Pontes, pai do adolescente. João Pedro morava em Pium, localidade próxima à praia de Cotovelo. De acordo com Marcos, João era um menino tranquilo, obediente e estudioso. O adolescente completaria 15 anos em junho. “Ele tinha ido para escola pela manhã, fez as atividades da escola e saiu para caminhar na praia”, falou o pai.

“Encontramos as pegadas pela noite e fomos seguindo. Não eram apenas as pegadas dele que estavam no chão, ele estava sendo acompanhado por alguém, mas não sabemos quem. Ele saiu de casa desacompanhado. Não conseguimos chegar até o final porque em uma parte o barro é mais duro e as pegadas sumiram”, explicou. Apenas no início da tarde desta terça um familiar conseguiu, pela praia, chegar até o local aonde o corpo estava.

O corpo do adolescente de 14 anos foi encontrado no início da tarde desta terça-feira (15) em meio às falésias da praia de Cotovelo, no litoral Sul do Rio Grande do Norte. João Pedro estava desaparecido desde à noite desta segunda (14).

Do G1