Parlamento Jovem inicia nova Legislatura

unnamed

Durante um ano o estudante Bruno Oliveira Simonetti Marinho viveu uma experiência que certamente irá acrescentar na sua carreira na área do Direito, curso para o qual acaba de ser aprovado. Estudante do Marista, Bruno foi bem sucedido nas provas do Enem, e inscrito no Sisu, conquistou a vaga almejada na UFRN.

Em 2015 Bruno dividiu seu tempo entre os preparativos para o Enem e a presidência do Parlamento Jovem na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.O estudante foi um dos 24 parlamentares jovens do ano passado, eleito presidente pelos seus pares.Mais de 100 jovens já foram beneficiados pelo programa que integra a Assembleia à classe estudantil de Natal e de municípios do interior.

Prestes a deixar o mandato, vez que a nova legislatura jovem tem início na próxima segunda-feira, com a posse dos novos 24 deputados, Bruno Simonetti faz um balanço sobre sua participação no projeto.“Foi um ano de muito aprendizado em um universo totalmente novo, que antes para mim era tão distante. Você não imagina como funciona. Mas nesse ano deu para conhecer tudo, principalmente pela ajuda do pessoal da Casa que foi muito importante”.

O ainda presidente do Parlamento Jovem, Bruno Simonetti disse que durante o ano participou de cerca de 7 sessões, justificando que o ano em que se preparava para o Enem, e a agenda escolar foi bastante comprometida.

 Segundo o presidente que se despede do mandato, o mais importante dessa experiência foi a “exposição de realidades diferentes, de pessoas de várias regiões do Estado. Esse choque de realidades foi muito importante pois estudei sempre em escola particular, não sofri problemas estruturais, mas vivenciei a realidade de pessoas que estudaram em escolas e que levaram essa bandeira para o Parlamento”.

 Apesar de integrar uma família com tradição política, Bruno diz que não tem pretensão política, e que apesar da experiência, não pretende ainda ser um político. “Não sei se esse será um projeto futuro”, disse o estudante de Direito da UFRN, otimista em relação ao futuro do país.

 “Hoje em dia eu percebo o movimento estudantil mais atuante, o que era comum na ditadura, mudou a partir de junho de 2013, quando começou a haver maior participação das pessoas. Por isso não sou tão pessimista, apesar dos escândalos que estamos assistindo no país”, disse o estudante de 17 anos, deixando um recado para os futuros deputados jovens que serão empossados neste dia 7 de março.

“É uma experiência fenomenal e para as poucas pessoas que tem a chance, que aproveitem ao máximo as sessões, e não tenham ‘papas na língua’ na hora de colocar a voz na tribuna”, concluiu o presidente do Parlamento Jovem potiguar.