Páscoa chega com preços mais altos e o desafio de recuperar as vendas

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Preto, branco, gourmet, recheado ou com brinde dentro. Sobram opções para quem não abre mão do chocolate na Páscoa. Porém, os preços não andam nada doces. No caso dos ovos de supermercado, por exemplo, a alta chega a 40% neste ano.

Mesmo com a expectativa otimista para as vendas no varejo, o resultado de 2022 pode continuar abaixo do período pré-pandemia, segundo uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A projeção é que as vendas no setor deverão totalizar R$ 2,16 bilhões neste ano, representando um aumento de 1,9% em comparação a 2021. Ainda assim, o resultado ficará 5,7% abaixo do alcançado antes do início da crise sanitária, em 2019, com R$ 2,29 bilhões.

Esse panorama pode ser explicado pela alta da inflação, que já soma 10,79%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15). Não foi apenas a gasolina, mas os alimentos da cesta básica, carnes, verduras, legumes, laticínios e, ele, o chocolate também mostraram alta significativa nos últimos 12 meses.

Metrópoles / BG