Policiais Civis não aceitaram pedido de desculpas e querem processar o capitão Styvenson

Presidente do Sinpol, Paulo Macedo
Presidente do Sinpol, Paulo Macedo

Paulo Macedo, presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN (Sinpol), disse que o pedido de desculpas não foi bem recebido pela categoria. “Pede desculpas com arrogância de sempre”, declarou o sindicalista.

Já a presidente da Associação dos Delegados da Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva, afirmou que o assunto está sendo tratado entre as instituições e gestores. “Quanto às acusações generalizadas serão apuradas e providências legais adotadas”.

A polêmica gerada pelas declarações feitas no fim de semana pelo capitão Styvenson Valentim, comandante da Lei Seca, em que ele critica a atuação da Polícia Civil, não acabou após o pedido de desculpas do oficial em seu perfil do Facebook. O sindicato que resenta os policiais civis e escrivães afirmou ontem que vai acionar o setor jurídico para ingressar com uma ação contra Styvenson, além de oficiar o comandante geral e o corregedor da PM solicitando a apuração do caso.

As declarações do capitão ganharam os grupos de WhatsApp depois que um áudio enviado por ele a uma mulher que se envolveu em um acidente de trânsito vazou. A mulher estaria insatisfeita com o serviço prestado na DP, porque um advogado que colidiu o automóvel contra o dela teria sido liberado, mesmo estando sob efeito de álcool.

capitao-styvenson-e-enredado-por-estacionar-irregularmente-ele-nega1452866082

No áudio, Styvenson Valentim diz que tem policial civil e delegado ganhando demais e trabalhando pouco. “Preguiça, preguiça”, enfatizou o oficial. Após a repercussão, Styvenson Valentim publicou em seu perfil do Facebook um pedido de desculpas, no entanto reforçou, na mesma mensagem, as críticas sob a afirmativa de que se desculpava de alguns bons profissionais da PC.

“Aos outros profissionais delegados e agentes, que sempre nos atenderam, não por amizade, nem por aliança corporativista, mas sim pelo profissionalismo em cumprir sua função de maneira exemplar, o meu respeitoso perdão. Generalizar foi meu grande erro”, escreveu.

Apesar de se desculpar, o capitão alfinetou mais uma vez os agentes que teriam participado da ação que culminou na polêmica. “Mas, não retiro uma vírgula sequer sobre o que falei sobre alguns funcionários públicos, que recebem, alguns muito bem, e nada fazem pelo cidadão, muito pelo contrário, apenas apontam o dedo para quem tenta trabalhar por um país melhor”, criticou.

Paulo Macedo, presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN (Sinpol), disse ao NOVO que o pedido de desculpas não foi bem recebido pela categoria. “Pede desculpas com arrogância de sempre”, declarou o sindicalista.

Macedo disse ainda que o Sinpol acionou o setor jurídico para entrar com uma ação contra Styvenson Valentim por conta das declarações gravadas no áudio. O presidente do Sindicato disse que vai cobrar da PM a apuração do caso e que também quer que a Delegacia Geral de Polícia apure o que houve na ocorrência. “Não vamos colocar panos quentes”, reforçou.