Primeiro fim de semana do Uber em Natal é marcado por protesto e brigas

uber

G1 – O aplicativo de transporte individual Uber começou a funcionar em Natal na sexta-feira (26). Antes mesmo de iniciar a operação, houve um protesto promovido por taxistas contra o serviço.Os motoristas percorreram as principais avenidas da cidade, pararam em frente a sede da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) e cobraram a proibição do funcionamento do concorrente.

A primeira viagem em um carro utilizando o novo aplicativo foi feita pelos integrantes da banda potiguar Plutão Já Foi Planeta. Até o fim do sábado (27), pelo menos cinco carros do Uber haviam sido apreendidos pela STTU, que agiu com base em denúncias de taxistas. A categoria alega que protesta porque os motoristas do Uber não pagam os impostos necessários. Em nota, o Uber afirma que não concorda com as apreensões.

Segundo a STTU, as apreensões aconteceram por causa da não regulamentação municipal do serviço. Rogério Leite, chefe de fiscalização, disse que o transporte por meio do aplicativo é considerado clandestino. Já o Uber, alega que o serviço tem respaldo na Constituição Federal e é previsto em lei (Política Nacional de Mobilidade Urbana, PNMU).

Também no sábado, discussões entre os concorrentes aconteceram na capital potiguar. Um dos casos é o de um motorista do Uber que foi coagido por taxistas próximo a rodoviária da cidade, no bairro de Nazaré.

Já no domingo (28), um grupo de taxistas impediu que um turista utilizasse o novo serviço. Um carro cadastrado pelo Uber foi parado no bairro de Areia Preta e os taxistas obrigaram que o visitante saísse do veículo. Um vídeo publicado em uma rede social mostra o momento da abordagem. “Este tipo de protesto não funciona. Parem com isso”, disse o turista. Um taxista afirmou: “o Uber não vai ter vez aqui”.

Ainda no domingo, pelo menos oito taxistas foram levados para a Delegacia de Plantão da Zona Sul, onde foram autuados por usurpação da função pública e constragimento ilegal.

Audiência
Uma audiência pública está marcada para acontecer na manhã desta terça-feira (30) na Câmara Municipal de Natal para discutir a regulamentação ou proibição do Uber na cidade. Ao todo, três projetos de lei tramitam na Casa. Um deles, de autoria do prefeito Carlos Eduardo, prevê a proibição do funcionamento de aplicativos de smartphones para o transporte de pessoas de forma remunerada na capital potiguar.

Polêmica
Wdarlan Rodrigues, presidente do Sindicato dos Condutores de Táxis do RN, disse que é contra o funcionamento do Uber em Natal “porque é uma concorrência desleal”.

Uber
O aplicativo Uber começou a operar em Natal na sexta-feira (26). Segundo Fábio Sabba, diretor de comunicação da empresa, a oferta é apenas para a categoria X, que é a mais simples. O tempo de espera para os passageiros é de cinco minutos em áreas mais centrais. A tarifa inicial de utilização é de R$ 2,50 mais R$ 1,20 por quilômetro rodado, mais R$ 0,17 por minuto de utilização do serviço. O preço mínimo de corrida e a taxa de cancelamento é de R$ 6.

Para usufruir do serviço, o usuário precisa baixar o aplicativo, se cadastrar na plataforma, inserir o e-mail e dados do cartão de crédito. O pagamento das viagens é feito apenas por cartão de crédito. Após a corrida, o passageiro recebe no próprio e-mail o mapa do trajeto realizado, além de um recibo com os detalhes do preço final. Caso o passageiro precise reportar algum incidente, a Uber conta com uma equipe de suporte ao usuário que analisa caso a caso.

Um ponto importante é o sistema de  “avaliação de mão dupla” após cada viagem. Além de ser anônima, é ela que garante que a plataforma mantenha-se saudável tanto para motoristas parceiros quanto para usuários. Os motoristas precisam ter média de 4,6 (em uma escala de 1 a 5 estrelas) para continuar na plataforma. O usuário também pode ser desconectado da plataforma se tiver uma média baixa de avaliações ou conduta que viole os termos de uso.

Para se cadastrar como motorista parceiro, é preciso ter carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada e passar por checagem de antecedentes criminais em todos os estados do Brasil. Os carros precisam ser cadastrados com a apresentação de Certidão de Registro e Licenciamento do Veículo e Bilhete de DPVAT do ano corrente.