Renan amplia lista e inclui senador Luis Carlos Heinze entre indiciados da CPI

Sessão desta terça-feira, 26, será a última da CPI da Covid-19 / Leopoldo Silva/Agência Senado

No ato final da CPI da Covid-19, os senadores votam, nesta terça-feira, 26, o relatório final da comissão, de autoria do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Minutos antes do início da sessão, o G7, grupo do colegiado formado pelos parlamentares independentes e de oposição, ainda debatia a inclusão ou não do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do ex-secretário de Saúde do Amazonas Marcellus Campêlo na lista de pedidos de indiciamento – os dois nomes foram colocados no parecer de Calheiros, a pedido do senador Eduardo Braga. Segundo o senador Otto Alencar (PSD-BA), a decisão só ocorreu após um acordo costurado na noite desta segunda-feira, 25, entre Braga e o presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM). Assim, o bloco majoritário deve garantir os sete votos para a aprovação do texto.

“Consegui que o Eduardo Braga conversasse com o Aziz [sobre esse assunto], até porque a CPI surgiu pelo requerimento que foi feito em razão da crise de Manaus. Tivemos problemas com o secretário de Saúde, com o governador, que é réu dentro desse processo, várias ações da PF. Nessa conversa do Aziz com Braga, eu estava presente e praticamente se chegou à conclusão de que deveria constar o nome do governador e do secretário de Saúde como indiciados. Ficou mais ou menos combinado. Falei com o Renan Calheiros hoje de manhã e com o Eduardo Braga e acho que isso é o que vai constar no relatório”, disse Otto. No total, o relatório do senador Renan Calheiros pedirá o indiciamento de 81 nomes – 79 pessoas e duas empresas.

Jovem Pan

Leave a Comment