Servidor do Legislativo relata vitórias sobre o preconceito a Síndrome de Down

Em tempos de intolerância, o exemplo de quem prega a igualdade. O servidor da Assembleia Legislativa Felipe Medeiros (à direita na foto), 30 anos, ao contrário do que se imagina, não se limita. Neste Dia Internacional da Síndrome de Down, ele conta seus sonhos, que passam ao largo do preconceito, e desarma qualquer um quando lhe é pedido para deixar uma mensagem a quem tem Down e se limita. “Para quem tem Down? Por que? Deixo uma mensagem para todos: tenham mais alegria”, disse esboçando um largo sorriso. Medeiros chegou à Assembleia Legislativa em 2011, através do projeto de inclusão social de pessoas com deficiência, iniciativa pioneira no Brasil. Além dele, há outro servidor com Down, Stives Luiz da Silva, 25 anos. Ambos são lotados no Cerimonial.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), hoje é um dia para comemorarmos as conquistas contabilizadas pelas pessoas com Síndrome de Down, como os acessos ao ensino regular e ao mercado de trabalho. “Mas é preciso avançar mais e disseminar informações para promover a inclusão de todos na sociedade. A experiência da Assembleia Legislativa é uma demonstração clara disto”, disse o deputado Ezequiel Ferreira.

“Eu faço várias atividades, mas minhas preferidas são fazer os convites e ajudar no Plenário”, destacou Felipe, que encontrou na Assembleia Legislativa o impulso de que precisava para confiar mais em si”. Acrescentando em seguida: “Aqui, aprendi a ser mais eu, sou aceito”, disse ele, que relatou ter aprendido, a partir daí, a perceber que poderia confiar mais em si mesmo e não se importar com o julgamento alheio.

A confiança lhe permitiu arejar as ideias. Com pensamento fixo, Felipe agora ambiciona fazer a faculdade de odontologia. “Gosto de sorrir. Gosto de cuidar do sorriso. Quero ser dentista”, afirma com outro sorriso o futuro odontólogo.

 

Assessoria