Vídeo mostra momento em que policial é assassinado em Natal; veja

A Delegacia Geral de Polícia Civil do Rio Grande do Norte (Degepol) divulgou na tarde desta terça-feira (22) um vídeo com imagens do momento em que o policial civil Iriano Serafim Feitosa foi assassinado a tiros na avenida do Xavantes, em Cidade Satélite, na Zona Sul de Natal. O crime foi cometido no dia 3 de fevereiro deste ano. Na manhã desta terça, a Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) potiguar prendeu o também agente de Polícia Civil Tibério Vinícius Mendes de França, apontado como sendo o principal suspeito do crime.
O vídeo, feito por uma câmera de vigilância, mostra o momento em que o o carro de Iriano reduz a velocidade para passar por uma lombada. Um motociclista fica ao lado do carro e efetua vários disparos de arma de fogo. Iriano morreu minutos após dar entrada no pronoto-socorro Clóvis Sarinho, em Natal.
iriano
A advogada Ana Paula Nelson, viúva de Iriano, foi atingida por dois tiros – um na perna e outro no quadril.
Ana Paula diz saber quem matou o marido em Natal (Foto: Ana Paula Nelson/Arquivo Pessoal)
Ana Paula diz saber quem matou o marido em
Natal (Foto: Ana Paula Nelson/Arquivo Pessoal)
Tibério Vinícius foi detido em cumprimento a um mandado de prisão preventiva assinado pelo juiz Ricardo Procópio Bandeira de Melo, titular da 3ª Vara Criminal de Natal. O policial foi chamado para prestar depoimento na DHPP. Ao chegar, recebeu voz de prisão. O agente também é apontado pela Polícia Federal como suspeito de envolvimento com grupos de extermínio, investigação que faz parte da operação Thanatus, deflagrada em dezembro do ano passado.
A morte de Iriano Feitosa é investigada por uma comissão de delegados que faz parte da DHPP. “A prisão do agente Tibério foi pedida à Justiça após a constatação da existência de provas materiais e testemunhais que demonstram a atuação do suspeito para a consecução do homicídio. Além disto, a prisão preventiva foi pedida para garantia da ordem pública e conclusão da investigação”, informou a assessoria de comunicação da Polícia Civil.
A advogada Ana Paula Nelson, viúva de Iriano, também aponta Tibério como sendo o autor do homicídio. Entrevistada pelo G1 duas semanas após o crime, ela disse que a execução foi motivada pelo fato de o marido dela ter denunciado o outro policial por envolvimento com extorsão. “É de conhecimento de toda a polícia que meu marido e esse policial tinham uma rixa. Iriano vinha denunciando crimes cometidos por esse policial e ele já vinha nos ameaçando. Tanto que existe um inquérito para investigar quem foi o autor de tiros contra o nosso apartamento. Tenho certeza que também foi ele quem fez isso”, afirmou a viúva.