Vírus Zika matou 49 bebés em 3 meses

Uma assustadora complicação de saúde provocada pelo vírus Zika, a microcefalia, provocou a morte de 49 bebés no Brasil em apenas três meses, confirmou ontem ao Correio da Manhã o Ministério da Saúde brasileiro. Há registos da doença em 21 dos 27 estados brasileiros, mas a situação é mais grave nos estados do nordeste do país, como Pernambuco, Rio Grande do Norte, Bahia e Paraíba.

Os dados referem-se somente ao período entre 22 de outubro do ano passado, quando o ministério passou a monitorar a doença, e o dia 16 deste mês, quando, em todo o país, foram notificados 3893 casos de microcefalia em bebés cujas mães foram contaminadas pelo vírus. A microcefalia faz com que os bebés afetados nasçam com uma forte redução do tamanho do crânio e do cérebro, provocando a morte logo após o parto ou impedindo o normal desenvolvimento dos que acabam por sobreviver.

A assessora do Ministério da Saúde avançou ao Correio da Manhã que em 90% das pessoas contagiadas o vírus Zika não provoca sintomas, mas numa grávida pode mesmo ter efeitos devastadores para o bebé.

Estudos de investigadores do Instituto Carlos Chagas e da Fundação Instituto de Pesquisas Oswaldo Cruz confirmaram esta semana que o Zika é capaz de atravessar a placenta e atingir o feto, com resultados nocivos.

O governo não tem dados exatos sobre o Zika, que é transmitido através do mosquito ‘Aedes aegypti’, o mesmo da dengue, pois a doença, só por si, não é alarmante. Apesar disso, estimativas dão conta de que o Brasil terá entre 400 mil e 1,4 milhões de pessoas contaminadas, que, no máximo, ficam com os olhos avermelhados, sentem desconforto físico e têm pequenas erupções na pele, sintomas que desaparecem no prazo de uma semana.

CM Jornal