Category: Saúde

COVID: Brasil registra 1.175 óbitos e 40 mil novos casos nas últimas 24h; Total de casos chega a 20 milhões

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quarta-feira (4):

– O país registrou 1.175 óbitos nas últimas 24h, totalizando 559.607 mortes;

– Foram 40.716 novos casos de coronavírus registrados, no total 20.026.533.

Ceará e Rio Grande do Norte não enviaram os dados desta quarta-feira por razões técnicas, segundo o Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde).

A média móvel de mortes nos últimos sete dias está em 918, a menor registrada desde 8 de janeiro.

Já a média de novos casos é de 32.772, também em queda, no mais baixo patamar desde o 27 de novembro.

Com informações de R7 / BG

Ministério da Saúde envia mais 59 mil doses de vacinas para o RN nesta quarta-feira (4)

O Ministério da Saúde enviará mais 59.010 doses de vacinas contra a COVID-19 para o Rio Grande do Norte já nesta quarta-feira (4). Serão entregues as vacinas da Coronavac e da Pfizer em dois lotes.

O primeiro lote já chega ao meio dia. Nele, serão 24.400 doses da CoronaVac. Por volta das 16h serão entregues mais 38.610 doses da Pfizer, totalizando 59.010 apenas hoje.

Até agora, 100% das vacinas foram compradas e distribuídas pelo Governo Federal.

BG

Natal vacina pessoas de 29 anos contra a Covid nesta terça-feira (3)

Vacina Natal — Foto: Divulgação/Prefeitura de Parnamirim
Vacina Natal — Foto: Divulgação/Prefeitura de Parnamirim

Natal vai começar a vacinar pessoas de 29 anos de idade nesta terça-feira (3) contra a Covid.

De acordo com a prefeitura, podem ser vacinados também os trabalhadores da indústria a partir de 18 anos – a categoria é considerada do grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização.

Para se vacinar, basta se dirigir a um dos cinco pontos de drive-thru ou 35 unidades básicas de saúde levando um documento com foto, comprovante de residência de Natal e o cartão de vacina. Caso a pessoa não tenha, o cartão de vacinação é feito na hora.

Os locais de vacinação, a documentação necessária e mais detalhes podem ser acessados no site Natal Vacina.

A prefeitura também está vacinando as grávidas que tomaram apenas a primeira dose de AstraZeneca com a segunda dose de Pfizer.

Segunda dose

Também será disponibilizada a segunda dose de vacina em todos os pontos de imunização. É necessário apresentar o cartão de vacinação, documento com foto e comprovante de residência de Natal.

  • Oxford/AstraZeneca

Pode receber a D2 quem recebeu a primeira dose até 10 de maio, ou 85 dias.

  • CoronaVac

Pode receber a D2 quem completou 28 dias da primeira dose.

  • Pfizer

Pode receber a D2 quem recebeu a primeira dose até 21 de maio.

Grávidas que tomaram Oxford

As gestantes que tomaram a primeira dose com o imunizante Oxford/AstraZeneca e que, por recomendação do Ministério da Saúde, não tomaram a segunda dose, poderão completar seu esquema vacinal com o imunizante da Pfizer ou CoronaVac.

Mais de 40 mil pessoas estão com a 2ª dose da vacina contra Covid atrasada no RN, diz Sesap

Frascos das vacinas de Oxford, CoronaVac e Pfizer  — Foto: Cristine Rochol/PMPA
Frascos das vacinas de Oxford, CoronaVac e Pfizer — Foto: Cristine Rochol/PMPA

Rio Grande do Norte tem mais de 41 mil pessoas com a 2ª dose da vacina contra Covid em atraso. É o que aponta a plataforma RN+Vacina, que monitora a imunização no estado, nesta segunda-feira (2), de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap).

O número preocupa à pasta porque a imunização só ser considerada completa após a aplicação da segunda dose nos casos da CoronaVac, Oxford/AstraZeneca e Pfizer.

“Precisamos alertar à população de que quem já estiver dentro do prazo deve procurar as unidades básicas de saúde, os postos ou os drives do seu município, garantindo assim a imunização. Uma dose, apenas, não garante eficácia da vacina contra a Covid-19, que já levou a morte de mais de sete mil potiguares”, ressaltou Kelly Maia, coordenadora de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Ao todo, 736 morreram de Covid no estado com apenas a primeira dose da vacina tomada. Ao todo, o RN registra mais de 7 mil mortes pela doença.

Do total de pessoas com suas doses atrasadas, 86 se recusaram a tomar a segunda dose, segundo a plataforma, e 48 conseguiram se vacinar em outro estado.

“O restante das pessoas estão em atraso sem justificativa, o que nos deixa em alerta. O estado tem feito busca ativa nos municípios, convidando as pessoas a tomarem a segunda dose e sensibilizando sobre a importância de completar o esquema vacinal”, disse a coordenadora.

Hoje o RN tem cerca de 1,5 milhão de pessoas vacinadas com a primeira dose e 602 mil pessoas com a segunda dose.

Os dados na plataforma também podem estar atrasados, já que algumas pessoas que foram vacinadas relataram uma demora no cadastro dos municípios no RN+ Vacina.

G1RN

Brasil tem 105 milhões vacinados com ao menos uma dose contra a covid

Foto da Internet

O Brasil vacinou 105.290.744 pessoas contra a covid-19 até as 21h30 de domingo (1º.ago.2021). O quantitativo equivale a 49,3% da população e refere-se a pessoas que receberam a 1ª dose de vacinas ou dose única.

O número de habitantes totalmente vacinados chegou a 41.598.152, ou 19,5%. É o total de pessoas que completaram o ciclo da imunização. Ao todo, 142.595.702 doses foram administradas no país. Os dados são da plataforma coronavirusbra1 e às informações são do Poder 360.

As vacinas aplicadas no Brasil com duas doses são a CoronaVac, o imunizante de Oxford/AstraZeneca e o da Pfizer. Também está em uso a vacina da Janssen, que requer só uma dose. Até agora 100% das vacinas foram compradas e distribuídas pelo Governo Federal.

BG

FIM DA COVID: RN ja reverteu 90 leitos de UTIs Covid para atendimento geral, vai reverter mais 27, diz Sesap

Leitos de UTI serão revertidos do no RN — Foto: Ariel Dantas
Leitos de UTI serão revertidos do no RN — Foto: Ariel Dantas

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) anunciou nesta sexta-feira (30) que vai reverter mais 27 leitos de UTI Covid para atendimento geral na próxima semana no Rio Grande do Norte.

De acordo com a pasta, os leitos revertidos estão nos municípios de Santo Antônio, Apodi, João Câmara, São Paulo do Potengi e Pau dos Ferros.

Além disso, a pasta informou que, no dia 1° de agosto, vai encerrar o contrato com a Liga Mossoroense para manutenção de leitos exclusivos Covid.

Também em Mossoró, outros 20 leitos de UTI Covid serão desmobilizados no Hospital São Luiz. A Sesap partilhava um contrato com a prefeitura de Mossoró para leitos na unidade particular.

O motivo para a reversão e o fechamento de leitos de UTI é a menor taxa de internação e mortes no estado. Segundo o Regula RN, o estado atualmente tem cerca de 40% de ocupação dos leitos.

“Os indicadores mostram que estamos com cenário que demonstra o sucesso das iniciativas de controle, viabilizadas com a parceria com os municípios, dados que também se expressam na queda da taxa de ocupação, hoje em torno de 40%”, disse o secretário de Saúde Cipriano Maia.

Segundo a secretária adjunta da Sesap, Maura Sobreira, as solicitações de leitos no estado têm diminuído de forma considerável nos últimos três meses.

“Em maio tínhamos uma média de 150 solicitações de leito por dia, passando a 69 em junho e 38 em julho, o que repercute diretamente na taxa de ocupação de leitos, que se mantém em 40%”, ressaltou.

Maura lembra que neste ano o RN chegou a ter 840 leitos Covid e atualmente conta com 706 leitos destinados ao tratamento da doença.

“Isso mostra que a reversão tem sido bem executada, a modo de manter a taxa de ocupação mais baixa”, comentou. Ela pontuou ainda que todas as regiões do estado permanecerão com leitos Covid.

Mais de 90 leitos revertidos

Outras reversões já começaram a ser feitas no Rio Grande do Norte desde que os índices começaram a melhorar neste mês de julho.

O objetivo é possibilitar o atendimento a outras patologias e a retomada de cirurgias eletivas, que foram adiadas pela pandemia.

“Já foram mais de 90 leitos revertidos para leitos de UTI geral e clínicos, espalhados em várias regiões de saúde do estado. Isso tudo para que nós possamos inclusive retomar as cirurgias eletivas, atender outras demandas que estavam represadas diante da pandemia”, explicou Maura Sobreira.

“Seguimos esse planejamento e a previsão é de que nos próximos 10 dias em torno de 90 leitos estejam revertidos”.

Hospital Colônia Dr. João Machado teve leitos de UTI revertidos — Foto: Divulgação/Sesap

Hospital Colônia Dr. João Machado teve leitos de UTI revertidos — Foto: Divulgação/Sesap

No Hospital João Machado, em Natal, já foram revertidos cinco leitos – ficando a unidade com 50 leitos de UTI Covid e 20 leitos de UTI Geral.

No Hospital Coronel Pedro Germano (Hospital da PM) a reversão foi de dez leitos, mesmo número do Hospital Regional Telecila Freitas Fontes, em Caicó. Em Mossoró, no Hospital Regional Tarcísio Maia são cinco leitos semi-intensivos.

Apesar da melhora nos indicadores da pandemia, o secretário de Saúde alerta que não é momento de relaxar.

“Queremos alertar a população de que os cuidados precisam ser mantidos, não temos que baixar a guarda para o risco de circulação de novas variantes, como temos visto em alguns países”, falou Cipriano Maia.

Desde o início da pandemia o RN já soma 359.378 casos confirmados da doença, com 249.447 recuperados e 7.091 óbitos. Foram confirmados três óbitos nas últimas 24 horas.

Até o início da tarde desta sexta-feira a taxa de ocupação de leitos no estado estava em 39,8%, sendo a Região Metropolitana com 38,1%, Região Oeste com 44,3% e Seridó com 37% de ocupação.

O estado tem hoje 352 leitos críticos Covid e 354 leitos clínicos Covid, sendo 201 leitos críticos disponíveis e 237 leitos clínicos disponíveis.

Vacinação

O estado já recebeu até hoje 2.644.510 doses de imunizantes contra a Covid-19. O RN Mais Vacina aponta que até o início da tarde desta sexta 1.552.049 potiguares foram vacinados com a primeira dose e 587.741 com a segunda dose ou dose única, o que corresponde a 16% da população totalmente imunizada.

A subsecretária de Planejamento e Gestão da Sesap, Lyane Ramalho, destacou que a Sesap mantém o intenso trabalho de monitoramento diário de novos casos da doença e reforçou que é essencial a imunização com a duas doses.

“A aplicação da segunda dose é uma pauta importante e voltamos a clamar às pessoas para que busquem a D2 para completarem o esquema vacinal”, disse.

G1RN

Saúde Butantan entrega lote de 1,2 milhão de vacinas da Coronavac ao Ministério da Saúde

FOTO: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

O Instituto Butantan entrega na manhã desta sexta-feira (30) uma remessa de 1,2 milhão de doses da CoronaVac, imunizante contra covid-19 produzido em parceria com laboratório chinês Sinovac, ao PNI (Plano Nacional de Imunização) do Ministério da Saúde.

Com a remessa, são 62.850 milhões de doses da vacina do Butantan entregues ao PNI. A meta é completar 100 milhões de doses até o dia 30 de agosto. O prazo inicial era que a entrega ocorresse até 30 de setemebro. O término previsto para imunização de primeira dose para a população adulta de São Paulo é dia 16 de agosto.

Na quarta-feira (28) foi entregue mais 1,5 milhão de doses da CoronaVac, completando 61,649 milhões enviadas ao PNI. Desde o dia 14 de julho até hoje, foram entregues um total de 8,5 milhões de doses da vacina. Essas entregas são referentes à produção do lote de 10 milhões de doses processadas a partir dos 6 mil litros de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) recebidos no dia 26 de junho.

As entregas ao Ministério da Saúde começaram em 17 de janeiro deste ano, quando o uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A matéria-prima foi envasada no complexo fabril do Butantan, na zona oeste da cidade de São Paulo, e passou por etapas como embalagem, rotulagem e controle de qualidade das doses. Na madrugada do último dia 13 de julho, o instituto recebeu carga recorde de 12 mil litros de matéria-prima para produzir e entregar as 20 milhões de doses.

As vacinas liberadas nesta quarta-feira fazem parte do segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi concluído em 12 de maio.

R7

Fonte: https://www.blogdobg.com.br/

Covid: Natal começa a vacinar pessoas com 31 anos e inicia aplicação da D2 da Pfizer nesta quinta-feira (29)

Vacinação em Natal — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi
Vacinação em Natal — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

Natal vai retomar nesta quinta-feira (29) a aplicação da primeira dose, que estava suspensa desde terça (27). Com isso, a capital baixou a faixa etária e vai começar a vacinar pessoas a partir de 31 anos. A capital inicia também a aplicação da D2 da Pfizer.

Para o público por faixa etária se vacinar, é necessário comprovante de residência, documento com foto e cartão de vacinação.

Para agilizar o processo, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) pede também que as pessoas façam antecipadamente o cadastro no RN+ Vacina.

As vacinas estão sendo aplicadas nas 35 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e em quatro drives (Via Direta, Sesi, Palácio dos Esportes e Ginásio Nélio Dias). Todos os locais podem ser vistos na página https://vacina.natal.rn.gov.br/.

Para os trabalhadores da indústria com 23 anos ou mais a vacinação acontece exclusivamente no Sesi.

Segunda dose

Os pontos de vacinação também estarão com aplicação da D2 da AstraZeneca/Oxford para quem recebeu a primeira dose há 85 dias.

Quem completou 28 dias da primeira dose da CoronaVac deve se dirigir ao drive do Palácio dos Esportes ou Nélio Dias para receber a segunda dose.

A segunda dose da Pfizer também estará disponível, inclusive para quem já se vacinou com a D1 do imunizante. Interessados devem comparecer aos drives do Via Direta e Sesi, obedecendo as datas abaixo:

  • Quinta (29), para quem tomou a D1 até 12 maio;
  • Sexta (30), para quem tomou a D1 até 16 maio;
  • Sábado (31), para quem tomou a D1 até 21 maio.

Para receber a D2 também é necessário a apresentação do cartão de vacina, documento com foto e comprovante de residência de Natal.

Grávidas e puérperas

Mulheres gestantes e puérperas que iniciaram o esquema vacinal com AstraZeneca/Oxford e não concluíram o esquema vacinal por recomendação do Ministério da Saúde, devem tomar a segunda dose do imunizante da Pfizer imediatamente. O local de vacinação é no Via Direta.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia

Anvisa suspende autorização de importação da vacina Covaxin

Foto: © Reuters/Amit Dave/direitos reservados

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu cautelarmente a autorização excepcional e temporária para importação e distribuição da vacina Covaxin, usada contra a covid-19. A decisão foi tomada hoje (27), em Brasília, de forma unânime pela diretoria colegiada da agência. A solicitação de importação foi feita pelo Ministério da Saúde.

Em nota, a Anvisa informou que a decisão foi tomada após ter sido comunicada pela empresa indiana Bharat Biotech que “a Precisa Medicamentos não possui mais autorização para representar a Bharat, fabricante da vacina Covaxin no Brasil”.

Segurança jurídica e técnica

Ainda segundo a agência, a medida prevalecerá até que “sobrevenham novas informações que permitam concluir pela segurança jurídica e técnica” da manutenção da deliberação que autorizou a importação.

Relator da matéria, o diretor Alex Machado Campos disse que a perda de legitimidade da Precisa Medicamentos para atuar junto à Anvisa pode influenciar no cumprimento dos requisitos e condicionantes da importação.

“A decisão levou em conta ainda notícias de que documentos ilegítimos podem ter sido juntados ao processo de importação, o que pode impactar as conclusões quanto aos aspectos de qualidade, segurança e eficácia da vacina a ser utilizada na população nacional”, concluiu a Anvisa.

Agência Brasil /BG

Natal suspende aplicação da 1ª dose da vacina contra Covid nesta terça-feira (27)

Vacina contra Covid — Foto: Alex Régis/Prefeitura de Natal
Vacina contra Covid — Foto: Alex Régis/Prefeitura de Natal

Natal suspendeu a aplicação da 1ª dose da vacina contra a Covid para esta terça-feira (27). A 2ª dose da CoronaVac e Oxford/AstraZeneca continuará sendo aplicada normalmente.

De acordo com o Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a suspensão da 1ª dose é por falta de estoque. A capital informou que aguarda o envio de novas doses pelo Ministério da Saúde para retomar a aplicação.

Até quarta-feira (28), o Rio Grande do Norte deve receber um lote com quase 180 mil doses da vacina contra a Covid, segundo a superintendência do Ministério da Saúde no estado.

Natal estava aplicando a primeira dose em pessoas acima de 32 anos e profissionais da indústria acima dos 24.

Segunda Dose

Oxford/AstraZeneca

Quem recebeu a 1ª dose até o dia 4 de maio, deve procurar os drives SESI, Nélio Dias, Palácio dos Esportes Via Direta ou as 35 UBS nesta terça-feira (27).

CoronaVac

Quem completou 28 dias da primeira dose deve se dirigir ao drive do Palácio dos Esportes ou Nélio Dias, que também dispõem de sala para pedestres, nesta terça-feira (26).

G1RN

80% da população não são suscetível ao coronavírus e nem transmite a niguém, diz Karl Friston

Saiba quais são as semelhanças e diferenças entre COVID-19 e gripe -  OPAS/OMS | Organização Pan-Americana da Saúde
Foto da Internet

Há apenas um mês, a ideia de que a maioria das pessoas não é suscetível ao Covid-19 seria considerada negacionismo.

No início de maio, o Professor de Stanford e Prêmio Nobel Michael Levitt afirmou à Freddie Sayers, em entrevista ao LockdownTV/UnHerd, que as curvas de crescimento da doença nunca foram realmente exponenciais, sugerindo algum tipo de “imunidade anterior”.

Hoje, porém, evidências de algum nível de resistência e imunidade anteriores à Covid-19 estão presentes em artigos publicados revisados por pares. Por exemplo, o estudo Targets of T Cell Responses to SARS-CoV-2 Coronavirus in Humans with COVID-19 Disease and Unexposed Individualspublicado em meados de maio na revista científica Cell, da Elsevier, sugere que 40% a 60% das pessoas não expostas têm resistência de outros coronavírus.

“É importante ressaltar que detectamos células T CD4+ reativas ao SARS-CoV-2 em 40% a 60% dos indivíduos não expostos, sugerindo o reconhecimento de células T reativas cruzadas entre coronavírus circulantes de resfriado comum e SARS-CoV-2″, diz o artigo.

Células CD8+ e CD4+ específicas para SARS-CoV-2 foram identificadas em ∼70% e 100% dos pacientes convalescentes com Covid-19. Células CD4+ reativas à SARS-CoV-2 foram detectadas em ~40% a 60% de indivíduos não expostos. © Alba Grifoni et al, Elsevier Inc
Células CD8+ e CD4+ específicas para SARS-CoV-2 foram identificadas em ∼70% e 100% dos pacientes convalescentes com Covid-19. Células CD4+ reativas ao SARS-CoV-2 foram detectadas em ~40% a 60% de indivíduos não expostos. © Alba Grifoni et al., Elsevier Inc

São quatro os coronavírus responsáveis pelo resfriado comum: Alpha coronavírus 229E e NL63, Beta coronavírus OC43 e o HKU1. Eles circulam por todo o mundo. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem.

Agora, de um membro proeminente do SAGE, o grupo criado para desafiar os pareceres científicos do governo britânico, vem a afirmação de que a parcela das pessoas que não são suscetíveis ao Covid-19 pode chegar a 80%.

O professor Karl Friston, como Michael Levitt, não é um virologista; sua experiência é compreender processos biológicos complexos e dinâmicos, representando-os em modelos matemáticos. No campo da neurociência, ele foi classificado pela revista Science como o mais influente do mundo. É regularmente citado como um cientista que provavelmente será agraciado com um Nobel.

Friston inventou uma técnica chamada de “mapeamento paramétrico estatístico” para entender a imagem cerebral e, nos últimos meses, ele vem aplicando seu método particular de análise bayesiana, que ele chama de “modelagem causal dinâmica”, aos dados disponíveis da Covid-19.

“Até o momento, nossas previsões foram precisas dentro de um ou dois dias; portanto, há uma validade preditiva em nossos modelos que os convencionais não possuem”, explicou Friston ao The Guardian.

Seus modelos sugerem que a grande diferença entre os resultados no Reino Unido e na Alemanha, por exemplo, não é primariamente um efeito de diferentes ações governamentais, mas é melhor explicada pelas diferenças entre as populações, que fazem a “população suscetível” da Alemanha muito menor do que no Reino Unido.

“O fato é que o alemão médio tem menos probabilidade de ser infectado e morrer do que o britânico médio. Por quê? Existem várias explicações possíveis, mas uma que parece cada vez mais provável é que a Alemanha tenha mais “matéria escura” imunológica – pessoas que são impermeáveis à infecção, talvez porque estejam geograficamente isoladas ou tenham algum tipo de resistência natural. É como a matéria escura no universo: não podemos vê-la, mas sabemos que deve estar lá”, especulou.

A matéria escura específica mencionada acima compreende um subconjunto da população que participa da epidemia de uma maneira que os torna menos suscetíveis à infecção – ou menos propensos a transmitir o vírus. Esse tipo de matéria escura representa um desvio das abordagens epidemiológicas básicas de doenças infecciosas que assumem 100% de suscetibilidade da população.

Tecnicamente, a evidência para essa matéria escura é esmagadora; no sentido de que a evidência (também conhecida como probabilidade marginal) de modelos com essa subpopulação é muito maior do que a evidência de modelos equivalentes sem ela”, escreve Friston.

O cientista  destaca que uma vez que se incorpora no modelo comportamentos que as pessoas adotam de qualquer maneira, como ficar na cama quando estão doentes, o efeito do lockdown “literalmente desaparece”.

Sua explicação para os resultados de mortalidade notavelmente semelhantes na Suécia (sem lockdown) e no Reino Unido (lockdown total) é que “eles não eram realmente diferentes. Porque no final das contas, os processos reais que entram na dinâmica epidemiológica – os comportamentos reais, o distanciamento, foram especificados evolutivamente pela maneira como nos comportamos quando temos uma infecção”.

Isso significaria que a principal suposição subjacente por trás dos lockdowns, tipificada pelas famosas previsões do Imperial College – sem controle a doença contaminaria toda a população de todos os países e mataria cerca de 1% dos infectados, levando a incontáveis milhões de mortes em todo o mundo – estava errada, por um grande fator.

Contudo, Friston disse que as premissas dos modelos de Neil Ferguson estavam todas corretas, “sob a qualificação de que a população de quem eles estavam falando é muito menor do que você imagina”. Em outras palavras, Ferguson estava certo de que cerca de 80% das pessoas suscetíveis seriam rapidamente infectadas, e estava certo de que entre 0,5% e 1% morreria, mas não percebeu que a população suscetível era apenas uma pequena parcela de pessoas no Reino Unido e uma parcela ainda menor em países como a Alemanha e outros países.

O que muda tudo.

Em circunstâncias normais, a maioria das pessoas nunca irá contrair a doença.

Naturalmente, cenários com uma carga viral muito alta, como médicos que tratam pacientes com Covid-19 em hospitais, podem vencer essas defesas.

A maior ação governamental coordenada da história, fechando à força a maioria das sociedades do mundo com consequências que podem durar gerações, teria sido baseada em ciência falha.

Os efeitos colaterais na América já podem ser mais mortais do que a pandemia.

Scott Atlas, da Hoover Institution, estima que as conseqüências do desemprego, da falta de consultas médicas e de outros fatores durante os dois meses de lockdown levarão a tantas mortes extras que os americanos perderão 1,5 milhão de anos acumulados de vida, o dobro do total perdido até o momento com a Covid-19.

Atualização 26/06/2020 – Estimativas do Dr. Friston para o Brasil.

“Dessa forma, a análise apontou que a porcentagem da população brasileira imune à covid-19 (que já se recuperou da doença após apresentar sintomas leves) seria de 7%; a parcela não-suscetível ao coronavírus (que têm algum tipo de “resistência” natural) seria de 61%”, reportou o Estadão em 26 de junho.

Com informações da LockdownTV/UnHerd, The Guardian, Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), City Journal, Hoover Institution (Stanford)

Frontliner

RN: Governo faderal manda mais 180 mil doses de vacinas para Covic até quarta-feira (28)

Vacinação contra a Covid-19, em Natal — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Vacinação contra a Covid-19, em Natal — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

O Rio Grande do Norte deverá receber quase 180 mil doses de vacinas contra Covid-19 em lotes que serão entregues nesta terça (27) e quarta-feira (28), segundo informou o Ministério da Saúde e o governo estadual.

Segundo a superintendente estadual do Ministério da Saúde, Midya Targino, o estado deverá receber um carregamento com 144.500 doses na terça-feira (27) e mais 35.100 doses na quarta-feira (28).

Em publicação nas redes sociais, a governadora Fátima Bezerra (PT) detalhou que Ministério da Saúde sinalizou o envio de 85.800 doses da AstraZeneca, 35.100 da Pfizer e 58.700 da CoronaVac, totalizando 179.600 vacinas.

Até a manhã desta segunda-feira (26), o estado registrava mais de 2 milhões de doses de vacinas aplicadas no Rio Grande do Norte, segundo dados do sistema RN Mais Vacina.

Mais de 1,4 milhão de pessoas receberam pelo menos uma dose de vacina e 542,2 mil já estão totalmente imunizadas com as duas doses.

G1RN

RN: Cadê os investimentos para a saúde que foram enviados? Walfredo Gurgel continua superlotados com pacientes que não é Covid, pacientes ficam até 5 dias em maca no chão, diz médica

Pacientes internados em macas nos corredores do Hospital Walfredo Gurgel, em Natal — Foto: Cedida
Pacientes internados em macas nos corredores do Hospital Walfredo Gurgel, em Natal — Foto: Cedida

Enfrentando uma superlotação, com pacientes nos corredores da maior unidade pública de saúde do Rio Grande do Norte, o governo planeja implantar o sistema de regulação na urgência no Hospital Walfredo Gurgel, em Natal.

Segundo servidores, há mais de 100 pacientes internados em macas improvisadas em corredores e até na recepção da unidade. Trabalhando há oito anos na unidade, a médica Nicelle de Morais afirma que nunca viu situação como a dos últimos dias.

“A maioria das pessoas não sabe o que é passar alguns dias no Walfredo Gurgel. Elas só sabem quando precisam e vêm aqui e passam três, quatro, cinco dias numa maca no chão, com seu acompanhante sentado na cadeira, sem privacidade para trocar de fralda, sem privacidade para tomar um banheiro. Um banheiro para 100 pessoas”, afirmou.

Para piorar a situação, profissionais terceirizados, como maqueiros e higienistas, entraram em greve por atrasos salariais. Na tarde de quarta-feira (21), apenas metade dos higienistas trabalharam na unidade. À noite, apenas dois maqueiros ficaram disponíveis no hospital.

Segundo o governo, a sobrecarga da unidade é reflexo da busca direta do serviço pela população e também dos encaminhamentos de pacientes dos municípios, “muitas vezes de casos de baixa complexidade”.

Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) informou que está trabalhando na reformulação do modelo de atendimentos às urgências. “O planejamento é de que a partir de setembro, a porta de urgência só passe a atender pacientes com a indicação de outros serviços e a devida regulação”, disse por meio de nota.

Para isso, a Sesap informou que está atuando junto às unidades regionais e ao próprio município de Natal, para que os serviços municipais possam atender às demandas de menor complexidade, para desafogar o hospital.

“Quanto aos maqueiros, que são terceirizados, a empresa responsável atrasou o envio da documentação, influenciando diretamente no processo de pagamento, que está em tramitação e deve ser efetuado em breve.”, informou o governo.

O Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel é referência em cirurgias de alta complexidade, neurocirurgia, neurologia, traumatologia, cirurgia vascular, nefrologia, setor de queimados, cardiologia, agravos clínicos, entre outras especialidades voltadas para a alta complexidade.

Segundo o governo, até o momento, nenhum paciente deixou de ser assistido.

G1RN

COVID: RN possui 162 leitos críticos e 234 leitos clínicos disponíveis

Covid-19: veja a ocupação dos leitos de UTI em Natal | Rio Grande do Norte  | G1
Foto da Internet

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento no fim da manhã desta sexta-feira (16).

Por volta das 12h25, haviam apenas 04 pacientes com perfil para leitos críticos na lista de regulação. Outros 02 aguardavam avaliação. Foram registrados disponíveis 162 leitos críticos e outros 234, sendo clínicos.

BG

Lote com 61 mil unidades da Astrazeneca/Fiocruz, todo para 1ª dose, chega ao RN, e será distribuído nesta sexta-feira

Foto: Paulo Nascimento

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recebeu no fim da tarde desta quinta-feira (15) uma nova carga de vacinas para a campanha de imunização contra a Covid-19 no Rio Grande do Norte. O lote será distribuído aos municípios nessa sexta (16), pela manhã, cumprindo mais uma vez o compromisso da Sesap em agilizar o processo de vacinação no estado.

São 61 mil imunizantes da Astrazeneca/Fiocruz que, de acordo com a orientação do Ministério da Saúde, devem atender o escalonamento de vacinação por idade, além de atender bancários e trabalhadores dos correios.

As duas categorias foram inseridas pelo Ministério da Saúde na prioridade do Programa Nacional de Imunização na primeira semana de julho.

Com esse lote, o RN passa das 2,3 milhões de vacinas recebidas. A primeira dose, de acordo com os dados da plataforma RN+ Vacina até a tarde desta quinta, já chegou a mais de 1,3 milhão de potiguares. E outros 495 mil moradores do estado estão com o esquema vacinal completo.

BG